História Jimin e suas lembranças secretas... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bangtan, Jennie, Jimin
Exibições 23
Palavras 2.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Dúvidas e muito prazer...



continuação
 ........Novamente tirei-lhe a calcinha, coloquei um travesseiro em baixo do seu bumbum, abri suas pernas e comecei a  a lambe-la..... , lambi toda sua bundinha,  fui descendo  e fui até sua bucetinha e a lambi toda..muito... Que gostinho delicioso. Tive que parar pra tirar meu pau duro pra fora do short do pijama e voltar a chupar minha priminha linda. Mas a tentação foi tão grande que acabei ajeitando-a de ladinho, e por trás, levantei um pouco sua perna e fui enfiando minha pica em sua bucetinha  já bastante úmida com minha saliva... No mesmo instante que eu me achava um canalha, a sensação prazerosa que eu sentia me fazia continuar. Dei várias bombadas na sua bucetinha antes de tirar e gozar aparando uma quantidade enorme de porra com minha camiseta, para não cair na sua cama. Coloquei novamente sua calcinha com todo cuidado, e fui dormir... Meu pensamento era que não tinha prejudicado em nada minha menina ao fazer o que fiz. Chegou o sábado e todos haviam saído para um churrasco, eu fiquei em casa....sem interesse algum.... Achei  até que Jennie fosse também, pois saiu, mas ela chegou até que cedo, e tomando um banho veio ficar comigo na sala assistindo um pouco de TV. Ela de babydoll e recostada no meu peito, dava pra perceber que ela não usava sutiã... Tive que me controlar e desviar meus pensamentos pra não ficar de pau duro. Ao vê-la dando umas pescadas, antes que ela acabasse dormindo ali no sofá, peguei-a pelos braços e fui levando-a já cambaleando pro seu quarto. Depois de ajudá-la a se deitar, não deu nem dois minutos pra ela começar até a ressonar. Lentamente fui puxando a alça da sua blusinha até deixar um dos seus peitinhos pra fora... Chupando bem gostoso aquele biquíni rosado, novamente tive que tirar meu pau duro pra fora. Sem controle, fui capaz de tirar seu short e a calcinha pra novamente de ladinho enfiar minha pica na sua bucetinha. Só que dessa vez, cada socada que eu dava, Jenny soltava um pequeno gemido - "hummm!", hummm!","hummm!". Meu coração disparou achando que ela estava acordando. Tirei meu pau, e chamei-a várias vezes comprovando que ela continuava dormindo profundamente. Tornei enfiar meu pau e fiquei socando lentamente por vários minutos até sentir que ia gozar. ....humm, que sentimento maravilhos....fiquei ainda um bom tempo dentro dela até que me levantei e fui tomar meu banho, mas com a vontade de voltar pra lá....No dia seguinte estava tomando café, quando Jenny apareceu na cozinha e me dando um beijo:
- Tio ( devido a diferença de idade ela de vez em quando me chamava assim para me provocar ); você foi ontem a noite no meu quarto?
Cheguei a engasgar um pouco com o café:
- Ué; você não se lembra que te levei pro quarto pra você não dormir no sofá?
- Ah é!
- Porque você está me perguntando?
- Noooosssa; é que eu tive um sonho dos mais malucos.
- Pode me contar o sonho?
Ela me olhando, sorriu maliciosamente e disse:
-  De jeito nenhum; e muito pesado!
Fiquei encucado, pois do jeito que ela falou eu tinha algo haver com seu sonho "pesado". Na próxima oportunidade até achei melhor não me arriscar novamente; mas vendo-a desfilando pela casa com uma camisola curtinha que mais parecia um camisão; não resisti.  Outra noite e outra vez ..lá fui eu..., entrei no seu quarto, tirei sua calcinha e cai de boca na sua bucetinha pra deixá-la bastante molhadinha. Eu lambendo, Jenny soltou alguns gemidos... Só não parei porque via que ela continuava com os olhos bem fechados. De ladinho, comecei a meter na sua bucetinha e ela soltou mais alguns gemidos... Eu ficava parado até ela voltar a ressonar, pra continuar socando minha pica naquela valetinha apertada e quente. Cedo na cozinha, tomando meu café pra ir trabalhar, veio Jenny ainda meio sonolenta. 
- Bom dia ; dormiu bem?
- Muito bem titio; melhor ainda com o sonho que eu tive essa noite.
Evitei olhar pra ela, mas não resisti em perguntar:
- Ué; no outro dia você disse que o sonho era "pesado", e hoje você gostou?
- Hihihihihi.. Naquele dia também gostei ué; você entende o que é sonho pesado, né?
Achei melhor até não responder; pois claramente estaríamos falando de sexo. Resolvi definitivamente que não ia mais me arriscar; pois não estava entendendo direito o que minha menina sonhava enquanto eu metia na sua bucetinha com ela no seu "sono profundo". Fui pesquisar na internet o problema que ela tinha, e lendo vários artigos, acabei descobrindo que com o tempo a pessoa com a síndrome ia tendo vários estágios; e um deles, era a de sentir e ouvir o que se passava ao seu redor sem conseguir acordar por completo... Fiquei todo arrepiado em imaginar de ela ter sentido que era eu que estava abraçando-a por trás e metendo na sua buceta; mas só que ela interpretava apenas como sonho. Resolvi dar uma pausa....não queria estragar tudo...Passado alguns dias, estava ainda me controlando....não muito pois sempre que podia e estavamos sozinhos arrumava um jeito de passar a mão em sua bundinha... Só que eu não tinha mais ido ao quarto de Jenny. Foi novamente num sábado à noite, que Jenny após colocar novamente uma camisolinha bem curta veio ficar comigo na sala. Conversamos sobre vários assuntos até que ela mesma tocou no assunto dos sonhos, reclamando que fazia tempo que ela não tinha mais daqueles sonhos que ela tanto gostava... Desconfiei que ali tinha alguma coisa a mais do que eu imaginava.
- Ué ; você quer me contar alguma coisa?
- Não posso titio; só queria voltar a ter aqueles sonhos novamente!
- Aquele tipo de sonho pesado?
- É titio; pesado mas tão gostoso de sonhar.
Como Jenny falava olhando pro meu rosto e sorria, passei a achar que ela de um modo ou de outro sabia o que eu fazia enquanto ela dormia... Resolvi arriscar.
- Posso fazer alguma coisa pra você sonhar de novo?
- Hummmm... Eu acho que pode sim; ir lá fazer um pouco de carinho em mim.
Fiquei mudo, e ela levantando do sofá me dando um beijo:
- Mas não demora não, que hoje eu quero sonhar bem acordada... ( com uma carinha de safada)
Pensei com meus botões: "Caralho; e agora? o que eu faço?"... Fiquei mais perdido que "cego em tiroteio". Resolvi pelo menos ir lá dar um abraço e um beijinho de boa noite na minha filha. Entrei vendo-a deitada de lado com sua maravilhosa bundinha virada pra mim, na posiçao que eu sempre a deixava, e que mais gosto,  mostrando a calcinha. Reclinei dando-lhe um beijo no rosto:
- Boa noite ; também vou dormir!
- Não titio, não vai não, fica um pouco aqui comigo.
- Você quer que eu deite ai com você?
- Quero sim; e quero que me abrace bem forte.
Puta que pariu, era muito tentação para um homem como eu, que já era tarado por ela. Me ajeitei atrás dela fazendo conchinha e apertando-a num abraço contra meu peito.Jenny foi se ajeitando colocando e apertando seu bumbum na minha virilha. Mesmo sentindo meu pau ficando duro, fiquei somente ali travado com receio de fazer algo. Mas foi a própria Jenny que pegou minha mão que estava na sua barriga e foi descendo até colocá-la sobre sua calcinha e xotinha. Como eu continuava com medo de me atrever, ela foi capaz de colocar minha mão pra dentro da sua calcinha; ai não tive como me conter. Passei os dedos sentindo sua bucetinha ficar bastante úmida. Quando ela puxou mais sua camisola pra cima, puxei sua calcinha e ela também ajudou a tirá-la mais rapidamente. Novamente, foi Jenny quem tomou a iniciativa de pegar meu pau entre suas pernas e colocá-la bem na portinha da sua xotinha. Travei sua cintura e fui empurrando enquanto ela mexia seu bumbum pro meu pau entrar mais ainda. Comecei um vai e vem bem ritmado, e Jenny começou a gemer cada vez mais alto.
- Uuuuiiiii! Uuuuiiiiii! Aaaahhhhh! Aaaahhhhh!...
Ao dar uma parada nas socadas pra respirar um pouco, Jenny começou a jogar sua bucetinha na minha pica movimentando sua bunda pra frente e pra trás:
- Huuuuuummm! Huuuuuummmm! Aaaaaahhh! Aaaaaahhhhh!!!!!!
Era ela tendo um orgasmo gemendo como uma gatinha no cio. Gozei...gozei como nunca, foi maravilhoso, agora melhor por ser consentido...gozei  muito sobre ela. Vendo que Jenny queria continuar naquela posição sem me olhar, dei-lhe um beijinho e sai do seu quarto. No domingo, foi Jenny, que acordou bem cedo e fez o café. Ao chegar na cozinha estava todo sem jeito pra encarar minha menina, por causa de tudo que tinha acontecido entre nós dois. Novamente foi ela quem quebrou o clima vindo até a cadeira onde sentei me dando um beijo.
- Adorei ontem a noite; foi maravilhoso!
Fiquei mais descontraído.
- Gostou mesmo ?
- Nossa titio; foi bom demais.
Jenny demonstrando que estava feliz foi me contando que por duas vezes ela achou que era tudo um sonho quando eu ia no seu quarto. Mas, na última vez, mesmo não conseguindo abrir os olhos, ela sabia e sentia tudo que eu fazia com ela... Exatamente como li no artigo na internet.
Também contei porque acabei fazendo aquilo, quando resolvi examiná-la pra descobrir se ela era virgem ou não, e não resistindo tanta beleza que ela tinha em todo seu corpo... Aproveitei o embalo e perguntei:
- Com quem voce transou ???
- Com ninguem titio, eu era virgem....
- Não precisa mentir eu vi, pode me falar a verdade não  vou contar a ninguém, pode confiar.
- Nossa titio; não transei com ninguem, serio, talvez tenha sido eu mesma, sem querer
- Humm  sei...e atrás, ( falei apontando para sua bundinha linda)
- Claro que não....não é errado isso titio?..
- Se você gosta não é não!!!!...
Ela se ajeitando e sentando em uma das minhas pernas me abraçando.
- Ai ai... Nem eu acredito que estou conversando sobre essas coisas voce
Apalpei seus peitinhos e puxando-a pra ela ficar com sua bundinha bem em cima do meu pau duro.
- Tá sentindo como o titio está?
- Tô sim; sua culpa.
Ela sorriu... me dando um leve beijo na boca.
- Já estou até sem calcinha.
Levantei sua camisola confirmando e passando a mão na sua bucetinha.
- Safadinha.... já estava pensando nisso né!?
Novo beijo na boca.
- É claro; depois de ontem a noite, acordei pensando nisso aqui, ó!
Falou ajeitando as pernas pra conseguir passar a mão onde estava meu pau duro. Caralho; jamais poderia imaginar que tinha uma priminha taradinha como ela... Jennie só podia ter puxado pelo seu tio - rsrsrsrsrs.   
E Jennie, como se já fossemos amantes a muito tempo, saiu do meu colo pra abrir minha bermuda e enfiar a mão na minha cueca pra puxar minha pica... Fiquei simplesmente estupefato quando ela ficou de joelhos pra beijar a cabeça da minha pica e passar a língua como uma gatinha na sua cria.
- Nooooossa; não tô acreditando que é minha priminha que está fazendo isso!...
Ela ficando de pé, mas continuando a segurar minha pica.
- Eu sei que você está gostando titio....
E a danadinha foi se ajeitando no meu colo de frente pra mim, segurando sua camisola pra cima até conseguir colocar sua bucetinha sobre meu pau... Rebolando foi descendo e engolindo tudo.
- Hhhhhiiiiiiiii! Aaaaaaaahhhhh! Hummmmmmm!!!!!... Iiiiissso é bom demais titio!!!!!
Jennie estava superando toda minha tara que eu tinha por ela... Socou sua bucetinha na minha pica até ficar parada e me puxar pelo pescoço e me beijar introduzindo sua língua da minha boca... A danadinha estava tendo um orgasmo. Depois, Jennie saindo do meu colo, ficou do meu lado, voltou a me beijar enquanto ia tocando uma punheta em mim... Explodi num delicioso gozo, no chão da cozinha. 
Jennie voltando a sentar no meu colo e rindo:
- Não fica assustado não titio; você não imagina a vontade que eu tinha de fazer essas coisas com você.
- Mas...., você nunca tinha demonstrado tanto.
Mesmo depois que ela voltou a casa de sua mãe, Jennie e eu  sempre dávamos um jeito de "brincarmos ". Teve uma vez que estavamos jogando video game, quando sem mais nem menos ela veio e sentou em colo...mexia pra lá e pra cá...nisso, já estava completamente durasso...num desses vai e vens laterais, tirei meu mebro pra fora e ela se manteve de ladinho...pra me ajudar, acho..rs...quando coloquei na portinha ela voltou e.....que maravilha...entrou tudinho dentro dela...aquele buraquinho quente, úmido e apertadinho...nossa.. .ela só me olhou com um rostinho safadinho e contiunuou jogando...só que agora com movimentos circulares também......me deixando neste dia com muito medo, pois estava tão maravilhoso que não consegui tirar....e me acabei dentro dela....sempre que é possivel repetimos isso...mas agora, tirando antes....rs...e assim continuou, quando não dava pra ser em casa, ela fingia ir a aula, não entrava e me ligava para ir pega-la, e passavamos a tarde toda em um motel, depois ela voltava pra casa como se nada tivesse acontecido...como uma verdadeira virgenzinha...rs. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...