História It's kill or be killed - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Exibições 55
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem. Desenho feito pela METTAPAPYAMO

Capítulo 3 - Dead slut


Fanfic / Fanfiction It's kill or be killed - Capítulo 3 - Dead slut

Sábado, 24/12/2015. 21h e 40 min. Penhasco.

Ninguém pov’s on

Jess teve que pensar rápido, por instinto tentou segurar a mão do estranho. Estavam quase se tocando quando o galho se partiu, a garota soltou um grito estrangulador em quanto caía do abismo, bateu com a cabeça em uma pedra e saiu rolando até chegar ao final do vale, seu corpo sem vida ensanguentado e mutilado não seria encontrado naquela noite.

Em quanto isso no chalé, Grillby explicava toda a situação para Sans. Já Papyrus estava preocupado com sua irmã mais nova, ele não deveria ter a deixado sozinha na floresta, então avisou os outros e todos foram atrás da garota.

Quanto mais horas se passavam, mais frio ficava e mais difícil era de se enxergar no meio da nevasca. Sem sucesso voltaram para o chalé, e lá ligaram para a polícia e para os pais de Sans e Papyrus, proprietários da residência. Por mais esforços que faziam, nunca chegaram a encontrar o corpo de Jess, mas ainda tinham a esperança que ela estivesse viva.

Um ano depois

Terça feira. 21/12/2016. 19h e 13 min. Quarto de hospedes Mavi, Chalé dos Font.

Mavi pov’s on

Troy: Ei mina. O que você tá fazendo? Todo mundo está lá em baixo.

Mavi: Eu sei, só estou arrumando minhas coisas.

Troy: Não demora, a gente vai jogar verdade ou desafio.

Mavi: Ok, não precisa me esperar.

Troy saiu do meu quarto e eu continuei arrumando minhas coisas, quando terminei desci até a sala, realmente, todo mundo estava lá. Me sentei ao lado de Moon e Dink, eles não tinham começado ainda, deviam estar me esperando, também estavam bebendo por causa das garrafas de cerveja espalhadas pelo cômodo.

Papyrus: Então agora que todo mundo está aqui, vamos começar?

Chara: Não quero mais jogar.

Frisk: Chara!

Chara: Isso é muito chato! Eu trouce uma coisa muito mais legal para jogar!

Então Chara foi até sua mochila e tirou um tabuleiro espirita de dentro, ela sorriu vitoriosa e veio até nós, deixou o tabuleiro em cima da mesa junto com o ponteiro. Todos pareciam receosos, quando ela perguntou quem ia jogar com ela, ninguém falou nada, o que a fez ficar um pouco frustrada.

Chara: Ninguém? Sério? Que bando de frangotes.

Sans: Foda-se, eu quero.

Grillby: Sans...

Sans: O que pode acontecer de mal Grillby?

Ange: Eu também vou.

Frisk: Ok, vamos lá. Alguém mais?

Ninguém disse nada, então eles foram começar, todo mundo se aproximou do tabuleiro. Sans, Chara, Frisk e Ange colocaram um dedo no ponteiro e então iam decidir quem iria ser o médium da noite. Eu já vejo muita merda acontecendo, sério, não vai dar bem isso aqui.

Chara: Como a ideia foi minha, eu vou ser a médium.

Sans: Começa logo então.

Chara: Ok... Tem algum espirito entre nós?

O ponteiro começou a se mexer e até os cabelos do cu arrepiaram nessa hora. Ninguém falava nada em quanto o ponteiro se movia, bem devagar até o Yes, a gente olhou um para cara do outro e mandamos a Chara continuar com a seção.

Frisk: Pergunta quem é.

Chara: Você pode nos dizer quem você é?

Bem lentamente o ponteiro foi até NO. As perguntas continuaram, bem simples, “por que não?” “você está morto?” “você precisa de ajuda?” “como podemos ajudar?”, coisas bem típicas desse jogo... Até que em quanto falávamos para ver qual seria a próxima pergunta o ponteiro começou a se mover rapidamente.

Chara: “F” “U” “J” “A” “M”.... Fujam... Fugir do que?

Sans: Ainda está se mexendo! “C” “H” “A” “L” “E”, chalé. Como assim fugir do chalé? Não tem nada aqui.

Frisk: “T” “O” “D” “O” “S”, todos. “V” “A” “O”, vão. “M” “O” “R” “R” “E” “R”... Todos vão morrer!?

Ange: Sans se é você eu juro que...

Sans: Eu tava até zoando no começo, mas agora é sério! Eu não to fazendo nada!

Chara: Calem a boca ainda tá se mexendo. “P” “R” “I” “M” “E” “I” “R” “O” “A” “J” “E” “S” “S” “D” “E” “P” “O” “I” “S” “O” “S” “A” “N” “S” “E” “N” “T” “A” “O” “O” “P” “A” “P” “Y” “R” “U” “S” “E”  “A” “S” “S” “I” “M” “O” “R” “E” “S” “T” “O” “V” “E” “M” “T” “A” “M” “B” “E” “M”. Alguém anotou isso?

James: E-Eu... Entendi o que ele falou...

Sans: O que foi?

James: Não acho que eu devo...

Papyrus: Anda logo!

James: E-Ele disse. Primeiro a Jess, depois o Sans, então o Papyrus e assim o resto vem também...

Sans: Se isso for uma brincadeira...

Chara: Sans, ele está certo... Olhando todas as letras deu isso... Melhor a gente parar...

Papyrus: Não.

Mettaton: Papy...

Papyrus: Continuem, quero saber o que esse espirito tem haver com minha irmã. Pergunta se eles se conheciam.

Chara: Você conhece a Jess?

James: “V” “A” “D” “I” “A”... Vadia... “M” “O” “R” “T” “A”... Morta... “F’” “U” “J” “A” “M”... Fujam... “O” “U” “M” “O” “R” “R” “A” “M”, ou morram...

O ponteiro se quebrou e o tabuleiro se partiu ao meio. Os que estavam jogando foram para trás com medo, poucos segundos depois Sans começou a chorar, claro que ele iria chorar, um espírito acabou de dizer que a irmã dele morreu e que o próximo iram ser ele e Papyrus, se eu fosse ele também choraria.

Papyrus: Vocês estão brincando com a gente porra!?

Chara: Paps a gente não tava zoando...

Papyrus: A nossa irmã desapareceu e vocês acham que é engraçado ficar falando que ela está morta e que os próximos somos eu e Sans!? Qual o problema de vocês!?

Frisk: A gente nunca brincaria com uma coisa dessas Paps, nós juramos.

Ange: Vocês acham que era a Jess?

Mavi: A Jess se chamando de vadia e dizendo que os irmãos dela vão morrer?

Ange: Ok, foi estupido, então quem pode ser?

Sans: Paps, você acha que era a garota da história?

Papyrus: Sans papai só contava aquela história para assustar a gente.

Troy: Que história?

Sans: Quando a gente era criança nosso pai contava uma história para nós, até hoje ele conta na verdade. Antes dos meus pais comprarem o chalé ele era abandonado, lá na cidade as pessoas que conheciam os antigos proprietários contaram que morava uma família aqui, na época vitoriana. O pai dessa família era muito mesquinho e esnobe, então eles obrigaram os nativos que moravam aqui a sair para construírem o chalé, mas eles não quiseram, então todos foram executados. Muito tempo depois, a neta desse cara se mudou para esse mesmo chalé, junto com o marido e seus filhos, um menino e uma menina, eles viveram normalmente aqui, mas sempre tinham relatos que ouviam vozes no meio da noite, passos pela casa e também pessoas estranhas na floresta. Um dia a menina e o menino decidiram brincar perto da árvore que eu e Papyrus construímos a casa em cima dela, eles ficaram lá até que a menina ouviu um barulho e estranho e foi para longe do irmão, entrando na floresta. Quando o menino percebeu que a irmã dele sumiu ele contou para os pais e todo mundo saiu para procurar ela, depois de quatro dias o corpo da menina apareceu no quarto dela, as paredes do quarto estavam cobertas de escritas com o sangue da menina dizendo “Todos vão morrer” “Primeiro ela, depois o resto” “Fujam em quanto podem”.

Papyrus: Mas isso é só uma história idiota que nosso pai inventou para nos deixar com medo.

Sans: Sério? Então como você explica os sons que a gente sempre ouve de noite? E na noite que a Jess sumiu? Você e eu vimos alguém na floresta! Não tenta mentir Papyrus, eu sei que você viu!

Asriel: Só tem um jeito de descobrir se isso é verdade ou não, qual era o quarto que seu pai disse que era o quarto da menina?

Sans: É o único quarto do chalé que está trancado. Eu dormia nele antigamente, mas depois que eu decidi passar a noite acordado para ver se realmente tinham os barulhos ninguém nunca mais dormiu ali.

Asriel: Então vamos até lá ver se tem alguma coisa escrita e verdade nas paredes, se tiver a gente sabe que nós estamos fodidos, se não a gente pode ficar suave e vamos saber que um de vocês estava zoando com a nossa cara.

Todo mundo se levantou e fomos até o quarto, Papyrus pegou a chave do quarto e o destrancou. Ele acendeu a luz e nós entramos, Asriel foi até uma das paredes e começou a rasgar o papel de parede, ele rasgou uma boa parte, mas não tinha nada escrito. Ele decidiu parar, então a gente sabia que não era verdade, mas isso não foi uma coisa boa porque o Papyrus ficou muito puto.

Chara: Ah, ótimo, alguém só estava zoando...

Papyrus: É que ótimo! Alguém ficou brincando com o fato da minha irmã estar desaparecida, que maravilha! Vocês são uns babacas!

Mettaton pov’s on

Papyrus Saiu do quarto muito bravo, fui atrás dele chamando seu nome, mas ele me ignorava. Foi muito idiota eles terem brincado com a Jess, ela era uma garota tão doce, não fazia nada para ninguém e ficam falando que ela morreu e a chamando de vadia, sem contar que falaram que todo mundo vai morrer e que os próximos são Papyrus e Sans.

Ele foi até nosso quarto e eu o segui, ele estava andando de um lado para o outro e xingando todo mundo, pelo menos não estava quebrando as coisas como geralmente faz. Papy geralmente é bem calmo, mas quando fica bravo é um terror, parece que ele vai matar alguém de tão puto que fica.

Mettaton: Papy, se acalma.

Papyrus: Me acalmar Mettaton!? Você viu o que eles fizeram? Tem cabimento isso!? É a minha irmã que desapareceu, eu estou triste para caralho com isso e o Sans também, principalmente ele porque meu irmão acha que a culpa foi dele! Então eles vêm e zoam dizendo que ela morreu e que nós vamos morrer!?

ESCOLHA

1: BEIJAR PAPYRUS.

2- DIZER QUE ELE ESTÁ EXAGERANDO.


Notas Finais


Não esqueçam de dizer qual deve ser a escolha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...