História It's Okay - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Matheus MoriMura Jordão
Personagens Matheus MoriMura Jordão, Personagens Originais
Tags Brasil, Clichê, Colegial, Haruyuki, Morimura, Novela, Pt Br, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie meus amores❤
Tudo bom com vocês? Espero que sim~
VOLTEI, depois de muuuuuito tempo, eu sei.
Mil desculpas a vocês pela demora! Caprichei nesse capítulo, e mais tarde saí um do Mensagens Para Yugyeom!
Espero que gostem~

\Ignorem os erros/

Boa leitura❤

Capítulo 8 - Twitter e Ruiva


Fanfic / Fanfiction It's Okay - Capítulo 8 - Twitter e Ruiva

Acordei perto das onze horas, um pouco tarde, então já tomei um banho, colocando a primeira roupa que achei no guarda-roupas, que se resumiu em uma camisa cor de rosa com o logo da Barbie e um short preto bem leve, afinal, eu não pretendia sair. Calcei meus chinelos e prendi meu cabelo em um coque simples antes de sair de meu quarto e ir para a cozinha, com meu estômago se revirando de fome.

 - Bom dia pai - eu disse ao entrar na cozinha, que estava com um cheiro gostoso de panquecas.

- Bom dia Ingrid? Que cara de pau, já é quase meio dia. - Nathan resmungou interrompendo a fala de papai e só então percebi sua presença no cômodo.

 Nathan tinha seus cabelos mais bagunçados que o normal, e vi que era por conta de sua mão que os puxava para trás de minuto em minuto. Seu semblante era cansado, o que me surpreendeu, já que ele hiberna, literalmente. Torci o nariz.

 - Não parece que dormiu muito. - murmurei, beliscando um pão de queijo que estava em cima da mesa - Isso deve ser inveja. 

- Que inveja o que garota. Eu 'tô' com sono, só isso. 

- E mal humor, pelo visto. - papai completou e eu ri, me segurando para não explodir em risadas e irritar mais ainda meu irmão.

 Comemos em silêncio, tanto papai quanto eu estávamos com receio do monstro que Nathan se transforma de manhã. Depois de alguns minutos, levei meu prato e copo sujo para a cozinha, os deixando na pia. Automaticamente me lembrei da cena na casa de Matheus e senti minhas bochechas arderem. Devo ter ficado mais vermelha que um pimentão ao imaginar o que aconteceria em seguida se não fossemos interrompidos por Juliana.

 Nathan passou como um furacão atrás de mim e foi só ai que voltei a realidade, balançando a cabeça. Meu pai logo surgiu ao meu lado, erguendo as mangas de sua camisa social para lavar a louça.

 - O que houve com ele? - indaguei, me sentando em cima do balcão, sendo reprovada com o olhar de papai.

- Parece que Juliana irá fazer uma breve viagem e voltará daqui alguns dias. Como você pode ver, seu irmão não gostou muito da ideia. Se revirou a noite toda, não sei como você não conseguiu escutar.

- Eu acho que seria bom essa viagem para eles. - Meu pai me olhou com o cenho franzindo. - Você sabe, eles são grudados um no outro, isso é meio nojento. - Admiti, fazendo uma careta e papai riu

- Isso é porque ainda não se apaixonou querida. 

Fiquei alguns minutos apenas refletindo sobre o que ele tinha dito e fui até a varanda de casa. Apesar do sol estar ali, um vento gelado passava, como se estivéssemos próximos ao inverno. Me sentei em um banco, e fiquei olhando os carros passarem "voando" pela rua a minha frente. 

 Não sei o que estava sentindo. Meu coração doía e parecia que ia explodir a qualquer minuto. Matheus não saía de minha cabeça desde aquele dia no metrô e não faço ideia do que esses sintomas significam. Será que estaria eu ficando doente?

 Me levantei bufando ao não conseguir respostas para minhas milhares de perguntas e subi para meu quarto, pegando meu celular que estava no carregador -lugar onde ele mais fica nesses dias-. Vi uma notificação no Twitter e fui até lá. Era uma mensagem de Matheus;

@Morimurando : Ainda está viva?

@Littlegrid : por que não estaria?

Não demora muito para meu celular vibrar em minhas mãos enquanto eu olhava para o teto com um sorriso bobo. Voltei a prestar atenção no smartphone.

@Morimurando : Vai saber.

@Morimurando : Você é estranha, não posso confiar

@Littlegrid : Eu estranha? Você está maluco.

@Littlegrid : Sou tão normal que as pessoas normais me consideram estranha e os estranhos me consideram normal.

@Morimurando : Você apenas acabou de confirmar o que eu disse.

@Littlegrid : Ok, talvez um pouquinho.

@Littlegrid : fiquei sabendo que sua irmã vai viajar. Nathan está bem puto.

@Morimurando : Parece que não é só ele então. 

@Morimurando : Meu pai está na mesma.

@Littlegrid : Falando em seu pai, eu nunca o vi.

@Morimurando : Deve ser porque ele passou algumas semanas fora. Voltou ontem.

@Littlegrid : Ah sim

@Littlegrid : Você já viajou para fora, Matheus?

@Morimurando : Umas três vezes. Já fui para a Disney quando mais novo, Orlando e Los Angeles. 

@Littlegrid : Olha ele

@Littlegrid : Dora Aventureira.

@Morimurando : caralho

@Morimurando : kkkkkjjjkkk

@Morimurando : De onde veio essa?

@Littlegrid : Nunca saberemos.

@Morimurando : aposto que sim.

@Morimurando : tenho que ir, minha mãe tá berrando no andar debaixo. Até mais.

@Littlegrid : Até ^^

Bloqueei o celular e parecia que o sorriso bobo de antes tinha aumentado 3x de tamanho. Ou melhor, eu estava fazendo cosplay de Coringa. Coloquei meu celular sobre a cômoda e me deitei em minha cama. Meu coração batia rapidamente e me senti uma garota de treze anos tendo sua primeira paixão por um cantor famoso. 

Aish. É tudo sua culpa Matheus Morimura!

                              (.......)

 Suspirei depois de terminar de varrer meu quarto. Eu não acreditava quando papai me dizia que ele estava horroroso, mas agora ao ver o tanto de sujeira que consegui pegar com apenas uma vassoura, quase me senti um porco em um chiqueiro. 

 Passei a mão sobre o suor que caía de minha testa. Apoiei a vassoura na parede e fui ao banheiro. Lavei o rosto e o sequei na toalha branca pendurada. A casa estava silenciosa demais hoje. Decidi ir ver o que estava acontecendo. 

 Desci as escadas e não havia sinal de vida nem na sala nem na cozinha. Fui a varanda e não encontrei o carro de papai estacionado na vaga que sempre ficava. Os dois saíram e nem me chamaram? Que tapados.

 Subi novamente para o segundo andar e bati duas vezes na porta de Nathan antes de entrar e o encontrei dormindo embaixo de um monte de cobertores. Estranhei. Então foi só meu pai que saiu? 

 Voltei a sala e me joguei esparramada no sofá, ligando a televisão e colocando em Chicago Fire, que amo muito. Quando estava na metade do episódio mais tenso que eu havia visto escutei o barulho de um carro do lado de fora e pausei a série. Fui até a janela e vi papai saindo com uma mulher ruiva do carro. Ah não. De novo não. 

 Tentei subir correndo até meu quarto, mas já era tarde, pois meu pai ao ver minha tentativa pigarreou e me virei para trás querendo esganá-lo. Sorri forçado para a mulher.

- Ingrid, essa é Eva. Eva, essa é minha filha mais nova, Ingrid. 






Notas Finais


•Roupa da Ingrid:
https://cdnd.lystit.com/photos/asos/933959-Pink-e0f92201-.jpeg

Vish! Quem será essa Eva hein pessoal?
Mori e Ingrid conversando pelo Twitter, ai meu core❤❤❤
Outras fanfics minhas ;

https://spiritfanfics.com/historia/entre-os-rocha-9571663

https://spiritfanfics.com/historia/mensagens-para-yugyeom-8406036

https://spiritfanfics.com/historia/green-eyes-9404580

https://spiritfanfics.com/historia/colors-9209411

Espero que tenham gostado!
Beijão e até o próximo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...