História It's Not Hate And Love! (Imagine Jungkook) - Capítulo 21


Escrita por: ~ e ~_Larii_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Bts, Jeon Jungkook, Jungkook
Visualizações 353
Palavras 2.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Faz um bom tempo que não apareço por aqui, mas voltei meus amores.

Desculpas pela demora, ouve coisas comigo que gostaria que nunca tivesse acontecido e nunca imaginei que aconteceria. E para completar a situação minha net caiu deixado-me irritada ainda mais. E mais uma vez eu peço desculpas aos meus nenês, bebês e xuxus da minha vida!

Agora e enfim Boa Leitura!

Capítulo 21 - 20


Fanfic / Fanfiction It's Not Hate And Love! (Imagine Jungkook) - Capítulo 21 - 20

Os dias haviam se passado tão rápidos que nem mesmo pude perceber, de certa forma me sinto feliz e por alguma razão sempre me leva ao idiota que cruzou o meu caminho há dois anos – mal saberia que ele seria meu caos e destruição -, sempre vir o mesmo de longe e pensava que algum dia poderíamos ser amigos, mas foi diferente hoje é tudo diferente. Do ódio ao amor? Bom, talvez seja paixão ou talvez seja mesmo o amor descrito de suas maneiras e formas diferentes.

Estranho? Para mim se tonar estranho, as coisas em minha volta se tornam estranhas e ao mesmo tempo se tornam novas. Radical, meio que seria a palavra certa para descrever a minha amiga que estava completamente certa em suas palavras “Você senti algo por ele, só não admite para si mesmo”.

Todos dizem que no momento certo você encontrará a pessoa amada e a certa, mas como saberemos se a pessoa é realmente a certa? Somente nos poderemos dizer isso para nos mesmos. Meio que uma conversa indecifrável entre duas almas distintas e ligadas por pequenos fios tão distantes, porém mais próximos do que nunca.  Olhando assim para os fracos de remédios e bulas sobre meu balcão, me faz ver tudo o que passei para chegar até aqui – dependente de tantos químicos que nem sabia que por um lado me causavam tanto mal -, mas sempre me aliviavam de uma dor que sentia e de momentos ruins vividos por mim, já que encontrei á minha cura; porque continuar a usa-los? Não mais, hoje não. 

Vejo os mesmo em seus lugares e saio dali com um sorriso no rosto. A vida me mostrou que tudo pode ser surpresa quando queremos e quando menos imaginamos loucura, grande loucura da minha parte. É eu realmente sei disso, mas essa loucura eu quero ela para o resto da vida. Do amargo aos mais tristes momentos e dos doces aos mais felizes. Não quer que nada mude e que tudo continue assim. Talvez seja pedi de mais para uma única pessoa, mas essa nova vida me faz feliz e depende do meu algoz.

 O objeto metálico prateado em meu dedo denuncia um dos motivos da minha felicidade, aquele sorriso idiota, aquela cara de maldade e de uma pessoa fria, é apenas a capa de alguém doce e sorridente. De uma coisa eu sabia e tenho a plena certeza de que nem todos aceitaram esse relacionamento, mas o que importa somos nos dois – mas porque tem que causar tanto medo assim? Confuso -. O improvável seria não ter me aproximado ou até mesmo se apaixonado.

Batidas constantes na porta do meu quarto, me faz sai dos meus devaneios de pensamentos indo até a mesma um tanto rápida e vendo a figura mediana em frente e como furacão já esta sobre minha cama sorrindo, mas uns dos meus motivos de felicidade se resumiram a ela, Sasha Kim. Abraçando a mesma contra meu corpo, nos posemos a ver um filme qualquer, já que toda tarde de sábado e até mesmo nos fins de semanas vermos filmes variados.

Dessa vez há algo diferente, meus pensamentos não se concentra na TV ligada a minha frente, mas a ele. Por algum motivo meus pensamentos estão indo á ele – O que serás que estás fazendo? Pensando em mim ou não? Deve está no treino de basquete, já que as interestaduais estão cada vez mais próximas -. Um leve aperto é dado contra mim e vejo que se trata da minha pequena que sorrir ao me pegar olhando-a.

 

Sasha: O que Unnie, pensa tanto?

-: Em tantas coisas, que nem você mesma tem a mínima noção. – Sorri.

Sasha: Deu para perceber, já que você perdeu o filme todo. – Olhando para TV á frente e vir apenas os créditos do filme se passando e foi ai que vir o quanto fiquei perdida com meus pensamentos. – Eu sei em quem você estava pensando. No Jungkook Oppa, já que vocês não se desgrudam mais, sabe.

-: Talvez você esteja certa. – Sorrimos com os comentários e fitando agora a luz pela sacada vejo que o dia se passou rapidamente e logo verei o mesmo e ansiedade falando mais alto... Vejo minha irmã correr em direção ao banheiro e voltando em seguida com os fracos dos meus remédios em mãos.

Sasha: Você não os usa mais?

-: Faz alguns dias que não os tomo, já que durmo sem precisar dos mesmos como antes, sem contar com as taxas pretas que me deixavam chapada parecendo bêbada. – Sorrimos. – Mas agora eu me sinto bem e não preciso dos mesmos.

Sasha: Sabe quem ficará feliz em saber disso? Nossos pais. – Sem tempo de responder a mesma que saiu deixando sobre a cama os vidros e ouvir seus gritos por nossos pais no anda de baixo, causando-me um riso maior ainda.

Agora com os mesmo em mãos os colocando novamente sobre o balcão, meu reflexo no espelho se tornou melhor diante de mim e para mim, até o riso se tornou mais aberto e verdadeiro. Que coisa! Vejo meus pais entrarem no quarto sendo arrastados por minha irmã que me procura com os olhos e assim que ver faz sinal para ir até os mesmos.

 

Sasha: Diga a eles Unnie que é verdade que você não toma mais os remédios que te deixam bêbada. Diga Unnie.

 

 Olhando a mesma com seus olhinhos negros e alternando entre meus pais os vejo com um olhar de esperança e vendo meu pai se aproximar segurando minhas mãos e olhando fundo dos meus olhos sorri pro mesmo, que ficou com uma expressão de um ponto de interrogação.

 

Chul: S.N o que sua irmã esta dizendo é verdade? Você não usa mais os remédios? – Olhei para minha mãe que estava mais aflita do quê nunca e acabo sorrindo.

-: Pelo visto a minha irmã está certa. – Sorrir abertamente para pequena que pula na cama sorrindo.

Mali: Ai meu Deus!

Sasha: Eu disse para vocês que era verdade, eu disse mamãe.

 

Apenas concordava com a situação em minha volta e depois de ser abraçada quase quebrando minhas costelas por meu pai; o mesmo me soltou e o vir com lagrimas nos olhos não hesitei em limpá-la e dizer que agora estou bem e de que tudo ficará bem. Um sorriso se formava em seu rosto enquanto minha mãe sorria sem parar, como se ainda não tivesse acreditado em tudo que acabará de lhe dizer. Por fim e depois de muitas relutâncias os mesmo acreditaram. Jogada sobre a cama e vendo meu teto escuro com detalhes em branco me faz sentir que eu posso me amar e que agora eu posso amar realmente as pessoas em minha volta.

 

 

20:00 PM

 

 

Encontrava-me devidamente pronta em frente ao espelho, o vestido que minha mãe escolheu caiu bem em mim, já que o mesmo tem sua saia rodada e com detalhes em cima de renda, um tanto clichê para mim. Nem dar para acreditar que sou eu mesma, a maquiagem  em meu rosto, os cabelos soltos, mas a única coisa que disse que não usaria e que estou sendo meio que obrigada é usar o salto prata que está em minha frente. Não que a minha pessoa não goste, mas não sou muito a fim de saltos, sou mais meus all star, vans, sapatilhas e por ai vai a dimensão de calçados...

Enfim pronta e dessa vez pronta mesmo, dou uma ultima olhada no espelho e me dirijo ao andar de baixo. Vendo meus pais conversando com Sasha, certamente dando uma de suas leves broncas por te feito algo, assim terminando de descer os degraus e os vendo me olhar sorrindo, escutamos a campainha ser tocada e logo Yara abriu revelando Jungkook e sua família, vir um pequeno garotinho próximo ao mesmo, já que os mesmo estudavam na mesma escola e sempre que iria buscar a mesma os via de longe sorrindo, mais velho que Sasha  uns dois anos, mas acabo sorrindo quando o mesmo correu e segurou em minhas pernas fazendo-me cambalear um pouco para trás.

 

-: Oi, como se chama pequeno? – Encarrei os olhinhos escuros que me olhava sorrindo.

- Eu sou Junghyun e sou irmão do Jungkook Hyung...

-: Eu sou Kim S.N, mas pode me chamar de Noona.

 

O pequeno assentiu e assim que o mesmo viu minha irmã correram e se abraçaram logo sumindo do meu campo de visão. Virei-me em direção aos mesmo que se encontravam na sala, meu olhar vare-o o local e até se encontrar com o dele e abaixei a cabeça sorrindo envergonhada. Vir que meu pai me chamará e seguir até o lado do mesmo sorrindo cordialmente para a família em minha frente e mal sabem eles que namoro com o filho dos mesmos.

 

Chul: Filha esses são os pais de Jungkook, senhor e senhora Jeon.

-: Olá, eu sou a S.N.

Vejo os mesmo sorriem e olhar para Jungkook e depois para mim, vir que o mesmo tinha um sorriso travesso no rosto, enquanto mantinha suas mãos nos bolsos de sua calça.

 

- Pode me chamar de Hyuna e bem vinda á família. – A mesma me abraçou e fuzilei Jungkook com o olhar enquanto o mesmo sorria da minha situação. Olhei para os meus pais e os mesmo sorriam.

- E eu sou o senhor Jeon, mas pode me chamar de Jun...

-: Como assim? – Minha mente não raciocinava e não pensava direito, quando vir o mesmo parado em minha frente e selando nossos lábios em um beijo rápido deixando-me ainda mais constrangida.

Jungkook: Achou mesmo  que esperaria até hoje para contar aos nossos pais? – Apertou meu nariz sorrindo. – Eles sabiam primeiro do que você, pirralha.

Mali: Filha, fica calma. Já sabemos mesmos.

Chul: Como a família esta reunida. Vamos todos jantar...

Vir todos irem à frente e vir minha irmã e o irmão de Jungkook passarem, mas antes mesmo de ir para sala de jantar segurei o mesmo por sua jaqueta o fazendo parar. Meu olhar era mortal enquanto o mesmo sorria da minha situação, a vontade que eu tenho é de matar o mesmo...

-: Como que você esconde isso de mim? Tem noção do que acabei de passar?

Jungkook: Fica calma pirralha. – Bagunçou meus cabelos e foi ai que lhe acertei um tapa no braço, fazendo-o gargalhar da minha cara. – Não perdeu o jeito ainda e a proposito. – Se aproximou me encurralando na parede. – Você está linda e não precisa ficar assim.

-: Mas não é justo.

Jungkook: Foi mais que justo, agora vamos que estão a nossa espera.

 

Sem contestar e sem dizer nada, apenas o seguir até a sala de jantar aonde todos nos aguardavam. Sentamos e logo tudo foi servido, enquanto jantávamos procurava responder á todas as perguntas com calma e rapidez, olhando pro mesmo e acabava sorrindo. Sentia-me feliz com minha família, agora me sinto mais feliz ainda.

As perguntas que estavam sendo calmas se tornaram tão rápidas que quando dera de si eu já havia respondido todas e tudo errado, deixando-me irritada e frustrada. No fim me encontrava sentada na sala enquanto todos conversavam, o salto em meus pés doe e agonia por está com eles é maior ainda.

 

-: Com licença!

 

Saindo e deixando os mesmo sem entender nada, acabo sorrindo quando vejo a porta do meu quarto, olhando para o corredor atrás de mim e vendo que não ninguém; sorrio retirando meus saltos, dando-me uma sensação de alivio e paz aos meus pezinhos. Entro no meu quarto e sigo até meu closet a procura de algo confortável e encontro minha amada rasteirinha que tanto amo – Dessa vez será você -, fechando a porta atrás de mim, sigo até a sacada do meu quarto vendo as ruas lá fora e o intenso brilho da lua quando sinto mãos rodearem minha cintura e um selar na curvatura do meu pescoço, causando-me arrepios.

 

-: Achei que você continuaria lá embaixo e que não me seguiria até aqui. – Sorri o vendo sorrir.

Jungkook: Pelo visto, vejo que minha namorada não gosta muito da minha companhia em seu quarto.

-: Não é isso Jungkook. É que, bom...

Jungkook: Ei, fica calma. Não farei nada contigo, nada que você não queira. – Vendo seus braços ao meu redor, os acaricio com minhas mãos enquanto o melhor não tirar seu olhar do céu escuro. – Na hora certa e quando você se sentir preparada irá acontecer.

-: Obrigada por mim entender.

Jungkook: Obrigada por ter me amado e por ter deixado o nosso ódio de lado.

 

Dando alguns passos para frente da sacada, sem o mesmo nos separar, virei-me meu rosto para olhar o seu e vejo sorrir olhando para mim. Desviado de seu aperto, giro meu corpo contra o seu, deixando o meu encostado a sacada, seguro em sua blusa o puxando para mim – Nossos olhares se encontram mais uma vez, como ligações um precisando e necessitando do aperto um do outro -, o vento gélido colidindo com nossa pele causando-me um arrepio pelo corpo, uma das minhas mãos contornado seu rosto, enquanto o vejo de olhos fechados. 

 

Jungkook: A melhor parte disso tudo, é que hoje você é minha e que de alguma forma todas as  brigas e discursões serviram para nos fazer se apaixonar um pelo outro.

 

Sua boca na minha e a minha na sua, uma junção perfeita com a sincronia totalmente perfeita. Eu o amo e ele me ama e o meu desejo é que esse amor seja para vida inteira e por outra vidas que viram.

 


Notas Finais


Então foi isso.
Deixo tudo nas mãos de vocês!

Obrigada pelo carinho, favoritos, cometários e por tudo o que vocês fizeram e nos incentivaram a continuar a essa drama kkk Obrigada de coração...


Amores confira a minha nova história com Jimin - A Minha Obsessão.

https://spiritfanfics.com/historia/a-minha-obsessao-imagine--park-jimin-10893255

E confira a história de Larii com Namjoon - Reflection

https://spiritfanfics.com/historia/reflection-10719266

Deem olhada no nossos perfis @_Biih e @_Larii_

키스와 포옹 - Beijos e abraços... 💖😍🍃
Até o próximo... ❤🍃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...