História It's okay, Sammy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Tags Supernatural, Wincest
Visualizações 104
Palavras 792
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia
Avisos: Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eu postei essa fic no nyah, mas eu gostei tanto dela que resolvi postar também <3 boa leituraaa

Capítulo 1 - Capítulo Único.


— dean…

— fique quieto, sammy. quanto mais energia você poupar, melhor você irá se recuperar.

— mas dean, não há forma de-

— não ouse falar que não há forma de se recuperar, não depois de tudo que já passamos, sam. vamos, deite aqui no meu colo, você vai ficar mais confortável.

(sam quer protestar. mas o desespero de dean é quase palpável, então ele apenas apoia a cabeça dolorida nas coxas do mais velho. e ele sorriria se não estivesse com um bolo de sangue descendo sobre sua garganta, ao sentir o carinho quase instantâneo em seus cabelos).

— não ouse fechar os olhos, ok?

— ... ok.

— vamos conversar. isso, conversar. você lembra de quando era pirralho e foi aprender a andar de bicicleta? na primeira vez, você se ralou todinho.

(dean ri. e sam reconhece o quanto é um riso nostálgico. ele é obrigado a engolir o riso também.)

— e você falava que não era tão grave, só ‘pra não me ver chorar.

— claro. sua cara de choro é horrível.

(sam ri de novo. mas agora uma tossida ensanguentada atravessa sua garganta quase como ácido. dean segura seu rosto.)

— ei, ei, vamos com calma, irmãozinho. não queremos morrer agora, certo? tem que manter os olhos abertos.

— dean... está doendo...

— olhos abertos, sammy. eu sei que dói, mas olhos abertos. vai ficar tudo bem, eu sei que vai.

(sam resmunga. seu peito arde tanto e seus olhos pesam feito chumbo, mas ele se obriga a manter os olhos abertos.)

— dean?

— sim?

— vamos contar as estrelas.

— o que?

— você me ouviu. uma estrela para cada pessoa preciosa que perdemos.

— sammy...

— por favor, dean.

— ... ok.

—      aquela ali é a mamãe. a primeira, eu acho. a segunda é a jess, acho que até tenho pesadelos com ela. vamos, continue você.

(dean tem um momento de silêncio. porque o seu coração dói. dói como o inferno.)

— a terceira é o papai. a ellen e a jô ficam bem ali. depois vem o bobby. e o kevin. e a charlie. olha, a do castiel deve provavelmente brilhar como aquela.

(dean ri. ele jura por toda divindade existente que não está ouvindo cada vez mais sam cuspir sangue ao seu lado.)

— nós já perdemos muitas pessoas, não é, sammy? acho que nem todas as estrelas da galáxia são o suficiente para listar todas. tantas pessoas, sammy. tantas já morreram e não pudemos fazer nada. tanto sangue nas minhas mãos. às vezes eu me pergunto como eu aguento tudo sem enfiar uma 38 na minha garganta de uma vez. mas aí, eu olho pra você, sammy. o meu irmãozinho caçula-pé-no-saco.

— dean...

(mais uma tosse)

(suas mãos seguram cada vez mais o rosto de sam)

— você é a única coisa que ainda me segura vivo, sammy. porque eu olho pra você e lembro que preciso te proteger. lembro que preciso ser seu exemplo de irmão mais velho durão. mato cada demônio pensando em um mundo onde você pode ser feliz. mas eu acho que falhei, não é? você não conseguiu ser feliz. me perdoe, sammy.

— dean...

(as respiração de sam está parando. seus olhos estão quase se fechando)

— ei, sammy? não, não, abre os olhos. vai ficar tudo bem, certo? como sempre ficamos (os olhos de sam ainda não sem abrem)  sammy? sammy, vamos lá, eu ainda não te derrotei no street fight, você não pode ir agora (as lágrimas já estão escorrendo sem controle no rosto de dean) vamos lá, sam, quem vai me lembrar de levar toalha para o banheiro quando eu tomar banho? quem vai me ajudar a fazer os nachos, já que eu sempre consigo queimar aquela porcaria? quem vai ser o cabeça dos nossos casos? vamos, sammy, quem que...

quem que vai me segurar agora?

— dean...?

— o que, sammy?

(os rosto de dean já está encharcado pelas lágrimas. e sam lamenta ter um veneno mortal correndo em suas veias para não seca-lás)

— eu vou… ser a estrela mais… brilhante, certo?

(a respiração de sam está falhando cada vez mais e sua voz é apenas um murmúrio baixo. e dean chora. apenas chora. porque ele consegue sentir a vida de sam se esvaindo entre seus braços.)

— vai, sammy. com certeza, você vai.

— ... ótimo.

(e no final, dean winchester deveria se desculpar com sam. por mentir para ele todas as vezes que seus joelhos sangravam e ele dizia que estava tudo bem. agora, dean segura seu irmão morto desesperadamente nos braços dizendo que vai ficar tudo bem. mas ele não diz para sam. ele diz para si mesmo que vai ficar tudo bem, mesmo depois de perder a pessoa que mais amou em toda a sua vida).

(dean olha para o calibre ao seu lado)

(e sorri)

(talvez houvesse um mundo melhor, do outro lado)

(bem, deve haver)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...