História Jeff the killer em amor ou ódio? - Capítulo 106


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer
Tags Diabolik Lovers, Jeff The Killer
Exibições 52
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 106 - Apreciando a vista?


( Patrícia Narrando )

Acordei em um quarto branco, bem iluminado, minha cabeça ainda doía e minha vista estava muito pesada o que piorava minha situação. 

- merda! - resmunguei sentindo mais dor por ficar sentada, minha cabeça parecia que iria explodir - onde estou? 

- está na minha casa, mas você está no meu espelho dimensional da Luz - disse Smile - tome esse remédio para a dor, talvez ajude 

- quanto tempo dormir? - disse 

- dormiu por 3 dias - disse Smile - não consegui acorda-lá durante esse tempo, você estava em um sono profundo , se lembra de algo? 

- minha cabeça dói muito - reclamei - não consigo lembrar de como cheguei aqui 

- sabe quem são Jeff e James? - disse Smile 

- quem são esses? - disse confusa 

Eu já tinha vivido com eles para ele me perguntar? Achava tudo confuso, fora que minha cabeça doía muito. 

- quem são? - disse 

- isso você não precisa saber, é melhor esquecer - disse Smile indo até minha cama e se sentando na mesma - durma um pouco, deve esta cansada e o remédio irá lhe ajudar a dormir 

- mas, eu não estou com sono - disse - já dormir o suficiente 

- precisa descansar - disse ele - se deite e durma, logo logo irei lhe acordar para comer algo

O mesmo saiu de meu quarto, aquilo tudo era muito confuso para mim, não sabia onde estava, apenas lembrava de meu nome, e que eu o conhecia. 

( Smile Narrando )

Patrícia perdeu a memória como planejado, tudo estava saindo como ordenado, Slender não seria capaz de feri-lá ja que a mesma não lembra nem de Jeff ou de James. 

Vou a cozinha e preparo uma rápida refeição, volto ao quarto e vejo a mesma sentada em sua cama cantando. 

- Ursos dançam no ar... 

Coisas de que me lembro... 

E a canção de alguém... 

Foi no mês de dezembro.. 

Dias de felicidade... 

E os cavalos na tempestade... 

São imagens a dançar.. 

Que eu posso recordar.. 

Dias de felicidade... 

E os cavalos na tempestade... 

São imagens a dançar.. 

Que eu posso recordar.. 

Muito tempo passou.. 

E o fulgor da lareira.. 

Na memória ficou.. 

Disso eu sempre me lembro... 

E a canção de alguém... 

Foi no mês de dezembro...  - cantou a mesma sem notar que estava lhe observando 

Aquela era a mesma música que cantei para ela quando tinha 2 anos e a mandei para aquele casal, ela sempre se acalmava quando ouvia minha voz. 

- como lembrou disso? - perguntei 

- sempre ouvia alguém cantando para mim - disse ela - era você que cantava para mim? 

Sempre cantei para Patrícia, mesmo ela sendo um ser de luz, nada iria me conter de ve-la, seus sorrisos inocentes a mim, suas risadas, eram tudo o que eu queria e teria apenas para mim, mas o tempo quis brincar com minha cara e nos separou, ela foi para a Alemanha onde la conheceu o Jeff e ai você já sabe o resto. 

- eu pensei que você nunca tinha prestado atenção - disse coçando a cabeça envergonhado 

- eu sempre ouvia - disse ela - adorava ouvir o som da sua voz, era grave e suave ao mesmo tempo

- e a sua sempre suave e aguda - disse ele 

- você não me respondeu ainda quem é Jeff e James - disse ela mais confusa - e o que você é meu ? 

- James e Jeff são pessoas que costumávamos visitar, você é minha namorada - disse " perai de onde tirei isso? "

- sou sua namorada? - disse ela mais confusa - porque não consigo lembrar? 

- você sofreu algum distúrbio em sua mente que te deixou assim - disse 

A mesma me encarou e logo tirei minha máscara e a deixei na cama, botei meus calos para trás e a observei. 

A mesma estava corada, não sei porque sabendo que sou horroroso, não sei o que as garotas veem em mim. 

- o que foi? - disse sério 

- n.. nada - disse a mesma gaguejando 

- eu vou tomar um banho - disse me levantando e info até o banheiro de seu quarto, enquanto a água caia por meu corpo, sentia está sendo observado, olho para os olhos atentos a me observar e logo vejo Patricia mordendo os lábios, o que me faz me segurar mais pois não aguentava tão tipo de coisa. - apreciando a vista? 

- não sei do está falando - disse a mesma corando e olhando para cima 

- porque olha pra cima? - disse 

- porque não quero ver o que tem em baixo - disse ela

- e o que tem em baixo? - disse rindo de seu desespero

- algo que é provável que se eu olhar estou sendo uma pessoa suja - disse ela 

- eu gosto de pessoas sujas - disse chegando perto da mesma e me pressionando entre suas pernas - principalmente uma tão inocente 

Sua luz brilhava, eu não poderia parar, tinha que continuar para a mesma se torna e minha, segurei seus pulsos na pia a fazendo tremer. 

Cheguei perto de seus lábios, nunca havia gostado de beijar mulheres, mas ela me tentava com tudo, eu queria provar cada parte de seu corpo. 

Podia sentir sua respiração descompassada, seu coração estava acelerado, a mesma estava corada, cheguei mais perto da mesma e tomei seus lábios rosados, sentindo uma doce e suave sensação de satisfação, como uma criatura tão delicada poderia satisfazer alguém como eu que era insaciável? 

Sua pele é quente como um forno

Seu beijo é um doce açucarado

Seus dedos são como algodão

Seus beijos eram viciantes como um mais perfeito doce, pedi passagem para minha língua adentrar, a mesma consetiu timidamente e logo lhe dei impulso para subir a pia, sua mãos foram em meus cabelos o puxando, senti cada vez mais um calor diferente com aqueles lábios. 

Você cheira como baunilha

Você tem gosto de creme de manteiga

Você está enchendo meus sentidos

Com calorias vazias

Eu sinto que estou perdendo

Algo sempre que você vai embora

Você tem todos os ingredientes

Exceto você precisando de mim

Minhas mãos percorriam por suas pernas, apertando suas coxas, escuto a mesma gemer baixo e volto a apertar suas coxas grossas, nos beijavamos com ansiedade e ternura até que fomos interrompidos por uma batida na porta de meu quarto. 

Patrícia se separou de mim calmamente com a cabeça baixa e super vermelha, meu humor estava ótimo até um filho de uma puta vim e estragar tudo. 

- quem é? - disse atravessando o espelho e logo o escondendo com um pano 

- senhor Slender está aqui e quer vê-lo - disse minha empregada 

- mande-o subir - disse 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...