História Jogos da meia noite - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chiyo, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Naruhina
Visualizações 44
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha quem chegou rápido! Sentiram saudades?😰😰
Uma notícia esperada por todos: o próximo cap será o bendito casamento👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
Mas não se engane, acho que não está tão legal, nesse dia eu estava péssima e abuso na demência e fiz uma bosta
Então sim o cap tá ridículo
Sem mais delongas
BOA LEITURA MEUS ANJINHOS👋👋👋👋👋👋👋👋😘

Capítulo 8 - Entre a melancolia e a depressão


Os passos rápidos podiam se ouvir ao som de seus sapatos altos, Sakura equilibrava a bandeja em suas pequenas mãos que estavam um pouco trêmulas

Ela parou em frente à porta de ouro da prima, e com a ajuda da magia bateu na porta

Sakura juntou as sombrancelhas escutando somente a batida oca que a mão mágica fazia. Acessou a mágica e deixou a bandeja na pequena mesinha ao lado. Suspirou e a mesma bateu, mas não se escutava nada

– Hinata? – chamou-a mas nada foi ouvido 

Ela arrombou a porta e revistou com os olhos e bufou encontrando nenhum rastro da morena

– Não Hinata, não – choramingou prevendo a confusão que isso daria – De novo não!


(...)


Ela não sorria, não refletia a felicidade cotidiana. Como nos contos de fadas, queria ser a bela adormecida, só que seria pra dormir pra sempre. Como a vida era injusta consigo, como podia haver milhões de pedras em seu caminho.

Talvez tenha sido inutilmente suficiente para demonstrar que podia sim conviver com paz sem antes mesmo de conhecer essa pequena palavra.

Seja porque nunca teve paz em seu coração. Só profunda tristeza e a depressão lhe consumindo lentamente

O que ela achava desse casamento? A resposta era bem simples

Ela não achava nada

Se encostou na árvore se deslizando pelo tronco, ela chorou, chorou de raiva misturado com puro ódio. Olhou sua vestimenta, ainda estava de camisola.

Não queria ficar mais sobre o mesmo teto do monstro que o imperador se tornou

Ouviu um ruído pela mata, e se levantou rapidamente, enchugou as lágrimas e ficou em posição de ataque

Mas no momento... Ela estava indefesa

– Veja o que temos aqui – uma voz enjoativa se fez presente

– Quem está aí? – Hinata não  mostrou medo e se mantinha firme

– Cala boca! – uma ardência forte em seu rosto e nem viu, mas já estava jogada no chão 

Eram rápidos

– Oh! Não a maltrate Zé – disse sínico vendo a menina no chão – Que delícia – ela sentiu ânsia e sorriu sádica

– Olha – se levantou tirando um pouco de sujeira – Não quero ser incomodada, espero que entendam que quero ficar sozinha

– Que pena! – o homem que a bateu se aproximou e ela ficou em alerta – Você não vai ficar sozinha por muito tempo

Ele levantou a mão e com sua rapidez foi em direção a Hyuuga. Hinata pegou a mão do homem no ar, suas mãos estavam envolvidas por uma luz roxa, que foi ficando envolta do corpo todo

O homem se assustou e seu pulso ardia como fogo, tentou puxar de volta mas ela era mais forte

– Me solta! – ia dar outro soco, porém ela pegou e ele gritou de dor, assustando o outro.

Hinata levantou a cabeça e eles viram os olhos vermelhos com vários pontos pretos

– O que você é? – gritou o homem apavorado.

– O seu pior inimigo




O olhar vago agora perolado como a Lua, era difícil dizer, até porque ela não estava nem aí. Ela não ia beber aquele sangue tão nojento mesmo sendo seu café da manhã, porém, matou-os lentamente. Quando viu jogados os corpos sem vida no chão, sentiu instantâneamente insegura de sí

Voltou a chorar, como era fraca, como mudava sua personalidade tão rápido? Talvez porque não suportava violência

Mas é obrigada a conviver todos os dias

Depois de muito caminhar, ela encontrou o precipício enorme, onde nem se podia ver o fundo. Deu um meio sorriso erguendo os olhos para o céu, aproveitando os últimos minutos que respirava

Fechou os olhos com força, sentindo seu cabelo juntamente com a camisola voarem com o vento forte

– Vou viver com você mãe... Pra sempre! – sussurrou contra o vento e a calmaria dominou seu coração

Colocou o pé pra fora da terra e deu o pulso

– NÃO – sentiu ser puxada bruscamente o que a deixou pendurada no penhasco – O QUE PENSA QUE ESTÁ FAZENDO HINATA

– ME DEIXA EM PAZ! – gruniu com os olhos arregalados

– NÃO – trincou os dentes puxando a de volta

– Por quê? – susurrou desorientada

Ele a puxou com mais força e caíram na terra. Os dois respiravam com dificuldade, Naruto sentou mal-humorado

– O que tinha na cabeça pra se suicidar? – falou baixo, mas podia-se sentir a irritação

Hinata fixou seu olhar em algum lugar no horizonte, pôs à mão no peito, sentindo seu coração bater bem lento. Não iria chorar, não na frente dele

– Não vai falar?

– Não – disse friamente e o loiro suspirou frustrado

– Por quê? – insistiu vendo a morena bufar . Ela se levantou ajeitando sua roupa fina e ficou rubra ao perceber o olhar do loiro em sí, ele revirou os olhos – Vou te levar para o império 

– Não – elevou a voz assustando o mesmo 

– Por quê não?

– Porque eu... – suspirou virando de costas – ... Quero ficar sozinha – começou a caminhar e Naruto a seguiu deixando a morena um cão – Qual parte do "quero ficar sozinha" você não entendeu? – gritou enfurecida

– Vou acompanhá-la – disse simplesmente tentando esquecer a preguiça – Nem vou ligar pra ignorância

– Ignorância eu? – juntou as sombrancelhas – Quem tá se dando de enxerido se intrometendo na minha vida é você!

– Sou seu noivo – irritou-se com ela – E futuramente seu marido e, soberano

– Olha... Se acha o rei da cocada preta – cruzou os braços furiosa – Se pensa que vai mandar em mim, me ter quando bem quiser, pode tirar o cavalinho da chuva

– Não estou pensando em forçá-la a nada, somente quero o que é meu por direito

– E o que é esse direito príncipe Uzumaki? – ironizou e Naruto a olhou de saláio

– Você não entendeu né? – ele piscou algumas vezes – Não vou forçá-la a ser minha

Ela abriu a boca parando de andar. Ele, com a cara lavada, disse isso mesmo? Pelo menos... Olhou pra baixo, agoniada da certeza de que ele iria sim se aproveitar de sua "inocência"

– Mas uma coisa eu tenho direito – sorriu animado vendo a confusão nos olhos perolados  – Eu preciso disso...

Ele a pegou pela cintura e grudou seus corpos, por um segundo, Hinata nem percebeu a aproximidade. Somente se hipnotizou nos olhos incrivelmente azulados do loiro

Ele tocou a face pálida da Hyuuga e aproximou seu rosto lentamente, seu coração batia fortemente em claro desespero em possuir os lábios de Hinata

Hinata percebeu a tempo e se afastou rapidamente sentindo seu rosto queimar, mas um sorriso escapou dos lábios de Naruto

– Por favor... Prometeu não forçar-me a nada – sua voz falhou e se amaldiçoou por isso

– E prometi, promessa é dita e feita – a fitou intensamente  o que fez a Hyuuga desviar, ele se aproximou quebrando o pouco espaço que existia, segurou seu queixo forçando a olha-lo – Eu disse que quero o que é meu por direito

Deu um breve beijo em suas mãos

– Hinata – a olhou seriamente – Prometa que não tentará se matar novamente, prometa – ela deviou o olhar fixando no chão, com olhar vago suspirou – Será que vou ter que dormir ao seu lado pra ter certeza?

Ela arregalou os olhos dando alguns passos pra trás

– Não, claro que não. Vou ficar vivinha da Silva – falou rapidamente arrancando uma risada gostosa do Uzumaki

– Então pelo menos, deixe-me levar até seu império – estendeu a mão, ela mesmo relutente pegou com firmeza – Vamos?

Eles voltaram ao cavalo e ajudou a Hyuuga subir e montou atrás dela. O cavalo calvagou normalmente até o império Hyuuga

Hinata deixou a cabeça tombar no peitoral e corou por senti-lo perfeitamente definido. Naruto envolveu seu braço livre na cintura dela a puxando, Hinata deu um leve tapa na mão dele

– Há Hinata – reclamou – Só você pode, mas eu não? Você é tão injusta! – a perolada deu de ombros

– Você está certo – ele sorriu a envolvendo outra vez, mas a mesma tirou – Só eu posso!




O cavalo parou em frente aos grandes portões de ouro, Naruto desceu e carregou Hinata até o chão

– Eu sei descer sabia – emburrou-se

– Eu sei... – puxou Hinata pela cintura e deu um beijo na testa da mesma – E sei que estou feliz que está tudo bem com você

– Obrigada... Por me trazer – se envergonhou

– Não há se quê minha princesa – pegou sua mão e a beijou – Até a próxima – se virou andando até o cavalo

– Naruto! – ele se virou – Obrigada mais uma vez – sorriu verdadeira

Ele abriu um sorriso gigantesco e acenou, subiu em seu cavalo e parou na frente dela

– Tenho que zelar pelo que é meu – piscou vendo ela fechar a cara, mandou Tchau com as mãos e foi embora com toda velocidade

– Teu uma ova! Cara enjoado filho duma égua. Hum... Imbecil !


Notas Finais


É isso meus amores
Obs: vocês viram que Hinata liberou um pouco seu poder oculto?
Sim... Em um momento lá na frente ela vai liberar mais alguma coisa, e Naruto?
Também!
Então fiquem ligados e se gostou? Comentem e favoritem, vai me ajudar muito👍😁😁😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...