História It was the destination - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Suga, V
Tags Drama, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Romance, Suga
Visualizações 31
Palavras 1.499
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem e desculpem qualquer erro
sz

Capítulo 11 - Estou com medo


Fanfic / Fanfiction It was the destination - Capítulo 11 - Estou com medo

Acordo num beco escuro sendo chutada, quando ele percebe que eu estou acordada ele me segura pelo meu pescoço e me pressiona contra a parede, ele havia me dado socos na cara, após os dois primeiros socos sinto um gosto de ferrugem na minha boca, e não consigo nem me mexer, começo a gritar mas ele me impede cobrindo minha boca com a sua mão e apertava com mais força meu pescoço fazendo eu ficar sem ar.

—Você matou ela, agora eu vou te matar sua vadia— ele dizia apontando seu dedo em meu rosto machucado

—E-eu não matei ninguém, Omma morreu porque estava doente— tento fazer ele tirar da cabeça que foi eu que a matei

—TU MATOU— ele grita e eu me assusto

Após aquelas palavras uma ardência invadiu meu peito, não sabia se era de raiva, tristeza ou medo, mas tomei atitude, enquanto ele ainda me pressionava contra a parede eu consigo chutar seu saco, fazendo ele se ajoelhar e eu sair correndo, ele corria atrás de mim o que fazia minhas pernas ficarem bambas pela adrenalina, corro em direção a empresa, vejo a moto de Suga e o mesmo estava escorado na moto, quando percebo eu estava correndo sozinha, o desgraçado do meu “appa” fugiu, quando chego perto de Suga ele me olha assustado, e coloca suas mãos em meus ombros e me analisa dos pés à cabeça.

—O que aconteceu? — ele me pergunta e sobe em cima da moto

—Por favor me leva pra casa— digo em meio ao choro e ele assente

Subo na moto com dificuldade, minhas pernas continuam bambas, Yoongi acelera com tudo e eu aperto o corpo dele, percebo que meu celular ainda estava comigo, e ele rastreou, então jogo o mesmo no asfalto, fazendo Suga frear a moto derrapando na pista.

—Seu celular caiu— ele diz olhando pelo retrovisor da moto

—Eu joguei, ele tá rastreado— digo e o mesmo nem pergunta, só volta a acelerar

Em uns 11 minutos nós chegamos no condomínio, fomos para o elevador e ao chegar no décimo andar ele me abraça

—Está entregue— ele diz mas eu seguro a manga de seu casaco

—Eu to com medo — respondo olhando para meus pés, sinto uma lágrima escorrer

—Vem— ele pega em minha mão e me leva para o apartamento dele

Ele abre a porta, dá passagem para eu entrar, e eu acendo a luz, logo me sento no sofá encolhida, e ele me olha por muito tempo, esperando eu estar pronta para falar, mas nada saía da minha boca, então ele me puxa para o banheiro fazendo eu finalmente falar.

—Você não vai me dar banho — digo franzindo o cenho

—Senta aí— ele indica para o vaso.

Sento na tampa que estava para baixo e ele pega um paninho e molha no chuveiro, ele me olha sério e tira minha jaqueta bege e meu moletom branco

—Você vai ter que tirar a roupa— ele fala sério e eu nego com a cabeça diversas vezes

—Não vou ficar pelada na sua frente— digo e ele ri

—Agora sabe o que eu passei— rimos juntos mas mesmo assim continuo negando com a cabeça

—Você não vai ficar completamente pelada, vai ficar de calcinha e sutiã, e outra, sou seu melhor amigo preciso te ajudar, senão eu vou chamar os meninos— ele diz se ajoelhando em minha frente, e eu assinto de cabeça baixa morrendo de vergonha

Ele retira devagar meus tênis e minha calça jeans, depois eu levanto meus braços para ele tirar minha camiseta, ele fica corado e eu fico franzindo o cenho o tempo todo, e não conseguindo nem olhar para ele, aquele pano úmido e morno sobre minha pele machucada, fazia eu sentir um ardor, ele passava delicadamente o pano sobre minhas coxas e ia subindo até minha barriga, ali havia um hematoma muito forte com alguns cortes no lado direito do abdômen, logo ele para e molha novamente o pano no chuveiro, ele volta a passar o pano em minha pele, passou em meus braços e por último em meu rosto, enquanto ele passava ele não tirava os olhos de minha boca, ali perto tinha um machucado, pois eu senti o gosto de sangue na hora do soco.

—Vou pegar uma camiseta minha, espera— ele diz se levantando e indo em direção ao seu guarda roupa, e logo volta com a peça de roupa

—levanta os braços— ele diz pra mim e eu não me movo por vergonha, sinto meu rosto queimar

—D-deixa que eu coloco— digo e o mesmo assente e só observa

—Aai, não consigo colocar meus braços— digo com a camiseta que passou só pela minha cabeça

— “Deixa que eu coloco” — ele tenta me imitar falando e logo solta uma risada

Ele coloca cuidadosamente em mim e logo vamos para a sala, eu vou até a sacada e me perco em pensamentos, sinto a brisa em meu rosto fazendo meus cabelos se movimentarem pouco enquanto Yoongi vai fazer algo para comermos, em 20 minutos já está pronto sinto um cheiro muito bom, mas a fome não vinha então não saio do lugar, apenas continuo encarar a paisagem.

—Vem comer— ele diz enquanto coloca os pratos no balcão

—Tô sem fome— digo e sinto a mão quente dele me puxar

—Não perguntei, você vai comer— ele diz autoritário e eu reviro os olhos

Suga coloca um tipo de sopa, e eu encaro a comida e não digo nada

—Ou tu come, ou eu vou ter que dar sopinha na boca— ele fala sério, mas soou engraçado então apenas assenti com a cabeça e comecei a comer.

9:00 P.M

Terminamos de comer e para minha surpresa ele lava a louça e depois vai tomar um banho enquanto eu escovo meus dentes, depois disso vou até a sala e me deito encolhida no sofá encarando um de seus porta-retratos e acabo dormindo.

P.O.V Yoongi On

Depois que terminamos de comer, coloco a louça na pia e lavo rapidamente, pois são poucas coisas, enquanto Kyung escova seus dentes no banheiro de visitas eu vou até o meu e tomo um banho demorado, saio com uma calça de moletom e uma camiseta preta, vou até a sala pedir para Kyung dormir na minha cama, mas vejo ela encolhida e dormindo, sua calcinha estava a mostra, então arrumo a camiseta cobrindo a peça íntima, mesmo após ser espancada essa garota consegue dormir, vou até meu quarto, pego um cobertor e a cubro, logo me deito mas não consigo dormir, eu queria saber quem foi o desgraçado que fez isso com ela, quando eu souber, eu vou matar ele.

P.O.V Yoongi Off

2:00 A.M

P.O.V Kyung On

Acordo soluçando entre o choro, tive um pesadelo no qual eu via Omma morta e todos diziam que era culpa minha, levanto sem fazer barulho e vou até o quarto de Yoongi, ele estava sentado na sua cama, mas com os olhos fechados, a grande janela a sua esquerda estava fechada apenas pelos vidros, o que fazia iluminar um pouco seu rosto, tento não acordar ele e deito ao seu lado, mas em seguida sinto uma mão em minha cabeça e logo sento e encaro Yoongi.

P.O.V Kyung Off

—O que foi? — ele pergunta ainda de olhos fechados

—Yoongi, tive um pesadelo— digo fungando o nariz

—Aish, e como foi o pesadelo? — ele pergunta para mim sem se mover e eu ainda o encaro

Digo para ele o que aconteceu no pesadelo e tomo coragem e conto quem me bateu, ele fica agitado mas tenta não demonstrar, logo ele estica seu braço direito indicando para eu ir e me juntar a ele, ando de joelhos pela cama e sento ao lado dele, ele me abraça de lado com cuidado, encaixo minha cabeça em seu pescoço quente, e ele cobre nossas pernas com seu cobertor.

—Kyung, não é culpa sua, ela estava doente, você não podia fazer nada— ele fala enquanto acaricia meus cabelos e eu começo a chorar baixinho

—Mas Yoongi, eu tô com medo, ele tá aqui na Coreia— digo e ele para de acariciar meus cabelos e se vira um pouco ficando com seu rosto em minha frente

—Ninguém vai te fazer mal enquanto eu estiver aqui pra te ajudar— ele diz e se aproxima para dar um beijo em minha bochecha mas logo começa a me encarar e pensar

Quando ele se aproxima para beijar meu rosto eu o encaro e ele faz o mesmo, seus olhos brilhavam, eu sentia sua respiração pelo fato dos rostos estarem próximos, até que sinto nossos lábios se tocarem, sua boca estava gelada, seu beijo era doce e calmo, logo ele pede passagem com a língua e eu cedo, nossas línguas se encontram e sinto uma onda de adrenalina pelo meu corpo, o beijo fica cada vez mais intenso, como se precisássemos daquilo, coloco minha mão em seu pescoço sinto uma de suas mãos geladas sobre o pano da camiseta em minha cintura, paramos apenas pela falta de ar.

—Desculpa...


Notas Finais


Ahh Yoongi cuidando da Kyung é tão fofo
espero que tenham gostado
sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...