História Jargot -We Don't Love Anymore - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Jared Leto, Margot Robbie
Personagens Cara Delevingne, Jared Leto, Margot Robbie, Personagens Originais
Tags Cara Delevingne, Jared Leto, Jargot, Margot Robbie
Visualizações 58
Palavras 1.718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello pessoitas!!
Desculpinha por não ter postado o capítulo antes, sorry. Bom, mas espero que esse capítulo recompense o atraso, ashuashua.
Antes que leiam, eu já vou logo avisando que esse capítulo contém "HOT"
«Boa leitura!» 💘

Capítulo 11 - Love Me Harder


Fanfic / Fanfiction Jargot -We Don't Love Anymore - Capítulo 11 - Love Me Harder

"Me diga alguma coisa, eu preciso saber, depois me deixe sem fôlego, e nunca me deixe esquecer.

...

— Então apartir de agora, você será responsabilidade minha. Minha garota, minha garotinha má! —Beijou-me fortemente, e me empurrou contra o sofá.

— Mesmo? —Perguntei num tom de voz sexy

— Sim, porém deverá total obediência ao seu "Daddy", caso queira ficar comigo! —Sorri ao vê-lo se chamar por esse nome.

— Eu não estou brincando, caso contrário será punida! —Respondeu mordendo o lóbulo da minha orelha.

— Tudo bem ! —Respondi, e em seguida dei um beijo em seu pescoço

— Você esta merecendo umas palmadas por isso, neném. —Sorriu

Narrariva ON/ Hot : 🌚

Já sentada no sofá, Margot cruzou suas pernas, a loira olhou intensamente para o moreno, e os dois mantiveram uma troca de olhares inexplicavelmente forte. Margot fazia uma cara maliciosa, e o mais velho retribuía. Jared aproximou-se de Margot, logo em seguida tirou sua blusa. O moreno passou as mãos nas coxas de Margot, logo em seguida roubou da mesma um beijo voraz e quente, passando sua língua bravamente na cavidade quente e úmida da mesma. Jared levou sua boca até o lóbulo dá mesma, dando uma leve mordidinha que arrepiou o corpo de Margot por inteiro, e em seguida sussurrou em seu ouvido:

—Você quer brincar comigo, neném?

A loira mordeu seu próprio lábio com as palavras desferidas da boca do maior.

— Eu adoro brincadeiras, Mr. Jar-ed —Falou trêmula

Após as palavras da loira, Jared começou a dar leves chupões e mordiscadas no pescoço de Margot, enquanto a mesma se contorcia no acento largo e fofo. Jared deitou-a no local, tirando suas roupas com voracidade e sem nenhuma cautela. Para ele pouco importava se rasgasse a peça, ele estava louco, impregnado com o perfume de Margot e atordoado pelo mesmo. Após a retirada de suas vestes, Jared logo retirou o sutiã de Margot, descendo seus beijos numa trilha até os seios da mesma, que suspirou e em seguida soltou um leve gemido ao sentir sua parte sensível ser tocada e beijada pelo maior.

—J-Jared...

— Parece que já temos um vencedor. —Após falar isso, Jared olhou-a sorrindo com malícia

— Idiota — Resmungou a loira, ao perceber que ele estava certo.

Jared por fim retirou as vestes que ainda lhe restavam, e rapidamente tirou a calcinha de Margot, assim ficando despidos. Beijou-a e logo em seguida a penetrou, começando assim os movimentos de vai e vem, proporcionando sensações incríveis para loira que tombava a cabeça para trás por conta do tamanho prazer que sentia. Depois de um tempo, os dois chegaram ao seu ápice, e Margot jogou-se ao lado do moreno com a respiração ofegante.

— I-isso foi.. muito bom, Jad —Disse a mesma, com uma voz falha e ofegante

Ele olhou-a sorridente e também um pouco ofegante e falou:

—Com toda certeza, minha pequena.

Beijou a mesma, e em seguida colocou-a no colo, levando-a até seu quarto, deitando-a na cama, e por fim deitando-se em seguida. Ele a abraçou e dormiram. Daquele jeito mesmo, sem cobertor, somente com o calor dos corpos um do outro.

Narrativa OFF

No dia seguinte...

Margot

Ainda com os olhos fechados passei a mão sob a cama, e não senti nada fora as cobertas, logo levantei da cama percebendo que Jared não estava lá.F ui ao banheiro fazer minhas higienes, e logo em seguida voltei para o quarto vestida numa camisa de Jared, que estava em cima da bancada. A camisa em mim ficava longa, era como se fosse um vestido. Ele não estava no quarto, então resolvi procura-lo pela casa. Logo quando cheguei a cozinha, senti o cheiro de panquecas, olhei para o lado e vi-o cozinhando alguma coisa.

—Bom dia...—Falei me aproximando ao mesmo que estava de costas, e virou-se.

— Bom dia, neném. Dormiu bem? —Sorriu virando uma panqueca em um dos pratos que estavam acima da bancada.

— Claro. —Falei e ele abriu outro sorriso dessa vez sorriu com malícia.

— Você cozinha? —Perguntei impressionada com a virada da panqueca no prato.

— Às vezes, muito raramente. Resumindo, eu sei me virar na cozinha. —Sorriu

— Uau, estilo marido típico. —Sorri

— Já que casar? —Me encarou sério, e arqueou a sobrancelha.

— Não, eu me referi a sua noiva.

— Da para esquecer ela um pouco? —Falou num tom de voz um pouco mais firme

— Desculpa, mas voltando ao assunto eu não sabia que você cozinhava !

— Ainda não sabe de um monte de coisas sobre mim, baby. Eu não sou tão assim como você pensa! —Respondeu ainda concentrado na comida.

O encarei, e ele falou rapidamente.

— Você vai saber depois... —Falou e rapidamente desviou o assunto. —E então, como foi a sua noite, baby? —Sorriu com malícia, colocando a outra panqueca no prato.

— Sensacional —Respondi enquanto observava o mesmo colocando o suco nos copos já separados. Tão prestativo.

— Seu novo vestido? — Brincou ao perceber, que eu estava usando uma de suas camisetas.

— Talvez... Ficou bem? —Falei e ele sorriu

— Você ficou bem com ela, mas fica melhor sem —Respondeu

— Tarado! —

Logo depois nós comemos e em seguida, coloquei a louça suja na pia, quando estava retornando ao quarto, vi Jared vindo em minha direção.

— Margot... Eu preciso que você saiba de uma coisa. —Deu uma pausa rápida, eu o encarei e então continuou — A nossa relação por enquanto fica em segredo, você não poderá contar a ninguém. Certo? — Me encarou

— Eu sei! Porque esta me dizendo isso?

— Por confirmação, mesmo. —Me agarrou

— Que horas são? —Perguntei enquanto coçava os olhos.

— Espera —Tirou o celular do bolso e me mostrou a hora. 7:30.

— Meu Deus, eu tenho que ir para casa.

— Por que? A empresa não é de 8:40? Ainda temos uma hora e meia. —Fixou-me

— Sim, mas eu estou dividindo o apartamento com a Cara, e eu não avisei nada a ela do tipo que não iria dormir em casa.

— Você não deve satisfação a ela —Me deu um beijo rápido

— Mesmo assim... Depois eu tenho trabalho.

— Argh, tudo bem. Pega suas coisas, eu te deixo em casa —Soltou-me de seu abraço

— Eu vou ficar com saudades...—Falei baixinho

— Não se preocupe, nós ainda vamos nos encontrar muitas vezes, neném . —Sorriu

Fui em direção ao quarto do mesmo, peguei minhas roupas espalhadas pelo chão e em seguida fui ao banheiro coloca-las, arrumei o meu cabelo e voltei a sala. Jared estava sentado no sofá, mexendo no celular, mas quando me aproximei ele levantou-se.

— Vamos? —Perguntou, e eu assenti com a cabeça

Saímos da casa de Jared, e fomos até o carro. Minha bolsa estava no banco, então eu peguei e resolvi olhar o meu celular, haviam mais de quarenta ligações perdidas de Cara, fora as mensagens, foi então que eu resolvi responder as mensagens que ela havia me mandado. Apenas falei que já estava chegando. Jared dirigiu por mais alguns minutos, até chegar numa esquina próxima ao meu apartamento. Não queríamos levantar suspeitas. Dei um beijo forte nele, e em seguida sai do carro, ele foi embora depois.

Andei poucos metros até chegar no meu apartamento, logo subi o elevador, e ao chegar na porta, tentei abrir o mais leve possível para não acordar Cara que provavelmente agora estaria dormindo a essa hora. Tirei os meus tênis com cuidado, colocando-os em qualquer cômodo da casa. Corri para o chuveiro, para tomar uma ducha e me arrumar para ir ao trabalho sem que Cara note nada. Tomei uma ducha pouco demorada, em seguida me enrolei em uma das toalhas secas que estavam em cima do balcão do banheiro e fui até o quarto. Assim que abri a porta encontrei aquela aberração da Cara sentada na minha cama, me fixando assim que entrei no quarto.

— Que foi? —Perguntei a mesma que fez uma expressão de brava.

— O que foi? Você me deixou aqui sozinha, e não respondeu nenhuma das minhas mensagens, eu fiquei preocupada com você. O que você acha que foi?

— Calma, também não é para tanto. Achou o que, que eu tivesse morrido?

— Não sei, eu fiquei preocupada com você, poxa! Custa nada me enviar uma mensagem avisando que não vinha?

— Eu não sabia, poxa. Meu celular descarregou, desculpa tá?

— Sei... Mas eai, saiu com quem, hein? —Aproximou-se de mim

— Eu sai por aí... Vou trocar de roupa —Falei

— Ah você não vai me enrolar Baby. Conta, conta, conta, vai Mag. —Fez bico —Era bonito? Gato? Gostoso?

— Safada !

— Olha quem fala. A maior safadona, aí depois diz que sou eu. —Sorriu

— Como assim olha quem fala?—Perguntei sem saber

— O seu pescoço já diz tudo, Mag, não adianta esconder.

— Quê? —Corri para o espelho ver o que havia. Assim que olhei vi algumas marcas. — Putz...

— Algo para sua defesa agora, Marg? Hein? Hein? Hein?

— Nada a minha defesa — Sentei na borda da cama, fazendo bico.

— Eu tô esperando —Sentou ao meu lado na cama. — Eai a noite foi boa? Muita audácia?

— Pode crer ! —Suspirei

— Eu já até sei com quem foi, essa sua carinha de apaixonada não me engana. Que coisa feia, Margot pegando o seu novo chefe. O que tem a dizer sobre isso ? —Perguntou posicionando a minha frente.

— Eu não tenho nada a dizer. E você não pode contar nada para ninguém sobre isso, ouviu bem? —Fixei a de imediato

— Tá bom, tá bom, pode deixar... pelo menos você se divertiu! Humm danada, pegou o "chefinho".

— Cala a boca, Cara!

— Agressiva. Você sabe que eu não vou contar nada! —Resmungou

Deixei-a falando sozinha, e fui correndo pegar uma roupa que não aparecesse nenhuma marca, para ir o trabalho. Me arrumei rapidamente, e logo em seguida voltei ao quarto, para apressar Cara, que já estava pronta e continuou a me aperriar, e eu acabei contando.

— Tudo bem, você venceu Cara. —Falei revirando os olhos

— Nós estamos meio que "ficando" seria o certo. Eu estava me sentindo uma completa vadia, mas agora eu não me importo mais. Eu o amo, e creio que isso é mais importante que qualquer coisa que possa nos distanciar. Foda-se se eu estou a parecer uma vadia, eu não me importo caso eu realmente seja.

— Aw, eu queria um relacionamento desses. Queria alguém que me amasse também. —Fez bico

— Você vai encontrar. Mas, ei você não pode contar isso que te falei a ninguém. Você sabe que é a pessoa quem eu mais confio aqui. 

— Prometo!


Notas Finais


Obrigada pela leitura! Espero que tenham gostado.
* Créditos a essa pessoita que escreveu o hot @UmArmyCryBaby
«Eu sempre esqueço de perguntar isso, mas vocês shippam "Cargot"?
Se sim, ultimamente eu andei escrevendo algo sobre Cargot, caso vocês gostem, talvez eu possa disponibiliza-la. O que acham?«
Kisses 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...