História It's a match! - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Norminah, Tinder
Exibições 436
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu só apareço de madrugada pra não apanhar de vocês huehuehueuhehue

PS: essa imagem diz muito sobre o capítulo (insira aqui o emoji da lua safada)

Capítulo 30 - O quinto encontro - parte 2


Fanfic / Fanfiction It's a match! - Capítulo 30 - O quinto encontro - parte 2

P.O.V Camila

Senti meu corpo ser jogado na cama e com urgência, nossas roupas foram parar no chão, restando uma Lauren apenas de calcinha boxe preta e eu de lingerie vermelha. Ela estava ajoelhada na cama olhando meu corpo e abriu um sorrisinho sapeca quando começou a descer minha calcinha.

- Eu sabia que você nunca quis levar aquele papo de cinco encontros a sério – a encarei com uma expressão confusa enquanto ela jogava minha calcinha no chão e depositava beijos desde a minha virilha, passando pela minha barriga e deslizando a língua pelo meu pescoço enquanto suas mãos habilidosas abriam o fecho frontal do meu sutiã – Você veio com uma lingerie sexy, não acho que você pensou em esperar alguma coisa – Lauren chupou meu pescoço e logo depois sussurrou: e você tá depiladinha, do jeito que eu gosto.

A maldita sabia como me enlouquecer, mas eu não deixaria isso por baixo. Aproveitei que sua guarda estava baixa e joguei seu corpo pra o lado, virando junto e sentando encaixada no seu colo, enquanto minhas mãos prendiam as suas na cama.

- Sabe, Lauren, talvez você tenha razão – eu falava enquanto rebolava devagar no seu colo e, mesmo que ela ainda estivesse de calcinha, o contato dos nossos corpos me fazia perder o controle – Talvez eu tenha vindo aqui só pra te dar – falei o final da frase bem baixinho perto do seu ouvido e pude perceber o seu corpo tremer. Levei minha boca até a dela e chupei seu lábio inferior, sussurrando com nossas bocas praticamente coladas – Mas te vendo assim, tão submissa, agora eu também quero te comer, Lolo, te comer bem gostoso.

Encarei seu rosto e ela estava de olhos fechados, mas carregava aquele sorriso que entregava que ela queria muito aquilo, mas eu queria ouvir, então resolvi provocar. Desci pelo seu corpo com beijos por toda parte até que minha boca encontrou seus seios, onde sem demora comecei a me deliciar, alternando entre chupar e mordiscar eles. Lauren me presenteava com seus melhores gemidos e castigava meu cabelo a cada puxada que ela dava. Levei meus dedos até sua boceta e mesmo com o pano da calcinha impedindo um contato direto, comecei a massagear seu clitóris e percebi o quão excitada ela já estava. Seus gemidos foram aumentando e se misturava ao som da festa, quando ela começou a pedir por mais.

- Isso, Camz, isso… Caralho…

- O que você quer que eu faça, gostosa? - perguntei enquanto meus dedos ainda acariciavam seu clitóris e eu deixava um caminho de marcas naquele pescoço branco maravilhoso.

- Camila, por favor…

- Pede, Lauren, me diz o que você quer – logo tirei sua calcinha e voltei a deitar com meu corpo sobre o dela, fazendo com que nossas intimidades roçassem e ela soltasse um gemido mais intenso, segurando forte no meu cabelo e me encarando com aqueles olhos que imploravam por sexo.

- Camila, por tudo que é mais sagrado, me fode, por favor.

Eu não precisei ouvir mais nada, logo desci minha mão de encontro à sua boceta e comecei a introduzir dois dedos e movimentá-los, inicialmente num ritmo lento enquanto ao mesmo tempo meu polegar massageava seu clitóris.

- Que delicia, Camila… Desse jeito, isso…

Lauren castigava meu cabelo com puxões, tentando descontar todo o tesão mas ao mesmo tempo me compensava com seus gemidos roucos e baixos, bem perto do meu ouvido apenas pra que eu escutasse.

- Caralho, isso, Camz, põe mais um dedo vai…

Não vou mentir que fiquei surpresa, mas quem sou eu pra negar mais um dedo pra Lauren Jauregui?

P.O.V Lauren

Chegou um momento que eu desconhecia a definição de controle. Camila sempre soube como me levar a loucura, mas parece que quando o sexo vai além de sexo, as coisas ficam mil vezes mais intensa. Eu não demorei muito a gozar e me desmanchar nos seus dedos. Abri os olhos a tempo de vê-la chupar meu gozo dos seus dedos e me lançar um sorriso ousado.

Uma frase ficava passando pela minha cabeça, “eu não acredito que isso tá acontecendo, eu não acredito que isso tá acontecendo”, mas estava, eu tive um dos melhores sexos da minha vida graças a Camila e eu queria muito mostrar minha gratidão.

- Camz… - sussurrei enquanto beijava seu pescoço e lançava meu corpo pra cima do dela. Nossas intimidades se encostaram e foi inevitável controlar nossos gemidos – Não me diga que você já cansou… Eu tinha tantos planos pra essa noite. - Camila sorriu e apertou os dedos nas minhas costas, movimentando lentamente seu corpo e aumentando o contato das nossas bocetas.

Imediatamente nossas bocas se encontraram em um beijo quente e cheio de malícia. Nossos corpos eram explorados pelas mãos da outra enquanto eles se movimentavam em um mesmo ritmo, como se fossem apenas um. Os beijos já eram interrompidos pelos nossos gemidos quando senti um tapa na minha bunda, foi um tapa fraco mas foi a primeira vez que ela tinha feito isso. Respondi com um gemido muito gostoso próximo ao seu ouvido e foi o suficiente pra ela se empolgar e distribuir outros tapas, dessa vez caprichando e, com certeza, deixando as marcas dos dedos na minha bunda. A trilha sonora naquele quarto era a música da festa, nossos gemidos e o som do impacto da sua mão na minha pele. A excitação pelos tapas misturada com a sensação maravilhosa de roçar na Camila fez com que eu chegasse a mais um orgasmo fantástico junto com ela, deixando meu corpo cair sobre o dela e tentando controlar a respiração.

- Puta que pariu, Lauren… - Camila deslizava a ponta dos dedos pelas minhas costas enquanto eu deixava alguns beijos pelo seu ombro.

- Puta que pariu mesmo…

- Essa foi a melhor foda da gente até hoje – ela dizia e acariciava o fim das minhas costas e começo da bunda, até que começou a rir – E eu acho que deixei umas marcas na sua bunda…

Levantei da cama e parei na frente de um espelho, ficando de costas pra ele e observando as marcas dos seus dedos bem vermelhos nas duas nádegas. Sorri quando vi aquilo e logo minha mente começou a pensar em coisas muito más pra fazer com a Camila. Olhei pra cama e ela estava de bruços, nua e com aquela bunda maravilhosa apontada pra mim. Ai Camila, se eu não te conhecesse eu até pensaria que você não ficou nessa posição de propósito, né.

Voltei pra cama e deixei alguns beijos nas suas pernas, subindo pelas coxas e aproveitando pra morder aquela bunda enorme dela. Então comecei a distribuir chupadas por suas costas até que alcancei sua nuca, afastando seu cabelo e encaixando meu corpo no dela. Camila rebolava pra me provocar, levantava o corpo e virava o rosto pra tentar me beijar. Em uma das vezes que ela suspendeu o corpo, desci minha mão até sua boceta e sem demora, comecei a masturbá-la enquanto deixava várias chupões caprichados pelo seu pescoço, desses que eu sabia que ficaria marcado no dia seguinte.

- Lauren, me come, me come agora! - ela pediu com uma voz manhosa e eu continuava massageando seu clitóris, penetrando apenas a ponta do dedo pra provocá-la.

- O que? Pede direito, minha gostosa…

- Lauren, por favor, para de maldade… - estava claro em sua voz que ela não tava mais aguentando, então ajoelhei na cama, dei um tapa sem dó na sua bunda e disse, séria.

- Fica de quatro, Camila! - ela imediatamente me obedeceu, dando uma olhada pra trás e mordendo o lábio, fazendo com que eu perdesse qualquer pudor que ainda carregava. Me afastei o suficiente pra deslizar a ponta dos dedos até sua entrada e penetrá-la. Camila gemeu alto e a medida que meus dedos se movimentavam com mais rapidez e força, ela começou a rebolar, inclinou levemente a cabeça pra trás e em meio a gemidos, pediu:

- Me bate, Lauren, me bate bem gostoso!

Não foi preciso pedir outra vez, enquanto uma mão estava ocupada a penetrando, a outra iniciou uma sequência de tapas e a cada estalo em sua bunda, ela soltava um gemido mais alto e mais gostoso. Ela não encostava um dedo em mim mas a sensação em meu corpo era como se eu estivesse prestes a gozar, e ela também. Parei os tapas e com a mão livre, enrolei seu cabelo e puxei, fazendo ela me olhar enquanto ela dizia palavras desconexas em meio a gemidos.

- Ai, Lauren… Eu vou… Eu to quase… Lauren! Isso…

E com um gemido alto e ela mordendo o travesseiro, senti seu corpo tremer e aos poucos ceder e deitar na cama. Quando ela me olhou, repeti o seu gesto anterior, chupando meus dedos melados pelo seu gozo e sorrindo pra ela. Me joguei na cama ao seu lado e a olhei, sorrindo de orelha a orelha e desejando que aquela noite durasse pra sempre.

- Eu tô sonhando? - neguei com a cabeça e abracei seu corpo, deitando a cabeça no seu peito e abraçando sua cintura.

- Não, mas se isso for um sonho, eu vou acordar com a calcinha encharcada. - ela riu e acariciou meu cabelo, ficando calada por um tempo, mas dizendo logo em seguida.

- Tô pensando aqui e me achando a pessoa mais burra do mundo por quase ter te expulsado da minha vida…

- É, você foi burra mesmo – ela me deu um tapa no braço e eu me vinguei dando uma mordidinha no seu peito, mas logo nos encaramos e estava escrito nos nossos olhos o que aconteceria ali e a noite toda.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...