História It's not that simple - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Amor, Drama, Jikook, Lemon, Mistério, Namjin, Suspense, Vhope
Visualizações 38
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oooi gente💚
Tudo bom?!
Tô postando até rápido, né?

Boa leitura!💘

Capítulo 30 - Opa


Fanfic / Fanfiction It's not that simple - Capítulo 30 - Opa

                     Jimin POV

 

As coisas pareciam estar se acertando. Eu e Jungkook estávamos bem (bem até demais), a parceria com a empresa Joshua's estava indo de vento em polpa e eu estava conseguindo seguir a minha vida apesar de todas as coisas que aconteceram.

Às vezes, você se sente mal por si e pelo mundo, pelo próximo e pelos que ainda nem chegaram a entrar na sua vida. É a SUA bagunça interna, é o SEU desleixo para a dramaturgia, o problema é SEU! E não há muita coisa que se possa fazer em relação à isso.

 

☁️☁️☁️

 

Cheguei em casa mais cedo. Sentia-se o cheiro forte de café percorrer a casa inteira, Jungkook estava em casa. Me desloquei à cozinha e o que vi foi a personificação dos meus sonhos. 

 

Sim! Eu sou o ser mais mole que você vai ter a honra de conhecer. 

 

Jungkook estava pondo as nossas canecas sobre a mesa, o cheiro de torradas com orégano e manteiga se mesclava ao do café recém feito, as flores e a renda no trilho de mesa se contrastavam ao aspecto rústico da madeira, Jungkook usava uma camisa social fina -o que lhe permitia os movimentos soltos- e ouvia Eric Clapton. A harmonia era exaltada e o amor presente naquele local era tão denso, que poderia até tomar forma.

Eu me perdi em todos aqueles detalhes e mal percebi que estava parado ali a um tempo que não foi contado, mas, transcorrido rapidamente.

- Oi amor, a quanto tempo está aí? -e nesse momento eu acordei do transe. 

- Ah, oi amor. Não faz muito tempo... eu acho. -cocei a nuca.

- Você acha?

- Aigoo Jungkookie! Você está lindo, a nossa casa me parece mais acolhedora, veja, nem o Pessoa está em cima da mesa. -ele sorriu alegre e veio até mim.

- Você disse que a "nossa casa" está mais acolhedora. -me abraçou. 

- É a forma como está e...

- Não, você disse "nossa casa"! Ou seja minha e sua, eu e vocês, nós dois, família... 

Aquelas palavras aleatórias aqueceram o meu coração. Eu estava tão acostumado a ter o Jungkook ali que não me lembrava como era quando ainda não estava. Ele não deixou nenhuma brecha, me preencheu completamente e agora tudo o que vivi sozinho me parece extremamente sem graça e incompleto.

Aish Jeon Jungkook, você me ferrou bonito! 

- おねがい します

 

☁️☁️☁️

 

Estávamos nos aprontando pra dormir quando recebo uma ligação do Tae.

Ligação on 

- Tae? 

- Ele foi embora Jiminie! - dizia choroso me assustando.

- Ele quem, Tae? O que houve? 

- O Hoseok, ele foi embora hoje mais cedo. Eu pensei que eu conseguiria, mas eu não consigo dormir, não sem saber onde ele está ou se está bem, eu não consigo sem ele aqui.

Opa, bastante informação! 

- Calma Tae! Se acalma! Eu vou fazer um chá. Vem pra cá! 

- Mas Jiminie, são quase 01:00 da manhã...

- Taehyung, levanta essa bunda gorda daí e vem agora! 

Ligação off 

Assim que a ligação foi encerrada, eu me sentei na cama e suspirei, Jungkook se sentou ao meu lado e afagou as minhas costas. 

- Aconteceu alguma coisa? 

- É o Tae, ele não me parece bem! 

- O que houve com ele? 

- Pelo que eu entendi, o Hoseok o deixou. -Jungkook fez uma cara de espanto que seria cômica se não fosse pela situação. - Ele está vindo para cá, eu vou descer e fazer um chá, tudo bem?

Ele assentiu positivamente e eu desci. Jungkook é um rapaz compreensivo até certo ponto e entendeu que a conversa que eu teria com o Tae era particular. 

 

Trinta minutos depois o Tae já estava apoiado na bancada, mas não exibia aquele típico sorriso quadrado, na verdade, não exibia sorriso algum. Estava preocupado com o meu amigo, ele não me parecia nem um pouco bem e devido às circunstâncias, não era pra menos. 

Tae me contou tudo o que havia acontecido enfatizando o fato de não saber o que estava fazendo com a própria vida, o que me deixou perplexo. O meu amigo era emotivo, mas nunca permitiu que a sua relação com o Hoseok afetasse outros pontos da sua vida.

- Tae, cara... relaxa! Você já se olhou no espelho? -ele tinha olheiras fundas e os olhos e nariz vermelhos pelo choro recente e excessivo. - A situação é complicada, mas o Hobi é um cara compreensivo, ele vai voltar atrás. Fala sério, vocês nem tiveram uma conversa decente! 

- Eu sei... parece que uma máquina agrícola passou por cima de mim, não é? -sorriu fraco

- Exatamente! -sorrimos. - Vamos, arrumei o quarto pra você. 

Eu não iria deixar que ele voltasse para casa aquela hora e naquele estado e o Tae me conhecia o bastante para saber disso, então só concordou e seguiu comigo para o quarto. 

 

                 Yongguk POV 

 

Adquiri o hábito de rondar a floresta durante a noite e aquilo me parecia tão necessário nesse momento. O que eu estava pensando em? Que iria sair de casa, me deslumbrar com o mundo, descobrir que ele não é tão vácuo, encontrar o amor da minha vida e ser feliz para sempre? Que iludido o menino Yongguk, não?! Era meio óbvio que eu iria levar no meio dessa minha fuça solitária.

Hoje eu fui mais além do que o habitual. Caminhei durante horas e quando me dei conta, estava num profundo breu. O silêncio daquele ambiente era cortante, mas, ao longe ouvi risadas e um urro. Me aproximei sorrateiramente e pude ver.

Lá estava ele! Mas, não estava sozinho. Hyojong e Hyuna dilaceravam um porco selvagem e sorriam enquanto trocavam palavras numa língua estranha. Se eu me metesse ali, com certeza entraria numa fria. Preciso avisar à Jungkook agora! 

 

☁️☁️☁️

 

- Droga! -disse arremessando o celular no sofá.

Já era a décima terceira ligação e eu já estava desesperado andando de um lado para o outro naquela casa. Onde diabos o Jungkook meteu essa budega desse aparelho eletrônico dos infernos? Pra quê tem celular, se não atende essa merda? Aigoo! Eu preciso avisa-lo, nós estamos com a faca e o queijo na mão e ele me desaparece agora! 

 

Opa, pera, eu sei onde ele está! 

 

 

 

 


Notas Finais


O que vocês acham que vai acontecer em?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...