História Jogos Vorazes 2° Massacre Quaternario:Maysilee Donner - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Caesar Flickerman, Haymitch Abernathy, Maysilee Donner, Personagens Originais
Exibições 7
Palavras 1.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem^^

Capítulo 11 - Cornucópia


Fanfic / Fanfiction Jogos Vorazes 2° Massacre Quaternario:Maysilee Donner - Capítulo 11 - Cornucópia

    Subimos ao elevador apertando número doze,subindo ninguém da um piu sequer durante a rápida subida,o elevador se abre e chegando a nosso andar,Avy e os estilistas não param de dagarelar sem parar sobre como foi a maravilhosa noite,e como não para de comentar sobre o distrito doze e seus tributos,bem pelo menos eu acho que brilhamos essa noite,ando até meu quarto quando algo puxa um de meus braços olho é Haymitch.

__Você está muito bonita hoje. fiz-Haymitch com seu geito formal

__Obrigado,digo o mesmo. digo

__Foi incrível a entrevista e o doze que você tirou. diz-Haymitch

__Incrível,foi oque você disse todos ficaram boquiabertos. digo

__Esse é meu pensamento Maysilee acredito que você tem os seus. diz-Haymitch colocando a mãozinha em meu queixo se retirando.

Logo entro em meu quarto,tiro o belo vestido que me fez brilhar hoje a noite,logo seleciono do closet uma vestimenta simples,e me dirigo para a sala de jantar,estou faminta hoje pode ser minha última refeição aqui na capital,ja que meu destino e a morte vou me esbaldar com o banquete que me espera,saio de meu quarto se dirigindo a sala de jantar onde todos estão reunidos,e os adultos brindando com taças de vinho,me sento ao lado de Haymitch e começo a encher meu prato,enquanto Bill,James e Avy e os outros estilístas estão tagarelando sobre coisas banais,me concentro em minha refeição,arroz branco com rosa selvagem,cozido de cordeiro com nozes,porco selvagem recheado com uma pasta cítrica amarelada,espaguete ao molho carmesim de tomate com almôndegas repletas de orégano,me empanturro como se a comida estivesse a acabar ficando totalmente cheia,pra finalizar tomo uma taça com água,Avy diz para irmos para a cama mais,para ficarmos preparados para o início dos jogos vorazes.

Saio da mesa,andando lentamente com a mão no estômago que aparentemente está lotado,deito confortavelmente sobre a cama me intrelassando sobres os lençóis alvos,as horas se passam mais o sono não vêem passo quase a madrugada em claro,só de pensar que amanhã enfrentarei uma arena progetada para acabar comigo,saio das cobertas e vou até a sala de jantar e pego um copo com água,e volto o rumo a meu quarto,agora realmente entendo porquê eu estou aqui não para ser uma celebridade temporária mais para entrar em uma arena para ter uma

morte sangrenta, enquanto a multidão encoraja meu assassinato por meio de meus adversários.

Tenho que evitar pensamentos tão mórbidos e nítidos como esses,acho irei conhecer o telhado do prédio,estou curiosa para ver como é,assim como Avy me descreveu continuo andando pelo corredor,silenciosamente andando entreo lance da escadaria que vai ao telhado. Há um

pequeno cômodo em forma de cúpula com uma porta para fora. Quando piso dentro do ar

da noite fresco e ventoso bem úmido e agradável, eu seguro minha respiração contemplando a vista. A Capital brilha como um vastocampo de vaga-lumes em uma floresta. Eletricidade no 12 so em época de jogos em alguns momentos do dia,no geral usamos lamparinas como fonte de luz

Olho abaixo do telhado,e consigo ver as avenidas,e o som dos carros e gritos de alguns da capital,a vista daqui e impressionante,quando algo toca em meu ombro,pulo para o lado me assustando,viro para atrás é Haymitch.

__Vejo que não fui o único que perdeu o sono. diz-Haymitch

__E quem consegue dormir,com oque ocorrerá amanhã. digo

__De fato. digo

__Porque veio aqui? digo

__Sempre venho aqui,desde que chegamos a capital. diz-Haymitch

__Não sabia. digo

__Oh que isso,aqui é um ótimo lugar para respirar,já conheceu a cúpula do Jardim? pergunta-Haymitch

__Não. respondo

__Venha ver o jardim,sei que você gosta de plantas. diz-Haymitch estendendo a mão para minha direção.

Tento esconder ao máximo a vergonha estampada em meu rosto e pego na mão do mesmo,e adentramos dentro da cúpula de vidro cercada pela luminosidade artificial, fico fascinada eles construíram um jardim com canteiros de flores e árvores em

vasos. Nos ramos estão pendurados centenas de sinos de vento,parecido com alguns que vejo nos casebres do 12 so que feitos com estilhaços de vidro,ossos secos de animais e pedaços de vasos de porcelanas em cacos.

__Bonito não acha? pergunta-Haymitch

__Sim,sinto um pedaço de casa,observando essas árvores. digo

__Eu nem sinto falta do doze. diz-Haymitch.

__Até devo imaginar,passamos fome lá. digo

__Isso também. diz-Haymitch

__Você sente falta de alguém pelo menos? pergunto

__Ah sim,minha família,principalmente meu pai depois que você..

__Já disse não tocarmos nesse assunto. repreendo

__Porquê?Você salvou a vida dele. diz-Haymitch

Não gosto de lembrar essa história,quando o pai de Haymitch sofreu um acidente nas minas,ficou gravemente ferido foi nesse mesmo tempo que conheci Haymitch pela primeira vez a alguns anos atrás,quando veio em nossa casa a madrugada fria implorando por nossa ajuda,mais minha mãe estava exausta demais e mando Hayselle e eu,pra ajudarmos chegando na casa de Haymitch o pai dele estava deitado na cama gemendo de dor,enquanto uma enorme queimadura dilacerante cobria sua perna,queimaduras como aquelas ja tínhamos visto antes,ele estava com alto índice de febre,aquela noite foi perturbadora para mim,cuidar daquilo com Hayselle sem minha mãe por perto para auxiliar,más conseguimos salvar o pai de Haymitch.

__Isso já faz muito tempo. digo

__Más sempre terei uma dívida com você,não pude retribuir aquilo que fez por minha família. diz-Haymitch

__Não quero nada em troca só do fato se eu ter salvado seu pai,para mim isso é mais do que o suficiente. digo

__Tem uma coisa que sempre quis lhe dar,pelo que fez e acho que posso dar agora se você aceitar. diz-Haymitch

__Uma coisa? pergunto

__Sim. diz-Haymitch

__Que coisa é essa?

Sem exitar,ele passa a mão em uma mecha trançada de meu cabelo,olhando fixamente em meus aproximando seu rosto,e um beijo era iniciado perante aquele auto,o que está havendo meu coração batendo em ritmos tão acelerados que está a ponto de explodir,minha respiração,está ofegante e não consigo deixar de largar os lábios quentes e suaves de Haymitch,onde nossas línguas sem encontram,e ficamos mais de dois minutos naquele beijo e mal percebo que ele já está encima de mim me abraçando enquanto posso sentir sua respiração conectada a minha,e logo ele para o beijo olhando em meus olhos.

__Se eu não fizesse isso eu...

Ele dá uma pausa na fala.

__Você oque? pergunto com a respiração tensa.

__Não me perdoaria,queria lhe dar isso desde o dia em que salvou meu pai...eu tenho que ir...desculpa por isso Maysilee. diz-Haymitch se levantando e com passos lentos.

__Não precisa se desculpar,só não contarei a ninguém. digo

__Boa noite... diz-Haymitch

__Boa noite. digo

O que foi isso,será que Haymitch fez issopor agradecimento ou por outra coisa? Estou confusa ainda mais que permitir esse beijo,confesso que sinto alguma atração por ele,mais não sentimentos amorosos ou afetivos do tipo,acho que o beijo dele será minha última lembrança já que estarei morta amanhã,continuo deitada e fecho os olhos lentamente,apenas observando a as estrelas refletidas no teto da cúpula,oque será que me espera na arena amanhã,Ilha ou algum deserto só irei descobrir quando estiver lá dentro,visualizo cada cena que ocorreu hoje,queda do saltos,preparação,entrevistas,o beijo de hoje com a mão nos lábios.

Depois de algum tempo saio da cúpula,e vou andando até meu quarto e me jogo na cama afundando em meus profunfos sonhos,acordo de manhã não vejo Haymitch,Evan e nem se quer Lince,mais Avy,James,Bill estão lá,à minha espera me entregam uma simples veste e me conduzem até o telhado,minhas vestimentas finais estarão abaixo da arena todos nos despedimos,Avy está lacrimejando por eu ser um dos melhores tributos que ela teve a honra de representar,ela me dá um abraço,junto a James que me diz:

__Lembre-se não vá a cornucópia sobrevivência e melhor que o combate. diz-James

__Não vou. digo

__Se cuida. diz-James

Quando um Aerodeslizador aparece no ar,e libeta uma corrente com uma escada quando posiciono minhas mãos ele me puxa para dentro, ainda estou presa quando uma mulher num casaco branco se aproxima de mim carregando algum tipo de seringa,algum tipo de rastreador olho o mecanismo mordendo meus lábios de dor,

enquanto a agulha insere o dispositivo metálico de localização profundamente sob a pele no

lado do meu antebraço. Agora os Idealizadores sempre serão capazes de traçar meu lugar na

arena e saber onde eu estou,não querem que um tributo de uma de esperto,e tente fugir da arena sem luta,a escada me libera finalmente estou,e logo me dirigem até uma sala onde será servido o café da manhã,Bill está a minha companhia,nem reparei que pegaram ele,não estou particularmente com fome,más como um pouco para não ir a arena de barriga vazia,a comida passa como serragem em minha boca estão tão nervosa que nem a comida está me surtido efeitos,viro meu rosto e observo as janelas,voando pela capital.

Continuo sentada e aflita enquato a viagem dura por meia-hora antes de janela ficar escura, sugerindo que nós estou me

aproximando da arena. O aerodeslizador aterrissa e Bill e eu voltamos para a escada, só que

dessa vez ela segue para baixo dentro de um tubo subterrâneo, dentro das catacumbas abaixo que ficam sob a arena. Nós seguimos instruções para o meu destino, uma sala para minha

preparação. No Capitol, eles a chamam de Sala de Abertura. Nos distritos, é referida como matadouto inicial.Tudo é novo em folha, serei o primeiro e único Tributo a usar essa Sala de Abertura. Já que as arenas mudam a cada ano e depois viram atrações de turismo depois dos jogos,

Quando minhas roupas chegam Bill me ajuda a me vestir,uma blusa preta,a calça é verde escura,com um marrom meio viscoso,e um casaco com capuz alaranjado,que reflete o calor de meu corpo,e me garante um pouco de conforto nas noites frias,quando Bill puxa de seu bolso meu broche dourado e o anel de Leslye.

__Tome,creio que sejam seus. diz- Bill

__Obrigado. digo dando um último abraço colando o broche em minha blusa e o anel em meu dedo.

Vou andando até que uma voz femina,me avisa que a abertura vai começar,ando até uma placa de metal e olho para Bill.

__Boa sorte,garota doze minhas fichas estão todas indo para você. diz Bill

__Verdade? digo-Surpresa

__Verdade. diz-Bill

Dou um sorriso,Eu levanto meu queixo e fico tão reta quanto posso. O cilindro começa a levantar. Por talvez menos de dez segundos, eu estou na escuridão e então eu posso sentir a placa metálica me

empurrando para fora do cilindro, para o ar aberto. Por um momento, meus olhos estão

ofuscados pela brilhante luz do sol e eu estou consciente apenas do vento forte com o cheiro

esperançoso da natureza.

Então escuto o lendário locutor, Claudius Templesmith, enquanto sua voz ruge ao meu redor.

__Senhoras e Senhores a Quinquagésima Edição dos Jogos Vorazes irá começar.

O Cubo branco marca Sessenta segundos, e observo os quarenta e sete pendestais nem um sinal de Haymitch,não posso sair desse pendestal até o gongo me liberar,se não eu já era,consigo ver o chifre da enorme trombeta dourada lá está a cornucópia com centenas de coisas espalhadas, recipientes de água,

armas, remédios, vestimentas,tem alguma coisa errada a cornucópia não oferce nenhum tipo de suprimento,só oferecia armas,será que eles mudaram as regras do jogo por causa da edição especial essse ano,bom suprimentos isso será útil,mais tem alguma coisa errada nessa arena,é o lugar mais maravilhoso que se pode imaginar,Cornucópia dourada ficava no meio de uma campina com grupos de flores gloriosas, e o céu tinha uma cor azul-celeste, com macias nuvens brancas. O campo estende-se por quilômetros, e ao longe havia uma floresta de um lado, e uma montanha coberta de neve,a minha esquerda um extenso lago cristalino brilhante,a Campina e extensa até a Cornucópia não consigo deixar de olhar para aquelas flores brilham como um arco-iris,tem um perfume tão delicioso e porém muito familiar,consigo oivir alguns tributos fungando acho que também se encantaram pelo cheiro que parece...ah não como eles.. antes que eu posso me concentrar o cubo termina de ecoar o 3...2...1.. o gongo soa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado....até a próxima tributos ^^.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...