História Jogos de Sedução - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Hinasasu, Hinata, Sasuhina, Sasuke
Exibições 81
Palavras 2.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo 1


— Casamento?!

Sasuke Uchiha, o nobre e destemido cavaleiro, sorveu a palavra com desgosto.

— Espero que esteja apenas brincando, Itachi! Você sabe muito bem que tenho aversão a casamentos!

Itachi sorriu ao claro desespero de seu irmão caçula, eram poucos os assuntos que o desestabilizavam. Ingeriu o restante de whisky em seu copo e o fitou atentamente enquanto declarava a sentença.

— Você precisa se casar, irmãozinho tolo. Se não subir ao altar, você não poderá assumir as terras do Norte. Infelizmente ou não, esta é a tradição de nosso clã.

— Maldição!

— Sasuke, querido, olhe os modos!

Em frente a entreaberta porta dubla do escritório, encontrava-se uma dama de cabelos azul claro e olhos cor de âmbar intensos. O seu rosto ilustrava repreensão devido a blasfêmia. Sasuke suspirou, Konan Uchiha era uma mulher inteligente e admirável, a única a qual ele respeitava e possuía considerações.

— Desculpe, Konan. A culpa é toda de seu marido. Ele gosta de brincar com própria sorte!

Ela fitou o marido em busca de explicações.

— Ignore-o, querida. — disse Itachi para a esposa. Os seus olhos a admiravam de cima a baixo e, por fim, pousaram em sua barriga, onde residia o seu herdeiro. — Deveria estar em repouso.

— Eu estou grávida, querido, não doente.

Itachi ergueu-se da poltrona de couro preto e caminhou em direção à esposa. Ele a envolveu em seus braços e sorriu quando sentiu o seu filho mover-se. Era sempre assim, o seu filho sempre se revelava em sua presença.

— Você está de trinta e uma semanas, não deveria ficar administrando a casa. Eu contratei a governanta para isto.

Diante dos olhos negros e preocupados, Konan suspirou em rendição.

— Está bem, querido. Irei me recolher, mas, por favor, avise-me quando o jantar estiver servido. Eu não gosto de comer em nosso quarto.

— Irei chama-la, querida, não se preocupe. — Sorriu.

O carinho e amor entre o seu irmão e a esposa era cristalino, como as águas da cachoeira de sua futura propriedade, se ele aceitasse o matrimônio forçado.

— Ficará para o jantar, Sasuke?

— Não, eu irei a um jantar de negócios com o Lorde Uzumaki, mas agradeço o convite, Konan.

—Então, até breve. E, por favor, nos visite mais. Eu quero que o meu filho tenha o tio sempre presente.

— E a futura tia também. — Itachi sorria vitorioso diante da expressão desagradável de seu irmão.

— Itachi, eu não o respondo como merece em consideração a sua esposa, que, aliás, não entendo como o suporta.

— O charme dos Uchiha, irmãozinho. Por acaso você não o tem?

— Itachi!

 A esposa o repreendeu.

— Sim, querida? — Perguntou a estreitando em seus braços. Ela o fitou séria, mas sorriu, por fim.

— Comportem-se. Eu amo os dois.

Ela os aconselhou e se dirigiu aos aposentos do segundo andar. A escadaria era ampla, assim como o restante do casarão de estilo renascentista. Itachi observava a esposa subir os degraus vagarosamente, a amava muito e, com a gravidez, estendera os cuidados, protegeria a sua esposa e seu filho a todo o custo.

— Irmãozinho... — disse Itachi enquanto retornava a poltrona — Se você não subir ao altar, não poderá assumir as terras do Norte, as terras que você tanto cuidou e protegeu nos últimos invernos.

— Eu sei... eu só não queria me casar, inferno! Eu gosto da minha vida assim! Sem essas damas fúteis e escandalosas ao meu redor!

— Algumas não são assim... você poderia dar uma chance a Lady Hinata, irmãozinho, ela ...

— Como!? — Sasuke o interrompeu — Hinata?! — Levantou-se da poltrona e iniciou a caminhada pelo escritório, nervoso — Bastardo! Eu já tenho uma pretendente?! O que você está ganhando com isso, Itachi?!

Itachi suspirou e observou o irmão sentar-se novamente na poltrona. O gênio de Sasuke era difícil e forte, felizmente, conforme os anos ele compreendera como defrontar.

— Eu não estou ganhando nada, irmãozinho. — respondeu, serenamente. — Eu fiz este acordo por você.

Sasuke o observava, descrente.

— Explique-se.

— Lady Hinata Hyuuga é única herdeira do clã Hyuuga. O clã possui vastas terra ao norte do país, terras próximas as que você tanta cuida e protege. Se você se casar com a Hinata, aumentará as suas terras e suas riquezas.

— Você quer que eu me case por interesse?

— Infelizmente sim, irmãozinho. A rainha Tsunade não me deu escolha. Ou você se casa antes do outono, ou perde as terras.

— Por que a rainha informou isto a você e não a mim?

— Você está sempre viajando, os emissários dela nunca o encontram. Ora, Sasuke, anime-se! Você pode ser feliz no matrimônio.

— Eu não acredito nisso. — Sasuke sorveu o whisky em seu corpo de uma vez. — Mas, para o inferno! Quando eu conhecerei a minha futura esposa?

— Ela o está esperando em sua propriedade a noroeste do País do Fogo. Você deve partir o mais rápido possível e se casar dentro de dois meses. Pegue — Itachi retirou um papel dobrado do bolso de seu colete e estendeu ao irmão — esse é o mapa para chegar lá.

— Inferno..., eu irei aprontar os meus homens e mantimentos para a viagem. — O bolo em seu estômago crescera. Dois meses?! — Agradeço a intimação, querido irmão. — disse sarcástico — Preciso ir.

— Sasuke? — Itachi o chamou. — Por favor, vá ao encontro de sua futura esposa com otimismo. Seja sincero no cortejo, irmão, você pode se surpreender.

O riso descrente percorreu o escritório.

— Isto... eu pago para ver.

Itachi observou pela janela-sacada de seu escritório o irmão mais novo se distanciar sobre o seu corcel negro.

— Irmãozinho tolo...

 

 

Lady Hinata Hyuuga sentou-se no frio banco de granito, em meio ao seu amplo jardim de flores. Em sua mão direita segurava uma carta com o lacre de cera vermelha da rainha rompido, o conteúdo a desorientara. Casamento. Iria se casar com um estranho sob ordem real.

 Seria feliz? O desconhecido, de nome Sasuke Uchiha, era uma pessoa honesta e íntegra? Cuidaria e zelaria por suas propriedades e seus moradores? E, principalmente, se dirigiria a ela com respeito? A solitária lágrima percorreu o rosto fino e delicado. Não suportaria maus tratos de outro homem em sua vida. Que Deus a perdoe, mas aliviara-se com a morte de seu pai, ele a espancava com frequência, a acusando de nascer mulher e ser fraca.

— Hinata?

Hinata recompôs-se no banco e guardou a carta em seu bolso.

— Oh! Eu não a vi, está tudo bem com a preparação para o almoço?

Sakura Haruno, amiga e dama de companhia de Hinata, sentou-se ao seu lado.

— Sim, o almoço sairá  em uma hora. Eu... estou aqui por outro motivo.

— Qual seria?

— Está triste e pensativa desde a chegada da carta real. Eu e os outros estamos preocupados. O que há na carta?

Hinata suspirou e entregou-lhe a carta.

— O meu destino.

O conteúdo da carta era objetivo, escrito há três dias atrás, informava o casamento entre Lady Hinata Hyuuga e Lorde Sasuke Uchiha daqui a dois meses e que o Lorde chegaria em breve para o cortejo.

­— Eu sei que isso era previsível, mas...

— Eu sinto muito, Hinata.

— E se ele for como o meu pai e maltratar os moradores?

— Ele passará as próximas semanas aqui?

— Sim..., espero que este tempo permita que eu o conheça bem, mas não sei se será possível.

Sakura ergueu-se do banco, animada, devida uma ideia repentina.

— E se...

— E se?

— Acredito que sei como você poderá conhece-lo bem!

Pela primeira vez no dia, Hinata animou-se.

—Como?!

— Se você aceitar... nós precisaremos ser rápidas e todos da propriedade terão que colaborar. Mas isto não será problema — disse Sakura, pensativa — todos a adoram, Hinata!

— Por favor, Sakura, diga-me o seu plano.

 

 

— Isto só pode ser brincadeira, estou certo!

Lorde Naruto Uzumaki era amigo e companheiro de batalhas de Sasuke. Naruto despejou whisky em dois copos e entregou um ao seu amigo.

— Antes fosse, Dobe. — Sasuke fitava a lua, pensativo. — O casamento fora decretado pela própria rainha e todos sabemos que ela não volta atrás.

— Pelo menos sabe se a sua futura esposa é graciosa?

— Eu conheço apenas o seu nome e a localização de sua propriedade. — Sasuke virou-se para o amigo sentado próximo a lareira de sua sala de estar. — Lady Hinata Hyuuga. Você, por acaso a conhece?

— Hyuuga... Eu confesso que o sobrenome é familiar, o ouvi uma vez na corte, mas tratava-se de um homem. — Naruto deu de ombros. — Talvez seja o pai.

— Inferno... — Sasuke bebeu o líquido de uma vez e deitou-se no sofá. — Eu só queria saber como terei que lidar com a minha futura esposa.

— Se quiser, Teme, eu posso ir junto na viagem. Os meus negócios na corte já estão resolvidos. Precisará de um bom whisky e um amigo quando descobrir a falta de atributos de sua velha futura esposa.

— Que o Diabo lhe carregue! Dobe, maldito!

— Você precisa estar preparado para tudo, Teme.

Os olhos de Sasuke adquiriram um brilho estranho e seus lábios, um sorriso maroto. O seu amigo estava com a razão, precisava preparar-se para o casamento.

— Dobe, admito que, às vezes, você tem boas ideias.

— Como assim?!

— Você irá me acompanhar e me ajudar a conhecer a minha futura esposa!

— E como seria, Teme? A cortejaria junto com você?

— Quase.... Você a cortejará em meu lugar!

— O que?! — Naruto levantou-se, de repente. — Enlouqueceu, homem?!

— Ou você me ajuda, ou eu irei, pessoalmente, convencer a rainha a lhe decretar uma esposa!

 

 

Os olhos de Sasuke conferiam o seu grupo de homens para a viagem. Dois escudeiros, um mestre de caça e seu falcão, o seu leal lobo cinzento, meia dúzia de homens armados, dois tratadores de cavalos e o divertido companheiro Naruto.

— Estão todos prontos? — perguntou Sasuke.

— Sim. — Juugo, o seu caçador, o respondeu.

— Quanto tempo de viagem até chegamos a residência de sua futura esposa, milorde? — Sugeitsu, um de seus homens armados, não conteve a curiosidade.

O desconforto das palavras “futura esposa” era intenso. Inferno! Participara de diversas batalhas em nome do País do Fogo e nunca sentira o nó no estomago, como sentia diante da menção de sua misteriosa futura esposa.

— Nós chegaremos para o jantar desta noite! Agora, vamos!

Apesar das condições que o levara a viajar, o percurso em direção ao norte fora pacífico. A paisagem gradualmente adquirira Cadeias de Montanhas e o clima esfriara, um pouco. Sasuke inspirou o ar do Norte vagarosamente, ali era o seu verdadeiro lar. E fora com esse pensamento que Sasuke e seu conjunto de homens seguiram ao seu destino.

— Ali está o castelo! — Juugo apontara a Noroeste.

— Parece uma construção bonita de longe — observou Naruto.

— Você também considera prisões bonitas? — Sasuke o respondeu, azedo, apertou as rédeas de seu corcel negro e acelerou o ritmo da cavalgada. O grupo de homens seguira o ritmo, todos curiosos para conhecer a futura Lady Uchiha.

 

O castelo situava-se no Vale do Rio Naka. As muralhas e as paredes eram de gabros, uma rocha maciça de cor escura, que, na ausência da iluminação das tochas, se escondiam entre a escuridão da noite.  De modo geral, a construção era bem conservada, a madeira da ponte levadiça era recente e todas as janelas possuíam vidros.  Em cima das muralhas, estandartes coloridos dançavam conforme a brisa.

— Se quiser, nós damos meia volta e fugimos! — Naruto anunciou.

Os homens começaram a rir de seu infortúnio. Inferno! Estavam se aproximando do castelo e seu grupo gargalhando!

— Silêncio! — Esbravejou. — Daqui por diante vocês prestarão serviços ao Lorde Naruto, como se ele fosse eu! Ou seja, até que eu diga o contrário, eu sou Lorde Naruto Uzumaki e ele, Lorde Sasuke Uchiha! Entendidos!? 

— Sim!

— Entendido, Sarutobi? — Sasuke o fitava autoritário.

— Sim! — Sarutobi assentiu, mas sorriu sapeca.

— Controle o patife de seu escudeiro, Naruto!

— Konohamaru Sarutobi! — Naruto o chamou — Qualquer gracinha e irá polir todas as armaduras e tratará dos cavalos até o final de nossa estadia! Estou certo!?

— Sim! — Sarutobi meneou a cabeça em sinal de obediência.

— Homens — anunciou Naruto — Apressem-se! O dragão, que dizer..., a dama nos espera!

 

 

A ponte levadiça vagarosamente desceu para os lordes Sasuke e Naruto e o grupo de homens passarem. A trotes cuidadosos, os cavalos e o lobo atravessaram a ponte a som de risos femininos. Os homens ergueram os olhos e avistaram três jovens, duas de cabelos loiros e uma de cabelo castanho claro. As três acenaram timidamente e desapareceram.

— Pelo visto — comentou Naruto, sorridente — fomos aprovados. Eu acho que vou adorar estas minhas férias...

— O Diabo que vai! — Sasuke o olhou em reprovação. — Você terá olhos apenas para a Lady Hinata. Já não me basta esse compromisso ridículo e repentino!

— Acalma-se, Lorde Naruto! E que os jogos comecem!

 

 

Os passos de Hinata eram apressados, mas ainda graciosos. Estava muito curiosa em conhecer o seu noivo sob a visão de dama de companhia e não de futura noiva. Enquanto dirigia-se a entrada, revisava, em sua consciência, o plano de Sakura e os preparativos para o jantar. Estava tudo conforme o combinado. Assim, ela esperava...

No acesso lateral para o salão principal, Hinata avistara dois homens altos e vistosos observando a decoração do ambiente. O homem loiro comentava animadamente sobre a decoração do salão e o moreno assentia apenas com a cabeça. O rosto de Hinata corou. Deus, que bela dupla de homens!

Ao notarem sua presença, os dois viraram em sua direção e realizaram uma breve reverência. Hinata apressou-se em direção aos dois e quase tropeçara. Por Deus! Será que um deles era o Lorde Sasuke?

— Boa noite, milady. —  O loiro a cumprimentou com beijo em sua mão e um amplo sorriso. — Estou tendo a honra de me dirigir a Lady Hinata?

— Bo-bom. Lady Hinata não demora a descer. Eu sou a Srta. Sakura Haruno. E o senhor?

— Eu sou o Lorde Sasuke Uchiha. É um enorme honra em conhece-la, Srta. Haruno.

Pelos anjos! O Lorde Sasuke Uchiha não era nenhum homem de idade como as meninas do castelo acreditavam, e, sim, jovem, alto e carismático.

— Igualmente, milorde.

— Srta. Haruno. — O homem moreno aproximou-se e limpou a garganta. — Eu sou o Lorde Naruto Uzumaki. É um enorme... prazer em conhece-la.

Os olhos negros a fitavam intensamente, como se fosse capaz de ler os seus mais escondidos segredos. Hinata arfou quando o sentiu segurar-lhe a mão e a beijar.

— O-obrigada, Lorde Uzumaki. — Hinata não soube como prosseguir.

— Srta. Haruno, estou surpreso. O salão é muito amplo e bem decorado.

— Obrigada, Lorde Uchiha. Eu... A Lady Hinata o reformou e o redecorou meses após a morte de seu pai, o Lorde Hiashi Hyuuga.

— Lady Hinata apresenta iniciativas para melhorar as condições do castelo, não se vê isto entre as damas da corte. — Sasuke a fitava intensamente a bela morena de olhos leitosos e seios fartos e, em seu íntimo, torcia para a Lady Hinata se parecer com a doce moça a sua frente.

— Perdoe-me a demora. — Uma jovem de cabelos rosas e olhos verdes se aproximava. — Eu estava fiscalizando o jantar de boas-vindas.

— Milordes, eu tenho a honra de lhes apresentar a Lady Hinata Hyuuga.


Notas Finais


Boa noite!
A vontade de escrever sobre essa história se desenvolvia há semanas. Desejo de todo o coração que tenham gostado da história e do primeiro capítulo.

Em relação as postagens (de todas as minhas histórias), elas poderão demorar, pois estou estudando para um processo seletivo com muitas bibliografias e, infelizmente, estou vivendo para os estudos. Mas em julho, estarei livre! \o/

Este capítulo eu consegui escrever porque a inspiração se fez presente e eu escrevi rapidamente e sem bloqueios.

Ótimo final de semana!

Beijos!

Troyan.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...