História Jogos Sanguíneos - Jikook - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Jogosvorazes, Kookmin, Namjin, Vampire, Vampiros, Vhope
Visualizações 126
Palavras 2.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU SEI,
Mas para vocês entenderem o que está acontecendo, leiam minha breve explicação,
Quem me acompanha sabe que faço técnico em analíses clínicas, e essa semana foi semana da saúde lá, ou seja, adas 7h da manhã Às 17h da tarde na escola,
Estou muito exausta, mas sei que a culpa não é de vcs, por isso me esforcei para escrever...
O extra obrigatoriamente sai antes dos jogos, então relaxem,
Ignore os erros, vou revisar depois, pq estou com muito sono

Boa leitura!

Capítulo 9 - A entrevista


Todos os tributos recebiam uma nota de 0 à 12 dos idealizadores dos jogos, ou seja, daqueles vampiros sádicos que gostam de nos ver agonizando na arena, e por isso inventaram esse jogo estúpido.

Eles nos observavam por toda a semana, e a nota saía no último dia de treino, que no caso era hoje.

Estávamos todos agora, na frente da TV do nosso andar. Eu, Sook, Yoongi, Jisoo, e até Jin e Minah.

Embora eu não tivesse uma opinião formada sobre Minah, já que ela ficava mais com Sook, eu tinha me agradado muito com Jin. O mais velho me levava uma roupa de treinamento todos os dias de manhã, e sempre tentava “arrancar a carranca de meu rosto”, como diria ele; eu acabei me apegando ao mesmo, muito mais do que a exagerada de Jisoo ou o irritante Yoongi. Kim sentia meus sentimentos e sensações, e seus concelhos eram os melhores.

As notas começaram a aparecer no televisor, e eu suspirei, tirando a atenção de todos, que mal respiravam.

-Tenho certeza que minha nota deve ser péssima. –Resmunguei.

-Por que acha isso? –Sook perguntou sem tirar os olhos da TV.

Isso porque nosso distrito sempre era o último.

-Ninguém nunca atirou uma flecha perto de um vampiro, nem o desafiou na frente de todos. –Respondi simplista.

-O garoto tem razão. –Yoongi fez uma careta. – E Jeon tem muitos contatos dentro dos idealizadores, com certeza ferrou ainda mais o Jimin.

-Eu disse para vocês não se meterem com os Jeon! –Implicou Yoon. –Mas não, Yoongi tem que encher a cabeça do garoto só porque ele não esqueceu uma pessoa que morreu...

A fala de Jisoo foi cortada por uma Sook.

-Eu tirei 7! S-E-T-E! Isso é... bom, não? –Ela estava empolgada com um 7? Tudo bem, é a Sook...

Mas Yoongi e Jisoo continuaram:

-Por que essa cisma com ela? Só porque até morta ela é mais bonita que você! –Brandeou ele.

-Ei, eu nem ligo mesmo de tirar uma nota ruim. – Interferi, mas aí parei.

A sala inteira parou.

Quando eu dizia que eles nos davam uma nota de 0 à 12, eu falava do que era para ser. Normalmente uma nota 7 como da Sook era razoavelmente boa, bons mesmo eram os que conseguiam 8, ou 9, a maioria tirava notas abaixo de 5, a maior nota recebida até hoje, foi um 10. Quer dizer, até ontem.

11. Minha nota era 11.

-Como...? –Eu quase soltei uma risada. Isso só podia ser uma brincadeira.

-Uau, Jimin! Isso é mais do que ótimo! –Sook parecia admirada.

-Yoongi, isso é péssimo, não? –Jin indagou cabisbaixo.

Como tirar a melhor nota da história pode ser péssimo?

-Sim. Isso é o pior castigo que Jeon podia te dar. –Concordou meu instrutor.

-Eu não estou entendendo. – Murmurei repleto de confusão.

-Com uma nota dessas, todos os tributos quererão te matar primeiro. – Soltou Min e eu engoli seco.

...

Na manhã seguinte, minha equipe de preparação começou novamente dar uma “repaginada” em mim. Hana e Yoseob, cortaram minhas unhas, apararam qualquer resquício de pelos que tinham crescido nessa última semana, escovaram meu cabelo, e fizeram coisas que acho até desnecessário dizer, só sei que eles acabaram no final da tarde.

-Posso finalmente me olhar no espelho? –Pedi com um misto de ansiedade e medo.

Jin, que estava na minha frente terminando de colocar meu terno –um pouco diferente –, sorriu.

-Não seja tão desconfiado. Você está lindo. –Disse ajeitando minhas abotoadeiras.

-Vocês sempre dizem isso. –Revirei os olhos, lançando um olhar descrente para os três.

Eu não me achava alguém bonito ou atraente, eu era um cara... comum. Baixa estatura, cabelos castanhos, e olhos pequenos; Taehyung era muito mais bonito do que eu, mesmo que o mesmo dissesse o contrário, e mesmo Tae sendo um cara bonito e que chamava atenção das garotas no distrito, a beleza vampiresca de JungKook o superava de uma forma assustadora.

Minha equipe de preparação, e meu estilista podiam dizer que eu era lindo, mas eu não era Jeon, e droga, ele é perfeitamente gostoso, até para um cara. Merda, que errado pensar nisso.

Jin me levou finalmente até o grande espelho, e lá eu vi...

Eu realmente estava um pouco atraente.

Algum tipo de maquiagem leve moldava meu rosto, logo acima da minha bochecha tinha um raio de luz dourado, como as chamas, era discreto, porém marcante, os vampiros usavam maquiagens muito mais chamativas que essas.

Minha roupa era uma camisa vermelha, uma gravata preta- que pegaria fogo em algum momento da entrevista- e um terno escuro que tinha um brilho inexplicável, com os tons do fogo; quando eu me mexia, raios de luz passavam pela roupa. Seokjin era um cara fantasticamente bom no que faz.

Os três começaram a bater palmas para mim, gritavam, e pulavam animados. Me permiti a sorrir.

-Gostou? –Meu estilista estava mais empolgado que todos.

-Você sente meus sentimentos, sabe o que eu achei. –Retruquei.

-Mas quero ouvir de sua boca. –Forçou e eu revirei os olhos.

-Eu nunca me senti assim. Nem no dia da abertura dos jogos eu me senti tão...

-Bonito? –Completou, enquanto eu me permanecia um tanto pasmo na frente do espelho. –Tenho certeza que nem Jeon vai resistir aos seus encantos hoje.

-Não venha com essa. –O olhei emburrado. –Você sabe da verdade.

Ele me ignorou.

-Yoseob. Hana. Vocês poderiam me deixar à sós com o Jimin um instante?

-Claro! –Os dois disseram saltitantes e com uma pequena reverência desnecessária, saíram do recinto.

O mesmo se sentou em um sofá e fez gesto para que eu fizesse o mesmo, eu o fiz.

-Sabe, Jimin, eu prefiro acreditar que você se interessou pelo garoto. –Começou.

-Não se iluda, eu só quero viver, nem gosto de garotos, quanto mais de um vampiro. –Olhei para Jin e reparei, que bem, ele também era um vampiro. –Não é isso que eu quis dizer... Mas droga, ele é um garoto, foque nisso, eu não gosto de homens, e muito menos de um que quer me matar.

-Por que tem tanta certeza que não gosta de garotos? Porque sei que disse isso com medo, porque você sabe que é verdade, todos podemos gostar de pessoas do mesmo sexo de uma hora para a outra, principalmente se olharmos com coração. E durante a semana, você me falou dele de um jeito tão... bom... Seus sentimentos naquele momento eram bons.

-Eu mal o conheço, não seja maluco, aish...

-Está de mau humor hoje, tudo bem, não vou tocar no assunto. Só dê uma chance para que isso não seja uma mentira, acredite, isso lhe fará bem. –Suspiramos em uníssono. – Por que está tão apreensivo?

-A festa de iniciação dos jogos começa daqui a uns minutos, e vai ter a entrevista e...

-Ei, calma. – Riu. – Do que mais tem medo?

De tudo? –Pensei.

-Yoongi disse uma vez, que eu sou tão desejável quanto um pombo. –Fiz uma careta, lembrando de um dos “elogios” que o mais velho tinha me passado. – Bem, ele disse isso a Yoon várias vezes também. –Ri e depois suspirei. –Eu só não sei como agir ou o que falar.

-Por que não tenta ser apenas você mesmo? –Propôs o outro.

-Não dá para ser eu... ninguém vai querer um cara carrancudo e mal-humorado para ajudar. –Repliquei.

-Você leva muito à sério as palavras de Yoongi. Eu não acho que você seja assim, a equipe de preparação te adora, naquele dia, na carruagem, o povo te amou! Ninguém da capital consegue parar de falar de você, da sua força, do seu espírito, de seu fogo! –Jin segura minhas mãos, com suas mãos geladas. –Quem é seu melhor amigo?

-Kim Taehyung. – Respondi na lata, esboçando um sorriso só de pensar que ele estaria em algum bar na frente de um televisor me assistindo.

-Então quando o PD lhe perguntar as coisas, finja que está conversando com seu amigo. –Disse simplista, se referindo ao apresentador das entrevistas de todo ano.

-Não faz sentido, Jin, ele não me perguntaria essas coisas. Ele já sabe tudo sobre mim.

-Você consegue me imaginar como amigo? –Assenti incerto. –Então quando estiver lá em cima, imagine que está contando as coisas para mim, como quem conversava no seu dormitório toda manhã, ok? Eu vou estar sentado bem na fileira principal, junto com todos os estilistas, se ficar nervoso, olhe para mim, e seja mais honesto possível.

-Mesmo se eu estiver pensando em algo ridículo? –Indaguei, erguendo uma sobrancelha.

-Principalmente se for ridículo. Tente, ok?

-Irei tentar. –Assenti e sorri.

Jin me causava uma calma incrível, será que era um segundo poder do vampiro?

Já era a hora, e nós precisávamos ir.

-Jin... –Eu nem precisei terminar de falar a frase, ele sabia que eu estava com medo da plateia.

-Eles já te amam! –Lembrou-me. –Seja você mesmo.

E com isso descemos pelo elevador, onde encontramos o resto do pessoal, Sook usava um vestido com detalhes de chamas, combinava com o meu, mas o tecido e os efeitos, eram totalmente diferentes. Yoon nos enche de elogios, mas Min está... estranho. O que é bem normal para ele, talvez ele só acredite que Jeon não vai mais me ajudar, e por isso não precisa mais falar comigo.

Quando chegamos no andar da entrevista, pude ver todos os vampiros e tributos enfileirados, na ordem que seriam entrevistados.

Os vampiros eram os primeiros, depois os tributos, em ordem de distrito, e as damas primeiro. Ou seja, eu era o último.

Antes de entrarmos no palco, Yoongi sussurra alguma coisa para Sook e se vira para mim:

-Não importa o que aconteça, você é apaixonado por Jeon, e é isso que vai lhe manter vivo.

Antes que eu pudesse responder qualquer coisa, já somos obrigados a subir no palco.

Sentamos, um do lado do outro, e fico feliz em só ter Sook ao meu lado.

As câmeras focavam bem em nosso rosto, me fazendo ficar mais nervoso, toda Panem nos assistia agora.

Tentei fazer o que Jin mandou, e fingir que só eu e ele estávamos no recinto, de certa forma, ajudou um pouco.

Bang PD era um vampiro que apresentava as entrevistas há uns 50 anos, sua aparência era impecável como da primeira vez que esteve aqui; vampiros eram quase imortais quando se tratava de aparência. O mesmo usava uma maquiagem carregada, e um cabelo volumoso e colorido, cada ano fora de uma cor, hoje seus cabelos eram azuis como suas lentes de contato –seus olhos eram avermelhados. –

PD então começa a descontrair o público e logo chama a primeira vampira, que era a mesma que me segurou no dia que Jeon foi torturado. Então ela representava Zeus.

A vampira era magra e alta, tinha curvas bonitas que chamavam a atenção de todos, e o que mais me incomodava... ela estava praticamente nua... Seu vestido era transparente como um raio, e ela estava tão atraente como a lua, pude ver de canto de olho o pequeno Jeon (N/A: Maior que você, né...) quase babando pela vampira loira de olhos vermelhos, como os de Jeon.

PD faz os 3 minutos que cada entrevista tinha, durar como nunca, o vampiro de certa forma é animado e tenta fazer com que todos nós brilhemos.

A entrevista da loira aguada passa logo, e quando o sino toca, aparece Jeon JungKook, que se senta sutilmente na poltrona do lado do entrevistador.

-Boa noite, JungKook! –Começou Bang.

-Boa noite, PD! –O mais novo respondeu como quem cumprimentava um amigo.

-É muito interessante lembrar que a sua mãe, que infelizmente já faleceu, já passou pela mesma situação que você, ela lidou muito bem, vai levar algum aprendizado dela? –Perguntou com delicadeza.

-Eu nunca cheguei a assistir os jogos de minha mãe, seria doloroso para mim, preferi aprender por si só. – Mentiu. Era uma grande mentira, ele só não viu, pois, o pai não deixou...

-Entendo. Soube que seu pai, e até você, tiveram uma pequena “discussão” com o tributo do Distrito 12? –Engoli seco quando me citaram na entrevista, pude sentir minhas mãos começarem a suar.

-Bem, não foi bem uma discussão, até cheguei a conversar com o tributo depois... –Ele forçou uma risada. –Nem eu sei o que aconteceu naquele dia.

-Essa discussão de vocês, pode causar problemas na arena? Ouvi dizer que os amados de sangue da 74º, são vocês!

-Não quero misturar o que aconteceu aqui fora, quando eu estiver lá dentro, quero tentar algo diferente dos outros vampiros participantes, não quero que ninguém tenha controle de mim... quero ser eu mesmo. E sobre ele ser meu amado de sangue, pude ter essa certeza quando pairei meus olhos sobre ele, mas não é por isso que irei persegui-lo na arena, quero que ele tenha as mesmas chances dos outros tributos.

Eu identifiquei essa frase como: “vou tentar não mata-lo, Jimin, porém outra pessoa irá te matar”.

O resto dos minutos de Jeon, foi falado um pouco dele, de como o garoto era novo e esperto, sobre ele ser extreme, e ter um bom sangue, coisas que eu ignorei na boa parte do tempo.

As entrevistas passaram bem rápidas, uma por uma, e logo, mais do que eu queria, chegou a hora de Lee.

Eu quase não prestei atenção de tão nervoso que eu estava, afinal, eu era o próximo, mas algo que a garota disse, me fez despertar.

-A senhorita tem muitas pessoas que deixou para trás? –Tudo começou com essa pergunta.

-De certo modo, só minha família, meus pais, e meus dois irmãos mais novos. –Respondeu com seu tom de voz típico, estridente e animado.

-E um amor? Tem namorado? –Essa pergunta era bem frequente por aqui.

-Não tenho namorado, nem ninguém à vista, porém o amor está no ar nessa edição dos Jogos Sanguíneos, isso não podemos negar.

De que merda ela está falando?

-O que a senhorita quer dizer com isso? –Perguntou ele, com interesse estampado na testa.

-Meu parceiro de distrito, Jimin, ele está muito apaixonado. –Murmurou simplista, com um sorriso largo.

Como assim eu estava apaixonado? DROGA, YOONGI!

-Oh, ele anda falando muito de uma amada que deixou no Distrito 12? – Bang quis saber.

-Amado. -Corrigiu.

-Oh! Isso nós não esperávamos!

-Mas vocês o conhecem, ele não o deixou no Distrito 12, o conheceu aqui. -Disse ela como quem contava um segredo, e a plateia ficou em silêncio.

-Espera aí produção, conte mais disso para a gente, Lee! –Insistiu o de cabelos azuis, vendo que o tempo estava acabando.

Procurei os olhos de Jin na multidão, e ele mexeu a boca com um “calma”.

-Não tem muito segredo, é só ver no olhar apaixonado de Jimin... todos sabem que ele se apaixonou pelo vampiro.

-V-vampiro? –Quase se engasgou. -Isso deve ser inédito! Pode nos dizer quem é?

-Espero que Jimin não fique chateado... mas acho que está óbvio mesmo... – Lee Sook era uma cobra venenosa, cujo o veneno se chamava Min Yoongi.

-É o que eu estou pensando? Você está falando de Jeon JungKook? - Pressionou.

-Sim. Dele mesmo. -Ela confirmou.

E diversos "Oooh" vieram da plateia.

Por um momento, as câmeras focalizaram em mim, a minha tela era dividida com a imagem de JungKook. O moreno tinha uma expressão espantada, boca aberta e olhos perdidos, já eu, não tinha nem me tocado que eu precisava controlar minha expressão. Eu tinha ódio. Raiva. Mas por que raios Sook tinha que me expor em rede nacional? Ou expor um sentimento que eu não tinha?!

Abaixei minha cabeça, pelo menos assim todos achariam que no mínimo eu estava envergonhado.

-Vamos ver o que Jimin diz sobre isso. -Continuou PD.  -Porque seu tempo acabou Sook.

Eu estava nervoso, não iria conseguir entrar em rede nacional, falar coisas educadas e ter que negar tudo isso.

As câmeras voltaram a Sook, que se despedia. 

Eu não conseguia.  Eu tinha que levantar, e me lembrava bem das palavras de Yoongi, tenho que fingir ser apaixonado por ele, tenho que passar por essa humilhação em rede nacional, eu só não sei... se sou um ator tão bom.

“Só dê uma chance para que isso não seja uma mentira, acredite, isso lhe fará bem.”

Vou tentar, Jin, eu vou tentar.

A curta caminhada até PD parecia mais longa, e eu podia sentir os olhos de Jeon sobre mim.

O olhei, e ele negou com a cabeça.

Era minha última chance, e ela não estava dando muito certo.


Notas Finais


EITAAAAAAAAAA
E AGORA BRASIL?
YOONGI NAJA ESPERTA?
Eu até gostei desse cap...
Vou tentar trazer att nesse final de semana,

Me digam o que achou, pq gente, eu estou caindo de sono, eu fiz alguma merda?
hahaha
Espero que meu esforço tenha valido a pena!

Amo vcs!
Desculpe eu ser tão ocupada haha
BEIJÃOOOOO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...