História It's Complicated - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 111
Palavras 1.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eae pessoal, tudo bem com vocês?
Nossa, acabei falando igual aquele youtuber, o Edu '-'
Vocês ja viram Animais Fantasticos? Devo dizer que J.K.Rowling como sempre lacrando em tudo que ela escreve.
Enfim, mais um capitulo, espero que gostem.
Novamente eu peço, que falem se tiver algum erro, algo que os incomoda na fic, sugestões e criticas são bem vindas.
No mais... nos vemos nas notas finais.

Capítulo 4 - Primeira Vez


Quando cheguei em casa, dona Clara quase tem um chilique. Eu disse quase? Ela teve um chilique.

Ela me levou na mesma hora ao médico. Exagerada? Imagina.

Quando chegamos lá, o médico me examinou com cara de quem está achando aquilo a maior graça. Ele apenas disse que meu dente havia quebrado, mas era uma parte bem pequena e quase não dava para perceber. O que não impediu minha mãe de me encaminhar ao dentista.

Voltamos para casa quase na hora do jantar. Papa estava organizando a mesa com a ajuda dos gêmeos.

Durante o jantar esperava que me deixassem no meu canto quieta. Mas claro querer não é poder. Meu querido pai resolveu falar sobre minha "crush". Bufei com isso. Ainda bem que GG não havia falado mais nada.

- Eu não tenho nenhuma crush, pai! - Mas é claro que eu não tinha. Quer dizer, Camila é bonita e tudo mais, mas eu só a acho bonita mesmo. Afinal, o que é belo, deve ser admirado não é?

Meus irmãos começaram a rir e papai os acompanhou. Mamãe fechou a cara. Poxa pai, está vendo o que o senhor me arruma?

- Acho bom mesmo, Michele! - Engoli em seco e balancei a cabeça em confirmação.

- Querida, Lauren já tem idade para ter aventuras. - Papa tentou me ajudar. Olhei na mesma hora pra ele. Está ficando louco homem? Não é no seu pé que ela vai ficar colada!

- Não, não tem, ela só tem 15 anos! É um bebê ainda! - Ótimo, meus pais são malucos. Acabei me engasgando com o suco.

Os pirralhos começaram a rir feitos dois filhotes de hienas.

- Eu já terminei, posso subir? Estou meio cansada. - Falei enquanto me levantava.

Não esperei nenhuma resposta, subi as pressas para meu quarto. Fechei a porta e me joguei na cama, olhando para o teto. Mas essa agora! Minha mãe acha que eu tenho quantos anos? Dois?

Tomara que ela não descubra que não sou mais virgem.

Continuei encarando o teto, o qual tinha uma gravura digna de qualquer fã de Halo. Com a imagem de um dos halos, e o maravilhoso céu que todos os jogos possuem.

Escuto baterem a porta do quarto, digo eu podem entrar, e encaro a porta vendo a figura de meu pai sentando na cama, ele coloca a mão em meu joelho e olha ao redor. Aponto para um quebra cabeça em 3D, como se quem quer saber o que eu estava fazendo.

- Nada de mais, só algo que veio em minha cabeça. Estava entediada.

-Ok. Quer falar sobre o houve na escola hoje? Que garota é essa a qual o GG falou?

Me ajeito na cama, sentando nela e encostando as costas da cabeceira. Dou de ombros.

- É só uma garota que eu acho bonita. Ela faz algumas aulas comigo.  Mas eu não sou afim dela. – Levanto as mãos a altura do peito quando ele olhou pra mim com um sorriso.

- Muito bem, se você diz. Mas qualquer coisa, dúvida... É só vir falar comigo.

- Pai, não torne isso constrangedor. A última vez já foi o suficiente.

Ele soltou uma risada, balançou a cabeça, e deu um tapinha em minha perna.

- Certo, certo! – Ergueu os ombros em sinal de rendição. - Mas você sabe que teve sorte de ter sido eu a encontrar vocês não é? Mais uns minutos e seria sua mãe.

- Credo papa! Não fale isso, nem de brincadeira! – Ele levantou-se e abriu a porta e saiu rindo.

A ideia de minha mãe me encontrar transando com sua melhor amiga era realmente assustadora.

Deixe-me explicar melhor.

Ainda morávamos em Nova Orleans, mas já estava decidido que nos mudaríamos para Miami. Como eu já disse, meu pai teve de se mudar por conta de seu emprego.

Mamãe tinha o costume, de sempre fazer reuniões (bem chatas por sinal) com suas amigas. E em uma destas, ela falou que iríamos morar em outra cidade. Elas ficaram felizes e todo aquele doce. Só que, uma destas “amigas”, vivia se jogando para cima de mim, e quando soube que sou “diferente” ficou bem mais curiosa.

Isso me surpreendeu, pois muitas pessoas ficavam receosas ou mesmo até se afastavam, preferindo não se relacionar comigo. Enquanto que ela não. Então, a investidas da mesma passaram a aumentar. E bom, eu era virgem, não sabia muito bem como reagir nesses casos. Não sei se isso é o pior ou o melhor, mas a mulher não era muito velha, ela tinha vinte e cinco anos. Trabalhava no consultório com mamãe, era sua secretária. Um dia acabei voltando mais cedo que o normal do colégio, e a vejo encostada em seu carro. Eu achei que ela estivesse esperando minha mãe ou algo do tipo.

Quando menos pensei, já estávamos deitadas na cama, em um beijo de tirar o folego e com ela por cima de mim, me envolvendo com a camisinha.

Não vou dizer que não me empolguei, por que eu realmente me empolguei com ela, passamos à tarde quase toda em meu quarto. E bom, meu pai (meu herói, porque vou te dizer, não tinha melhor hora pra chegar não?), abre a porta do quarto e olha para nós igual uma estátua. Por sorte, foi ele quem nos encontrou naquela situação um tanto quanto constrangedora. Ou seja, tenho sorte por ainda estar viva. E a mulher também.

Detalhes a parte, foi isso que aconteceu.

Acordei cedo no outro dia, me arrastei para o banheiro e fiz minha higiene. Coloquei um gorro cobrindo minha orelhas, e desci para encontrar mama terminando seu café, me servi de cereal e leite. Olhei em volta, estranhando a ausência dos pirralhos e de papa. Antes que eu perguntasse, escutei a voz de minha mãe.

- Eu vou levar você hoje. – Engoli o cereal que estava em minha boca sem nem mastigar.

- Eu sempre dou carona para GG. – Disse rapidamente.

- Estou sabendo, não se preocupe. – Assenti e terminei meu café da manhã.

Céus, ela vai ficar na minha cola agora. Eu mereço.

Ela parou o carro em frente ao colégio, saltei para fora daquele veiculo, com minha mochila em meu ombro direito. Grant, olhou confuso para mim, e saiu o mais lentamente possível daquele carro.

Por Poseidon, esse menino é muito... Vontade de xingar ele de todos os nomes. Quando a princesinha finalmente saiu o puxei pela mochila e o arrastei para dentro daquele lugar cheio de zumbis ambulantes pela manhã, ignorando qualquer coisa que minha mãe dizia.

- Ei! Calma! O que houve? Parece que roubou um banco e quer fugir! – Ele disse parando perto da entrada.

- Nem comece Gustin! Por que foi dizer aquilo para meu pai?! Ele falou para minha mãe e agora ela vai ficar no meu pé até saber quem é! – Disse completamente desesperada. E o pior que não havia maldade nenhuma na forma que eu via Camila. Mas não havia mesmo.

- Oh! Não sabia que teria problema, eu só estava brincando. – Seu olhar era completamente perdido na situação.

- Tudo bem... Depois ela se cansa quando ver que não tem nada com o que se preocupar. – Falei entrando no lugar, e indo em direção ao meu armário.

GG me seguiu, e colocou uns livros lá e tirou outros, colocando na mochila.

Senti um impacto no meu lado esquerdo, e um mão me pressionando nos armários.

- Mas que droga!

- Mas que droga digo eu! O que pensava quando falou ontem Camila na hora da saída? – Olhei alguns centímetros para cima e vi Zach me olhando igual um maluco.

- Em nada, porque não fui procurar conversa com ela. Camila veio falar comigo. – Disse tirando sua mão nojenta de meu ombro.

Ele apontou o dedo pra mim.

- Eu sou dizer uma vez, e escute bem. Pensa que não percebo os olhares nada discretos que você direciona a ela? Então, me escute bem: não se aproxime dela outra vez. – E então saiu apontando o dedo indicador para mim.

Balancei a cabeça, completamente atordoada com o que acabara de acontecer.

- Esse cara é maluco. – Escutei GG murmurar ao meu lado.

E quando eu menos espero e para completar minha manhã maravilhosa que estava tendo, sinto algo gelado ser derramado em minha cabeça. Olho pra o lado e vejo Jake com dois copos vazios de suco, dando de ombros e um sorriso sínico nos lábios.

- Desculpa. Foi sem querer. Eu vivo esbarrando nas pessoas.

Respirei fundo, buscando paciência. Ia ser difícil.

- Jake! O que pensa que está fazendo? – Vi Camila olhar incrédula para ele.

- Me divertindo. – Virou-se para ela. – Desculpe, acabei derramando seu suco sem querer.

Ela mexeu no cabelo totalmente contrariada a situação, bateu o pé no chão e saiu dali completamente enfurecida com ele.

- Imbecil. – Só vi Normani me lançar um olhar de desculpas e a acompanhar.

- Ei, vocês estão bem? – Chandler se aproximou de nós. – Espero que tenha uma camisas reservas, e parece que você adivinhou Lauren, o gorro salvou seu cabelo.

Suspirei.

- É... - Tirei o gorro, amaldiçoando até a décima geração da linhagem de Jake Abel. E por sorte também, eu tinha colocado uma jaqueta moletom por cima de uma camisa com o símbolo da DC. Guardei ambos no armário.

- Vou ao banheiro tirar esse suco do cabelo.

GG não esperou nem mesmo que eu respondesse e saiu na direção que ele disse. Com ele era bem pior, pois, ele já sofria com isso há alguns anos. E bom, nessas duas semanas havia dado uma melhorada. Apesar de ele levar alguns esbarroes e empurrões pelo corredor da escola.

E alguma coisa me dizia lá no fundo, que essa não seria a ultima vez que implicariam comigo.

É... Como nos velhos tempos. 


Notas Finais


Então, gostaram? ficou ruim ou bom?
Comentem, e...
Leitores fantasminhas, deixem sua opinião, isso estimula muito, vocês nao tem ideia.
Antes de mais nada, o proximo cap ja está pronto, e a partir dele as coisas vão começar realmente a acontecer.
Entonces, até o proximo... talvez, quem sabe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...