História Jiminie oppa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga
Tags Fluffyzão Da Porra, Papai, Spin-off, Yoonkook
Visualizações 78
Palavras 1.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Spoilers, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu devia estar estudandokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Capítulo 2 - 2. os conselhos de jung sohyun


Por Min NaEun

 

Minha prima é a melhor pessoa do mundo quando está de bom humor. Mas isso não acontece todo dia e definitivamente não estava acontecendo aquele dia, quando lhe contei que tinha reencontrado Jimin por um minuto e ela me olhou séria antes de me dar as costas e sair do meu dormitório, pegando o rumo da sua casa.

— Unnie! - chamei no meio da rua, porque a princípio não acreditei que ela estava mesmo indo embora e demorei alguns minutos para me dar conta daquilo e ir atrás dela.

— Sai daqui, Min NaEun! - ela gritou caminhando a passos irritados pela rua enquanto eu a seguia.

— Unnie! - Choraminguei. Eu havia contado para toda minha família e para Kat sobre a volta das cinzas de Park Jimin, e ninguém parecia feliz com aquilo. — Será que ninguém pode ficar feliz por mim?

— Sai. Daqui. Min. NaEun. - Repetiu pausadamente, mas continuei a andar atrás dela.

— Você vai mesmo pra casa? Mas você mora longe e já tá tarde, unnie! É perigoso! - Falei cansada.

— Perigoso é eu cometer um homicídio se ficar aqui! - Retrucou ela parando finalmente, os cachos mais espevitados do que nunca, os olhos claros me fuzilando - Ele sumiu por cinco anos! Sem dar notícias! Aí te viu por um minuto e você está aí toda trouxa por ele!

— Não estou toda trouxa por ele - grunhi chateada.

— Caralho, NaEun, eu preferia quando você era criança e resolvia seus próprios problemas em dois segundos! Agora fica ai negando a realidade! Negando que ainda morre de amores por aquele baixinho maldito! - Gritou sem ligar se estávamos no meio da rua e se haviam pessoas em volta que não eram obrigadas a ouvir seu surto.

— Eu não amo ele - falei com toda a convicção que não tinha.

— Argh! - ela voltou a marchar na minha direção, passando direto por mim e voltando para minha casa. Voltei a segui-la. — É por isso que eu gosto do Jihoon, com ele as coisas ainda são fáceis, mas vocês malditas pirralhas, ficam tornando as próprias vidas mais difíceis!

Kat unnie irritada é uma cena que eu não recomendo para ninguém. Ela é um bolinho grande parte do tempo, mas quando ela explode… Sobra até pra sua namorada, que é a pessoa mais pacífica da face da Terra.

O fato é que todo mundo tava achando que Jimin ia me fazer de trouxa de novo, que ia sumir novamente sem olhar pra trás e confesso que também estava com medo daquilo, então para me fazer acordar, Kat unnie teve um lampejo, por isso quase a meia noite lá estávamos nós duas, jogadas na minha cama de casal, cada uma com um copo de ramyeon e com ela mexendo no celular para começar uma chamada de vídeo com o tio Hoseok.

— Porque está ligando pro tio Seok? - Perguntei bem quando o homem apareceu na tela.

Hoseok não era mais jovem, agora tinha pés de galinha no canto dos olhos e alguns fios brancos.

— Kitty Kitty! - Meu tio tinha um sorrisão no rosto quando viu minha prima. — Eunie!

— Olá - respondemos reverenciando o homem.

— Tio, a Sohyun está aí? - Kat perguntou e ele acenou. — Podemos falar com ela?

— Claro, aconteceu alguma coisa? - Perguntou o homem confuso se levantando de onde estava e indo atrás da filha.

— Não, é só que a Eunie está precisando de uns conselhos - disse Kat e meu tio riu, finalmente chegando a sua filha.

Ouvimos ele pedir para a menininha parar de brincar porque as unnies precisavam falar com ela, então meu tio se sentou atrás da filha que estava emburrada por ter sido tirada de seus desenhos por nossa causa.

— Reverencie - mandou tio Hoseok e a menininha o fez carrancuda antes de se sentar no colo do pai para aparecer melhor na chamada.

— Olá - disse a pequena.

— Hyunie, a gente vai deixar você voltar a brincar já já, mas a Eunie precisa de uma ajuda antes - disse minha prima ao meu lado, depois se inclinou na direção do computador e fez uma concha com as mãos, fingindo contar um segredo — É sobre meninos.

Sohyun riu com as bochechas já ficando vermelhinhas e eu ri quando meu tio revirou os olhos da reação da filha.

— A unnie - Kat continuou, apontando para mim -, tinha um namorado que foi embora faz muito tempo e agora ele voltou.

— Jimin? - Hoseok perguntou de olhos arregalados.

— Papai! - A Jung mais nova ralhou, olhando brava para seu pai — As meninas tão conversando!

Segurei o riso, assim como minha prima.

Jung Sohyun tinha seis anos e havia sido adotada pelos meus tios quando era bebê, e agora com essa idade já vivia correndo atrás dos meninos da escola, dando uma dor de cabeça enorme ao meu tio e a Taeyang, seu irmão mais velho.

— Desculpe - disse meu tio.

— Não faz mais isso! - ela ergueu um dedinho atrevido para o pai, como quem lhe dá uma bronca. Sohyun era sua mãe cuspida e escarrada, até nas broncas que dava nos outros.

— Ok, me desculpe - disse Hoseok.

— So-yah - Katherine voltou a chamar a menininha -, ontem a NaEun encontrou esse ex-namorado e agora ela ta gostando dele de novo, o que você acha que ela deve fazer?

— Unnie! - Sohyun batia palmas, empolgada por mim e eu só conseguia rir de sua felicidade — Ele te deu bala?

Ah crianças de seis anos, achando que as pessoas só gostam uma da outra se tiver bala envolvida.

— Não, Hyunie - respondi.

— Mas ele te deu popo? - A criança perguntou e eu neguei. — Unnie, ele perguntou se você tinha comido?

Voltei a negar e até meu tio parecia confuso agora.

— Eunie ele pelo menos te deu oi? - Perguntou Hoseok e eu suspirei.

Tinha entendido onde todos queriam chegar.

Eu estava sendo trouxa, imaginando que eu e Jimin voltaríamos sendo que não tínhamos nem conversado! Parabéns, Min NaEun, pega aqui seu diploma de a+ iludida do rolê.

— Unnie - Sohyun chamou de novo e eu voltei a olhá-la pela tela -, quando os meninos gostam da gente eles dão bala, popo e perguntam se a gente comeu.

Eu havia entendido o que ela queria dizer.

Quando alguém gosta da gente, essa pessoa se importa. E não some sem dar notícia por anos.


Notas Finais


"sai daqui silvana" MELO, Katherine.
oi gente
começou meio bad?
começou meio bad
mas juro q ja ja é tudo rosas hu3
agr eu preciso mesmo ir estudar scrr


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...