História Jelsa - Destinos Imortais - Ame e Alice - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 9
Palavras 999
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Terror e Horror, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 8


*~Elsa~*

                Uma mulher alta, bem alta, magra, pele cintilante está com Alice nos braços. Minha Alice.

- Por favor, deixe-a em paz. Deixe-nos em paz.

- Você deixou que ela chegasse até nós. Não pode simplesmente leva-la, não vou permitir. – Há dor na voz de Jack.

- Você não tem como me impedir.

- Veremos. – Jack parte para cima dela. Celeste bloqueia todos os seus golpes com apenas um braço, embora ele esteja sendo cauteloso isso é demais. Não temos a menor chance. Ou temos?

- É isso! – Pauso e tempo e vou até ela. Tento tirar Alice de seus braços.

- Você acha mesmo que isso irá me afetar? – Ela me dá um tapa e vou parar há quase dois metros de distância.

- Elsa! – Grita Edward.

- Ela é uma deusa. Apenas habilidades físicas de grande porte a afetarão.

- Não vim aqui para perder tempo com vocês. – Celeste dá a volta e vai até sua carruagem. Ela coloca Alice, que ainda está desacordada, em seu lado.

- Espere! Não leve Alice! – Ame suplica, mas já é tarde.

- Não acredito que deixamos isso acontecer! – Digo entre lágrimas.

- Não tinham como lutar contra ela. Seria suicídio. Vamos esperar que meu pai faça alguma coisa.

- Deryon, minha garota está com Celeste correndo perigo e quer que apenas esperemos?!

- Sim.

- Para você é fácil falar! Não a conhece, não há nenhum vínculo afetivo.

- Ame o que estou tentando dizer é que-

- Não quero saber o que tem para dizer. A não ser que seja para salvar Alice! – Ame grita com Deryon que lhe dá um soco.

- Mantenha-se firme! O que você quer? Ir até lá? E o que irá fazer?! Devemos esperar. Alice ficará bem.

- Como tem tanta certeza? – Ame se levanta.

- Intuição? – Deryon sorri.

- Vou tentar me segurar.

*~Alice~*

                Acordo no lugar onde vivia quando era estrela.

- Celeste o que pretende fazer?

- Você já sabe o que vamos fazer. – Selene está ao lado dela, mas muito ocupada para falar.

- Não faça isso. Zeus virá. Vocês irão ser punidas por isto.

- Zeus? – Dá uma longa gargalhada. – Zeus não saberá de nada o que está havendo aqui. Há séculos ele não vem aqui.

- Celeste está certa. Ele não virá. – Selene vem até mim com um pó amarelo. – Não irá doer nadinha.

- Não faça isso! – Tarde demais. Fui atingida pelo pó. Sinto minha alma desprender-se de meu corpo.

- Você pode ir despedir-se de uma única pessoal. Após ter dito tudo o que quer dizer volte, você tem apenas 2 minutos.

- Está bem. – Vagueio até Ame.

*~Ame~*

                Elsa e Jack me deixaram entrar no quarto de Alice. Entrei e tranquei a porta. Estou deitado em sua cama sentindo seu cheiro no travesseiro.

- Um homem no quarto de uma garota a essa hora? O que a vizinhança iria dizer?

- Alice?! – Arregalo os olhos. Uma moça está na minha frente. Consigo ver a parede e os móveis atrás dela. – O que houve com você?!

*~Alice~*

- Ouça. Eu não tenho muito tempo. Disseram que eu poderia me despedir apenas de uma pessoa. Zeus não veio. Quando eu voltar será para efetuarmos a troca. Por favor, ajude minha mãe e meu pai a superarem isso. Diga a todos da família que os amo. E siga em frente, mesmo sem mim. Vou estar olhando por vocês lá de cima. Quem sabe nós poderemos nos encontrar em sonhos como eu fazia com Jack e Elsa. – Lágrimas caem. Jack e Elsa. Nunca tinha chamado eles pelo nome.

- Alice, por favor, não desista. Lute! Persista! Eu sei que você conseguirá detê-las.

- Não há tempo! Temos até a meia noite, caso passe do horário a troca será irreversível. Ela está me puxando. Preciso ir. – Sinto a força de Selene me arrastando de volta.

- Alice! – Ouço o grito de dor dito por Ame. Meu coração se parte.

- Eles não poderão ajudar você. Até a meia noite a transição terá se completado. As memórias de uma irão para a outra, mas as memórias antigas que pertencem a vocês jamais serão esquecidas.

- Por favor, não façam isso. Eu lhes imploro! – Mais lágrima.

- Para de choramingar. Ser deusa não é algo ruim. – Diz Celeste, a pessoa que está desistindo de ser deusa.

                Uma memória aparece. Estou vendo na perspectiva de Celeste. Um mortal. Ela está se envolvendo com um mortal. Celeste teve um bebê deste mortal. Ele é tão lindo. Posso sentir o tamanho da afeição que ela sente por ele. Zeus aparece. O que ele está fazendo?

- Não! Não leve meu bebê de mim, por favor! Eu imploro!

- É isto que acontece quando se envolve com mortais, Celeste. Seu filho saberá apenas que a mãe o abandonou. Ele irá odiá-la para sempre.

- Por favor não!

                Volto a minha realidade e, olho atônita para Celeste.

- Você teve um filho, mas Zeus o tirou de você.

- Sim. – Ela assente.

- Eu pude sentir o tamanho da sua dor. Você pretende voltar para encontra-lo?

- Sim. Quero ter uma vida ao lado de meu filho. A vida que me pertencia.

- E você vai ficar bem mesmo que Elsa e Jack sintam a mesma dor que você?

- Sim. – Percebi uma certa incerteza em a voz.

- Não há outro meio? Você acha que seu filho iria aceitar o que você está fazendo?

- Ele irá compreender que o que fiz foi por amor. Zeus não me permite vê-lo. Quando eu me tornar Alice Snow poderei me comunicar com ele. Seremos felizes.

- Enquanto minha família sofre? Eu vi o que você passou. Poderia ter lutado contra Zeus para obter o direito de criar seu filho, mas no fundo sabia que o melhor para ele seria longe daqui. Mães sempre sabem tudo.

- Escuta, Alice. Nada do que você disser me fará mudar de ideia. Nada.

- Irei continuar a persistir. Até o último segundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...