História It's the Destiny - Emison - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Emily Fields
Tags Emison, Pll, Romance, Sashay
Exibições 78
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey, voltei ❤ .... Obrigada pelo os favoritos e os comentários ❤🎉 estou muito feliz.... A fic traz muitas emoções em um capítulo só.. espero que vocês gostem, e continuem acompanhando..
XOXO

Capítulo 2 - I'll be always here to protect you.


Fanfic / Fanfiction It's the Destiny - Emison - Capítulo 2 - I'll be always here to protect you.

POR EMILY

"Assim que Alison me dá um tapa na cara eu coloco à mão sobre o meu rosto, uma raiva começa a subir.. Não acredito que ela fez isso, pego Alison pelo pescoço e dou vários chutes em sua barriga e em suas pernas.

— P-p-para.. Emily eu estou sentindo uma pontada na minha barriga- Alison diz se contorcendo de dor.

Seu noivo Hudson chega a procurando e logo vê ela no chão deitada e começa a me encarar.

— Então a princesinha e o babaca. - Falo em um tom provocador. — Você é ridículo. Ele estica os braços e me encara.

— VOCÊ NÃO ENCOSTE MAIS UM DEDO NELA. - Ele grita desesperado e pega Alison no colo.

— O que é? Tá achando que é quem? Agora vaza daqui e vai chamar uma ambulância. - Digo rapidamente e ele saí e me deixa a sós com Alison.

— Emily, me desculpe por ter dado um tapa em seu rosto! Me perdoe. - Ela diz em meio de lágrimas, ela tenta se levantar mas, ela está fraca.

— Cale a boca, a culpada aqui sou eu e você vai ficar bem. - Tento passar serenidade à ela.

— Em, a mídia está aqui fora preocupa.. - Hanna entra dentro do banheiro e em seguida leva um susto, e nos olha incrédula. — Gente o que aconteceu?

— Ela me espancou. - Diz Alison ríspida.

— Ué você mereceu, brincadeira! - Hanna lança um olhar "psicopata" para Alison. — Alison, você está sangrando.

A ambulância chega e os profissionais colocam ela na maca.

— A mídia está louca lá fora, eles estão insistindo em entrar e saber sobre vocês duas. - Hanna diz nervosa.

Os seguranças chegam e afastam os paparazzis e os outros convidados.

— Precisamos ver se está tudo bem com o bebê. - O médico levanta a maca e saí em direção à ambulância, eu e Hanna estamos caminhando junto com eles até que nós paramos para raciocinar.

— É o que? - Olho para Alison que está desacordada e tento me recuperar. — Eu bati em uma mulher grávida? Ela está grávida? 

— Sim, pelo os chutes fortes dado em sua barriga vamos ter que correr rápido para o hospital se não ela pode ter um aborto espontâneo. - Ele coloca ela na ambulância e Hudson chega bem na hora, e entra junto.

— Em, vamos no nosso carro. - Hanna diz com firmeza.

"Se ela perder o seu filho por minha causa eu não vou me perdoar, como eu ia saber que ela está grávida e quando ela acordar e descobrir, acho que ela vai me odiar eternamente."

— Emily Fields me escute, você não sabia de nada. Tenho certeza que esse bebê está bem. - Hanna coloca sua mão

— Como você acha que eu estou? EU NÃO ESTOU LUTANDO PELA A MINHA VIDA, E NÃO SOU EU QUE PODE PERDER UM FILHO. - Dou um soco no banco do carro.

(...)

"Talvez é a hora de mudar, mudar por mim! Não dá para querer descontar a minha raiva em tudo ou em todos.... Sabe de uma coisa? Não vale a pena ficar dando uma de rebelde para querer chamar atenção, temos que aceitar.. No fim, sempre é assim.Tudo o que for bom,verdadeiro, tudo o que realmente nos fizer bem, permanece. Se esse bebê vier a falecer eu prometo a mim mesma que vou pagar caro.

— Em... Emily... Emily Fields. - Hanna chama a minha atenção.

— O que é? Ela morreu? O bebe morreu? Eu já posso ir presa, não aguento mais ter que passar por essa angústia. - Eu murmuro.

— Não sabemos ainda, eles ainda estão lá dentro naquela sala... Que eu não sei o nome, e nem vou saber. - Ela faz uma irônia com si mesma.

— Acha que ela vai me processar? - Minha voz quase não sai, minhas mãos estão trêmula

— Encosta sua cabecinha no meu ombro e chora. - Ela passa a mão em meu rosto. — Ei, eu tenho certeza que eles estão bem. E uma coisa Em, eu estou te estranhando. Você anda muito sentimental para o meu gosto.

— Aí Han, eu decidi mudar. Quem sabe ser leal, carinhosa, gentil. Nós encontramos alguém especial não é mesmo. - Dou um sorriso doce à ela.

— É mesmo... - Ela da uma risada e beija a minha bochecha.

Uma baixinha chega nos encarando e percebo que ela está nervosa, assim como nós.

— Você que é a  Emily Fields? O que está acontecendo? - Lucy me questiona.

— Eu e a Alison acabamos brigando, e ela esta... - Começo a gaguejar.

— Ela está o que caramba! Fala logo. - Ela diz ansiosa.

— Ela está GRÁVIDA. - Disparo e ela me olha com os olhos arregalados.

— Do Hudson? Não não pode ser, de outra pessoa menos dele. - Lucy fala desesperada.

— Licença senhoritas, vocês são parentes da senhorita DiLaurentis? - A enfermeira pergunta.

— Somos amigas bem próximas, pode falar. - Lucy pisca para mim. — Eu posso ligar para a irmã dela.

— Alison, quase teve que fazer um aborto espontâneo. Sua gravidez é de alto risco e ela não pode passar por nenhum nervoso, comuniquem a família, ela precisa de cuidado. - A enfermeira diz.

— Podemos ver ela doutura? - Hanna pergunta.

— Claro, só não à estressem. - Ela sai e nos deixa entrar na sala.

"Alison está deitada numa posição confortável, ela está acariciando sua barriga e percebo que seus olhos estão vermelhos. Por que ela não pode dizer para o seu noivo escroto? Será que ela... Não,não Emily.. ela parece ser uma pessoa que não admite isso...

— Ali, e como anda você é esse bebê aí? - Lucy dá uma sorriso fraco.

— Essa criança está bem, e eu também. - Ela me parece calma e aliviada. — Eu estou feliz que vocês estão aqui comigo, logo em Paris eu descobri isso? Só Deus mesmo não é?! 

— Estamos felizes que você está bem, e o Hudson já sabe da sua gravidez? - Pergunto sem jeito.

— Não, ele não sabe e nem pode saber. - Ela me olha atordoada. — Isso pode ser perigoso para mim, e para todas nós. Não precisa ficar com vergonha Emily, eu te perdôo, eu que te provoquei e você é estressadinha em. - Ela solta uma risada.

— Eu não disse piranha. - Hanna fala descaradamente. — Nós que pedimos desculpas Alison, agora chega, você está bem e essa coisinha também e estamos felizes Querida.  E por que o Hudson não pode saber? Ele entrou na ambulância com você, e onde ele está?

— Será que ele está tramando alguma coisa contra mim? Ele não pode saber de jeito nenhum. - Alison começa a se desesperar.

— Ele não vai fazer isso, ele não é nem louco. - Eu assegurei.

— Eu vou ligar para Charlotte, Alison! - Lucy pega o seu celular e vai para fora da sala.

— Charlotte? Charlotte? Esse nome não é estranho. - Começo a franzir o cenho.

— Charlotte DiLaurentis? A estilista do momento? O último desfile que foi super admirado e invejado? Ela é minha irmã. - Alison solta um sorriso.

— A Charlotte? Mentira? Ela é uma das nossas amigas, como o mundo é pequeno, não é mesmo? - Hanna revira os olhos e saí lentamente da sala.

— Você pode sair? Quer que eu te ajude. - Coloquei a minha mão e suas pernas.

— Que bicho te mordeu garota? virou doce de uma hora pra outra? brincadeira, você pode me ajudar. - Ela dá um olhar sereno.

— Mas é claro, a Lucy trouxe algumas roupas, eu posso de ajudar. - Eu ajudei ela a se vestir e as enfermeiras trouxeram uma cadeira de rodas e me ajudam a coloca-lá.

(...)

"Chegando no meu hotel, eu e Hanna resolvemos deixar Alison e Lucy ficar aqui por um tempo até que tudo se resolva.

— Gente eu vou dormir, Boa Noite para vocês. - Hanna e Lucy vão para o quarto de hóspedes.

— Eu vou ficar aqui no sofá, para não te atrapalhar. - Alison vai andando e eu puxo ela pelo o braço. Alison começa a chorar.

— Está tudo bem? Você está com dor. - Começo a me desperar.

— São os hormônios sua Anta. - Ela revira os olhos.

— Se for para ficar me maltratando vaza sua Velha, pode parando sua louca, vou olhar o meu twitter, quer que eu te ajude ir até a cama?  - Eu pego em suas mãos e dou um sorriso meigo.

— Eu iria adorar sabia, você pode me pegar no colo? Eu não estou conseguindo ficar em pé. - Eu a pego no colo e levo ela até a minha cama, eu coloco ela na cama e ela se ajeita.

— Você também lê esse livro? Ele é o meu favorito sabe. - Ela pega o livro e começa a ler. " Eu a amava contra a razão, contra a promessa, contra a paz, contra a esperança, contra a felicidade, contra todos que se opõe a esse amor". - Ela começa a ficar pensativa, e acaricia a sua barriga.

POR ALISON

O ódio que acaba virando amizade, sinto que essa amizade vai ser importante, tanto para mim quanto para o meu filho/filha. Não vou Hudson chegar perto dessa criança. Percebo que  Emily está chorando e eu começo a olhar para ela.

— Emily, o que aconteceu? - Pergunto  a ela.

— As pessoas estão me difamando nas redes socias, olha só. - Ela me mostra.

"Você é ridícula, faz tudo para chamar atenção quem gosta de @EmFields? Pelo amor de Deus, se mata."

"Como é que você anda com uma pessoas dessa, @HannaMarin é louca, é outra puta também" 

— Emily, eu sinto muito! -Eu pego em suas mãos e dou um beijo demorado em sua bochecha. — Isso é mentira, eu tive uma impressão errada de você, e não é assim... Você é uma amiga muito especial.

— Talvez eles estejam certos, quem sentiria a minha falta mesmo? E-eu não deveria existir mesmo.. - Ela senta na cama e  começa a puxar os seus cabelos.

— Não faça isso Emily Fields, você não é isso... Quem precisa dessa sociedade ruim? Você sabe quem você é, o importante é isso. - Eu sussurro para ela.

"I can't fix you You've gotta face these demons on your own.

(Eu não posso te consertar Você tem que enfrentar esses demônios em seu próprio país)

   And I can't save you

( E eu não posso salvá-lo)

 But I promise you, you'll never be alone

( Mas eu prometo a você, você nunca estará sozinha)

 Take my hand and take a deep breath You don't have a lotta (lot of) chances left..

( Pegue minha mão e respire fundo)

"Canto a minha música que eu escrevi, I Can't Fix You. Olho para Emily e ela está cochilando..

— Eu e as meninas estaremos aqui com você. - Sussurro e  eu levanto para  apagar a luz do abajur, e sinto umas mãos em minha cintura.

— Você não vai a lugar algum... - Ouço uma risada ..


Notas Finais


Então me comentem o que acharam.. quantas emoções..... Continuo?
Comentem ..
Sem revisão beijos e até o próximo..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...