História Jin the human doll - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bonecas Humanas, Bts, Deep Web, Dolls Maker, Drama, Terror
Visualizações 116
Palavras 1.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, eu catei algumas imagens dos meninos quando eram pequenos e achei essas duas. PRESTEM ATENÇÃO o Jin não é como o da capa da fic, ele é como o da capa desse capítulo. Ele tem 7 anos na história, não 25. Enfim, é isso. imaginem o Jinnie como ele está nessa foto abaixo. Bjs e comente, please.

Capítulo 1 - Adoção


Fanfic / Fanfiction Jin the human doll - Capítulo 1 - Adoção

Uma das moças que cuida de nós disse que já faz mais de meio ano que minha omma e appa me deixaram aqui. Ela diz que eles não voltarão, mas eu não acredito nisso. A omma disse que me ama. Quem ama não abandona, não é? Amanhã será o dia dos pais, estou pedindo há uma semana para o papai do céu trazer minha omma e appa de volta para mim. Eu acredito que ainda possamos passar o dia dos pais juntos. Faz mais ou menos uma semana que o meu único e melhor amigo, Tae, foi adotado. Nós ficamos tristes, não queríamos nos separar. Mas uma das moças me disse que eu deveria ficar feliz por ele, já que o Tae ficará melhor em outro lugar que não aqui. A moça diz que esse é um lugar ruim, mas eu acho bom. Ela diz que é sujo mas eu acho que é bem limpinho em vista de onde eu morava. Vez ou outra eu vejo uma das moças chorando porque não tem com o que nos alimentar. Mas eu não sinto tanta fome quanto sentia antes de vir para cá. Elas dizem que minha família é muito pobre e que por isso eu não noto a precária condição do orfanato. Uma das tias é má e diz que a minha família é tão imunda que eu nasci no meio da sujeira. O que não deixa de ser verdade… mas é uma verdade que dói, sabe? Lembro que ratos viviam em cima de mim enquanto eu dormia, já que a minha cama era no chão. Minha família é realmente bem carente, mas eu não me imposto com isso… desde que eu esteja com minha omma e appa. Já faz um tempo que completei 7 anos, a tia má diz que daqui a pouco eu estarei velho demais para alguém querer me adotar. Isso me preocupa um pouco, já que eu não sei se meus pais realmente voltarão. Eu queria ao menos que o Tae estivesse aqui comigo. Nós sempre brincávamos que eramos reis e que todo mundo viveria no nosso castelo que tem uma mesa grande e farta. Como a dos filmes das princesas! Eu adoro as princesas, mas a tia diz que é coisa de menina e que eu não posso ver. Por isso, quando as meninas se reúnem na sala para olhar… eu fico escondido, olhando junto com elas secretamente. Um dia a tia me viu e puxou a minha orelha, me levou para o quarto e disse que eu estava de castigo. Eu fiquei dois dias sem ir para rua. Mas o Tae ficou comigo, brincando com os bonecos que tem no baú do quarto. Agora eu não tenho mais com quem brincar. As vezes eu choro de saudade, mas então me contento sabendo que ele está em um lugar bem melhor agora… com a sua nova família.

-SeokJin, venha cá. Tem alguém que quer te ver. -Eu estava brincando com os bonecos em cima da cama. Mas assim que a tia me chamou, logo fui até ela, que me levou para uma das salas do orfanato. Um homem alto e de pele bem clara estava sentado no sofá. Assim que ele me viu, sorriu.- Você lembra do senhor Yoongi, SeokJin? -Ela me perguntou e eu neguei em resposta. -Foi ele quem adotou Taehyung. Esse senhor quer te adotar também. -Assim que ela disse… eu sorri de orelha a orelha.

-Eu vou ver o Tae de novo? -Perguntei, olhando para ela e para o homem.

-Se esta bela moça permitir… vai sim! Seu amiguinho está ansioso para te ver, não parou de falar de ti.

-Eu vou morar com o Tae?! -Perguntei, ansioso.

-Vai sim. -O homem respondeu. Corri até ele e abracei suas pernas, eu ainda sou bem baixo comparado a ele.

-Vá arrumar suas coisas, SeokJin. O senhor Min Yoongi quer levá-lo ainda hoje.

-Hoje?! -Perguntei, olhando surpreso para Yoongi, que assentiu em resposta.

-Precisa de ajuda? -Ele perguntou, com um sorriso sincero estampado no rosto.

-Eu acho que vou precisar. -Respondi, pegando o senhor Min por uma das mãos e levando-o até meu quarto. Me ajoelhei frente as gavetas e abri uma delas, onde estavam minhas roupas. O senhor Min ficou agachado ao meu lado, me observando de modo diferente.

-Não precisa levar muitas roupas.

-Por quê?

-Vamos comprar novas. -Respondeu, sorrindo com os olhos fechados.

-Tá bom. Eu só vou levar essas aqui então. -Disse, pegando duas camisas que meus pais me deram.

-Elas parecem bem velhas. Você não precisa disso. -Ele disse, tirando elas de minhas mãos e as colocando de volta na gaveta.

-Mas eu quero! -exclamei, pegando de volta. Ele me olhou sério, parecia um pouco enfurecido.- Por favor… meus pais me deram. -Ele revirou os olhos mas logo voltou a sorrir.

-Leve então.

 

~Tempo depois~

 

Nós passamos o resto da tarde no orfanato. O senhor Min disse que precisava acertar algumas cotas com uma das tias e por isso tínhamos que ficar mais um pouco. Assim que saímos, eu olhei para ele, que parecia não expressar mais nada. Segurei uma de suas mãos, enquanto levava a minha malinha na outra. A sua mão é grande, parece ter o triplo do tamanho da minha. Ele olhou de canto para mim, mas permaneceu sem expressar qualquer coisa. Andamos durante um tempo, até chegarmos ao metro. Quando chegamos à sua casa, ele abriu a porta e mandou eu entrar primeiro. Haviam várias portas e quartos, alguns me assustavam por mostrar sombras estranhas. A casa era escura, o piso xadrez e as portas de madeira. Ele pegou a minha mala e jogou para o canto da sala. O senhor Min praticamente me encurralou, ficou bem próximo de mim, que já estava contra a parede. Eu corri para um dos quartos, um dos que tinha sombras estranhas. Quando entrei, gelei instantaneamente. Havia uma moça… ela era pendurada ao teto por uma corrente. Seus braços e pernas foram amputados pouco acima dos cotovelos e joelhos, os seus cabelos tapavam o seu rosto mas eu podia ver as suas lágrimas. Ouvi os paços do senhor Min, logo procurei um lugar em que eu pudesse me esconder. Próximo ao canto da sala, havia uma porta… corri e a abri. Algo caiu sobre os meus pés, quando foquei minha visão naquilo… percebi ser o meu melhor amigo.

-T-Tae…? -Os seus olhos estavam completamente brancos e os seus membros foram removidos… da mesma forma que os da menina. Ele estava frio… gélido. Taehyung parecia olhar para mim com os seus olhos brancos e a sua pele que estava pálida de uma forma que nunca vi.- Tae… e-eu vim aqui te ver. -Disse, soluçando.- Eu trouxe o senhor Bob. E-ele é o seu brinquedo f-favorito,  não é? -Perguntei, olhando para o seu rosto, que me amedrontava.

-Encontrou o seu amiguinho? -O senhor Min perguntou, pondo a mão sobre o meu ombro e olhando para o Tae, que seguia sobre os meus pés.- É uma pena que durante o pós-operatório as coisas desandaram e ele contraiu uma infecção… ele teria dado um belo boy doll. Mas quem o encomendou ficará satisfeito com você… que apesar de não ser tão bonito dá pro gasto. -Ele disse, sussurrando no meu ouvido, me fazendo tremes dos pés a cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...