História Jogos Infernais(interativa) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach, Fairy Tail, High School DxD, Naruto, Noragami, Sword Art Online, The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai), Tokyo Ghoul
Personagens Acnologia, Aizen Sousuke, Akeno Himejima, Akira Mado, Ayato Kirishima, Boruto Uzumaki, Brandish μ, Byakuya Kuchiki, Cana Alberona, Carla (Charle), Charlie, Chelia Blendy, Diane, Elaine, Elfman Strauss, Elizabeth Liones, Erza Scarlet, Escanor, Gajeel Redfox, Genryuusai Shigekuni Yamamoto, Gildartz, Gin Ichimaru, Ginshi Shirazu, Gowther, Grandine, Gray Fullbuster, Grimmjow Jaegerjaquez, Hanabi Hyuuga, Happy, Hashirama Senju, Hawk, Hendriksen, Hideyoshi Nagachika, Himawari Uzumaki, Hinami Fueguchi, Hinata Hyuuga, Hirako Shinji, Ichigo Kurosaki, Igneel, Isshin Kurosaki, Itachi Uchiha, Izuru Kira, Jellal Fernandes, Jugram Haschwalth, Juuzou Suzuya, Juvia Lockser, Ken Kaneki, Kenpachi Zaraki, King, Kishou Arima, Koutarou Amon, Kuki Urie, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lector, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Madara Uchiha, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Mayuri, Meliodas, Menma Uzumaki, Merlin, Metalicana, Nemu Kurotsuchi (Nemuri Nanagou), Nishiki Nishio, Obito Uchiha (Tobi), Orihime Inoue, Pakura, Personagens Originais, Rangiku Matsumoto, Renji Abarai, Renji Yomo, Retsu Unohana, Rias Gremory, Rikudou Sennin, Rin Nohara, Rogue Cheney, Rukia Kuchiki, Saiko Yonebayashi, Sajin Komamura, Shunsui Kyouraku, Shuu Tsukiyama, Skiadrum, Toneri Otsutsuki, Tooru Mutsuki, Touka Kirishima, Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Ulquiorra Schiffer, Urahara Kisuke, Uryuu Ishida, Uta, Zeref
Tags Drama, Hentai, Linguagem Imprópria, Sangue, Terror, Violencia
Exibições 36
Palavras 2.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Título diferenciado, mas tá aí.

Capítulo 11 - Baby, hold my hand, for you are my greed. Parte 1


A única coisa que clamo, é saciar minha cobiça... não importa o que eu tenha que fazer....

Na cidade de Tokyo, o clima era pesado e sombrio, como habitualmente, onde as pessoas , em meio a alta tecnologia ali presente, simplesmente seguem uma vida monótona e chata, vendendo e comprando, indo à escola, faculdade, academia, cuidando dos filhos e vendo eles crescerem apenas para morrer deixando seu legado para as suas crianças. 

Eeeei!-Gritou um homem bem vestido de terno de pele negra em uma loja de joia, o homem estava bem irritado e volta a gritar para a rua, enquanto pouquíssimas pessoas davam atenção- Alguém roubou a loja! Cadê o ladrão?!-Gritou começando a cuspir no chão. Uma pessoa obscura, baixa e encapuzada, no teto de outro prédio, vê e sorri. Ela sabia quem fora o culpado. A mesma fala:

Hum... aquela garota...-A figura encapuzada de manto vermelho com o rosto e os braços e pernas enfaixadas começa a pular de teto em teto, indo atrás da pessoa.-Ladra como o pai... é? Vamos conhecer a titia Eto... Rosely...-Disse observando uma figura encapuzada alta, que começou a segui-la. 

Longe dali...

Uma figura pequena de 1,55 de belos cabelos brancos está observando o céu, em meio a uma floresta cheia de árvores. Com seus olhos dourados, a mesma começa a pensar o quanto aquele lugar era familiar... "Este lugar é belo... nostálgico..."...Ela vê uma pedra e a ergue e pensa..."Pai... mãe..."

Rosely ON

MEu nome é Rosely... sou relativamente baixa... muito baixa... tenhos belos olhos dourados, junto de lindos cabelos brancos de tom prateado que chegam até a minha cintura... minha pele é macia e clara... uma verdadeira pseudo-albina... sou filha de Ban, o Pecado da Avareza, e de Elaine, irmã do Rei das Fadas... pais estes que são o motivo para eu ter que ficar roubando... me abandonaram... me deixaram completamente só... sem deixar vestígios... eu tenho coisas que são somente minhas! Eu as roubei! Mas me pertencem! Somente meu! Nem mesmo meus pais idiotas poderiam tomá-los de mim... mesmo depois de anos sumidos... eu odeio eles... mas... eu realmente amo eles... eu desejo encontrar os dois... eu terei de volta o que é meu... não importa o que tenha que fazer! Aí... tudo voltará ao normal... as pessoas vão parar de me encarar como criminosa...  poderei ser feliz depois te tantos anos! 

Rosely OFF

Rosely era uma garota controversa... calada, não tendo muitos amigos... mas sendo uma pessoa gentil e calma, e muito paciente e tolerante com os outros. O seu maior medo é perder a quem ela ama, coisa que já aconteceu quando era mais jovem... uma característica de seu pai que lhe foi herdado é a sua extraordinária ganancia. Ela era a filha de Ban, isso não era negável, assim como filha de Elaine, pois possuir uma beleza extraordinária, até mais além que a da própria mãe. Ela sempre foi um amor de pessoa, até o dia em que perder ao que lhe era mais precioso... seus pais. Rosely nem percebe que está sendo vigiada por alguém, até que a mesma pessoa murmura algo, que Rosely não entende, mas fazendo-a perceber que não estava sozinha. Ela fala:

Quem está aí?-=Pergunta Rosely ao ouvir o murmuro. Ela fala em bom e alto tom: Apareça. Não irei machucá-lo.-Disse com seriedade. Endim, a pessoa escondida atrás de uma árvore se mostra. Era um garoto. Ele aparentava ter mais de 20 anos. Na visão de Rosely, ele era bem bonito. O homem tinha cabelos negros, curtos nos lados, e espetados para cima, olhos negros em formato de ônix. Ele tinha um tom de pele pardo um pouco claro, e era um pouco alto. Ele vestia uma longa capa preta com detalhes de chamas azuis. Ele vestia uma calça preta, sapatos negros com detalhes cinzas, uma camisa cinza bem escura e ainda tinha um colar prata com um "H". Mas o que chamava a atenção, era as duas espadas em suas costas. Enfim, o homem se pronuncia:

Meu nome é Ten Hakorpian, prazer.-Disse em um tom de voz bem claro. Aquilo dava crença a Rosely que ele não era ameaça. Ele fala: VIm levá-la, Rosely.-Essa parte assusta Rosely. A mesma não conhecia o homem e ele acaba de dizer que iria levá-la. Ela iria perguntar o que diabos ele queria fazer com a brincadeira, mas ele fala, a interrompendo: Não é brincadeira nem nada... é sério. Vamos.-Disse frio, se virando e começando a andar. Rosely protesta:

Não.-Ten se vira.-Por quê deveria?-Questiona extremamente curiosa. Queria tirar aquilo a limpo. Ten simplesmente fala: 

Vai saber quando chegarmos até o santuário.-Disse em tom definitivo, querendo encerrar a resistência de Rosely, mas a mesma persiste:

Não.-Disse séria. Ten simplesmente se aproxima dela,  ficando bem próximo da garota, fazendo com que a mesma corasse levemente. Ele a encara e fala:

Você vem.-Disse mais frio do que antes.-Anã teimosa.-Ele zomba da garota e a mesma, contrariada fala:

Não são anã!-Grita e murmura:... só tenho ossos pequenos...-Disse com o rosto baixo. Ten simplesmente agarra o queixo dela e lhe dá um selinho, fazendo a ruborizar. Ele fala:

Deixa de conversa. Vamos.-Disse sério.

N-Não!-Disse ainda bem vermelha.-Não é bancando o galã que irá conseguir!-Disse voltando ao normal. Uma voz interfere a discussão:

Hum... então... faremos do meu jeito-Disse uma figura encapuzada que se encontrava em cima do tronco de uma árvore. Rosely não a tinha notado antes, mas esconde a surpresa. A garota surreal volta a fala: Olá, Rosely-chan.-Disse acenando a mão.-Meu nome é Eto, braço esquerdo do Diretor dos tão famosos "Jogos"...-Disse enfatizando "jogos". Rosely fica ainda mais confusa. Ela nunca tinha se escrito, embora já tivesse ouvido falar dos tais jogos.  Ela fez menção de perguntar, mas Eto a responde: Não se preocupe. Responderemos tudo quando chegarmos ao Santuário, eu prometo.-Disse séria, embora Rosely não tenha acreditado. Eto percebe e fala: Eu sou uma mulher de palavra. Agora...-disse ficando com um tom ameaçador em sua voz.- você recusou... por isso... temos o direito de levá-la por bem....-Seu Kakugan brilha.- Ou por mal.-Ela sorri sinistramente. Um calafrio percorre o corpo de Rosely, mas a mesma fala arrogante:

Como se pudesse...-Fala com um sorriso arrogante.

Oh?-Pergunta curiosa Eto.-Não! Não serei eu...-Aponta para Ten- Será ele...-Ten começa a empunhar uma de suas espadas, enquanto Rosely simplesmente observa e fala: Contra ele...

O que foi?-PErgunta sério e continua: Está com medo?

Não.-Disse fria.

E então?-PErgunta novamente sério.

Estou contando quantos segundos precisarei pra fazer voltar correndo de volta para o útero de sua mamãe.-Disse convencida. Eto simplesmente acha hilário e Ten franze o cenho. Ele fala:

Insolente...-Disse com um sorriso forçado nos lábios.

Bem... venha.-Disse levitando no ar. Era um de seus poderes. O Miracle Wind. Uma chama vermelha se acende da lâmina de Ten. Rosely não acha nada demais e fala: Você só tem uma espada que acende uma chama... é só isso?

Hmm.-Murmurou Ten e o mesmo lança as chamas em Rosely que repele com o vento. A garota sorri convencida, enquanto o moreno, sem que ela notasse, queima todo o torso do corpo da garota até sua cabeça, ela gritou de dor.-Gostou?

Rosely já estava acostumada com a dor de ser partida ao meio várias e várias vezes... mas ela nunca experimentou ser queimada "viva". A dor era terrível. A dor parecia não ter fim. Cada tecido, cada membro de seu corpo doía a cada milésimo de segundo. Ela se ajoelha no chão e continua a gritar de dor. Ela queria que Ten sentisse o que suas próprias chamas vermelhas estavam lhe proporcionando. Eto, sentada no tronco de uma árvore, entretida, fala:

Fascinante. É muito fascinante.-Disse mordendo metade de uma maçã.-"Será que a regeneração dela é comparável à do Noro ou à minha?"-Pensou. A sua resposta seria respondida em breve. Ainda com dor, Rosely usa o vento para soprar as chamas. Ten possui a habilidade de usar o vento, mas achou injusto usar. 

O resultado do corpo queimado de Rosely era terrível. Seus belos cabelos brancos viraram fumaça negra, seu rosto estava escuro e medonho de tão queimado. Os braços e todo o corpo de Rosely ardia loucamente. Ten estava começando a sentir pena do pedaço de carvão que era para ser uma pseudo-albina. A roupa de Rosely estava toda rasgada. Era uma cena muito triste. Ela começou a chorar baixinho. Ten não se aguentou. Se ajoelhou e observava com uma expressão de tristeza a garota chorar baixinho de dor. Ele fala com a voz triste:

Olha...-Disse tentando colocar a mão no ombro queimado da garota.-Eu... eu não queria...-Disse colocando a mão na pele seca dela.-Desculp--Ele fora interrmpido. Ele recebeu um corte superficial em seu peito. Ele não compreende. Enquanto vê o sangue escorrendo de seu peito, é lançada para longe, partindo duas árvores ao meio. Quando ele vê o que aconteceu, sentiu-se completamente estúpido. Lá estava Rosely , inteira, levitando no ar, com a sua linda aparência ali, como se nada tivesse acontecido. Sua roupa estava um pouco rasgada, revelando uma de suas coxas e parte de sua barriga.  Mas o que intrigava Ten, não era o fato dela estar inteira, mas, sim, o fato de que estava com uma certa fraqueza no corpo. Rosely, com um sorriso nos lábios fala:

Você caiu direitinho!-Disse fazendo Ten se sentir mais idiota ainda. Ela volta a falar: Eu posso me regenerar até de uma poça de sangue, lembra? Nada vai me destruir, pra sempre vou existir!-Disse fazendo um gesto com a mão, fazendo uma pedra de 2 metros de altura chegar ao longe.

Hum... antes de lançar essa coisa em mim...-Disse querendo acabar com uma de suas dúvidas.-Você é filha de Ban e Elaine, certo?-Ele perguntou e a pergunta parecia uma faca nas costas de Rosely. O moreno volta a flar: Você... naquele momento... quando chorou baixinho...-Disse tentando reiniciar a conversa. Rosely estava com a alma atordoada, pois memórias invadiram sua mente.

FLashback ON

Rosely ON

Eu estava brincando com papai e mamãe em uma floresta cheia de pedra... eu tinha uns 9 anos na época... eu estava aprendendo a controlar meu Miracle WInd com mamãe... eu não era nem um pouco boa... muito fraca... eu nem conseguia levitar pedras um pouco maiores que minha mão... mas mamãe não me permitia desistir. Ela insistia para que eu continuasse e  que, com isso, seria tão forte quanto ela e o tio King, talvez até mais! Quando a pedra caiu pela 123° vez... eu estava para desistir... mas papai chegou e falou:

Eeeeei!-Me chamou cantando. Eu amava isso.-Você não vai desistir, né?-Disse ficando na minha frente. Eu sempre ficava impressionada com a altura do papai, mesmo com minha mente de criança. Papai era muito maior que eu e a mamãe. Tinha uns 2,06 de altura. Eu estava com os olhos marejados, simbolizando minha desistência, quando ele me pegou no colo com seu Snatch e fala: Ok! Vai! Vamos lá!-Disse animado me colocando em suas costas. Ele sabia que eu podia levitar como a mamãe, mas ele gostava de me tocar desse jeito... ele não era o único. Ele apontou para uma rocha gigante ali na floresta. Eu não consegui entender logo no inicio, então ele disse: Pode levitar essa pedra, queridinha.-Ele sorriu para mim. Fiquei extremamente pálida. Eu fiquei me perguntando como conseguiria.... aquilo era impossível! Papai logo reparou e disse: Relaxa. Sei que você consegue.-Disse sorrindo para mim. Logo mamãe chegou... acreditei que ela iria por juízo no papai... mas como errei.

Vamos, Rose.-Ela me chamou pelo meu simples apelido. Eu não ia conseguir. Papai me deixou no chão cuidadosamente e mamãe falou: Feche os olhos...-Disse fechando os olhos.-... respire fundo...-disse respirando fundo.-... se concentre...-Disse posicionando a mão- e erga a rocha!-Disse levitando a rocha em pleno ar logo em seguida, deixando a pedra um metro no chão. Eu fiquei de boca aberta, acho que uma mosca passou pela minha boca na hora. Mamãe logo soltou a pedra, fazendo a terra tremer muito, assim como eu. Logo papai disse:

Viu? Nada difícil. Você consegue, filha!-Disse sorrindo largamente. E, então, eu, com suor frio no rosto fechei os olhos... respirei fundo... me concentrei e posicionei a mão... da forma que mamãe mostrou... e, então... eu consegui.

A pedra estava na mesma altura que minha mãe deixou... talvez mais! Quando me dei cona, enquanto papai e mamãe comemoravam, eu sorri largamente. Me sentia poderosa. Eu acabei perdendo foco e a pedra colidiu com o chão.  O tremor foi intenso. Papai logo me pegou com seus longos braços e falou: 

Relaxa, Rosely...-Disse me abraçando. Aquilo era tudo que eu mais amava... esse carinho do papai...-Enquanto ficarmos juntos, nada vai te machucar. Prometo.-Disse sorrindo largamente. Mamãe se uniu ao sorriso, e eu também. E ficamos lá, sorrindo.

Flashback OFF

Eu não havia percebido na hora, mas... eu estava chorando... aquele cara me fez lembrar da promessa do meu pai... a qual ele não conseguiu cumprir... 

Rosely OFF

"É agora!"-Pensou Ten, que lança uma chama vermelha em Rosely. A mesma não percebe e é acertada em cheio."Consegui" Agora--"Ele fora interrompido ao ver que Rosely estava chorando. Ele não entende... ele simplesmente não entende."Não é nem um pouco bom ou justo ver uma garota tão linda chorando... espera! Que merda eu tô pensando?!"-Ele pensa e coloca uma de suas mãos em seu rosto suado."Eu não deveria ver beleza nessa garota... ela é só uma garota que vai morrer nos jogos!!!" Ele coloca a mão no rosto, que já estava suado. Eto, sentada em um tronco distante, observando a tudo, compreende toda a situação.

"Ten Hakorpian... história trágica... motivação forte... será que ele, um justiceiro sombrio, e ela, uma fada imortal, formariam algo interessante...?"-Pensou, um sorriso se forma em seus lábios enfaixados."De qualquer forma, o resultado será espetacular."-Pensou. Ten, ali, suando, nem percebe que fora atingido por um jato de vento. Rosely, ali, levitando no ar, pensa:

"Me fazendo esperar...."-Pensou, e antes que ela pudesse realizar outro movimento, um clarão azul é visto em um milésimo de segundo, e, antes que ela pudesse sequer pensa, outro clarão azul acontece bem em seu rosto, com Ten praticamente 1 centímetro de distância, ambos com os rostos próximos, Ten, com a espada em punho, desintegra toda a metade de cima do corpo de Rosely e pousa no chão. Ele se vira e ela está inteira, novamente, com uma espada de vento formada em sua mão, com um olhar irritado. A mesma fala: 

Você está me irritando...-Disse cortando a barriga de Ten, o mesmo não sente dor e segura a espada de Rosely, surpreendendo a mesma, enquanto um raio amarelo é formado na palma da mão direita de Ten. A mesma olha e, após encarar os olhos de Ten, o mesmo fala:

Sua regeneração deve ter limite...-Disse com o raio se tornando amarelo e intenso. Rosely mal consegue ver e tem todo o corpo desintegrado.-... só preciso fazer que chegue ao limite!-Disse logo após desferir o golpe, e a mesma ressurgir inteira, com um sorriso nos lábios.

Então... tente...-Disse sorrindo, reativando a espada e a colidindo violentamente com a de Ten, causando uma explosão de ar por todo o redor, enquanto ambos trocavam olhares.

 


Notas Finais


O que acharam? Acharam fraco? Desculpe...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...