História It's time for payback - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Naruto, Romance, Vingança
Exibições 72
Palavras 2.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Ficção, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi galera desculpem a demora ..... Quando eu sair de ferias juro que posto mais capítulos por semana.

Capítulo 8 - Que Doença é Essa ?


Apesar do meu rosto aparentar serenidade e calma eu queria gritar de frustração, mas que porra já não bastava infligir a morte a alguém e ainda tinha que ser daquele jeito horrível? Para mim ficou obvio que a pessoa que estava fazendo aquilo com as pessoas era alguém sem escrúpulos que se divertia com dor dos outros.

A pessoa que estava na minha frente deitada em uma simples cama com lençóis brancos parecia estar morta pois seu corpo era literalmente pele e osso como se fosse uma múmia e ao longo da pele havia pequenas erosões que fedia a carne podre e para piorar a situação o os olhos do rapaz estavam abertos demonstrando toda a dor e sofrimento que ele sentia.

Ao meu lado estava Ino que engolia em seco com os olhos arregalados e do outro estava Seya com uma expressão triste e logo a minha frente estava o senhor Saito olhando para o filho com uma expressão de dor e tristeza, eu não queria mas prolongar aquela situação e decidir dá início ao meu trabalho.

Seky – Eu quero que todos saiam do quarto menos a Ino para que a gente possa examinar o paciente com calma – Todos saíram menos a Ino

Ino – Sakura e se tiver algum risco de contrairmos a doença? – Olhei um pouco irritada para Ino.

Sky - Não se preocupe com isso no relatório que recebemos havia a informação que essa doença não é contagiosa, mas mesmo assim use luvas e máscara e pare de comentários desse tipo na frente do paciente. – Praticamente rosnei a última parte afinal o pobre homem na nossa frente podia exultar tudo.

Ino- Me desculpe – falou de cabeça baixa, me arrependi na mesma hora de ter sido um pouco grossa para mim era obvio que ela não estava sabendo lidar com aquilo, apesar de já ter se passando alguns anos as memórias que tínhamos da guerra ainda era fresca na nossa mente assim como a dos corpos que ignorávamos para continuar lutando e das vidas que não conseguimos salvar.

Seky – Olha Ino se você acha que não vai conseguir lidar com essa situação agora tudo bem eu posso examiná-lo sozinha não tem problema, mas você vai ter que enfrentar a situação mais cedo ou mais tarde, mas por agora você pode sair do quarto.

Ino – Me desculpe testuda, mas eu realmente não estou bem agora, eu fiquei todo esse tempo em Konoha vivendo em uma bolha de paz e sossego apenas cuidando de crianças não estava preparada para cuidar de algo assim.

Seky – Tudo bem eu compreendo – Ela saiu do quarto de cabeça baixa e eu respirei fundo e fui até o paciente para começar a examiná-lo.

?? – Me desculpe entrar assim, mas eu acho que posso ajudá-la pelo menos com os instrumentos – Me virei e encontrei o Seya em frente a porta um pouco hesitante.

Seky – Eu agradeço pela ajuda – Ele se colocou ao meu lado e comecei a me concentrar o que estava fazendo.

Pelo menos meia hora já havia se passado e por mais que eu examinasse o paciente não conseguia encontrar nada e começa a duvidar que os exames poderiam me indicar alguma coisa pois os médicos da região também não tinham encontrado nada.

Seya – Fique calma, ninguém espera que você encontre nada em exames tão superficiais, você precisa descansar e recarregar as energias e amanhã eu te levo para o hospital para que possa fazer exames mais profundos.

Seky – Eu não sou nenhum tipo de Deusa para garantir que eu vá achar a cura ou causa para essa doença então acho melhor você e os outros não depositarem tanta fé em mim. – Falei de forma seca, a verdade era que eu estava frustrada.

Seya – Vou depositar toda a minha fé em você sim Sakura Haruno por que eu sei que não vai desistir de achar uma cura, eu sei que você vai lutar até o final como fez na guerra com cada novo paciente que chegava até você ainda me lembro que você gastava todo o eu Chakra com seus pacientes sem se importar se iria desmaiar de exaustão ou não – Fiquei surpresa pelas palavras dele e pelo fato dele me conhecer daquela época.

Seky – Me desculpe, mas eu realmente não lembro de você, foram muito médicos e muitas equipes que ficava difícil interagir com as pessoas individualmente. – Juro que já tinha tentado lembrar dele, mas ainda não havia conseguido.

Seya – Tudo bem, a única vez que ficamos sozinhos foi quando eu te encontrei no meio da sua sala desmaiada por falta de chakra depois de cuidar de alguns pacientes em estado grave.

Fiquei surpresa, eu me lembrava desse dia perfeitamente, eu tinha ficado quase dois dias inteiros sem dormir e ainda havia cuidado de dois anbus que se machucaram gravemente, mas nunca cheguei a agradecer a pessoa que havia me colocada em uma cama improvisada que havia na sala me lembro de ter perguntado quem foi que tinha feito aquilo, mas ninguém sabia me dizer e eu apenas deixei aquela história de lado.

Seky – Arigato por aquilo – Ele apenas acenou com a cabeça e fez sinal para que eu saísse do quarto unto com ele, mas eu ainda estava incomodada eu tinha certeza que havia deixado passar algo, olhei mais uma vez para o paciente que estava com uma aparência bem melhor depois que eu tinha feito ele dormir injetando um pouco de chakra nele, e foi nesse momento que a minha cabeça deu um estralo.

Seya – Algum problema Sakura -Sama? – Ele me olhava com curiosidade já que a minha expressão deveria ser de surpresa e incredulidade.

Seky – Seya por favor oculte o seu chakra – Ele me olhou um pouco confuso mas fez o que eu pedi e em seguida fiz o mesmo e fechei os olhos.

Seya – Sakura-Sama está tudo bem? – Escutei ele falando com uma voz preocupada – Abri os olhos com uma esperança mais que renovada.

Seky – Vamos encontrar os outros, eu já sei qual é causa dessa doença – Falei seria e ele me olhou supresso.

Saímos do quarto, mas não havia ninguém no corredor seguimos o caminho contrário ao que tinha feitos para chegar no quarto e encontramos uma empregada na sala perguntamos sobre os meus companheiros e ela nos guiou até uma sala onde eles estavam fazendo a refeição e percebo que já era hora do almoço, ao chegarmos todos se levantam esperando que eu falasse alguma coisa

Seky – Encontrei a causa da doença – Todos me olhavam surpresos  – É um tipo de parasita que está sugando o chakra lentamente deixando o paciente debilitado e causando a morte com um certo tempo, vou precisar que a Hinata use o  byakugan para tentar identificar onde o parasita está e da Karin para recarregar o chakra que ele perdeu.

Sasuke – E como você pode ter certeza disso assim tão rápido ? – Esse infeliz está me desfiando na frente do nosso cliente eu não acredito nisso.

Saito – Eu confio cegamente na Flor de Konoha e mesmo que ela esteja errada agora sei que vai continuar tentando.

Tenten – Chupa essa Sasuke – Acho que ela queria sussurra, mas todos nós ouvimos e Sasuke a fuzilou com os olhos enquanto a Hinata, Ino e até o Seya tentavam segurar a risada. Estranhamente a Karin ficou quieta.

Seky – Não acho que eu possa está errada Sasuke se até você mesmo pode conferir o meu diagnostico – A sala caiu em um silencio total.

Ino – Como assim testuda o Sasuke não tem nenhuma habilidade medica – Ela falou olhando para me como se tivesse crescido um terceiro olho na minha testa.

Seky – Nenhuma habilidade medica é necessária para confirmar o que eu digo, basta vocês ocultarem o chakra e senti apenas a do paciente, então vocês logo perceberam que o chakra dele está sumindo aos poucos enquanto ouro chakra estranho permanece inalterado do corpo dele.

Saito – Incrível, eu não esperaria nada menos da Flor de Konoha – O senhor Saito exclamou com brilho nos olhos.

Karin – Se é uma coisa tão simples de ser descoberta por que ninguém havia descoberto ainda ? – A Karin levantou uma ótima questão e sem deboche nem ironia, essa garota estava realmente muito estranha, eu responder à pergunta dela, mas a Hinata foi mais rápida.

Hinata – Deve ser por que os médicos estavam confiando apenas nas habilidades medicinais deles, veja bem, não é que eles sejam ruins, mas eles estão muito acostumados a dependerem apenas da medicina e quando surge um problema que de início não vai precisar da medicina é como se eles encontrassem uma grande barreira quando na verdade a situação é bem simples. – Caralho a Hinata seria uma ótima sensei sem dúvidas explicou divinamente bem.

Ino – Ou seja, o problema é a arrogância, irônico não – Ela falou olhando diretamente para o Sasuke, pelo visto isso vai dar problema.

Seya – Uma coisa que Sakura-Sama não é – Oi como assim ele está me elogiando na frente de todo mundo, senti meu rosto queimando de vergonha.

Seky – Hinata, Karin podem fazer o que eu pedi ?

Hinata – Tudo bem, vamos lá

Todos se encaminharam para o quarto do paciente que aliás eu ainda não sei nome desse cidadão e talvez seja melhor assim, na verdade as minhas experiências do passado me dizem que é melhor assim.

Seky – Primeiro a Hinata tenta localizar o parasita e depois a Karin renova a reserva de chakra do paciente. Hinata eu vou querer que você der o máximo de detalhes que consegui. – Ela apenas concordou e se virou na direção do paciente que ainda estava dormindo.

Hinata – Byakugan, Sakura tem alguma coisa perto do coração e se parece com uma cobra pequena.

Seky – Tente me dar mais detalhes Hinata – Falei impaciente.

Hinata – Espere só um momento, ok, parece uma cobra pequena de duas cabeças que tem um lado perto do coração e outro está em cima de uma linha de chakra depois que o chakra passa por essa cabeça ele começa a falhar com se a cabeça estivesse comendo o chakra – Ela disse concentrada, as notícias não eram nada boas pois do jeito que aquela cobra estava parecia mais uma bomba armada interrompo meus pensamentos com o grito da Hinata – PUTA MERDA – Ela grita e cai de bunda no chão e eu saio correndo para ver se ela estava bem.

Seky – O que aconteceu ? – Digo tentando levanta-la a bixa era magra mais era muito pesada aposto que era por causa dos peitões.

Hinata – Sakura eu acho que essa coisa olhou para me – Ela falou tremendo e um arrepio desceu pela minha espinha indo até o rego do cú.

Tenten – Isso não parece nada bom

Ino – Pode apostar que não.

Saito – Meu filho tem salvação ?

Seky – Vamos conversar lá fora por favor, enquanto a Karin recarrega o chakra dele por assim dizer.

Karin – Mas ele tem que me morder e vou precisar de ajuda – Ela falou com cara de nojo, mas não contestou o que eu falei e agradeci mentalmente por isso.

Seky – Sasuke vai te ajudar.

Ele não gostou nada, mas também não me contestou, saímos para o corredor e fomos direto para a sala em completo silencio.

Hinata – E então Sakura as coisas são tão graves assim ?

Seky – Vou ser sincera com todos vocês, a situação não é das melhores por que o parasita se encontra de uma forma bem delicada como se fosse uma bomba pronta para explodir caso a gente tente tirá-la de forma errada.

Saito – Então tire aquela coisa da forma certa – Ele falou de forma alterada, nem parecia o senhor educado de momentos antes. Esse velho é muito idiota mesmo.

Ino – Calma aí coroa não é bem assim que as coisas funcionam – Ino já estava se irritando.

Seya – Vamos acalmar os ânimos aqui por favor, brigar agora não vai adiantar de nada, vamos deixar a Sakura-Sama continuar por favor.

Saito – Me desculpem.

Seky – Ok, Como eu estava dizendo vamos ter que descobrir primeiro como retirar o parasita de forma segura e é provável que a taxa de sobreviventes não seja alta principalmente no começo, o melhor que podemos fazer é ir recarregando o chakra deles para impedir que morram antes da cirurgia.

Saito – Pelo visto não temos outra opção – Nesse momento a Karin e o Sasuke chegam na sala.

Karin – Então o que perdemos – Era impressão minha ou aquela puta estava com os lábios inchados e a roupa mais amarrotada do que antes ? Não acredito que nem respeitaram alguém que estava à beira da morte aí que ódio.

Seky – Você vai para o hospital comigo e com a Hinata enquanto o Sasuke e Tenten vão atrás dos parentes das vítimas para ver se eles estiveram em algum lugar em comum onde poderiam contrair o parasita e a Ino vai fazer pesquisa para ver se acha alguma informação sobre o parasita e no caminho explicamos tudo – Falei de forma fria encarando a Karin que pareceu se encolher diante do meu olhar.

Seya – Eu gostaria de me juntar a vocês Sakura-Sama três cabeças pensam melhor que uma e tenho certeza que comigo lá vocês terão carta branca no hospital – Ele disse tudo sem me olhar, em vez disso estava fuzilando o Uchiha com o olhar, é parece que eu não fui a única a ter notado o que aqueles dois estavam fazendo antes de chegarem.

Saito – Insisto que fiquem hospedados aqui na minha humilde residência.

Ino – Que de humilde não tem nada. - sussurrou. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e não deixem de comentar.

Vão me desculpando aí os erros ortográficos.
Bjos !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...