História It's Not Fine - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Gay, Kai, Sehun, Sekai
Visualizações 165
Palavras 2.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi gente, finalmente eu to conseguindo colocar as coisas em ordem na minha vida kkkkk
Bom tenho uma noticia pra vocês, os capítulos vão ser postados todas as Sextas, pode ser que me de a loka e eu poste algum no meio da semana, mas as sextas é certeza.
Desculpem os errinhos e vamos ao capítulo <33

Capítulo 22 - Capítulo 22 - Lay's Secret Place


Estávamos conversando a cerca de dez minutos e eu estou querendo morrer a essa altura, por sorte escuto o som do sinal começar a tocar para me salvar dessa conversa torturante sobre Park Chanyeol gostar de mim e tudo mais. Me levanto vendo ele levantar em seguida e passando o braço envolta do meu ombro num abraço de lado. Quero morrer. Seguimos daquele jeito até o nosso andar e ao entrar na sala sinto todos olhando para nós, eu só consegui olhar para o chão.

Ele tira o braço do meu ombro e me leva até minha carteira e depois segue até a sua. Olho para Soo que me fitava sério.

 

O que aconteceu lá?” Ele sussurra para mim.

Depois eu conto...” Abaixo a cabeça e sinto meu celular vibrar.

 

*Jonginie: Eu também quero saber.*

*Você escutou o Soo perguntando?*

*Jonginie: Não, mas sem duvidas foi isso que ele perguntou né?*

*Depois eu conto pra você.*

 

Respondo JongIn rapidamente para que ninguém acidentalmente visse a nossa conversa e o bloqueio guardando o mesmo no bolso da minha calça já sabendo qual era a próxima aula, logo a professora entra na sala pedindo para que todos desligassem o celular e colocassem na mesa dela, por sorte eu já havia guardado o meu.

Eu estava a ponto de me jogar pela janela da nossa sala, que ficava no terceiro andar, eu simplesmente odiava essa aula. Essa professora principalmente. Deus ouviu minhas preces e o sinal finalmente toca, eu me levanto me espreguiçando fazendo com que minha camiseta do uniforme levantasse deixando um pouco do meu quadril a mostra e logo sinto uma mão gelada tocar em minha cintura e a apertar com uma certa força, me arrepio com esse aperto e me viro assustado para ver quem era, Chanyeol, tiro sua mão dali e abaixo minha camiseta fazendo uma cara séria.

 

"Me desculpa Hunnie, mas não pude evitar, o seu corpo é muito... Sexy." Ele me da um sorriso olhando para o meu corpo com um olhar de desejo. Que cena nojenta.

"Para com isso." Pego minha blusa que estava no encosto da cadeira a vestindo.

"Não pude evitar."

"Você podia sim, só não quis."

"Ah o que é isso? Vamos brigar de novo?" Calma Sehun, vamos continuar com o plano.

"Não, tá tudo bem." Dou um sorriso falso para ele e o abraço em seguida. Fito JongIn por cima dos ombros de ChanYeol que nos olhava com certo nojo, eu o entendo. Sinto a mão de ChanYeol, que estava nas minhas costas, começarem a descer até a minha cintura e eu sei muito bem aonde ele quer colocá-las.

"Se você colocar sua mão aí, você vai perder elas." Falo em um tom sério.

"Droga." Ele ri.

"Vou na cantina, tô morrendo de fome." Saio andando e pego Soo pelo braço para ele ir comigo. Logo sinto ChanYeol me abraçado de lado novamente e reviro os olhos.

 

Descemos as escadas em silêncio já que estávamos acompanhados e ChanYeol não podia saber de nada, obviamente. Chegamos ao pátio e fomos rapidamente até a cantina onde Kris estava atendendo uns alunos e logo parou ao nos ver. De primeira ele nos encarou, passou as mãos nos olhos e encarou mais uma vez. E fomos até ele.

 

"E aí Kris, o que têm pra comer?"

"Os lanches de sempre mesmo." Fitei a máquina de milk-shakes atrás dele e lembrei do que Lay havia nos falado.

"Aah, eu quero um dos Milk-Shakes do Lay." Pisquei para Kris, que logo entendeu o recado. "Pro Soo também."

"Certo." Ele pega dois copos que estavam guardados em um lugar diferente dos outros. Logo ele nos entrega os copos, que estavam leves... E vazios. Olhamos dentro do copo com certa curiosidade e dentro estava escrito.

 

"Ei, eu acho que precisamos de um lugar para nos encontrarmos e conversarmos sobre o plano, me encontrem na minha cara depois da escola, tenho um lugar onde podemos fazer nossas reuniões.

Ps: Avisem o Tao pra mim? Esqueci de fazer um pra ele.

Ps2: O JongIn já tá sabendo."

 

Eu e Soo nos encaramos com as sobrancelhas levantadas com certa dúvida do que Lay estava armando.

"Acho que vou querer um desses também." ChanYeol pede.

"Eu acho que pra você não tem." Kris faz uma cara de deboche para ele.

"Qual é cara? Somos todos amigos agora."

"Não sei que histórinha você contou pra eles, mas meu amigo você não é." Ele diz e sai. Vejo a cara de raiva de ChanYeol.

 

Aproveitamos isso e fomos em direção a nossa sala o mais rápido possível, mas em silêncio sem que ChanYeol nos visse. Por sorte encontramos Tao no pátio.

 

"Você vem com a gente." Eu e Soo falamos juntos e seguramos cada um em um braço do chinês e o puxamos.

"Já que vocês insistem e eu não tenho escolha, eu vou né."

 

Chegamos em nossa sala, ambos respirando de modo falhado por conta dos lances de escadas que tínhamos subido correndo. Nos sentamos nas nossas carteiras e Tao se sentou na minha mesa. Só tinha uma coisa na cabeça, eu tinha que avisar o Baek sobre isso já que o mesmo não tinha vindo a escola, ele não tem noção do tanto de coisa que ele perdeu. Coitado, ele vai morrer quando descobrir.

Explicamos o que o Lay tinha pedido para a gente explicar e Tao nos fitou com uma das sobrancelhas levantadas e um sorriso no rosto.

 

"Tá, mas porque tudo isso?"

"Boa pergunta." Soo da de ombros e começa a fazer uma tarefa que tinha terminar pra próxima aula.

"Falando nisso cadê ele?" Tao perguntou.

"Ele foi embora, não me pergunte o porque." JongIn levanta a cabeça e nos assusta, nem tínhamos percebido ele ali. Dito isso logo ele abaixa a cabeça novamente, dessa vez sua cara triste não era fingimento. Droga.

 

Senti meu coração apertar e fito JongIn por um instante, mas logo desvio meu olhar para a frente ao ouvir o sinal batendo novamente, por sorte consegui fugir de Chanyeol dessa vez. Logo vejo o mesmo entrando na sala com uma cara de preocupada que se desfez ao me vez sentado ali na minha mesa, sorriu para mim e eu finjo que não vi e continuo conversando com o Soo enquanto Tao se retirava da nossa sala para ir até a dele.

Chanyeol caminhou até sua carteira dando um leve tropeço, proposital, na carteira de JongIn.

 

“Opa, desculpa.” Ele ri. “Não te vi ai.”

“Me erra.” Ele diz ainda deitado em seus braços.

 

Ele ri e vai até sua carteira sentando na mesma em seguida. Só consigo revirar os olhos ao ver essa cena, eu estou torcendo para a aula acabar logo.

A professora de artes entra com umas cartolinas em suas mãos e claro que eu já sabia sobre o que se tratava. Trabalho em grupo. E por conta de Baek ter faltado e de Lay ter ido embora eu já tinha ideia de quem iria querer fazer parte do meu grupo. Ele mesmo, Park Chanyeol. Não demorou cinco minutos e observei o mesmo colocando sua carteira junto a minha, pedi com o olhar para Soo vir também, e assim ele fez. Essa aula vai ser longa.

Eu já estava de saco cheio de Chanyeol falando e falando enquanto eu e Soo só queríamos terminar o trabalho de artes a tempo de ganhar uma boa nota e claro que ele não fez absolutamente nada, além de falar. Escuto o sinal final tocar e rapidamente eu guardo o meu material na minha mochila, vejo o Soo fazer o mesmo enquanto Chanyeol ria com algo que ele mesmo tinha falado, claro que ignoramos e continuamos a fazer o que estávamos fazendo. Me levanto colocando a minha mochila nas costas.

 

“Precisamos ir, temos um trabalho para fazer em casa.” Fito Chanyeol que para de rir e ele se levanta.

“Tudo bem, até amanhã Hunnie.” Ele me puxa para um abraço que eu nem me dei o trabalho de retribuir. Me viro indo para ir embora e sinto um tapa sendo depositado com força em minha bunda.

“Ei!” Me viro furioso. “Isso doeu seu sem noção.”

“Nossa...” Ele percebeu que eu fiquei realmente irritado.

“Não faça mais isso.” Me viro e vou embora sendo seguido por Soo, e por seus passos fortes percebo que ele também havia ficado irritado.

“Não vou nem me pronunciar se não eu volto naquela sala e eu bato na cara dele.” Soo diz.

“Não é o único.” Concordei, respiro fundo. “Você quer almoçar em casa?”

“Quero.” Ele ri. “To morrendo de fome e hoje minha mãe não vem para o almoço então eu iria ter que cozinhar.”

“Ótimo, então assim vamos juntos para a casa do Lay.” Soo assentiu e seguimos até a frente da escola para esperar Tao e irmos embora.

 

Assim que o mesmo nos encontrou seguimos nosso caminho, deixamos o chinês na porta da sua casa e falei para ele nos encontrar daqui uma hora na frente da minha casa para irmos até a casa de Lay ver o que ele estava aprontando.

Eu e Soo caminhamos até minha casa em silencio, não havíamos falado para Tao o que tinha acontecido agora na hora da saída, mas ele percebeu com certeza que tinha algo errado, conversarei com ele sobre isso mais tarde.

Assim que terminamos de almoçar pedi para meu pai nos levar para a casa de Lay, já que minha mãe ainda estava com o braço engessado e ainda não podia dirigir, então fomos até a frente de casa para esperar Tao que havia me mandado uma mensagem falando para que a gente o esperasse lá na frente. Então assim fizemos. Logo avistamos uma cabeça loira se aproximando e meu pai já nos esperava dentro do carro, já que o mesmo tinha que voltar ao trabalho assim aproveitei para pedir carona.

Entramos todos no carro, eu com meu pai na frente e os dois atrás em silêncio, já que os mesmos conheciam meu pai e que ele não “aprovava” a nossa amizade já que os dois são gays e meu pai não é nenhuma flor que se cheire quando eles estão em casa, o que me deixa muito irritado, ele não disse nada enquanto eu e Soo ainda estávamos na mesa. Era por essa razão que eu raramente trazia Soo e Baek em casa.

Chegando na casa de Lay saímos do carro e eu me despeço do meu pai brevemente e logo o mesmo sai com o carro. Lay já estava nos esperando sentado na grama do seu enorme quintal com JongIn e Baek ao seu lado, ao nos verem eles se levantaram e ficaram esperado até que a gente chegasse até eles. JongIn estava com a cabeça baixa. Precisava conversar com ele em algum momento assim que ficássemos sozinhos.

 

"Finalmente agora que vocês todos estão aqui, por favor me sigam." Lay diz indo para dentro da casa de sua família do intercâmbio. A casa estava vazia e ele abre uma porta que ficava embaixo da escada que nos levava para uma outra escada que descia para o porão da casa. "Não precisam ter medo, lá em baixo é mais legal do que aqui em cima, vão por mim." Assentimos e o seguimos escadas abaixo até um lugar escuro, mas rapidamente as luzes se acendem e podemos ver o grande espaço que havia ali com várias mesas de jogos e fliperamas antigos, luzes coloridas, jogos de tabuleiro e até mesmo um frigobar mais ao fundo.

"Mas o que é isso gente?" Tao diz com a boca aberta. "Quanto luxo."

"Digamos que eu dei sorte." Lay diz rindo da cara do loiro.

“Então, me tira uma dúvida?” Perguntei.

“Claro, diga.”

“Por que dos copos?” Encaro ele. “Por que você simplesmente não nos mandou uma mensagem?”

“E qual seria a graça disso?”  Ele me encara. “É pra ser uma missão secreta, então temos que agir como tal.”

“Ah, entendi.” Ri por ver que ele estava levando o plano bem a sério.

“Então, esse lugar aqui é do meu ‘irmão’, mas ele vai estar viajando nas próximas duas semanas e ele me disse que eu poderia trazer meus amigos aqui se eu quisesse, então, o que acham das nossas reuniões serem aqui?”

“UMA ÓTIMA IDEIA!” Tao gritou ao ver que havia muita comida no frigobar. “Olha isso Sehun, tem muito chocolate aqui.”

“Pode comer, eu comprei hoje.” Lay disse piscando para Tao.

“Nossa garoto, eu te amo.” Observo que Lay ficou levemente corado com as palavras do maior. Lay gosta do Tao?

“Chamem esse lugar de, O Esconderijo Secreto do Lay.” Soo o encara. “... E seus amigos.” 


Notas Finais


EI ANTES DE SAIR, DA UMA PASSADINHA NA MINHA ONESHOT:
https://spiritfanfics.com/historia/nimphomaniac-9774045
Beijinhos e até o próximo capítulo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...