História Jogos de Amor (Game of Love) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Elsa, Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Morrilla, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Exibições 142
Palavras 1.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura, erros relevem.

Capítulo 6 - Terapia


Depois da festa e de toda a bagunça que teve na casa de Emma e Regina, elas tinham uma semana intensa de terapia de casal, tinham que resolver suas diferencias. Chegaram no consultório cumprimentaro Dr Hope e sentaram de frente pra ele.

-Então comessem me contando como vão as coisas entre vocês

- Tem uma coisa que preciso dizer- falou Emma -o dia inteiro ela não faz nada - começou uma confusão que ninguém conseguia entender mais nada.

- Eu quero espaço, espaço só para mim ela quer mandar em tudo, ela tem o gosto dela e eu o meu.

-Outro dia ela fez xixi na minha mala, me diga por favor qual a mulher em sã consciência faria xixi numa mala com um monte de roupas limpas. Até aparece que ela não quer que o casamento de certo - falaram juntas.

-Tudo bem estão discutindo agora sim vocês parecem um casal diverdade, estão progredindo.

-Droga -Emma saiu do consultório e foi para seu trabalho atordoada com que o psicólogo disse, Regina foi pra casa pensativa.

Emma chegou no trabalho e começou a fazer uma bagunça nuns arquivos de clientes.

Regina após ficar andando de um lado para o outro ligou pra Elsa e foi se encontrar com ela, urso estava junto, foram dá uma volta no parque. Emma não conseguir se concentrar pediu pra sair, foi em direção ao parque que Regina estava com seus amigos, ficou observando de longe.

-Vamos rapta-la Regina até após a audiência

- Urso você só pensa besteiras

- Ela pode ficar em  minha casa

- Já sei vamos fazer parecer que ela te passou uma doença, eu posso arrumar um frasco de doença venera em 30 segundos, primeiro passamos pra você, depois passamos pra ela, pra parecer que ela passou pra você.

- Você não está falando sério Elsa?

- Eu passo doença venera pra ela, disse urso.

- Cala boca urso e chega de ideias vindo de vocês.

-Eu já sei é perfeito esta é demais - deu tapa na cara de Regina

- O que deu em você enlouqueceu - Regina levantou exaltada, passou a mão no seu belo rosto que ardia no local do tapa. Emma prestava atenção atenta, pegou o celular e botou a câmara pra grava vídeo, sabia que Regina ia aprontar contra ela.

-Relaxa e presta atenção, vou te bater e você vai contar pra Dr Hope que foi Emma que fez isso com você. Elsa começou bater, Regina deixou só era uma marca roxa que Elsa tinha que fazer nela.

 Emma gravou tudo e voltou para casa já era noite, tomou banho e foi deitar Regina não havia voltado, dormiu e cedo foi para a terapia de casal.

- Bom Dr Hope, sentou

-Cadê Regina?

- Não sei - ficaram olhando um para cara do outro, o psicólogo analisava Emma em silencio, não demorou ouviram barulhos na porta. Regina apareceu de óculos escuro, sentou ao lado de Emma, tirou o óculos e tinha uma mancha roxa em volta do seu olho.

- Regina o que aconteceu com seu rosto?

- Eu cai

-Você caiu?

-É, bati o olho na maçaneta, algumas vezes, eu ando caindo muito ultimamente eu sou muita desajeitada.

-Regina tem certeza que foi isso mesmo, que não foi alguém que te bateu.- Regina começou encenar um choro.

-Eu devia ter pendurado - olhou para Emma - eu devia ter pendurado direitinho a toalha de rosto e, eu não, me desculpei - olhou pra Emma - me desculpa, depois ela disse abaixa a tampa da privada ou eu acabo com você eu esqueci. - Emma olhava pra morena sorrindo, estava doida pra acabar com ela. Regina continuou

-Ela disse eu vou te mostrar como é que abaixa, eu vou enfiar sua cabeça dentro do vaso sanitário até você aprender. – Emma não aguentou mais a palhaçada, pegou o celular de sua bolsa e mostrou o vídeo onde aparecia Elsa estapeando Regina no parque.

Regina olhou pra loira, com cara de que foi pega no flagra, o psicólogo balançou a cabeça e fez um olhar de repreensão pra Regina.

-Podemos voltar pra terapia as duas, que coisa feia Regina tentando incriminar sua esposa de algo que foi você mesmo que inventou, devia se envergonhar -Emma só sorria.

- Claro me envergonho - ajeitou o cabelo, - podemos sim voltar a terapia. Dr Hope começou a orientar as duas. Emma voltou para casa e Regina foi andar pela cidade e armar contra a loira para o dia seguinte. Assim que Emma entrou no apartamento ouviu o telefone tocar.

- Alo

-Oi aqui e a Nat falando do consultório do Dr Hope, é a senhora Mills

-Sim o que gostaria

- O Dr teve que cancelar a terapia de amanhã cedo, mais você pode vim a tarde.

- Que horas?

- Pode vim as 16 horas

-Perfeito para mim, tá ótimo

-Tchauzinho

- E aí ela acreditou

- Tudo limpo

-Você me deve uma Regina, eu vou cobrar - se insinuou pra morena

- Minha nossa eu quero ser cobrada!

No dia seguinte Emma não foi trabalhar era sua folga, já que não ia logo cedo pra terapia resolveu ficar em casa relaxando até dá o horário, estava na banheira cantando, quando deu o horário de 9 da manhã, Regina, estava no quarto se arrumou e saiu, pra terapia que seria as 10 da manhã, quem faltasse ia ser dado com irresponsável e falta de comprometimento no casamento. Emma ouviu barulhos.

-Olá, Regina - saiu da banheira e se enrolou na toalha, foi olhar pela casa, puxou a cortina e olhou pro lado de fora, viu Regina chamando um taxi, sabia que a morena ia aprontar.

- Filha da mãe tá querendo me lascar – ficou indignada, pegou seu celular e ligou para Dr Hope

-Alo aqui é Dr Hope

- E aqui é Emma Swan

- Oi senhora Mills

- É, eu recebi uma ligação da Nat dizendo que nossa sessão foi cancelada hoje, teria como confirmar isso?

- Sua sessão não foi cancelada, sua ausência será considerada desacato ao juiz

- A é – Emma bufou de raiva, desligou e vestiu uma roupa imediatamente, regina ainda estava na calçada tentando pegar um taxi, Emma desceu correndo e empurrou a morena quando ela ia entrando no carro

- Sua cretina, tentou fazer eu perder a terapia- entrou no taxi fechou a porta e Regina ficou batendo na janela, Emma deu o endereço pro  taxista que arrancou com o carro, e Regina ficou puta da vida, essa loira era muito petulante.

- Tá bom falou pra si mesma, pegou o celular e ligou pra Emma

- Fala filha da mãe

-Oie boa sorte pra pagar o taxi. - Regina tava com a carteira da loira que ela pegou sem Emma perceber na hora que foi empurrada. Emma olhou dentro da bolsa e no bolso de seu sobretudo, a carteira não estava lá, e só havia cinco dólares em sua bolsa.

- Você roubou minha carteira filha da mãe. O taxista parou na mesma hora.

- Perdeu a carteira gracinha, pode sair

-O que você quer podemos fazer um trato

-Me mostra seus seios

-O que?

-Ficaria surpresa de quantas vezes isso acontece. Emma olhou pra trás e viu Regina vim quase correndo em direção ao taxi

-Tabom só um seio e só vai ver isso

- Tabom, Emma mostrou o peito e o taxista voltou a dirigir em direção ao endereço, chegaram em uma rua que estava meia engarrafada

- Nada como um belo seio

- Você é maluco

-Não, eu gosto de seios, me processe

-Você não sabe um atalho pra gente sair daqui

- Dá uma olhada ver se há algum

Emma ficou observando e viu Regina na garoupa de uma moto ultrapassando o taxi que ela tava sorrindo.


Notas Finais


Quem chegará primeiro na terapia? Em breve posto a contunuação do capítulo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...