História Jikook Talvez o amor seja pecado - Capítulo 20


Escrita por: ~ e ~jinkookiev

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 107
Palavras 2.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei pouco tempo milagre!!! Quer dizer ... foram 6 dias mas em fim
Eu sei ... esta pequeno ;-; comparado ao numero de palavras dos outros capitulos mas se querem capítulos mais frequentes tem que ser assim.
Espero que gostem e ate as notas finais <3

Capítulo 20 - Revelações


Fanfic / Fanfiction Jikook Talvez o amor seja pecado - Capítulo 20 - Revelações

Ambos corriam até a porta de entrada, com a preocupação de sempre olhar para trás para ver se vinha alguém atrás deles. No momento em que chegaram do lado de fora, Jungkook puxou Jimin pela mão fazendo ele ir de encontro ao seu peito e o abraçou como se nunca o tivesse abraçado. As lágrimas ainda saiam do olhos de Jimin e ao sentir aquele abraço, o medo que tivera a minutos atrás desapareceu. Só havia ele e Jungkook ali. Ou eram o que eles pensavam. Era já de noite e como o hotel era bem famoso, havia muita gente ali, que enquanto passavam por ali olhavam para eles, de modo estranho.

-Pensei que iria te perder. - fungou - Por favor Jimin na próxima não me ignore e não faça aquilo que eu digo para você não fazer. - o abraçou ainda mais forte escondendo o seu rosto no seu pescoço.

-Desculpa kookie, devia ter te dado ouvidos e não ignorado. - abaixou a cabeça arrependido pelas suas ações.

-Está perdoado meu amor, - desfez o abraço e fez um pequeno carinho nos seus cabelos - só vamos embora daqui que tem muita gente olhando para nós. - deu uma pequena risada pegando de novo na sua mão pequena e o levando para dentro do carro onde tinham mais privacidade.

-Aigooo - passou a mão no cabelo rosado e desceu até a sua bochecha onde fez um carinho com o polegar - Como são capazes de machucar este mochi lindo. Tão perfeito - falou a meio de uma mistura de sentimentos ao observar o seu rosto sereno sem imperfeições. Jimin corou com a sua fala desviando os olhos. - Não desvie os olhos! Olha para mim.

Jimin hesitou um pouco mas acabou por o encarar. Terminaram por sorrir um para o outro e Jungkook encostou delicadamente os seus lábios nos dele num beijo transbordando sentimentos. Apenas aproveitando o macio que eram ambos os lábios. Jungkook sabia que aqueles lábios pertenciam só a si. Só ele os podia tocar, morder, chupar e fazer mil e uma coisas. Afastou os rostos e o encarou.

-Eu te amo Hyung.

-Eu também te amo Kookie.

 

(…)

No dia seguinte, depois de dormirem na casa de Jin, Jungkook conseguiu convencer Jimin a voltar para casa, mas o que preocupava Park nesta situação toda é que Jeon não fazia a mínima ideia do que lhe esperava dentro de casa. E tinha muito medo que ele visse com os seus próprios olhos o horror.

Chegaram na porta de entrada e o coração do rosado quase saltava do seu peito para fora pelo medo. Havia demasiadas probabilidades do que podia acontecer ali, naquele dia. E isso lhe trazia muito medo pois seu pai era um homem imprevisível. Respirou fundo e rodou a maçaneta quase como em câmara lenta e atravessou a mansão tremendo, além de que Jeon estava nem ligando para aquilo. Precisamente quando entraram, o celular de Jimin começou a tremer e o nome de Alien apareceu na tela iluminada.

-Oie Taehy--

-Jimin você precisa sair de casa AGORA! - Jungkook fez sinal com gestos dizendo que ia a casa de banho desaparecendo da sua visão.

-Taehyung? Por quê? O que foi?

-Não dá explicar por aqui mas sai de casa rápido!! Fujam!

-Mas que porra está acontecendo?

-É o seu pai! Ele já sabe sobre a vossa rela---.

Uma mão segura seu celular o atirando brutalmente para a parede. Jimin olhou para seu pai completamente assustado e horrorizado. E ficou pior quando ouviu passos se aproximarem. Uma aflição atingiu o seu corpo e uma enorme vontade de chorar apareceu. Podia acontecer de tudo a ele mas que não incluísse Jungkook no assunto. E era isso mesmo que iria acontecer, Jungkook já estava incluído.

-Jungkook, meu filho venha aqui abraçar o seu pai. -Min ho abriu os braços com o maior sorriso falso que podia mostrar e Jungkook olhava toda a situação sem entender. Jimin o olhava fixamente e por dentro estava aflito. Ele conseguia ver isso. Deu um passo a frente na direção deles, mas quando o fez a cara de Jimin piorou como se tivesse a dizer para não aproximar de jeito nenhum. E travou na hora.

-O que foi Jungkook? Há algum problema? Por que não quer abraçar o pai? - Jeon não sabia o porquê, mas a cara dele estava a lhe dar muito medo e com Jimin ao lado lhe olhando daquele jeito não era fácil. Entretanto, Jimin mexeu se dando a intenção de que iria até Jungkook mas Min ho o interrompeu.

-Ou fique quieto ou vai ser pior para você. - Min ho abaixou os braços e agarrou o pescoço de Jimin com força.

-JIMIN! - Jungkook mais uma vez ameaçou se aproximar mas o olhar de Min ho o interrompeu.

-J-jungkook n-não se …. a-aproxime. - disse com dificuldade. O ar fazia lhe falta e tentou sair do aperto mas infelizmente não conseguia. O físico de seu pai era perfeito, todos os dias ia a academia e era um homem que centenas de mulheres caiam aos seus pés.

-Larga o Jimin! - não sabia o porquê daquele homem estar a reagindo assim. Nunca o tinha visto daquele jeito. Sempre mostrara que era um homem calmo e sereno.

-Por que meu filho? Quem se importa com este nojento?  - sim aquele olhar era perturbador como se tivesse a olhar para um psicopata. Porém estava vendo Jimin sofrendo, e aquilo doía como nunca.

-Eu importo. - escolheu o enfrentar apesar de ser a pior escolha da sua vida, e como era. Jimin arregalou os olhos coisa que era difícil fazer. O seu corpo estava pesado e a sua visão estava completamente distorcida. Seria o seu fim ali? Teve um alivio quando já não sentia aperto nenhum, mas o seu corpo foi jogado para o chão como um objeto e limitou se a tossir quase rasgando a sua garganta.

-Pois claro que se importa! …Vocês são irmãos não é mesmo? - Foi se aproximando de Jungkook e cada passo que dava em direção do mesmo, Jungkook recuava. E assim terminou quando as suas costas bateram na parede e viu que já não tinha saída.

-S-Sim.

-Então é mentira estas fotos? - Min ho retirou do seu paletó algumas fotos e nelas mostravam as cenas após terem saído do prédio onde ocorreu o acidente com o Moonbin. Nas duas fotos estavam eles se beijando. E foi ali que o chão caiu para ambos. Como se o oxigênio daquela sala tivesse desaparecido por momentos.

-Agora me diz Jungkook …. Vocês namoram? - Jeon ficou sem fala. O que iria fazer? Jimin viu a aflição dele para responder e decidiu intervir.

-Para! Deixa ele em paz!

-Calado! Quem você pensa que é para dizer o que eu faço ou não? Você é meu filho Jimin! É você quem vai herdar a minha fortuna e vai ser o próximo chefe da Ásia e arredores. Eu podia te dar tudo o que quisesse, era só me pedir. Você podia ser ator, modelo, jornalista. Mas preferiu andar por aí como um vagabundo e ainda por cima ser gay? Nojento. Você é como os outros da sua espécie que estão a mais neste mundo. Meus filhos são homens que gostam de mulheres! Não são viados!

-Já chega! - as lágrimas já escorriam pelas suas bochechas ao ouvir palavras tão fortes vindas do seu próprio pai - Nós somos pessoas normais! Só porque gostamos do mesmo sexo não significa que somos anormais ou doentes! Temos sentimentos como qualquer um, choramos, sorrimos como qualquer pessoa! Infelizmente, mesmo eu sendo assim, continuo sendo seu filho! Porque neste momento a última coisa que quero ver na minha frente é você! – limpou os olhos com a manga do casaco e voltou a olhá-lo - E sim! Eu e o jungkook estamos juntos! Nós gostamos um do outro, sentimos um carinho especial um pelo outro e eu amo ele com todas as minhas forças!

Jungkook ao ouvir tais palavras arregalou os olhos. Nunca pensara que algum dia Jimin iria acabar por revelar tudo. Esse ato que lhe deixou feliz por nunca mais ter que esconder a relação de ambos mas que iria trazer problemas para o futuro deles. E um  desses problemas seria Min ho.

-Você pensa que está falando com quem garoto imundo!? -Min ho leva a mão aos fios rosados de Jimin os apertando entre os dedos criando uma dor aguda em sua cabeça que urrou de dor.

-JIMIN! - Jungkook vai em direção ao mais velho agarrando a mesma mão que agarrava o cabelo- PARA! LARGA O JIMIN! 

-Meu senhor a polícia chegou! - um homem mais baixo que Jimin entrou dentro de casa acompanhado de um outro homem mais velho.

-O quê?? Quem chamou a polícia?

-Não sabemos meu senhor, foi uma chamada anônima. Há uma grande probabilidade de que essa pessoa sabia tudo o que se passava dentro desta casa.

-O que fazemos chefe? - O outro se pronunciou.

-Não vamos fugir, apenas vamos fingir que não se passa nada e que somos uma família perfeita não é Jimin? - perguntou com maldade na voz largando o seu cabelo. O mesmo caiu no chão sem força ainda chorando, passou as mãos na cabeça por causa da dor. Jungkook logo agarrou Jimin o abraçando com força e chorando junto. Era incrível como um simples abraço podia o acalmar tanto assim.

Enquanto Min ho saia de casa para cumprimentar os policiais, Jimin e Jungkook levantaram se, olharam um para um outro visivelmente cansados. O moreno passou os dedos ágeis no cabelo rosado o penteando cuidadosamente com a preocupação de o não magoar e sorriu doce tentando o acalmar. Que porém, na verdade, só tinha vontade de chorar ao ver o seu mochi tao frágil.

-Jimin…. Meu Jimin … -deu um selinho na sua testa lentamente- Era isto que você enfrentava todos os dias sem eu saber? Sofreu em silêncio? Não me contou nada porque tinha medo que ele fizesse alguma coisa a mim? - acenou a cabeça em afirmação, tristonho  - Por favor não faça isso de novo. Eu prefiro que me contem a verdade, independente se houver consequências ou não. Tá bom? - concordou de novo. Jeon puxou a sua mão fazendo ele bater contra o seu peito e o abraçou, o aninhando ali nos seus braços. Park afundou o rosto na curvatura do seu pescoço e fungou entrelaçando os braços na sua cintura.

-O  que vamos fazer meu amor? - Fez um carinho nos seus cabelos e apoiou a bochecha na mesma com cuidado para não magoar.

-Por agora vamos obedecer e fingir que estamos bem antes que aconteça algo pior. - falou abafado contra a sua camisa que tapava sua boca.

-Sim.. Olha aqueles dois guardas... reconhece a voz deles?

-Acho que sim, mas por quê?

-Lembra quando estávamos sozinhos na sala e nos escondemos debaixo das mesas porque apareceu alguém? Eram eles! Eles estavam a sua procura no colégio. Ou seja, o seu pai desconfiava há mais tempo sobre nós, porém, nunca teve a certeza. Só que hoje parece que alguém deu a prova concreta com as fotos.

-Voce não acha isto estranho? - levantou a cabeça o olhando com a testa franzida.

-O que?

- Sei lá! Isto tudo. As fotos …

Estavam começando ouvir vozes no fundo do corredor, por isso separaram se ajeitaram se, limpando os rosto e ajeitando o cabelo. Puseram um sorriso falso no rosto e quando a porta abriu entraram cinco policias admirando a casa a cada detalhe. Qualquer um que entrava ali pela primeira vez faziam isso, era normal.

-Há então, você é o tão falado Jimin! É mais lindo pessoalmente, sem dúvida. -Jimin agradeceu educadamente, mas Jungkook ficou com o maxilar travado na hora. Min ho observava eles para que corresse tudo bem e como queria.

-Estas crianças de hoje em dia. - riu -  Gostam de brincar e fazem chamadas falsas. Pedimos imensas desculpas senhor Min ho.

-Não é para voltar acontecer mesmo. Acho isso muito desconfortável. Pode haver muito mal entendidos entre os jornalistas e criarem boatos falsos. Já imagino como ficaria a minha reputação com a irresponsabilidade de vocês? Podia até os processar! Quem sabe. - e era assim que ele dava a volta nas pessoas e as tinham na palma da sua mão.

-S-sim claro senhor! Foi um erro gravíssimo! Nós iríamos ficar com as responsabilidades todas.

-É bom saber. Entao se não se importam.

-Oh espera appa. Lembrei me agora que temos coisas para fazer na casa dos meus amigos. -Abriu o maior sorriso falso, aquele que fazia as outras pessoas derreterem se. -Podemos ir? Porfavorzinho.- Nossa, merecia um óscar por melhor representação. Jimin sabia perfeitamente que quando estavam ao pé de outras pessoas Min ho era limitado  e não podia ser rude de forma alguma, por isso o rosado tirava vantagem disso algumas vezes. Não sempre porque no momento que chegavam em casa, era repreendido da forma pior.

-Ta ok -era nestes momentos que se provava a vitória, mas não por muito tempo. Pois no dia seguinte, Jimin ia levar com as consequências.

 

(…)

 -Jiminieeee! - Tae correu atrapalhado para fora de casa e jogou se para cima do mais baixo que gemeu de dor pelos machucados de minutos atrás. -Desculpa Chimchim! Eu estava tão preocupado com vocês! Ou melhor .. nós.

-Koookiieeee - desta vez um ser esverdeado jogou se para cima de Jungkook e ficou ali a gritar em como estava a morrer de preocupação.

-Meninos eu vou cuidar dos vossos machucados. -Jin veio a porta e por trás apareceu Namjoon e Hoseok com um sorriso singelo no rosto.

….

-Ai Ai Jin! Está doendo!

-Pare quieto, assim não consigo acabar o curativo!

-Então quer dizer que  você foi ao mercado e nos viu dentro do carro. -Concluiu Jungkook. Hoseok afirmou - Viu dois homens escondidos tirando fotos de nós. -afirmou mais uma vez. - E por que não nos disse ontem?

-Foi porque um deles me viu. -coçou a nuca - entrei em pânico e saí correndo. Mas estava preocupado que se realmente tivessem visto o meu rosto. Se eu tivesse ligado na hora daria muito nas vistas e talvez nos colocassem risco, por isso decidimos ligar no dia seguinte. Mas parece que fomos tarde demais. Me desculpa.

-Não faz mal Hoseok. Você fez o seu melhor. -fez uma pausa - Então quem ligou à policia?

- Ah fui eu. Não sabíamos o que fazer e essa foi a melhor ideia que tivemos no momento. -Disse Namjoon com um bolo nas mãos.

-Isso é para mim? -focou os olhos no bolo de chocolate e ficou com água na boca. - Posso provar? -ia tocar o bolo quando uma mão bateu na sua com força - Ai Jin Omma!

-Não vai tocar o bolo com essas mãos imundas! Vão todos lavar as mãos para almoçarmos!

O dia passou depressa com jogos e conversas aleatórias como sempre. Depois de Taehyung insistir muito com a sua mãe para que todos dormissem ali no seu quarto, finalmente acabou por ceder.

No dia seguinte todo mundo estava pronto para mais um dia de aulas mas o que Jimin não esperava era receber mais uma chamada de seu pai logo de manhã.


Notas Finais


Nao me matem cerio! ç.ç
O pai do Jimin é um fdp eu sei!
Porfavorzinho continuem a acompanhar a fic <3 Ta bom?
Aceito criticas <3 #BEIJONABUNDA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...