História It's not to be. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Horimiya
Tags Horimiya
Visualizações 12
Palavras 1.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Quase não tem fics desse belo mangá então eu mesmo resolvi escrever não sei se ficou bom mas tentei!!

Capítulo 1 - Princípio


 

 

“Sociedade” um termo complicado, viver pensando em que as pessoas pensam de nós, construir sua imagem ao redor das pessoas que estão presente em nossa rotina apenas para agradar seus gostos. Isso é ridículo.

                                                      ___ Miyamura __

- Ahhhh que preguiça e ainda são só 6:15 – diz ainda olhando para o relógio apertando os olhos cansados, e pensando que se não levantar logo vai se atrasar para a escola e levar bronca dos professores, ainda mais parecendo tão sombrio como é, e a escola que estudo sendo mais rigorosa do que costume. Já passado alguns minutos estava pronto e saindo de casa acompanhado por um senhor meio velhinho de terno estilo década de 50.

- Até aqui tá bom não precisa me acompanhar até o portão principal James – Insisto em parar ele.

- Sim senhor Miyamura.

- Já falei para parar de me chamar de senhor, James o senhor é bem mais velho do que eu!

 - Desculpe-me senhor, ah.. ops desculpe-me oura vez Miyamura é costume, tenha um ótimo dia! – Acenei para ele já longe com um tchau, deu para perceber que isso foi estranho? Sim porque afinal ele é meu mordomo, aliais é empregado da casa do meu pai, e sim eu sou filho de um dos homens mais ricos do país e eu sou apenas seu filho de 18 anos de idade, sombrio, esquisito, nerd, com o capelo grande que usa óculos e aparentemente cheio de segredos pelo menos isso que dá ao entender apesar de eu não mostrar isso na escola já que tiro uma nota média pra não ter complicações mais tarde, afinal é um saco fazer recuperação nas férias quando não precisa andei tanto que eu nem percebi que já cheguei na escola quase batendo o sinal de entrada faltando apenas dois minutos. Notei que a classe ainda está vazia ou quase bom.. tinha algumas pessoas nelas que eu não faço a mínima ideia de quem seja, mas já que são meninos deve ser por conta dela de novo obvio, que mais séria ? com os meus pensamentos vou até a minha carteira quieto aposto que ninguém me notou ainda e nesse momento sinto alguém tocar no meu ombro, me assustando um pouquinho .. tá bom um pouco nada além disso.

- Hahahaha tinha que ver sua cara, hahaha desculpa haha.. tá parei bom, de qualquer forma me devolve a minha caneta que você pegou ontem e esqueceu de devolver – diz ainda olhando com uma cara que acabou de rir muito, e foi mudando aos poucos a seriamente

- Sim desculpa Hori – falo pegando na minha meu estojo tirando uma caneta azul chegando perto dela com um sorriso no rosto e apenas sussurrando – que desculpa esfarrapada vir falar comigo desse jeito Kyouko! –  Falo apenas ela ouvir discretamente.

- Hum... se lembre de devolver na próxima vez que pedir algo emprestado ok até. – Diz voltando ao seu lugar na classe fingindo que ele não falou nada de mais. – Passado o dia meio que “normal” nada fora de comum, como sempre quieto e fingindo que não conhece a Hori fora da escola e vice versa por certos motivos, chegando em casa já com preguiça por lembrar que hoje seu pai fez questão de mandar ele ir para conhecer pessoas em seu “mundo” da sua idade para fazer futuros acordos ou seja preciosos contatos. O relógio marcando 20:30 desce da escada principal da casa, Izumi com um lindo terno estilo SLIM preto que realçou o belo corpo do mesmo, com um relógio Classic de prata em seu pulso esquerdo, sem seu óculos e seu cabelo arrumado ele mesmo resumindo outra pessoa comparada ao um tempo atrás. A festa começaria as 21:00 e não era muito longe de sua casa dava tempo de sobra para meu motorista me levar, chegando no salão da festa atraindo toda a atenção das pessoas do local com sua beleza principalmente das mulheres.

- Como alguém pode mudar tanto em algumas horas? E ainda chamar tanta atenção das mulheres. – Ouço uma voz que conheço muito bem atrás de mim.

- Que foi? Ficou mais apaixona do que era antes hori?! – Digo me virando em frente da garota que estava com um belo vestido branco simples mas que a deixa mais lindo do que já era. A mesma dá uma pequena risada sarcástica e responde:

- Ahhh sim claro eu te amo tanto Izumi que te tacaria do penhasco da minha casa de campo.

- Deixando brincadeiras de criança de lado, o que você está fazendo aqui?

- O mesmo que você, ou seja obrigada a vir nesta chatice pelo meu pai para apresentar sua filha como parte de seus negócios, aliais como todos os adolescentes aqui eu presumo.

- Isso mesmo nesta chatice que as até mulheres mais velhas me corteja, o mesmo que você certo? – Falo tentando esboçar alguma reação dela.. e como sempre não deu certo, que garota chata de se irritar e ainda não sei como sempre faço isso afinal eu conheço ela desde do que eu me conheço como gente.

- Sim isso mesmo Izumi, e aposto que você não deixa de levar uma para sua cama não é verdade? Afinal nunca vi uma a não ser eu que recusa a sua “beleza” certo Sr. Galinha.

- Que? É isso que você pensa de mim?! Verdade que eu sou irresistível menos para você claro mas  nunca faria isso além de ter uma imagem a se cuidar eu amo alguém apesar dela não ligar muito sabe.. resumindo  não iria para a cama sem ser ela ok   Sr. Certinha.

- Nossa depois dessa as mulheres ficariam mais apaixonada por você com essa declaração de amor! E você apaixonado?? Hahaha sei essa me fez realmente rir, e certinha? O que te fez pensar nisso? – Disse ela indo mais pro canto do salão e eu claro acompanhando ao lado dela.

- Claro que sim por que não me apaixonaria? E sim você é a certinha a perfeita da escola, boa em esportes, estudo e ainda se da bem com todos da escola todos te amam e eu nunca te vi com alguma homem sem ser eu claro que ficava colada em você  e hoje só não fico na escola porque de resto quase sempre estou lá!

- Isso era por nós sermos amigos de infância, e hoje como você mesmo disse quase sempre esse quase pode ter certas coisas.. – Disse tentando me fazer ficar nervoso e isso quase deu certo se ela continuasse a falar mais um pouco – Tchau eu tenho que cumprimentar os convidados, acho que você deve fazer o mesmo até!

 - É até. – Saio de encontro com as pessoa mais velhas para dar meu cumprimento ainda  meio curioso  da minha parte por ela ter falado isso.

 

 


Notas Finais


Eu meio que imaginei o Miaymura com o cebelo assim
https://i.pinimg.com/236x/8b/01/8b/8b018b806cdb93b452830307b8915a66--manga-art-manga-anime.jpg

Não sei quando eu vou postar o próximo mas espero que seja em breve!!! Até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...