História Jargot -We Don't Love Anymore - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Jared Leto, Margot Robbie
Personagens Cara Delevingne, Jared Leto, Margot Robbie, Personagens Originais
Tags Cara Delevingne, Jared Leto, Jargot, Margot Robbie
Visualizações 81
Palavras 1.671
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello Aliens.
Desculpem-me por ter ficado um tempo mais ausente para postar capítulos. E que eu acabei ficando "dodói", contrai uma alergia, que acabou me deixando sem tempo para criar capítulos novos, mas eu já estou melhorando.
Aaah, e sem esquecer que hoje é um dia especial "Niver da Caraa"❤
Então eu arrumei um jeitinho para postar, kisses e boa leitura!

Capítulo 12 - Property of Jared


Fanfic / Fanfiction Jargot -We Don't Love Anymore - Capítulo 12 - Property of Jared

4 dias depois...

Margot

Minha rotina seguiu normal, durante esses dias. Estive trocando falas com Jared, mas nada de tão "especial". Ele estava quase sempre ocupado, e a tal noiva dele, estava sempre por perto. Não foi nada por mal, mas eu não estava mais conseguindo olhar tão seriamente para ela. Estive sentindo um pouco de vergonha sobre minha atitude, mas sem nenhum arrependimento, pois tenho certeza que se ela estivesse em meu lugar faria o mesmo.

Nesse exato momento estou indo até a sala de Jared, eu não sei pelo qual motivo estou vindo aqui, deve ser algo de importante para ele ter me chamado, pois nós não trocamos muitas palavras no expediente. Dei algumas leves batidas na porta, e em seguida entrei. Ele estava sozinho na sala como de costume. Sentei-me na cadeira em frente ao mesmo e então ele falou:

— Eu consegui —O olhei com uma expressão confusa, e ele logo continuou o que estava falando. — Eu disse que iria te deixar sob o meu controle, e então.

— Você conseguiu? —O observei séria

— Eu sempre consigo o que quero! —Sorriu

— Não acha que esta sendo modesto de mais? —Falei, e ele sorriu em seguida

— Agora teremos mais tempo para nos encontrarmos, sem que alguém estranhe ou pergunte algo. —Disse sério

— E como você conseguiu?

— Eu estive precionando o "velho", (Rick) durante os quatro dias seguidos. Não foi nada fácil fazer com que ele aceitasse, mas nada com que eu não conseguisse.

— Mais alguém sabe disso fora nós, e Rick?

— Saberão. Achei melhor falar isso agora com você, antes do outros. Eles irão convocar uma reunião, e avisar a todos, não se preocupe. Eu estou resolvendo tudo!

— Obrigada! —Sorri para o mesmo

— Você vai me recompensar por tudo isso não vai?

— S-sim

— Não vai demorar muito tempo, para nós "encontrarmos" novamente, só nós dois, não se preocupe.

— Vai demorar quanto tempo?

—Já estive providenciando isto e vai ser o mais breve possível, querida.

— Tudo bem...

— Ah, e mais uma coisa que eu havia esquecido de falar. Eu prometi a Rick que faria você aceitar o book.

— Quê? Como assim? Não era você que estava querendo que eu não fizesse, me dando todos o motivos para não fazer, e agora... —Ele me interrompeu

— E você não vai fazer o book, relaxe. Eu falei isso para causar mais impacto, para que aquele velho cedesse logo.

— Entendi...

— Você não sabe o quanto foi difícil. Para eles você é como uma Audrey Hepburn, em questões de personalidade no caso: Grandiosa, lucrativa, atrativa e elegante.

— Não sabia que era tudo isso.

— Pois é, esse é o motivo pelo qual eles vivem a enchendo o tempo inteiro. Querem lucrar mais com você.

— Idiotas —Resmunguei

— É o que toda empresa faz Margot, mas mal sabem eles o que lhe aguardam!

— O que você esta tramando? —Hesitei, arqueando as sobrancelhas

— Uma coisa um tanto "suja", e que você irá me ajudar.

— Eu não faço ideia do que você quer que eu faça.

— Aqui não é o lugar certo para falarmos sobre isto. E mais, não é para agora, é algo um tanto demorado, mas nem tanto. Algo que precisa de tempo para ser completamente executado, caso contrário dará errado.

— Isso não vai ser nada bom. —Resmunguei

— É claro que vai. Você nem escutou o plano ainda, iremos nos dar muito bem.

— Se é o que você diz —Falei um pouco desinteressada

— Na hora do "almoço", você irá sair comigo. Iremos almoçar em algum restaurante por aí, e te contarei mais sobre o que quero.

— Eu vou aguardar —Falei enquanto me levantava da cadeira.

— Eu não mereço nem um beijo, depois disso?

— Aqui não! —Sorri para o mesmo que revirou o olhos, e em seguida sai da sala.

O que será que ele estava tramando agora? Com certeza é algo importante, ele não se arriscaria por algo que não o importasse, ao menos é o que penso. Esbarrei com Katherina, enquanto caminhava até a sala onde estavam me esperando. Me desculpei, e a mesma, apenas assentiu com a cabeça e provavelmente seguiu caminhando até a sala de Jared. Voltei com as minhas obrigações no trabalho, e quando estava ficando próximo da hora do almoço, recebi uma mensagem de Jared. "Estou te esperando na esquina ao lado. Esteja lá em cinco minutos." Cara me tirou dos pensamentos, ao me ver guardando o meu celular na bolsa, e me arrumando rapidamente.

— Vai almoçar com alguém ? —Me encarou

— Aham. Você sabe com quem é. Eu preciso ir!

— Sei sim. Se for dormir fora me avisa, tá bom?

— Eu vou voltar logo —Sorri para a mesma e logo sai.

Caminhei até a esquina ao lado, eu não estava vendo o carro, foi quando meu celular tocou e então eu atendi : "Eu estou atrás de você". Foi então que eu olhei para trás, e me deparei com Jared sorrindo dentro do carro. Logo fui até lá, e entrei no carro e ele deu partida.

— Pensei que você não estivesse por aqui. —Sorri e ele correspondeu

— E te deixaria esperando?

— Não sei, acho que sim ou talvez...

— Eu sou uma pessoa de palavra, quando falo que estou, eu realmente estou.

— Não me diga — Brinquei, e em seguida perguntei — Onde está ela?

— Deve estar lá na empresa.

— Pensei que ela viesse também!

— Porque eu a traria, se eu estou saindo com você?

— Achei que fosse um almoço comunitário. Ela não desconfia disso?

— Eu falei que não seria. Você tem que confiar mais em mim. —Disse com firmeza — Claro que não desconfiou, eu sou bom em desculpas.

— E o que você disse dessa vez?

— Vou sair para almoçar com a banda, não quero ser interrompido.

— Você é tão mau! —Dei uma pequena risadinha

— Você ainda não viu nada, neném. —Beijou-me o canto dá boca e eu o beijei

Trocamos alguns beijos mesmo ainda no voltante, mas logo pedi para que ele se concentrasse na direção. Em poucos minutos chegamos ao restaurante. Nós descemos e em seguida entramos no lugar imenso, Jared já havia feito nossa reserva, logo a moça nos levou no lugar mais afastado. E em seguida sentamos nas cadeiras ao redor da mesa.

— O que quer pedir? —Me encarou

— Você pode escolher por nós dois — Falei

— Hum... Tudo bem —Analisou o cardápio — O que acha de Berinjela em crosta de pistache?

— Tudo bem, mas eu não costumo comer comida vegana.

— Acho que você vai gostar, ou quer pedir outra coisa?

— Pode ser isto mesmo.

— Ok. —Chamou o garçom e pediu os pratos acompanhados por vinho.

Logo o garçom voltou com o vinho, serviu em nossos copos, e saiu.

— E aquele tal assunto que você falou que iria me contar quando estivéssemos em outro lugar?

— Ah sim, eu já estava me esquecendo. —Tomou um gole rápido de seu vinho e continuou — Iremos fazer uma coisa suja mas acalme-se, irá valer a pena.

— O que nós vamos fazer? —Perguntei com receio

— Simples, iremos tirar a maioria do lucro da empresa, ver os pontos fracos e depois criar uma concorrente, deixando-a para baixo.

— Como um golpe?

— Se você optar por chamar assim, tanto faz. —Bebeu outro gole do vinho

— Isso... Isso é tão cruel por um lado, mas por outro é completamente fascinante.

— E você vai me ajudar com isso, não vai?

— E-eu não faço ideia do que fazer.

— Logo você vai saber. Não é muita coisa, você vai conseguir.

— Hum... —Tomei um gole em meu vinho, e em seguida

— Você é muito boa! Se parasse de pensar nos outros, e que no que eles irão achar de você, veria a vida de um outro lado. Onde você é a principal. Eles não tem piedade, qualquer oportunidade de te colocarem para baixo é valida, fazem assim até conseguir. —Falou sério, me encarando a todo momento.

— E você esta fazendo igual. Não acha?

— Talvez, mas eu não quero colocar ninguém para baixo. Pelo contrário, não sabia que uma empresa era um ser vivo.

— Ta bom, Jared chega. Quando você começa com uma coisa... —Ele me interrompeu

— Eu a elaboro até conseguir. —Completou o que eu estava falando

— Retirou as palavras de minha boca.—Falei e em seguida tomei um rápido gole do vinho

Logo o garçom trouxe a comida, e serviu a mesa. E nós comemos, sem trocar uma palavra se quer. Logo quando terminamos, Jared pediu uma sobremesa, e enfim voltamos a dialogar.

— Quando voltarmos a empresa, haja como se nossa conversa de agora não tivesse acontecido. Você esta feliz por seu novo chefe.

— Eu sei o que fazer sozinha Jared, não precisa ficar sempre relembrando.

— Precaução nunca é de mais.

O garçom trouxe a sobremesa, nós comemos e Jared pediu a conta e pagou-a.

— Vamos! —Pegou em minha mão, me conduzindo de fora do restaurante até o carro.

Agora estávamos dentro do carro, Jared estava destruibuindo beijos por todo meu pescoço, e eu estava delirando com as mãos bobas do mesmo. Até que o telefone de Jared tocou, e eu vi que era ela, vi que era Katherina que estava ligando. Ele atendeu, e eu fiz um cara emburrada, que logo voltou ao normal quando percebi que ele estava alisando o meu braço. Quando desligou o celular, guardou o telefone e deu partida no carro. Eu não perguntei nada sobre, afinal eu não tenho nada ver com ela, meu assunto é com ele.

— Nos vamos voltar para lá agora. Marcaram outra reunião de imprevisto. —Falou e eu assenti com a cabeça — Eu te ligo quando for para nos encontrarmos novamente

— Humrum

Assim que voltamos até lá, descemos do carro, eu entrei por outro lado, agindo como se nada tivesse acontecido. É estranho pensar que em algum dia eu estivesse fazendo algo como isso, mas o que nós não fazemos por amor? E pensando no lado bom de tudo isso, é até divertido fazer coisas fora das pessoas saberem, sem o entendimento deles. E onde percebemos até onde podemos chegar com o que fazemos.


Notas Finais


Espero que tenham tido uma boa leitura!
Kisses 😉💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...