História It's a match! - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Norminah, Tinder
Exibições 411
Palavras 1.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - O quinto encontro - parte 1


Anteriormente em It’s a match!

- Bonito, ein? - Dinah começou e eu já revirei os olhos.

- Que bonito! - Normani a acompanhou e Camila começou a rir, me abraçando e escondendo o rosto no espaço entre meu ombro e meu pescoço.

- Que cena mais linda, será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí?? - as duas cantaram juntas e se eu não tivesse tão bem encaixada naquele abraço, ia procurar uma garrafa pra jogar na cabeça da Dinah.

- Cansaram de transar, foi? - perguntei e elas se olharam com caras de curiosas.

- Como você sabe que… AAAAH FOI VOCÊ QUE ABRIU A PORTA DO BANHEIRO? GRAÇAS A DEUS!!

- Graças a Deus???? Dinah, você vai pagar meu terapeuta a partir de segunda feira.

- Nós na verdade te poupamos o trabalho de acessar o Xvideos. De nada. - Normani disse e elas iam saindo da cozinha, quando Dinah virou e disse – Ah, não cometam o mesmo erro que nós, tranquem a porta de seja lá qual for o cômodo que vocês vão transar.

P.O.V Lauren

- Eu não acredito no que acabou de acontecer… - ela falou, ainda olhando na direção onde as meninas saíram da cozinha enquanto eu a encarava.

- Nem eu… - ela virou o rosto e quando me olhou, pareceu entender do que eu estava falando pois deu um sorrisinho tímido e olhou pra baixo – Impressão minha ou Camila Cabello está com vergonha?

- Quem? Eu? Me respeita, Lauren…

- HAHAHAHAHAHA você tá com vergonha, morena – abracei seu corpo e deixei alguns beijos pelo seu rosto – Nem parece aquela menina que queria transar comigo no laboratório da faculdade.

- PARA, LAUREN! - ela deu um tapa no meu braço e riu, segurando meu rosto e me prendendo naquela troca de olhares maravilhosa – Eu não tô com vergonha, só tô pensando que eu queria fazer as coisas do jeito certo dessa vez.

- Hum, defina jeito certo…

- Ah, sei lá. Conhecer, chamar pra sair, ter a regra dos 5 encontros, essas coisas… - quanto mais ela falava, mais eu percebia um certo desconforto mas como sou curiosa, continuei perguntando.

- O que é a regra dos 5 encontros?

- Fala sério que você não sabe o que é isso?

- Juro que não sei – eu não sabia mesmo.

- É a regra que define que o casal tem que ter 5 encontros antes de transar…

- Morta… você quer isso pra gente mesmo que a gente já tenha transado?

- Seria interessante né?

- Seria? Nada de sexo hoje? Isso aqui conta como um encontro né? - eu tava me sentindo muito Alice porque jurava que hoje a jiripoca ia piar.

Camila não respondeu nenhuma pergunta que fiz, apenas se afastou de mim, pegou a garrafa de cerveja que antes ela bebia e virou o resto todo, fazendo uma pequena careta ao sentir o gosto da cerveja. Eu apenas observava cada movimento daquela mulher, e vocês sabem né? Não poder ter algo é a principal motivação pra querer tal coisa. Ter aquela bunduda na minha cama passou a ser o objetivo da minha vida.

- Vem, Lauren, me ajuda a relembrar uma coisa e tirar uma dúvida – ela segurou minha mão e me puxou pra sala da minha casa, onde naquele momento era a pista de dança. Antes que eu perguntasse o que ela queria relembrar, magicamente a música mudou pra “Work” e Camila me olhou, levantando uma sobrancelha sugestivamente.

P.O.V Camila

Work, work, work, work

Work, work

You see me I be

Work, work, work, work

Work, work

You see me

Do me dirt, dirt, dirt, dirt

Dirt, dirt

So gimme all that

Work, work, work, work

Work, work

Work work work pra lá, work work work pra cá e eu já tinha mandado a regra dos 5 encontros pra puta que pariu, tudo que me importava era continuar sarrando na Lauren até ela não aguentar mais, e isso estava prestes a acontecer. Praticamente a música toda, eu “dancei” com o corpo colado ao dela, mexendo minha bunda da maneira mais provocativa e adorando a brutalidade que ela me prendia ao seu corpo e deslizava suas mãos pelas minhas coxas ao mesmo tempo que distribuía beijos e chupões pela minha nuca e pescoço.

Eu dançava com os olhos fechados e completamente alheia ao que acontecia ao redor, quando senti meu corpo ser virado e aqueles beijos tão familiares subindo pelo meu pescoço, até que ouvi a voz, aquela voz rouca que ela fazia quando estava excitada.

- Acho que essa dança pode contar como um segundo encontro, né? - ela continuou beijando meu pescoço enquanto subia uma mão pelas minhas costas. Quando essa maldita mão alcançou minha nuca, segurou meu cabelo e fez minha cabeça inclinar pra trás, eu pedi forças a todos os deuses existentes mas parece que todos eles queriam que eu cedesse. E quem sou eu pra ir contra os deuses, não é?

- Eu tive uma ideia, Lauren – comecei a falar perto do ouvido dela por conta da música alta – Quando a gente se encontrou no corredor, foi o primeiro encontro, quando a gente foi pra cozinha tomar cerveja foi o segundo, quando a gente se beijou foi o terceiro e nossa dança foi o quarto. Ops, acho que estamos no quinto encontro. - a olhei com a maior cara de inocente que consegui fazer e sai andando e rebolando em direção ao corredor dos quartos. Não olhei pra trás em nenhum momento, mas quando estava quase chegando no quarto dela, senti um corpo jogar o meu na parede e me beijar de maneira bruta. Se eu já estava excitada só de rebolar na Lauren, quando ela fez isso, minha calcinha se transformou em uma piscina.

As mãos dela buscavam meu corpo com urgência, com uma necessidade que até então nós não havíamos experimentado. Cada toque, cada beijo, cada contato entre nossas línguas era intenso e voraz. Eu provavelmente nunca me senti tão viva, tão humana, tão mulher. Senti ela abraçar meu corpo e aproveitei pra tomar impulso e me encaixar na sua cintura, deixando que suas mãos na minha bunda me segurassem.

Quando paramos de beijar, ela andou me levando na direção do seu quarto, ainda com nossos rostos colados e compartilhando de respirações ofegantes e corações disparados, entramos no quarto e ela sussurrou: - Tá pronta pra nosso quinto encontro, Camz?

- Eu nasci pronta, Lolo.

O que aconteceu dali em diante eu nunca conseguirei descrever perfeitamente. Explorávamos uma a outra com saudade, com conhecimento e experiência, mas, ao mesmo tempo, eram sensações diferentes, eram entregas diferentes.

Aquela noite foi a primeira vez que eu e Lauren fizemos amor. Fizemos amor do nosso jeito. Selvagem e com as almas entregues.


Notas Finais


Eu juro que eu volto logo com a parte 2
ps: vocês são lindas, viu?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...