História It's Not The End - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonseok
Exibições 46
Palavras 1.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoal !! Antes de começarem a leitura, eu gostaria de esclarecer umas coisinhas aqui:

• É a minha primeira fanfic, então tenham paciência comigo.

• Os lugares citados aqui são totalmente fictícios.

• Eu pretendo postar um capítulo por semana.

• Aparecerão nomes de outros idols aqui, mas isso é só porque eu não sou muito boa para escolher nomes coreanos aleatórios.

• Ao longo da fanfic, os flashbacks serão marcados em itálico.

• Peço perdão se houver erros na formatação pois eu estou sendo obrigada a escrever pelo celular, mas estou revisando o máximo que eu posso.

Bom, é só isso por enquanto ^^

Boa Leitura.

Capítulo 1 - Thank You


Aquela capela parecia ainda menor e mais sufocante.

Hoseok estava sentado no extremo canto, afastado de todos ali presentes. Yoongi estava logo ao seu lado, tão quieto quanto sempre era, com a habitual indiferença no rosto para não demonstrar como estava destruído por dentro. Sempre fora assim, se sentia na obrigação de não preocupar outras pessoas com seus sentimentos.

Os cochichos no lugar eram altos, comentavam o quão repentina era a perda, como se desconhecessem o motivo dela, como se não houvessem participado dela, mesmo que indiretamente. Hoseok tentava a todo momento não levantar e gritar para todos ali que eles eram os culpados, que eles haviam matado seu namorado. Como se Yoongi lesse seus pensamentos, escorregou a destra para a esquerda de Hoseok e apertou-a de leve, como se isso significasse um "Vai ficar tudo bem". Hoseok tinha certeza que não ficaria. Ainda sim, virou o rosto na direção do outro e sorriu de leve, o mais velho devolveu o sorriso; sorriso esse que era tão falso quanto o do mais novo.

Yoongi e Hoseok não eram o que se podia chamar de amigos. Apenas andavam juntos por Taehyung, pois ele nunca aceitaria deixar um por outro. Porém, de um jeito estranho, eles tinham aqueles momentos em que esqueciam as diferenças e eventuais brigas, e contavam um com o outro, e aquele era um desses momentos.

Senhora Kim, mãe de Taehyung, se aproximou dos dois. Ela trajava uma veste negra, típica de enterros. Ambos suspiraram pesadamente. Só de lembrar o que ela havia feito a Taehyung na noite anterior, os fazia tremer de raiva. A mão de Yoongi ainda estava sobre a Hoseok.

– Queridos? - Se dirigiu a dupla com uma voz doce.

– Sim? - Yoongi respondeu um pouco indiferente, já Hoseok ignorou-a completamente.

– Eu gostaria que vocês falassem algumas palavras sobre Taehyung. - Pediu. Hoseok a encarou com desdém enquanto Yoongi mantinha sua expressão de sempre.

– E o que quer que eu fale? - Hoseok alterou seu tom, assustando não só a mulher como Yoongi e todo o resto das pessoas presentes no lugar –  Sobre como Taehyung se sentia uma merda quando estava com vocês? Sobre como vocês o faziam se sentir uma aberração? Ah, não, sobre como o tratou na noite passada? - Riu ironicamente. –  Vocês mataram Taehyung. E eu espero que vocês se sintam culpados pelo resto da vida, pois suas mãos estarão sujas para sempre com o sangue dele!

Silêncio.

O único som a ser ouvido era a respiração pesada de Hoseok.

Ele se sentia enojado. Sentia raiva. Sentia tristeza. A visão turva e a ondulação em seu tom de voz denunciavam o quanto estava debilitado. Todos ali o encaravam atônitos demais para sequer responder alguma coisa, mesmo que não houvesse o que ser dito. Yoongi aproveitou a deixa e segurou Hoseok pelos ombros, murmurando um "vamos embora daqui", guiando-o em direção a saída da capela do cemitério.

Estavam em um café que ficava próximo ao cemitério. A aura reconfortante do lugar não conseguia diminuir a tensão que estava presente entre os dois. Yoongi estava sentado a frente de Hoseok, bebericando um Americano, olhando pela janela, fingindo estar distraído para não precisar falar nada. O cappuccino sem açúcar de Hoseok estava intacto. Ambos envergonhados demais para falar algo, ambos machucados demais. Yoongi queria ser solidário, mas não sabia como. Presumiu que palavras vazias não iriam ajudar Hoseok então continuou calado. Se sentia culpado.Sabia que poderia ter evitado tanta dor, inclusive a sua própria, mas não foi o suficiente. Mais uma vez.

Hoseok se levantou bruscamente da cadeira acolchoada do lugar, cansado de tanto silêncio, cansado do céu cinza e da chuva que caía do lado de fora, que só acentuava toda a melancolia que sentia. Só queria se isolar, mas não mais do que queria acordar de repente e perceber que tudo não passava de um terrível pesadelo, então poderia ligar para Taehyung, chamá-lo para sua casa e dizer o quanto o mesmo era especial para si enquanto o amava na cama confortável de seu quarto. Hoseok sentiu uma mão em seu pulso, fazendo-o voltar para a mesa de maneira quase tão brusca quanto havia se levantado.

– Aonde você vai? - Yoongi perguntou, tão baixo que Hoseok quase não o escutou.

– Para casa. - respondeu simplista.

– Eu te levo. - Yoongi se prontificou, e, antes que Hoseok pudesse protestar, o outro já o segurava pela mão guiando-o para fora da cafeteria como havia feito na capela.

O silêncio no carro de Yoongi era desconfortável.

Estava acostumado ao rádio ligado acompanhado das risadas e vozes de Hoseok e Taehyung. Sentia-se vazio. Yoongi nunca fora o melhor em fazer amizades. Sua personalidade calma e reservada era tomada por arrogância e frieza.

O único que o entendia era Taehyung.

E agora ele estava morto.

Seu estômago revirou dolorosamente e um nó se formou em sua garganta. Se perguntava se esse seria o fim. Se toda a sua felicidade morreria com Taehyung. Hoseok se perguntava o mesmo. Ao contrário de Yoongi, Hoseok tinha outras pessoas em sua vida, mas nenhuma delas importava como Taehyung. Nenhuma delas poderia sequer preencher parte do vazio que sentia.

Yoongi parou automaticamente em frente a casa de Hoseok. Olhou-o abrir a porta do Nissan Grand Livina 2013, mas segurou seu pulso o impedindo de sair pela segunda vez naquele dia. Hoseok encarou Yoongi.

– Eu sei que você talvez não queria mais falar comigo...- Yoongi começou, mas se perdeu no meio das palavras. Queria pedir para Hoseok não abandoná-lo, queria pedir que ele não o fizesse sentir mais sozinho do que ele já se sentia, mas não conseguia. –  Sabe, temos que ir a casa de Taehyung - Concluiu, usando o argumento mais racional que podia.

– Não vou pisar naquela casa de novo. - Negou com a cabeça –  Além do mais, a senhora Kim não gostaria de me receber na casa dela, de qualquer forma.

– Você não precisa entrar - revirou os olhos – Mas nós temos que fazer o que Taehyung nos pediu, lembra?

– Oh!  - exclamou de repente –  Ele fez aquele pedido estranho... - Murmurou, lembrando-se da noite passada.

Eu acho que já vou - Taehyung se manifestou após um breve minuto de silêncio ali. O trio estava no orquidário de Namjoon e Jin - um dos lugares favoritos dos três - numa quinta-feira, em um horário em que certamente não deveriam estar por conta das aulas no dia seguinte.

Taehyung se levantou olhando em volta e sorriu, relembrando os bons momentos que havia passado no orquidário. O cheiro de flores, a beleza estonteante das mesmas que o rodeavam, a companhia de Hoseok e Yoongi - às vezes Namjoon e Jin também -. Tudo tão significativo, quase o fazia mudar de ideia.

Hoseok foi o primeiro a se levantar, puxando Taehyung para um beijo. Yoongi gemeu em desgosto. Hoseok riu.

– Você devia arrumar um namorado, seu encalhado. - Comentou divertido, puxando Taehyung pela cintura.

– E você devia respeitar seu hyung - Yoongi resmungou, naquele tom rabugento que tanto irritava Hoseok.Parem com isso - Taehyung revirou os olhos. - Estou feliz por estar com vocês aqui hoje. - Sorriu um sorriso carregado de melancolia. Uma melancolia que não fugiu dos olhos de Hoseok, que julgou ser por causa da mãe de Taehyung, pelas barbaridades - e a surra - que dirigiu a ele quando o mesmo finalmente decidiu se assumir para mãe. Nunca vira Taehyung tão triste. O mesmo decidiu que um fim de noite em seu lugar favorito com suas duas pessoas favoritas seria perfeito para amenizar o que estava sentindo, afinal, Hoseok e Yoongi eram seu remédio e uma das únicas razões para não ter tomado a atitude que tomou, antes.

– O que vai acontecer com você amanhã? - Hoseok perguntou preocupado. Se a mãe de Taehyung havia feito aquele estrago, imagina seu pai? Pensar no que poderia acontecer com seu namorado o deixava extremamente angustiado. Tinha medo . – Digo, seu pai irá reagir bem pior que sua mãe, não é?

– Tudo vai ficar bem - Sorriu com aquele mesmo sorriso. 

A Coréia do Sul era um país bastante conservador, onde qualquer coisa fora do convencional era fortemente descriminada, e isso só se intensificava por morarem em uma cidade pequena. 

– Mas preciso que façam algo para mim.

– O quê? - Yoongi e Hoseok perguntaram em uníssono.

– Quero que vão a minha casa amanhã, vasculhem meu quarto e guardem o que considerarem importante com vocês. - Taehyung os encarou como se estivesse repassando uma missão secreta. Hoseok e Yoongi o olharam com estranheza.

– Você vai viajar? - Hoseok perguntou, arqueando as sobrancelhas. Taehyung sorriu de leve.

– Bem, digamos que sim. - Respondeu, com um ar um tanto sonhador.

– Como assim Taehyung? - Hoseok perguntou um tanto atordoado - Para onde você vai?

– Vocês vão ver depois. Mas vamos, precisamos ir.

– Tudo bem.

Caminharam em direção a casa de Taehyung, em um silêncio desconfortável que não combinava com o trio. Hoseok estava com um pressentimento muito ruim, e, pela expressão de Yoongi, ele estava do mesmo jeito que si. Sentia que algo estava errado. Antes que pudessem perceber estavam parados em frente a porta de Taehyung.

– Tem certeza que não quer dormir lá em casa, amor? - Hoseok perguntou. Praticamente implorava, simplesmente não conseguia ignorar a angústia em seu peito, estava a ponto de chorar e ao menos sabia o porquê.

– Tenho - respondeu com brandura  – Obrigada por tudo. Eu nunca vou esquecer o que vocês fizeram por mim - Sorriu, a água em seus olhos turvava o marrom bonito dos mesmos.

– O quê? Te trazer em casa? - Yoongi comentou ironicamente, levando um tapinha de Taehyung – Por que está chorando?

– Eu estou feliz de ter passado esse tempo com vocês - Taehyung os abraçou fortemente, por longos dois minutos. Amava o amigo e o namorado. Os amava mais que tudo. Porém, por quanto tempo mais aguentaria viver daquela maneira? Fugindo, se escondendo, mentindo. Não conseguiria. E depois depois das palavras tão duras da mãe, depois dos tapas e de toda a humilhação, sabia que esse mundo não era mais para si.

–  Claro amor - Hoseok afirmou, um tanto assustado. –  Sempre juntos. - Murmurou.

Taehyung abraçou Yoongi demoradamente, antes de se virar, fazer seu caminho até a porta e desaparecer das vistas alheias.

Mal percebeu quando começou a chorar novamente, Yoongi levou a mão até a de Hoseok, a apertando de leve como tinha feito na capela. Respirou fundo, chorar não adiantaria nada.

– Então... - Fungou, secando algumas lágrimas com as costas da mão, Yoongi o encarava esperançoso. –  Temos que pegar as coisas de Taehyung. - Disse decidido.

– Então vamos lá amanhã, tudo bem para você? - Perguntou. Hoseok assentiu em concordância.

– Então... - Hoseok se pronunciou um pouco envergonhado quando o silêncio se estabeleceu. –  Eu vou indo.

– Tudo bem - Concordou.

– Então eu já vou - Tamborilou os dedos nas coxas, sem jeito. Yoongi riu.

Saiu do carro e começou a atravessar o pequeno jardim que o separava da porta de entrada. Estava prestes a abri-la quando ouviu a voz de Yoongi gritar:

– Hoseok! - Virou-se, Yoongi estava dentro de seu carro, com a cabeça para o lado de fora da janela.

–  Sim? - Gritou de volta.

– Nós vamos ficar bem. Juntos - A voz que agora estava suave atingiu os ouvidos de Hoseok, que deu um pequeno sorriso.

– Vamos - o sorriso alargou - Juntos. - Respondeu.

Abriu a porta de casa, mas antes de entrar, virou-se por uma última vez. - Obrigado Yoongi - murmurou, porém Yoongi estava muito longe para o escutar - Muito obrigado.

 


Notas Finais


É isso. Eu reescrevi esse capitulo TANTAS VEZES. Eu estava bem nervosa por ser o primeiro mas foi bem divertido escrever ^^

Mais uma vez peço perdão se tiver erros.

Até a próxima XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...