História It was always you - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~lexalycia

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Clarke Griffin, Dra. Abigail "Abby" Griffin, John Murphy, Lexa, Lincoln, Octavia Blake, Raven Reyes
Tags Clarke, Clexa, Lexa, Trikru
Exibições 65
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - What the hell...


Fanfic / Fanfiction It was always you - Capítulo 4 - What the hell...

Pov. Lexa


- Quer dizer que a cafeteria está precisando de ajudante? - Falei eufórica

- Foi o que eu acabei de te dizer Lex. - Anya disse revirando os olhos. - Aqui está o endereço, amanhã bem cedo você deve ir. - Anya me entregou um cartão, contendo apenas o endereço da tal cafeteria, e o nome da dona, nada de números? ótimo, ironizei. 

"Clarke Griffin" li seu nome no cartão para eu mesma, joguei dentro da minha bolsa e fui para a cozinha, Anya estava preparando o jantar, eram quase 21h quando ela chegou da livraria, disse que havia ficado lá repondo livros nas prateleiras. 

- Anya, como está seu trabalho?

- Está mil maravilhas! Acho que Octavia gosta mesmo de mim. 

- Hummm, o romance! - debochei

- Para de ser trouxa Lexa, quantos anos você tem? 12? 

- ficou irritadinha! - fiz uma voz irritante e ela ameaçou jogar a comida na minha cara, - calma Anya, é brincadeira. 

- Esses seus tipos de brincadeira são bem chatas sabia?

Minha irmã era o tipo de irmã chata que não aguenta brincadeira vindo do lado de ninguém, principalmente de mim. E eu adorava zoar sobre sua sexualidade, mesmo sabendo que ela não curtia a mesma fruta. Depois que terminamos de jantar, eu fui para a varanda, olhar um pouco o céu e as luzes da cidade, era sempre tão tranquilo dali de cima, e o ar gelado, fazendo meu corpo se arrepiar com sua suavidade no toque. Anya adormeceu primeiro do que eu, e quando meus olhos não aguentaram mais se manterem abertos, me rendi ao sono. Amanhã seria o grande dia! E eu estava bastante ansiosa. 

Na manhã seguinte, levantei bem antes que o celular despertasse ao meu pé do ouvido. Fiz minha higiene matinal, e preparei um café forte. Coloquei meu jeans escuro, e uma botinha marrom, uma camiseta xadrez azul e prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, acho que não seria tão normal se arrumar demais para uma entrevista de emprego. Anya ainda dormia, mas preferi não acordá-la. Peguei minha bolsa, e sai. O sol leve da manhã batia em meu rosto, e eu optei por ir caminhando um pouco mais hoje, o dia estava lindo e eu tinha bastante tempo até a cafeteria se abrir. 

"Cafeteria Trikru", quando cheguei na esquina do endereço marcado, li o cartão novamente para ter certeza de que não errei o lugar. A cafeteria era realmente encantadora, tinha um toque rustico, e ao mesmo tempo muito delicado. Atravessei a avenida e fui em direção ao local, ainda parecia estar bem tranquilo, sem nenhum movimento de clientes. Me aproximo da porta de vidro para poder abrir, e quando puxo a porta, sou obrigada a parar. Uma mulher morena com um balde na mão acabara de jogar toda a água que continha nele em cima de mim, fico ensopada da cabeça aos pés. 

- ERA SÓ O QUE ME FALTAVA! - Grito em completa revolta para a mulher que continuava de boca aberta olhando pra mim. 

- Porra! Desculpa mesmo. 

- E É SÓ ISSO QUE VOCÊ TEM PRA ME DIZER? - Continuo gritando 

- Eu não sabia que a primeira babaca que fosse abrir a porta iria tomar um banho. 

- Escuta aqui sua filha da...

- Ei! O que está acontecendo aqui? - Uma loira se aproximou de nós duas com os braços cruzados. 

- Chefinha, essa mulher aqui, ela veio abrir a porta justo quando fui jogar a água pra limpar, como todas as manhãs. - Disse a morena mudando seu tom de voz, e me irritando um pouco mais. 

- É esse o tipo de funcionários que vocês tem por aqui? - falei mais para mim do que pra elas ouvirem. 

- O que você disse sua idiota? - a morena já vinha para cima de mim quando a "chefinha" dela entrou no meio. 

- Raven, chega. Vá fazer o que você tem que fazer que eu ajudo a...

- Lexa. - falei meu nome com meu pior humor estampado na cara. 

- Lexa? - A loira agora se virou para me olhar dos pés a cabeça. Como se tivesse visto uma atriz famosa. 

- Sim, minha irmã que me recomendou pra você. Mas nesse estado que eu estou agora,fica difícil ser aceita aqui ou em qualquer outro lugar. Se me der licença. - Dei meia volta e comecei a andar meu caminho de volta para casa, não queria mais emprego nenhum. Sinto uma mão puxando meu braço me fazendo parar.

- Lexa, espera! Entra, eu posso te ajudar. 

- Olha "chefinha", não precisa mesmo. Já era minha chance de emprego. - A loira riu com o meu chefinha imitando a tal Raven,

- Gostei de você. E vou gostar mais ainda se você me deixar te ajudar. 

- Okay, você venceu. 


Segui a loira pelo salão principal, em direção a sua sala privada. Quando entrei ela me entregou uma roupa, quis recusar mas ela insistiu, então aceitei. Ela me deixou sozinha em sua sala para que eu pudesse me trocar. 

- Então você é a tal Lexa, em? - Me assustei com sua entrada repentina na sala, eu estava apenas de calça e sutiã prestes a colocar a blusa. - Ai droga! desculpa.

- Relaxa. - Vesti a blusa em um segundo - E você é a Clarke Griffin?

- Bingo.

- Parece ser mais nova do que eu achei que fosse.

- Você achava que eu era uma velha? Que absurdo.

- Não, não uma velha, mas uma pessoa mais...

- Mais?

- Não sei, não tão bonita assim. E jovem. - Corei.

- Obrigada, mas já está perdendo pontos comigo, e se falar mais alguma besteira não te dou o emprego.

- Nossa que rude você é. - Ergui uma sobrancelha, e sorri para ela, que demorou um pouco mas sorriu de volta.

- Senta ai Lexa, vamos ao que interessa. - Sentei-me a cadeira a sua frente e iniciamos a entrevista.


Pov. Clarke

     Com a cena hoje mais cedo que presenciei, não havia notado que a mulher toda molhada seria justamente, a mulher que eu estava esperando. Percebi de relance que Raven não gostou muito, e isso teria que mudar, pois eu estava prestes a contratar a moça.

     - Tem alguma experiencia com vendas e atendimento, Lexa?

     - Não, mas eu juro que aprendo rápido. E sei fazer um café maravilhoso. - A morena estava um pouco nervosa, não sei se era minha presença, ou se era o medo de saber se seria aceita ou não. Depois de uns belos e longos minutos de conversa, cheguei a minha conclusão.

     - Tem algum compromisso hoje? - Ela me olhou estranha. - Calma, não quero marcar um encontro com você, é só para saber se pode começar hoje mesmo.

     - Ai cara, você está falando sério? Claro que posso começar hoje!

     - Então, seja bem vinda à Trikru, Lexa. - e em um sobre salto a garota se jogou sobre mim me abraçando.

     - Muito, muito muito obrigada Clarke, não vai se arrepender. 

     - Tá, tá, já chega. Vamos ao que interessa, vou te mostrar como funciona as coisas aqui. 

Quando sairmos de minha sala, avistei que Eleanor e Bea já estavam aqui, bem pontuais. Procurei por Raven e não à vi pelo salão principal, deveria estar na cozinha. Falei para que Eleanor ficasse no balcão, e que Bea atenderia os pedidos da mesa. E conduzi Lexa para a cozinha, para mostrar como ela usaria as maquinas dos cafés. Lexa parecia bem atenta a tudo que eu falava e me olhava com intensidade, seus olhos verdes me fitavam sem nenhuma chance de escape. Quando terminei de explicar tudo, me virei para ela. 

     - E aquela ali, é a Raven. 

     - Já tive o desprazer de conhecer.  - Ouvi Raven falando ainda de costas para nós duas. 

     - Raven, já chega disso. Lexa agora vai trabalhar aqui. 

     - Para sua perfeita e completa felicidade. - Ouvi Lexa, falando com um sorriso no rosto, em completa provocação. 

     - Que é garota? Vai querer tomar outro banho? 

     - Não tenho medo de você, Raven. - Lexa cruzou os braços, e eu fiz o mesmo, não iria aturar aquele tipo de coisas entre elas.

     - JÁ CHEGA, QUE DROGA! - Gritei para as duas. - Raven, melhor se comportar ou a próxima a ser demitida será você. 

     Não esperei por sua resposta, sai da cozinha pisando firme e entrei na minha sala. Mas ouço as batidas logo atrás de mim. 

     - Raven, não enche! 

     - Sou eu Lexa. - Abro a porta e vejo uma Lexa um pouco preocupada na minha frente.

     - Está tudo bem Lexa, Raven as vezes tem dessas. Basta apenas ignorá-la, logo ela melhora a cara pro seu lado. 

     - Não me importo com isso, mas será que eu poderia assumir o balcão só por hoje? 

     - Tudo bem, mandarei Eleanor para a cozinha. 

     - Obrigada. 

     Lexa parecia ser uma garota legal, e algo nela me chamava atenção. O resto do dia foi um pouco mais tranquilo, passei a maior parte do tempo ajudando as novatas e Raven não dirigiu muito a palavra a mim. 


[...]

     Já era fim de tarde quando uma loira alta, e muito bonita cruzou a porta de entrada, me chamando a atenção. 

     - Oi, ouvi dizer que estão precisando de ajudantes. - A mulher disse do outro lado do balcão. 

     - Sim, estamos.

     - Estou a procura de uma vaga, se ainda não tiver sido preenchida. - a loira me lançou uma piscadela de leve

     - Ainda temos uma. Como você se chama?

     - Me chamo Mandy. 

     - Pode vim amanhã para sua entrevista? 

     - Claro. Estarei aqui. - falou cheia de charme, se retirando.

     Quando a mulher saiu, Raven que tinha entrado no salão, me olhava com uma cara estranha, arg e agora qual o problema dela? Dei de ombros e voltei para minha sala. Organizei umas papeladas, e esperei dar a hora de fechar. Quando já se passavam das 19h, liberei todas. Raven sempre saia junto comigo, as vezes ela pegava carona, mas Lexa também ainda estava ali. 

- Está esperando alguém? - Perguntei. 

- Ah, não. Só estou ganhando tempo para poder pegar o ônibus. 

- Se quiser posso te dar uma carona. 

- Não quero te incomodar Clarke, valeu. 

- Não incomoda. Aceita? 

- Aceita o que? - Raven chegou atrás de mim, querendo saber. 

- Uma carona. - Falei mudando meu humor. 

- Vai dar carona para ela? Você mal a conhece Clarke. 

- Eu vou indo... - Lexa olhou para Raven e se levantou. 

- Espera. Eu te levo em casa. Raven, fecha a a cafeteria hoje. 

- Vai ficar de chamego pra cima dessa aí agora? - Raven falava irritada. 

- Cala a boca! Não seja idiota. Mais do que já está sendo. - Joguei as chaves para ela e me virei para Lexa. - Vamos Lexa. 


[...]

Pov. Lexa


Depois que Clarke me deixou na porta do meu prédio, revolvi ir pelas escadas. O dia havia sido bem cansativo, e na maior parte dele estressante. Metade do que eu contar para Anya, ela dirá que isso dá uma boa novela. Conhecendo a irmã que tenho, vai rir da minha cara até 2020, só pelo fato de ter sido banhada com um balde. 

Quando cheguei no apartamento, ele estava vazio, deduzi que Anya ainda não havia voltado da livraria. Deveria está fazendo hora extra novamente. Me joguei no pequeno sofá, e comecei a pensar em coisas aleatórias, porém algo não deixava eu parar de pensar em Clarke, ela parecia ser uma pessoa tão madura, e tão legal. Ao contrário de Raven, que não me deixaria em paz. Meu celular vibra me fazendo despertar dos pensamentos, olho no visor e vejo que tem uma sms de Anya, abri para ler, "Chegarei muito tarde, não me espere."  Deixei o celular de lado, e me aninhei ainda mais no sofá, com meus olhos pesando, sentindo agora um cheiro de perfume um pouco diferente, tirei a blusa que Clarke havia me dado hoje cedo, e o perfume vinha dela. Aproximei o tecido ao meu nariz para sentir um pouco mais, era um cheiro adocicado, e ao mesmo tempo cítrico. Deixei a blusa cair sobre meu corpo e adormeci. 



Notas Finais


desculpem qualquer erro, deixem seus comentários, é sempre bom saber o que estão achando.
até o próximo! 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...