História Jason The ToyMaker: Jet Black Heart - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Originais
Tags Creepypasta, Jason The Toymaker, Jeff The Killer
Exibições 22
Palavras 967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 7 - Capítulo 7


Estava no meu quarto lendo um dos montes de livros que tinham em uma espécie de estante em "meu" quarto.

Romance, e um ótimo por sinal. Não sei se é de Jason - oque acho muito pouco provável - se ele ganhou ou comprou para mim. Mas se for dele mesmo, ele tem um ótimo bom gosto.

Apesar de que, não o imagino lendo um livro de romance. Se fosse seria algo como, ele de sentar em uma poltrona em frente à lareira lendo em paz e tranquilidade.

Gargalho com meu pensamento. - Não, isso é impossível. - digo entre risos segurando o livro contra o peito.

- Tão agitada desde de manhã, realmente não sei oque fazer com você querida.

Arregalo os olhos e viro rapidamente minha cabeça em direção a voz.

E senhoras e senhores, lá estava ele, escorado na porta com os braços e as pernas cruzadas me observando com sorriso zombeteiro.

Seguro o livro com mais força e o encaro. - A quanto tempo está aí? - pergunto, querendo e não querendo saber a resposta.

Ele ri. - A meu bem, a muito tempo.

Arregalo os olhos. - Mas eu só acordei faz pouco tempo.

É, eu ainda estava usando o vestido de ontem, e eu tinha a impressão de que meu cabelo estava horrível.

- É, pois é, você se mexe muito enquanto dorme, sabia? - diz Jason pensativo.

O encaro horrorizada. - Você me observou dormir? - saio mais como um miado do que como uma pergunta .

- Ah querida, não é a primeira vez que eu faço isso. - Jason se aproxima lentamente a cama onde me encontrava, e chega bem perto de mim. - E não vai ser a última. - sussurra em meu ouvido.

Um arrepio me sobe a espinha e solto um gritinho.

Jason sorri de lado. - Você sabe muito bem, que era eu que te abraçava a noite.

Realmente, eu sabia, mas tinha medo de admitir.

- Adoraria fazer de novo, e não tem nada que me impeça. - ele segura uma mecha de meu cabelo.

Puxo o ar pra dentro.

- Seu cabelo está todo embaraçado. - examina o cacho. - Vamos, vou pentea-lo.

Solto o ar que estava prendendo e o encaro. - N-não precisa, eu posso fazer isso.

Seus olhos ficam daquela cor novamente, ele parece irritado.

Acho melhor não contaria-lo

"Cê ainda acha?"

Hum... Não, tenho certeza.

Engulo em seco.

- Não disse que você podia escolher ou não, disse? - aperta a mecha que ele tinha pegado.

- Não. - sibilo.

- Ótimo. - Jason sai da cama e pega um escova que estava sobre a penteadeira.

Jason senta novamente na cama. - Fique de costas para mim Sofia. - ordena.

Com medo, obedeço.

Sinto suas mãos pegarem delicadamente uma mecha de meu cabelo. Então ele começa a pentea-lo.

Não sentia dor, nem puxões. Jason fazia isso de maneira delicada, afetuosa e até possessiva. Diria eu.

Começo a pensar um pouco.

O que ele quer dizer com se tornar minha boneca?

Eu ainda não sei dizer. É algo complicado, como assim boneca? Bom, ele já está a me tratar como uma, isso é uma verdade inegável.

Jason tem um temperamento estranho, uma hora está feliz, outra com raiva. Não sei como consigo dizer isso dele, em tão pouco tempo, mas é o que a aparenta.

Bipolaridade é um bom ponto.

Mas, eu não acho que seja realmente isso. Jason só fica irritado quando toco em determinados assuntos, e bom, quando não o obedeço.

Tenho medo do que ele pode fazer comigo, muito medo. Mas, ele me parece tão gentil, afetuoso e, é como se ele fosse... Meu porto seguro...

Não! Deixe de pensar besteiras Sofia!

"Isso você já faz o tempo todo amor."

É culpa sua!

"Ué, minha?"

Sim, você que fica plantando essas coisas na minha cabeça.

"Essas crianças de hoje em dia, vou te dizer viu."

Sinto algo quentinho tocar minha cabeça, e fico estranhamente relaxada. Começa a acariciar minha cabeça. Sinto encostar algo em meu pescoço...

Jason!!

Solto mais um gritinho.

Ouço uma risada e sinto sua respiração em meu pescoço. Eu quero afasta-lo, mas não sou louca ao ponto de fazer isso, ele vai me matar se desobedecer mais alguma ordem dele.

Jason está muito, tipo muito perto de mim, estou quase sentada em seu colo.

- Adoro seu cheiro, framboesa e chantilly. Tão doce que sinto vontade de morde-la.

Prendo a respiração. Jason nota é ri de novo.

- Jason, posso te perguntar algo? - digo enquanto ele ainda cheirava meu pescoço.

- Hum... Depende da pergunta. - ele pega o meu pulso delicadamente.

Eu arfo sem querer.

- Esses livros... São seus?

Ele ri. - Não, não gosto desse gênero. Comprei-os pra você.

Arregalo os olhos. - Pra mim? - repito atônita.

- É, não gostou? - toca meus braços.

- Na verdade, eu amei. - olho pro lado, tentando desviar qualquer tipo de pensamento.

Sinto-o sorrir.

- Por que os comprou pra mim? - pergunto calma, o mais calma que posso.

Ele perto de mim assim, tira minha concentração.

- Por que você é minha boneca Sofia.

E só minha. - diz.

Jason me joga deitada na cama e fica por cima de mim segurando meus pulsos.

Sinto meu rosto arder.

- O-obrigada. - balbucio ofegante.

- A muitas maneiras de me agradecer.

Não se importa se eu pegar por conta própria, se importa Sofia? - Jason tem um maldito sorriso zombeteiro.

Arfo de novo.

Ele relaxa os olhos. - Vou encarar isso como um não.

Jason se aproxima de mim vagarosamente, sinto seu alito em meu rosto. Tão bom...

"EITA CARALHO!! VAI ROLAR PEGAÇÃO! TIREM AS CRIANÇAS DA SALA! esta cena não é recomendada para menores de 18 anos, contém: linguagem imprópria, e relações sexuais implícitas. *Imitando voz da mulher que fala isso.*"

Jason encosta seu nariz no meu.

Minha respiração está acelerada, não consigo raciocinar direito. Nunca fiz isso antes.

Isso que dizer... Meu Deus! Meu primeiro beijo vai ser com meu sequestrador?!

"Um bofe assim a gente não encontra em qualquer lugar, aproveita mona! Vai lá!"

Jason aproxima seus lábios dos meus.

E...

- DING DONG! - ouço a campainha tocar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...