História Je t'aime - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Catarina Loss, Church, Clary Fairchild (Clary Fray), Elaine Lewis, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Lady Camille Belcourt, Lily, Luke Graymark, Magnus Bane, Maia Roberts, Maryse Lightwood, Raphael Santiago, Rebecca Lewis, Simon Lewis
Tags Saphael
Visualizações 57
Palavras 1.599
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Saga, Slash
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu não postei antes porque acabei gripada e não estava chorando pelo capitulo mas pela luz do pc mesmo então, super desculpa pelo atraso mas fiquem felizes porque estou vivíssima, mas depois desse cap talvez não por muito tempo
Eu não vou dizer pra vocês não me odiarem, vocês vão...
a música é Je t'aime de alguém que eu não sei quem é mas que eu conheço na voz da Lara Fabian e que me inspirou como nome dessa história... (ela tem traduzida no YouTube e talvez vocês dariam outra visão pra ela mas eu simplesmente achei que se encaixava no geral então)
só leiam as notas finais e não desistam de mim

Capítulo 19 - Je t'aime


A primeira coisa que sinto é dor.

Espalhada por meu corpo, tudo dói enquanto me esforço pra abrir os olhos, um peso quente sobre meu corpo, um aperto em minha mão. Abro os olhos e observo a imagem borrada na minha frente pouco a pouco se transformar no teto do quarto de Lilly, eu reconheceria aquelas estrelas mal pintadas em qualquer lugar.

Viro o rosto para o peso quente em minha mão e dou de cara com Izzy, dormindo como um anjo em uma posição muito desconfortável, sua mão agarrada a minha como se a mesma fosse sua linha vital e tento sussurrar seu nome, minha voz fraca, mas ainda suficiente para que suas pálpebras tremam levemente antes de se abrirem e seus olhos focarem em mim.

- Graças a Raziel você acordou Simon, quando te encontramos você tava sangrando e desmaiado e o Magnus te curou mas mesmo assim você não iria acordar e ninguém sabia mais o que fazer...- sua voz fica pouco a pouco embaçada pelas lagrimas que ela tenta segurar e depois de algumas palavras apenas não consigo entender o que ela tá falando mas mesmo assim aperto sua mão que ainda segura a minha, esperando que isso dê suporte suficiente a ela, algum consolo.

- Ei Isabelle, o que aconte...- a voz que veio de repente da porta entre aberta para no meio da frase e mesmo com dor viro para encontrar Alec parado, parecendo quase... assustado?

- Você acordou.- Yeah, ele definitivamente está assustado se seu tom de voz é qualquer indicação.

- porque a surpresa?- pergunto, minha voz ainda muito arranhada, a garganta apertada de sede e Alec entra no quarto, deixando a porta totalmente aberta.

- Izzy, acho melhor dar água pra ele.- ela levanta rapidamente, caminhando para fora do quarto, provavelmente em direção a cozinha.

- ela não te falou?- aceno com a cabeça que não, afinal apesar de tentar o discurso da Izzy foi no mínimo incoerente.

- Quando te encontramos você tava sangrando muito, machucado demais pra o próprio bem e desmaiado, fizemos de tudo que poderíamos fazer, primeiros socorros mundanos, Magnus e sua magia mas você simplesmente não iria acordar...- ele para, respira fundo como se tentasse de alguma forma manter uma espécie de controle que foge do mesmo e continua sua explicação.- Magnus acha que você seu corpo entrou em choque, disse pra gente dar tempo pra tudo curar.

- Não é como se tivéssemos uma opção, nada do que tentamos deu certo mesmo.- Izzy fala entrando no quarto, ela sobe na cama ao meu lado, me ajusta e me ajuda a beber a água que simplesmente parece divina em minha garganta dolorida.

- Por isso você tava aqui Izzy?- pergunto, minha voz saindo menos arranhada.

- você apagou por dias Simon... dias.- choque, essa é a palavra que pode descrever meu corpo e minha mente.

- quantos dias.- pergunto, com medo da resposta. Os dois se olham, em duvida se me respondem ou não.

- Uma semana.- Duas palavras, duas palavras que saíram da boca do Alec são o suficiente pra me colocar em estado de desespero.

- Raphael? A cura?- um sussurro é o que sai dos meus lábios nesse momento.

- Magnus perdeu muita energia, teve que parar a cura no meio mas está terminando e a qualquer momento ele estará aqui pra começar o processo.- Alec fala e olha para Izzy, em seus olhos quase vejo preocupação e o medo me corrói por dentro.

- Desde que ele saiu Simon, não vou mentir, ele piorou.- Izzy fala, sua voz tentando ser calma, como se alguma coisa pudesse ser calma em um momento como esse.- Achamos que é porque você enfraqueceu então ele não teria mais como ter energia o suficiente.- Alec completa e sei que Isabelle vai repreende-lo por ser quase mal com suas palavras, me sento o mais rápido que posso com dores disparando por todo o meu corpo.

- O que você pensa que tá fazendo?-  A voz de Magnus é poderosa dentro do quarto, sua aparência impecável apesar das olheiras sob seus olhos e em sua mão um pequeno frasco brilhante e prata, parecido com o que eu acredito que seriam lagrimas de unicórnios se eles existissem.

- eu, eu preciso tá do lado dele Mags... por favor pai?- minha voz é dolorida e vejo seu rosto sair da raiva para dor e amor de uma forma que eu apenas vi ser dirigida ao Raphael antes, amor para um filho.

- Alec, você pode ajudar ele? Acho que tê-lo no quarto pode fazer mais bem que mal para o Raph.- Alec me ajuda a levantar e depois de 10 passos e quase 4 quedas ele desiste de me apoiar em seus ombros e me levanta em seus braços no velho estilo de noiva  como se fosse a coisa mais normal a ser feita naquela situação. Mortificação é a palavra da vez, sinto meu rosto ficar vermelho mas não reclamo pois sei que assim chegaremos no quarto do outro andar.

D'accord, il existait d'autres façons de se quitter

Quelques éclats de verre auraient peut-être pu nous aider

Dans ce silence amer, j'ai décidé de pardonner

Les erreurs qu'on peut faire à trop s'aimer

 

Chegamos lá rapidamente, Alec me coloca sentado na cama de raphael do lado livre, Raph ainda na mesma posição em que estava antes de eu ser levado, seu corpo se possível ainda mais pálido e magro, seus lábios antes avermelhados estão brancos... ele quase parece morto.

- segure a mão dele simon.- Agarro sua mão como se minha vida dependesse disso, o que de certa forma é verdade, e sinto seu pulso, lento pelo vampirismo e ainda mais lento por seu envenenamento em meus dedos, minha linha de vida ali em minhas mãos, fecho os olhos e não consigo não pensar em todos os nosso momentos, em tudo que fizemos de bom e de ruim pelo outro, nesse momento, com suas mãos entre as minhas sei que nos perdoamos por tudo.

D'accord la petite fille en moi souvent te réclamait

Presque comme une mère,

tu me bordais, me protègeais

Je t'ai volé ce sang qu'on aurait pas dû partager

A bout de mots, de rêves je vais crier

Magnus despeja lentamente as “lagrimas de unicórnio” na boca de Raphael, seu corpo convulsiona e depois paralisa mais uma vez e logo as mãos de Magnus estão sobre seu corpo, ondas de magia sobre o latino deitado imóvel

Je t'aime, je t'aime

Comme un fou comme un soldat

comme une star de cinéma

Je t'aime, je t'aime

Comme un loup, comme un roi

Comme un homme que je ne suis pas

Tu vois, je t'aime comme ça

As palavras em uma língua desconhecida escorregam pela boca do Magnus, dançam por nossos corpos, a magia em cada som enche o quarto quanto sua magia brilha, grita e se expande em torno de todos nós que estamos aqui e agora, mas tudo que posso me agarrar é a aquele pulso em meus dedos que pouco a pouco acelera, quase como se acompanhasse o meu coração que se sente como se fosse sair do peito a qualquer momento.

D'accord je t'ai confié tous mes sourires,

tous mes secrets

Même ceux, dont seul un frère est le gardien inavoué

Dans cette maison de pierre,

Satan nous regardait danser

J'ai tant voulu la guerre de corps qui se faisaient la paix

Em minhas memórias tudo que posso pensar é em nosso momentos sombrios e brilhantes, tudo que me fez querer estar ao lado dessa pessoa quase machucada demais pra amar.

De repente tudo para, a luz, as vozes a magia, abro meus olhos que não sabia que tinha fechado, mal ouso respirar olhando para o corpo ainda inerte na minha frente.

- Raphael?- Seu pulso que tinha acelerado apenas em no ponto certo enquanto a magia corria por suas veias vai ainda mais veloz, rápido demais pra ser normal e então por um segundo para, sinto meu coração parar junto com o dele apenas para voltar quando sinto mais uma vez sua pulsação em seu braço.

- deu certo?- O sussurro de Alec parece longe nesse momento, desvio os olhos do Raphael por apenas um momento para ver Alec no chão com o feiticeiro em seus braços tremendo pelo uso excessivo de magia.

- não sei, Simon?- sinto seus olhos em mim quando desvio mais uma vez para o corpo que ainda não dá sinais e tremo ao não conseguir sentir a pulsação lenta em minhas mãos.

- Não, não, não, não pode ser...- ainda segurando seu braço me jogo em seu peito ignorando a dor que dispara por todo meu corpo, meu ouvido diretamente em seu coração esperando uma coisa, qualquer coisa... qualquer coisa que nunca vem.

- Raphael? Raphael, você não vai me abandonar agora Raphael. EU TE PROIBO DE ME DEIXAR ASSIM RAPHAEL SANTIAGO, não agora... não antes de eu te dizer...- as lagrimas não me deixam falar, a dor em meu corpo é nada comparada a dor no meu coração, sacudo seu corpo apesar de saber que ele não vai responder, que ele nunca mais vai responder.

- você não pode ir antes de eu te dizer que te amo.- falo sobre seus lábios antes de beija-los uma ultima vez, os frios, rachados e sem vida lábios do meu grande amor.

Je t'aime, je t'aime

Comme un fou comme un soldat

comme une star de cinéma

Je t'aime, je t'aime

Comme un loup, comme un roi

Comme un homme que je ne suis pas

Tu vois, je t'aime comme ça.


Notas Finais


EU SEEEEEEIIIIII, que tal guardarem as armas e facas? Se me matarem não terão o ultimo capitulo... sim, essa é a minha defesa.
amanha mesmo, se tudo der certo, eu postarei o ultimo cap dessa história e vamos sentar e ter uma conversinha sobre Mercy e Je T'aime ok?
Talvez possam acalmar o coraçãozinho de vocês com essa noticia: a musica tema do ultimo capitulo será uma musica da Disney, mais especificamente "A dream is a wish your heart makes."
até lá
bjos...
novamente, não me matem... odiar pode mas matar não.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...