História Jay Park x Me - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Personagens Jay Park, Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Diário, Drogas, Hip-hop, Jay Park, Rapper, Romance, Show
Visualizações 59
Palavras 1.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Festa, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem mas não achei uma imagem com o Jay pra esse momento, mas tenham imaginação <3

Capítulo 7 - Noivos?


Fanfic / Fanfiction Jay Park x Me - Capítulo 7 - Noivos?

Lá estava eu, dentro do abraço de Jae pensando em como de repente aquele homem tinha virado a minha vida de ponta cabeça em apenas um único dia, era como se o tempo voasse, mas também desacelerasse quando estamos perto um do outro, é difícil explicar, é como se apaixonar acho que isso é o mais próximo de uma explicação que posso chegar. Estávamos a caminho do hotel quando vi pela janela uma festa de rua que muito se parecia com “São João”, mas essas festas costumam acontecer em Junho ou Julho e agora estávamos em Novembro.

 – O que está acontecendo ali? São João essa época do ano? – Perguntei ao motorista.

– É o tema – Ele riu – Mas é só a semana cultural desse ano – Explicou o motorista.

O transito estava lento, então eu abaixei o vidro do carro a festa estava muito animada o som das musicas e as risadas das pessoas era tão alto que dava para ouvir mesmo de longe e não demorou para que sentimos o cheiro das ‘bebidas e comidas’ tradicionais, que despertaram curiosidade em Jae que logo me olhou com uma cara de “Será que eu posso?” me fazendo rir instantaneamente.

– Quer conhecer um Brasil que só quem mora aqui conhece? – Perguntei a Jae.

– Claro, devemos aproveitar quando a chance aparece. – Disse Jae abrindo um sorriso.

Eu e Jae saímos do carro o motorista estacionou em um lugar que segundo ele era fácil de achar mesmo se estivéssemos bêbados hahaha, o clima estava fresco e agradável como qualquer noite de verão em São Paulo, mas tenho certeza algo além do clima deixava aquela noite cada vez mais especial.

– Menina que arraso de vestido! – Uma voz falou para mim e eu logo me virei pra ver quem era, e pra minha surpresa era uma drag maravilhosa que eu tinha certeza que já tinha visto em algum lugar, meu deus era a Lorelay Fox.

– Meu Deus Lorelay tudo bem?

Rimos e conversamos muito e ao contrário do que imaginei Jae se enturmou muito rápido o que deixou tudo muito mais interessante e divertido a maior parte do grupo falava inglês e a grande verdade e que todos os brasileiros quando estão bêbados falam “inglês” hahahaha. Nos bebemos juntos eu e Jae, a famosa Catuaba de açaí foi o que ele mais gostou não demorou muito ate que estivéssemos muito ‘alegres’ eu não parava de rir e ele não parava de repetir que tinha atravessado o mundo pra me ver.

Tinha uma banda tocando as mais variadas musicas, eu e Jae dançamos juntos do sertanejo ao funk todos ali dançavam com a gente se tem algo que brasileiro sabe fazer muito bem é festejar. ‘Jae ficava tão lindo bêbado’ era só o que eu pensava hahaha, e foi ali em meio aquelas luzes e bandeirinhas que Jae me puxou para um abraço e ainda rindo disse no meu ouvido.

– Eu pensei em como seria quando eu te encontrasse durante meses sabia. – Disse Jae.

– Eu também. – Disse e sorri.

– Você alguma vez imaginou algo parecido com isso? – Perguntou Jae me olhando.

– Não, nunca. – Respondi.

– Parece mágica não é? – Disse ele lendo meus pensamentos e eu apenas assenti – É por isso que eu preciso dizer algo..

– Jae.. – Minhas mão começaram a soar e eu a ficar nervosa, afinal nunca tínhamos dito aquelas três palavras um pro outro, meeu deus meu coração disparou e ele apertou ainda mais o abraço eu podia sentir sua respiração e tinha quase certeza que Jae podia sentir, quase ouvir meu coração que tentava sair do meu peito hahaha. – Jae.. – Tentei continuar.

– Shhhh, eu quero ser o primeiro a dizer. – Disse ele, e por mesmo que eu não estivesse olhando em seu rosto eu tinha certeza que ele estava com aquele sorriso. Eu afundei meu rosto em seu peito, ele colocou algumas mechas de cabelo para trás e chegou perto do meu ouvido.

– Eu te amo. – Disse Jae.

Não é exagero, minhas pernas ficaram meio moles hahaha, se a gente ia lembrar disso no outro dia não importava porque esse momento, aqui e agora, era perfeito.

– Pessoal se preparem pra quadrilha agora. – Alguém gritou chamando a atenção de todos.

Olhei para Jae como uma criança que pede um doce hahaha.

– A gente precisa participar. – Disse sorrindo e puxando ele para a roda que se formava.

– Participar do que? Você sabe que eu não entendi o que ele gritou né?  – Ele riu enquanto me seguia.

 – É só fazer igual os outros é fácil. – Disse e dei selinho nele, ele sorriu.

– PRIMEIRAA VEZ QUE VEJO UM COREANO DANÇANDO QUADRILHA! Eles têm que ser os noivos – Um dos caras que estava falando com a gente um pouco antes gritou hahaha.

– Noivos? – Jae disse.

– Faz parte da brincadeira – Expliquei a Jae.

A ultima vez que eu tinha dançado quadrilha foi no colégio, por obrigação, a professora disse que valia parte da nota, hoje eu me sentia orgulhosa de mostrar um pouco da cultura do meu país a alguém que eu gostava, mas isso é algo que a gente só entende quando cresce. Como eu odiei fazer aquelas pintinhas com lápis de olho na 5º série e hoje achei que ficou uma graça quando uma garota sorridente e meio hippie as desenhou no meu rosto hahaha. Foi com toda a certeza umas das coisas mais divertidas que já fiz era simples e não conseguíamos parar de rir, e se tem algo dessa noite incrível que eu nunca vou esquecer é de quando passamos pelo túnel ao final da quadrilha, Jae segurava minhas mãos e logo que saímos do túnel ele me puxou para um beijo, eu estava meio bamba por causa do álcool, mas ele me segurou firme pela cintura.

– Vamos pra casa? Eu já estou cansada. – Disse a ele.

– Vamos amor. – Ele segurou minha mão e depois de nos despedir andamos em direção ao carro.

O motorista nos levou ao hotel novamente chegamos por volta das 02:00 da manhã, e Jae ainda no clima da brincadeira quando saímos do elevador me pegou no colo.

– É tradição o noivo levar a noiva no colo – Disse Jae quando eu tentei descer.

– A quadrilha já acabou Jae. – Disse a ele sorrindo, ele estava meio bêbado e eu estava em seu colo hahahaha.

Entramos no quarto ele me deixou descer, fechou a porta atrás de mim e deixou que seus lábios encontrassem os meus e suas mãos desceram de meus cabelos para o zíper do meu vestido.

– Este vestido ficou lindo em você, mas eu ainda prefiro você com uma de minhas camisas. – Disse Jae abrindo o zíper do meu vestido.


Notas Finais


Obrigada por me lerem meus amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...