História It's My Fate - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags Chaelisa, Jensoo, Jisooxjennie, Orange, Roséxlisa
Exibições 121
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi genteeee :D. Me desculpem por não ter postado ontem, eu estou sem idéias, agradeçam a Leticia e a Larissa por me ajudarem a ter terminado esse cap, eu não tinha ideia do que fazer uahsdhusaddaus. Então se eu não postar por esses dias vocês já sabem o motivo, não fiquem preocupados asdhuahud <3. Até as notas finaaais <3

Capítulo 17 - Pai?



- Pai?- Me virei pra ele e me estremeci na cama, Jennie me abraçou.
- Qual de vocês é a Lisa?- Ele entrou no quarto e empurrei Jennie, pra afastar a mesma de mim.
- Não te interessa.- Empurrei meu pai e o mesmo me deu um tapa.
- Sua tia não te ensinou como ser uma mulher de verdade?- Levei minha mão ao lugar em que ele me deu um tapa.
- Você não vai encostar um dedo nel...- Empurrei Jennie de novo.
- Jennie, é melhor não.- Suspirei e voltei a olhar meu pai.
- Vocês vão falar ou eu vou ter que saber á força?- Ele tirou um canivete do bolso.
- Pai...- Ele fechou a cara.
- Eu. não. sou. seu. pai.- Ele falou pausadamente, eu me senti arrepiar.
- Senhor Park eu peço para que se retire.- O senhor Kim entrou no quarto e eu congelei.
- Ela é minha filha.- Ele deu ênfase a palavra "minha".
- Eu não pergunte...- Meu pai foi pra cima do senhor Kim mas eu me joguei em cima dele.
- YAH!- Ele me jogou pro lado, eu bati as costas na parede.
- Senhor Park...- Meu pai levantou o senhor Kim pelo pescoço.
- Ela. é. minha. filha.- Ele acabou de falar que não é meu pai mas eu sou a filha del... Aish, Roseanne, leve alguma coisa a sério pelo menos uma vez na sua vida.
- Mas você não é meu pai?- Eu não acredito que falei em voz alta.
- Olha aqui...- Ele pegou a gola da minha camisa.- Eu te coloquei no mundo e eu...- Interrompi meu pai.
- E você pode me tirar dele que nem fez com a minha mãe?- Eu odeio lembrar disso.
- Eu não...- Interrompi o mesmo de novo.
- SIM, VOCÊ MATOU ELA.- Ele franziu o cenho.- Toda noite eu ainda escuto ela gritando por ajuda.- Senti lágrimas escorrerem meu rosto.- E eu estava trancada no quarto...- Desviei o olhar.- FOI VOCÊ QUEM ME TRANCOU, VOCÊ É UM MONSTRO.- Empurrei meu pai, ele caiu no chão.- Eu me lembro dos tantos "eu te amo" que ela disse pra você.- Tirei o canivete da mão dele, até eu estava surpresa, eu não sou nem um pouco corajosa pra fazer isso.- Eu tenho que ser morta porque gosto de mulher?- Me abaixei.- Foi por isso que matou a minha mãe?- Ele ia me bater mas eu segurei a mão dele.- POR ACASO ELA GOSTAVA DE MULHER?- Gritei no rosto dele.- Você só mata porquê quer.- Vi lágrimas escorrerem pelo rosto dele.- Você vai fingir que sofre?- Me levantei e o deixei no chão.- Você consegue ser cínico, já pensou em atuar?- Ele se encostou na parede.- Eu queria mas nunca vou conseguir dizer o tanto de "eu te odeio" comparado ao quanto minha mãe dizia que te amava.- Joguei o canivete longe.- E o pai que adorava me levar no parque?- Me abaixei de novo.- Cadê o pai que dava de tudo pra me ver ver sorrindo?- Fechei os olhos e suspirei.- O QUE VOCÊ FEZ COM ELE?- Comecei a arranhar meu pai mas o senhor Kim me segurou.- Tudo isso por que eu gosto de mulheres?- Me soltei de senhor Kim.- É isso?- Ele me encarou.- Então eu vou te dizer.- Peguei o canivete do chão.- Eu gosto de mulher, elas são perfeitas, são melhores que os homens.- Ele me olhou com desprezo.- Eu não posso amar uma mulher porque nós somos do mesmo sexo?- Senti lágrima escorrerem meu rosto.- As pessoas podem amar de qualquer jeito.- Eu abaixei a cabeça.- Menos do jeito que você "amou" minha mãe.- Ele se levantou e me deu um tapa.
- Eu amav...- Eu o interrompi.
- Você mata quem ama?- Eu me aproximei do rosto dele- Você mata quem ama e está certo e eu...Eu dou carinho pra uma pessoa do mesmo sexo que eu e estou errada?- Ele nem se mexia.
- Me... Me desculpa.- Eu me surpreendi, mas eu estava com tanto ódio...
- Pedir desculpa não vai apagar as cicatrizes que você deixou no meu coração.- Saí correndo do quarto.
 Eu juro que se eu estivesse em um bom estado eu ia falar "nossa, que gay" e dar risada. Eu tenho tantas saudades da minha mãe. Eu não consigo odiar meu pai mas também não consigo amá-lo. Foi ótimo ter ouvido uma desculpa saído do mesmo, mas, do mesmo jeito... Eu não consigo sentir nada por ele.
 Eu me sentei em um banco qualquer, á esse ponto eu já tava bem longe do dormitório então não ia ter problema.
- Rosé?- É, eu estava enganada.
- Hm?- Resmunguei sem me virar.
- Você tá bem...?- A pessoa se sentou ao meu lado.
- Você sabe que não.- Me virei e vi que era Jungyeon e não uma das meninas.- Oh, me desculpa eu pensei que era...- Ela me interrompeu.
- Tudo bem.- Ela sorriu.- Eu queria te contar que Nayeon me pediu em namoro.- Eu sorri, mesmo não querendo.
- Você merece.- Baguncei os cabelos de Jungyeon e me encostei no banco.
- Qualquer coisa me chama, okay?- Ela deve ter percebido que eu estava mal... Na verdade eu fui bem grossa com ela, seria difícil ela não notar.
- Ei...- Eu não me virei.- Você ta...- Era a Lisa, eu á interrompi.
- Eu vou acabar descontando em você e...- Olhei pro lado e vi meu pai sendo retirado da escola por policiais.
- Ele se entregou.- Me virei pra Lisa.
- Mas ele...- Lisa me interrompeu.
- É, ele fugiu.- Eu suspirei.- Você fez ele mudar de ideia.- Lisa sorriu e eu apenas observei, eu não sabia o que falar.
- É, eu fiz...- Lisa se sentou ao meu lado e me abraçou.
- O que foi?- Ela beijou minha testa depois de perguntar.
- Eu sinto saudades.- Bufei.- Eu não consigo odiar ele, mas também não consigo gostar.- Me virei pra Lisa.
- Tudo bem, só não fique se culpando por tudo...- Eu ia falar mas Lisa me interrompeu.- Sim, você se culpa de tudo sim e não adianta discutir.- Cruzei os braços e Lisa deu risada.- Você é tão forte...- Ela virou meu rosto com as mãos.- Eu não aguentaria ter passado por metade do que você passou.- Suspirei e Lisa selou nossos lábios.
- Eu não...- Lisa me interrompeu, de novo.
- É sim.- Ela insistiu, eu virei meu rosto pra frente.- Eu te amo.- Quando ouvi Lisa dizer isso todos os meus problemas sumiram... Amar é muito estranho.
- Eu também te amo.- Sorri e puxei Lisa para um beijo.- É melhor a gente parar por aqui porque se não a gente vai acabar transando no banheiro.- Lisa deu risada, se levantou e me puxou.
- Eu não me importaria.- Ela mordeu o lábio inferior e eu dei risada.- Você... Você vai visitar seu pai?...
 


Notas Finais


Bom, é isso dahshusda. Me desculpem se ele tá ruim, eu realmente estou muito sem ideias ;-;.

Sim, eu shippo 2yeon, já respondendo a pergunta shdaudash.

Muito obrigado a todos vocês que comentam sempre, e também obrigada aos novos leitores amorzinhos que estão acompanhando a fic. Como sempre, um beijão de glitter azul e RoSa pra todos vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...