História Jogadas Perigosas - Capítulo 53


Escrita por: ~

Exibições 137
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 53 - Hora de contar a verdade



Joshua Kimmich pov


No estacionamento da delegacia fito meu celular aberto em um aplicativo de mensagens. 


"Já estou chegando. " - o aparelho vibra mostrando a resposta.


"Ok. Já estou aqui." - respondo.


Um carro preto de vidros escuros encosta ao meu lado. Estou nervoso mas é a coisa certa a fazer. Meu padrasto desce do veículo vestindo um jeans e uma jaqueta de couro estranhamente combinados com um óculos escuro apesar do dia chuvoso.


- Vamos até minha sala. - ele diz assim que me aproximo - Não quero nenhum paparazzi tirando vantagens do nosso encontro.


- Está bem.


Entramos pelos fundos da delegacia e Dave nos conduziu até o subsolo onde uma sala fora improvisada para sua recente investigação transferida para Munique. Na parede, mapas, reportagens, fotografias, incluindo uma da Nanda e do Hummels bastante recente.


- Joshua, antes de começarmos eu gostaria de expressar minha admiração por você. Quando eu te conheci não imaginei o quão honrado você é. Quero que saiba que está fazendo a coisa certa.


Apenas assenti. Dave me mostra o gravador e liga o aparelho. Faz sinal para que eu me sente em frente a sua mesa.


- Nome completo, idade e profissão.


- Joshua Kimmich, 22, jogador de futebol profissional. 


- Qual seu relacionamento  com a investigada?


- Ela é minha cunhada. 


- E o que o senhor tem a nos contar sobre ela?


Engulo seco. Vai ser melhor assim.


- Ela está envolvida com coisas erradas. Na verdade o pai da bebê dela está... acho que ela se apaixonou por ele e por isso se envolveu nisso.


- O que exatamente são essas coisas erradas, senhor Kimmich? - ele senta a minha frente me encarando.
Penso por alguns segundos. Não quero prejudicar a Nanda mas quero o Mats longe dela.


- Ele promove festas para os jogadores com prostitutas e drogas. Não é uma coisa de diversão. Está passando os limites. Tá colocando pessoas em risco. Na última festa uma moça teve overdose e ele a jogou num beco como um bicho. Não posso saber de algo assim e não fazer nada a respeito. 


- A Nanda sabe sobre essas festas? O quão envolvida nisso, acha que ela está?


(...)


Nanda's pov


Amanhece com uma chuva fina sobre a cidade. Não tínhamos planos de levantar tão cedo porem uma dor diferente me faz despertar.


- Que foi? - Mats balbucia sonolento ao me ver sentada a beira da cama.


- Nada, não se preocupa. 


- Vem deitar então. Tá frio.


A dor vem forte me tirando o ar. Me levanto e tento andar um pouco porem sinto o líquido da bolsa descer pelas minhas pernas.


- O que foi isso? - Mats salta da cama assustado.


- A bolsa estourou, o bebê vai nascer...


(...)


Mats pov


Nanda já está em trabalho de parto, Sophie e Suzzie estão com ela enquanto eu vim tomar um café forte e fazer uma ligação importante. 

****************
Ligação on:


- Alô.


- Tina, sou eu, Hummels. Chegou a hora. Preciso do que combinamos.


- Eu ainda não tô pronta pra isso. O bebê não era só pra daqui a um mês? - ela reclama.


- Eu preciso, o mais rápido possível. Precisa ser uma menina loirinha. Eu pago! Pago quanto for preciso mas quero você aqui dentro do hospital o mais rápido possível pra gente fazer a troca logo. Eu tenho medo que ela desconfie...


- Vou ver o que consigo no campo de refugiados. 


- Lembra que é o preço da sua liberdade...


Ligação off

***************


O oxigênio parece ter acabado no mundo. Seguro o celular na minha mão apertando o aparelho, vou voltar e ver se está tudo bem mas dou de cara com Kimmich. Ele me encara sério. Será que ouviu alguma coisa?


- E aí? - pergunto um pouco de má vontade. 


- Como ela está?


- Está com muitas dores. - fui óbvio. Queria falar o mínimo possível.


Logo ele foi embora, nós tínhamos treino a tarde mas eu consegui dispensa. No começo da noite Thayla nasceu, 51 cm, 3,550 kg... saudável, cabelos quase avermelhados de tão loirinhos. Eu seguro ela nos meus braços, usando a roupinha que comprei há poucos dias. Lágrimas brotaram nos meus olhos enquanto seus dedinhos pequeninos agarravam meu dedo.


- Ela é tão pequena. - olho para Nanda que está exausta sobre a cama.


- Eu não achei. - ela diz em tom de piada por causa da dor que sentiu no parto.


Coloco a menina nos braços dela para que possa amamentar. 


- Ei... não chora. - ela sussurra pra mim fazendo minha garganta quase fechar - Obrigada por estar aqui.


- Eu te amo. - beijo sua testa e deixo o quarto sob os olhos emocionados de Sophie e Suzanne.


No corredor deixo meu corpo escorregar contra a parede e sento no chão. Estou desesperado, tomado de tristeza. A menina é tão linda, tão pequena, tão frágil. Mas se eu quiser ficar com a Nanda, não posso criar uma criança com a cara do Schweinsteiger. Ligo para Tina.


**********************
Ligação on:


- Tina, conseguiu?


- Não. Não é simples conseguir um descem nascido morto! Ainda mais tendo essas características que você quer! Estou em contato com uma conhecida da cruz vermelha, vamos ver se conseguimos o que você quer. Eu so espero que saiba o que está fazendo porque se o Dom souber que você sumiu com a filha deles, ele vai te caçar até no inferno e te fazer engolir todos os dentes!


- E eu só espero que se lembre que o preço do seu perdão é esse bebê. 


Ligação off
**********************


Sophie abre a porta do quarto particular e vem até mim.


- Mats, eu posso passar a noite com ela. Vai pra casa, descansa um pouco.


- Obrigado, Sophie. Eu tô mesmo precisando de um banho. - sorrio e me levanto do chão. 


- Eu nunca vou esquecer o que está fazendo pela minha irmã e pela minha sobrinha.


- Eu sou louco pela sua irmã...


- Eu sei. Espero que um dia Joshua me ame assim. - ela sorri fraco e eu me despeço com um aceno. 


Manuel Neuer pov


É o final de mais um coletivo. Meus companheiros já se dirigem ao vestiário mas eu fico até mais tarde, quero treinar um pouco mais.


- Manu! Telefone pra você. - um funcionário do clube me chama do alambrado. 


Eu estranho a ligação. Minha família e amigos costumam ligar para o meu celular. Mas então num lampejo me lembro que a Nanda estava no hospital para ter o bebê. 
Será que aconteceu alguma coisa? 


Arranco as luvas e corro de encontro ao homem.


**********************
Ligação on:


- Manu, sou eu, Mesut.


- Fala nerd. Que susto! Pensei quer era do hospital. 


- Na verdadeira é quase isso.


Eu dou uma risada.


- Como assim, moleque maluco?


- Eu peguei uma ligação importante entre o Bispo e a Rainha.


- Ficou louco, Mesut? 


- Não, Manu! É importante! - diz nervoso - Eu não tenho muito tempo pra explicar. Você precisa falar com o Dom! O Bispo vai roubar o bebê!


- O que?! Você enlouqueceu.


- Não! Olha, nós precisamos dizer a verdade para o Dom, contar sobre o bebê. O Bispo pediu a rainha para trocar a criança por um bebê morto! Eu estou há quilômetros de distância! Só você pode tomar uma atitude! Só você pode salvar a Nanda agora!


- Se essa história não for verdade nós teremos um grande problema. 


- Manu, cada segundo é importante. 


- Está bem.


Ligação off
****************************


Tomo um banho rápido e deixo o centro de treinamento sem dar muita explicação. No caminho mando uma mensagem para Bastian dizendo que preciso vê-lo com urgência e descubro que está na casa dos pais na zona rural da cidade. É pra lá que eu dirijo feito um louco, com um milhão de pensamentos na cabeça. 


Quando chego dona Monika me recebe com lágrimas nos olhos.


"Será que eles já sabem?"


- E aí? - Bastian vem ao meu encontro com o rosto vermelho e cara de choro.


- Boa noite dona Monika, Basti...


A mãe dele me cumprimenta com um abraço mas sai sem dizer uma palavra.


- O que aconteceu, Basti?


- Acabamos de internar o Tobi numa clínica de reabilitação. 


- Eu sinto muito... - falo sem graça.


- Sente? Até onde eu sei, ele conseguiu a heroína com vocês!


- Sabe muito bem que isso não é decisão minha. Não sou eu que decido quais trazer para os meninos. Seu irmão pegou porque quis!


Ele bufa e ri num misto de sarcasmo e raiva.


- Então foi ela? Pra se vingar de mim, por eu ter partido?


- NÃO! Como pode pensar isso dela? - respondo com a mesma raiva e sinto os olhos do pai dele sobre nós - Ainda tem muito mais pra você chorar essa noite se não parar de agir feito um moleque! 


- Olha como fala comigo! - rosna.


- Enquanto você tá aqui acusando a Nanda pelo vício do seu irmão, ela tá deitada numa cama de hospital sem poder proteger a filha de vocês! 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...