História Jogar e fácil? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Bafo e Arroto, Banguela, Batatão, Bocão, Cabeçadura Thorston, Cabeçaquente Thorston, Dente-de-Anzol, Fúria da Noite, Melequento, Perna-de-Peixe, Personagens Originais, Soluço, Stoico
Tags Hiccstrid, Rtte
Exibições 30
Palavras 1.224
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Vortei! Espero que gostem! Boa leitura.

Capítulo 2 - Aprendendo a jogar.


Narrador on. 

Soluço montou em Banguela e os outros cavaleiros o seguiram até Berk. Chegaram por cima das nuvens, tentando não serem descobertos por Viggo ou pelos caçadores. Por sorte, nenhum dos caçadores os notou. 

- Qual é o plano? - Indagou Astrid, fitando Soluço com atenção. 

- Descer. Descobrir o que o Viggo quer. 

- E se eles quiserem atacar?! 

- Hum... ok. Vamos fazer assim. Derrubem os caçadores de modo silencioso. Depois, vamos cercar o Viggo. Não deem bandeira e não deixem ele ver vocês. Viggo é esperto. 

- Ok. - respondeu o grupo. 

- Esperem... vão. 

Devagar, cada um dos caçadores foi desaparecendo. E, quando Astrid foi atacar o último caçador, Viggo a pegou. 

-Esperta a tática Soluço! - Falou apontando a faca para a garganta de Astrid. Tempestade ia atacar, mas Soluço a segurou. 

- Não Tempestade. Cavaleiros, abrir armas. 

Desde das facas de Melequento, até os espinhos afiados de Tempestade, o grupo estava armado. 

- O que quer aqui Viggo?! 

- Simples. A trégua. 

- Não confio em você, Sr. GreenBorn. 

- Não o culpo. Um empresário como eu não é confiável. Afinal, apontar a faca a uma de suas treinadoras, não é um ato confiável, Certo? 

- Solte ela Viggo. Isso é entre eu e você. 

- Mas ela é importante para você. Jogada interessante não?! 

- Mas é claro. Eu devia lhe dar um prêmio. A morte talvez?! 

- Haha. Um pacifista matando?! Nunca vi. 

- Já disse para soltar ela! 

- Não seria certo. 

- porque?! 

- Ela é uma bonita oferenda. Achar uma assim não é fácil. 

- oferenda?! 

- Pois bem. A morte gosta de oferendas bonitas. 

- Ela não é certa oferenda a morte. É muito teimosa. - disse sorrindo, ela fez uma careta. 

- A teimosia é tirada facilmente. - falou fincando a faca, deixando escorrer uma gota de sangue pelo pescoço até a roupa dela ser manchada. Ela soltou um gemido de dor baixo. 

- Não precisa ferir as pessoas, Viggo. - disse Stoico aparecendo do nada atrás dele. 

- Interessante. O que diz o líder da tribo de seu filho arriscar a vida dos vikings a sua volta?! 

- Por favor, Viggo! Quem está para mata-la é você. 

- Mas ela pertence a você! Não brinque em serviço, Sr. Haddock. 

- Não brinco. Mas, voltando a nossa discussão, porque ela?! 

- Já disse, ela é importante a você. 

- Muitos aqui na Ilha São. 

- Mas ela tem um valor especial. Eu sei que tem. Sei quando um homem é apaixonado. Eu mesmo ja fui. 

- Você?! Duvido. - riu Cabeça Dura. 

- Já fui sim. Mas, dragões são tão imprevisíveis não?! Eu posso ser um Dragão imprevisível, Soluço. Posso soltar ela viva ou morta a seus braços. Não ia ser divertido vê-la queimar no fogo de uma despedida viking?! - Falou em tom ironico. 

- Então esta disposto a matar ela?! 

- Se preciso. Se me der a trégua ela vive. 

- quem me garante que você não voltará para tentar matar a mim?! 

- Ninguém. Meus inimigos costumam só  Se contentar com o sangue. Você também?! - Falou, novamente ferindo Astrid. Só que, mais profundo. 

- Achei que minha morte fosse mais prazerosa a você, Viggo. 

- sim. Muito mais. Mas o sangue dela para você, Vale? 

-- Você é desprezível, Viggo. - rosnou Astrid. 

- Eu sei. E você é presa fácil. - revidou o empresário. 

- Viggo, você parecia tão esperto. 

- Como assim parecia?! 

- Não notou a falta de alguém?! 

Foi ai que Viggo se tocou. Hatter e Tesoura-de-Vento não estavam junto a eles. Seus caçadores, derrubados e os barcos destruídos. Agora, a moça estava parada acima dele, e a dragoa com a cauda cortante fatal em seu pescoço, ameaçando a morte instantânea. Ele olhou para cima e então falou. 

- Boa jogada. - elogiou. 

- Aprendi com o melhor. Vá embora. E devolva o que é meu. - disse olhando para Astrid. 

- Como quiser. - Falou soltando Astrid ao chão. - Mas lembre-se, o jogo pode mudar Soluço. 

- Prefiro arriscar o futuro do que perder ela agora. Hatter, termine o serviço. 

Ela assentiu e mandou o comando a Tesoura-de-Vento para ela o jogar ao mar. E foi o que ela fez. 

- Até breve Viggo! - riu Soluço. 

- Obrigada. Por me salvar de novo. 

- Você faria o mesmo. 

- sim. - sorriu ela, tímida. 

- Bom, estou aprendendo a jogar. 

- Esta mesmo! - sorriu Hatter. 

- Que papo foi aquele de " O que é meu"?! - perguntou rindo, Melequento. 

- A verdade. Vamos para o Domínio. Me avise se ele voltar pai. 

- Você será um ótimo líder, Filho. 

- Que bom pai. Vamos Cavaleiros. 

Decolaram com velocidade. Seguindo formações e treinando. Soluço se posicionou em pé em Banguela e então saltou. 

- Ele é retardado? - indagou Hatter, para Astrid. 

- Não. Só é corajoso. 

- Ta apaixonada! Tá apaixonada! - Riram os Gêmeos, Melequento e Perna-de-Peixe. 

- Tenho que concordar! - riu Hatter. 

- Parem!! 

- Com o que?! - riu Soluço, aparecendo montado em Banguela. 

- Nada! Vamos! - disse Astrid, saindo em disparada na frente de todos. 

- Ta indo pro lado errado!! -Avisou Melequento. 

- Eu sei! - Falou ela raivosa. 

- O que deu nela!? 

- Pergunte a ela. - riu Hatter. 

Soluço riu e seguiu Astrid. 

- O que deu em você?! 

- Nada! E que eu falei que você era corajoso e eles disseram que eu tava gostando de você! 

- Me acha corajoso?! 

- Claro! Se não, com certeza não salvaria de um Dragão a uns 300 metros do chão. Melhor, do mar! 

- Tem razão. E...  Ta gostando de mim?! 

- e-eu... vou chegar no domínio antes que você.

Depois de mudar de assunto, ela saiu em disparada e ele atrás. 

"será que ela falou? "- pensou Hatter. 

- Espera ai! - Falou ele parando facilmente com Banguela ao lado delas. Banguela estava tranquilo e Tempestade ofegante. 

- Como você...? 

- Cauda de velocidade. Ganhei. Agora me responde. 

- O que?! -falou ela, começando a suar frio. 

- Se está mesmo gostando de mim. 

- S-so-somos somente a-a... ami-ami... amigos. Só isso. 

- Ta. Agora, voltando a corrida. 

- Espera. 

- Que foi?! 

- Meu sangue vale a você?! 

- Mais do que pensa. 

Ele aproximou seu rosto do dela e, ao longe, Hatter rezava a Thor para que ele a beijasse. 

- Soluço... 

- Claro. Desculpe. 

- Sim. Desculpo. Vamos voltar a corrida?! 

- Competitiva é você! 

- Sim!  A rainha disso. 

Eles dispararam a frente. 

- Ah! Por Odim! São difíceis mesmo!!!!  - disse Hatter irritada e indignada. 

- Pois é! Um dia eles namoram. Só esperar. - falou Perna-de-Peixe esperançoso. 

- Tomara. - sorriu ela. 

- Eca!  Namoro! - Gemeram os Gêmeos. 

- Eu até que acho eles fofos! 

- Olha so, Sr.Meleca! Não era você o doido por aquela loira!? 

- Eu prefiro morenas. - Riu malicioso, para Hatter. 

- Ata! Eu prefiro o Soluço! 

- Furando o olho da amiga. 

- Não. Digo que prefiro até o Soluço ao invés de vocês a verdade e que loiros mechem comigo. 

- Cabeça Dura?! 

-  Me de paciencia Odim! Que se me der força, Mato ele! 

Eles voaram até o Domínio encontrando Soluço e Astrid... 



 











Notas Finais


Suspenseeee!! Ta parei! O que vcs tão achando?! Falem se não eu surto hein!? Kkk. Brinks. Espero que estejam gostando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...