História Jokenpo; Jikook - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Yaoi
Exibições 337
Palavras 3.240
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei um tantinho, mas é que realmente estou meio sem tempo :'D
Mas cá está a outra parte da one
Espero que gostem e boa leitura!~

Capítulo 2 - Two


Eu certamente não sabia que Jungkook gostava de mim —se é que aquilo era verdade— e apesar de tudo eu sequer desconfiava. Mesmo o acastanhado vivendo me importunando ou até mesmo o fato dele viver vindo atrás de mim, eu certamente não havia pensado nisso, nunca mesmo. Talvez pelo fato de Jeon fazer sucesso com as meninas eu tenha pensado na possibilidade dele ser hétero e acabei por pensar que o garoto só me irritava por irritar.

Mas eu admito que iria adorar se ele gostasse de mim.

Mesmo eu sendo “seco” com Jungkook, eu realmente gostaria de saber qual seu gosto. Ele pode ser irritante, mas como eu disse anteriormente eu realmente me acostumei com ele. Eu estaria mentindo se dissesse que o acastanhado é feio e que não desperta nenhum tipo de desejo em mim.

Não que esse seja o caso.

Além de eu achar que Jeon era nada mais nada menos do que hétero, eu ainda o achava muito inocente. Muito mesmo.

ChimChim~ : Não sei não

ChimChim~ : Ficou maluco, Tae?

TaeZudo~ : Jimin, você nasceu burro assim ou fez cursinho na Fisk?

ChimChim~ : Vai se foder, por favor

TaeZudo~ : O Kookie é doidinho por você, cara! Ele quer seu corpo nú

ChimChim~ : Que engraçado você

ChimChim~ : Ele é hétero.

TaeZudo~ : TÔ RINDO E NÃO É POUCO HEIN

TaeZudo~ : Tão hétero quanto eu

Decidi que era melhor ignorar o Tae, ele só dizia bobagens. Bloqueei a tela do celular e fui ver o que tinha para jantar. Encontrei com minha mãe na cozinha, ela preparava ramen. Me sentei em uma das cadeiras e fiquei esperando a mesma terminar. Após jantar eu voltei para meu quarto e fiquei assistindo um pouco a televisão, quando era mais ou menos umas dez da noite eu decidi me arrumar para dormir e logo depois de já estar deitado na cama eu fitei o teto. 
Comecei a pensar a respeito do que Taehyung me disse mais cedo, sobre Jungkook gostar —possivelmente— de mim. Se aquilo fosse verdade então porque o acastanhado nunca me contou? Será que era porque eu o tratava friamente? É, certamente podia ser por isso.

Logo me lembrei das imagens de Jungkook que mandaram mais cedo no grupo e se eu sentia calor antes, agora eu me sentia no inferno. Ele era realmente alguém bonito e aquele corpo… Ah, aquele corpo! 
Jeon era um pedaço de mal caminho, mesmo com aquele rostinho completamente inocente. Parando para pensar nisso, acho que ele nunca namorou. Ele nunca me falou sobre namorada alguma e até onde sei ele sequer beijou alguém. O acastanhado era provavelmente mais inocente do que eu imaginava. Caí no sono pensando no garoto e aquilo me assustava um pouco.

Acordei no outro dia atrasado para a escola, acontece que o sonho que eu estava tendo —por mais estranho que fosse— estava tão profundo que eu sequer havia escutado o alarme tocar. Me levantei rapidamente e fui me arrumar, fazia tudo correndo como se eu precisasse chegar na escola para continuar vivo.  Eu havia sonhado com Jungkook. O sonho se repetia e repetia na minha cabeça e aquilo já estava me deixando paranóico. Talvez eu tivesse medo de que quando o garoto chegasse para me dizer oi ele também falasse “Sonhou comigo hein, Hyung! Seu pervertido.” aquilo definitivamente era assustador e eu com certeza estava com uma cara assustada. 
Nas aulas não foi diferente, me lembrava cada vez mais do sonho. Me lembrava de tantos detalhes que eu ficava bravo com meu cérebro. Lembrar de Jeon me beijando na aula de química foi ruim, mas pior ainda foi lembrar do acastanhado mordendo todo meu corpo na aula de matemática. Sério.

Eu nunca fiquei tão feliz em ouvir o sinal para o intervalo, pensei que se eu conversasse com alguém eu pararia de pensar naquele sonho esquisito da noite passada, mas lá estava eu parado em meio ao pátio me lembrando novamente daquelam coisa quando Jeon chegou e me abraçou por trás.

—Bom dia, Hyung! —Falou e eu me virei rapidamente fazendo o mesmo me soltar.

—Bom dia. —Disse rápido e baixo.

Bastou eu olhar em seus olhos que eu lembrei exatamente do sonho e corei violentamente no mesmo instante. —Está tudo bem? Você está vermelho como um tomate. —Perguntou e eu desviei o olhar, dando de ombros. Só respondi com algo como “deve ser o calor” e ele completou com algo parecido com “Realmente está muito calor” e logo depois me propôs jogar jokenpo.

—De novo você está pedindo para jogar! Não temos nada para resolver, eu já lhe disse. —Falei firme e vi um sorriso se formando em seu rosto.

—Pode me acompanhar até o banheiro, Hyung? —Perguntou e eu arqueei a sobrancelha. Que tipo de pergunta era aquela?! —Só quero conversar a sós com você. —Falou enquanto eu via seu sorriso sumir.

Gelei ao pensar que ele possivelmente iria falar sobre gostar de mim, ou algo assim. —Tudo bem. —Falei e então fomos até o sanitário.

Se eu estava com medo? Com certeza.
Se eu ia sair dali? Nem fodendo.

Assim que entramos me encostei na parede por pura preguiça, precisava dar uma descansada nas costas, e então pedi para Jeon começar a explicar. —Queria jogar um jokenpo com novas regras, entendeu? —Disse e eu acenei com a cabeça, indicando que ele podia continuar. —Se jogarmos e eu ganhar eu escolho algo para você fazer e vice-versa. O perdedor é obrigado a fazer o que for pedido ou então terá que pagar uma certa quantia de dinheiro. O valor aumenta dependendo da dificuldade do desafio. Entendeu, Hyung? —Explicou calmamente e eu franzi o cenho.

—Tá bem, você gosta de jogos não é mesmo? Bem, eu topo. —Disse sorrindo.

O sorriso de Jungkook se tornou algo malicioso. —Então vamos começar agora, Jiminie. —Falou enquanto se aproximava mais de mim.

Senti o ambiente esquentar de repente, a voz do acastanhado estava realmente sedutora. Ainda assim eu concordei em jogarmos. Falamos jokenpo e logo fizemos os gestos com as mãos, eu com papel e ele com tesoura o que acarretou —obviamente— na vitória de Jeon que manteve um sorriso largo no rosto.

—Então, o que eu terei que fazer? —Perguntei enquanto cruzava os braços e senti Jungkook acabar com todo o espaço que separava-nos.

—Vai ter que me beijar, Hyung. —Falou com o rosto quase colado no meu e então selou nossos lábios.

Não deu nem tempo de eu pensar em alguma resposta, em dizer que talvez eu pudesse pagar para não cumprir o “desafio”. Ele apenas me beijou intensamente como se quisesse fazer aquilo a séculos e mesmo que eu tenha protestado no começo, logo eu comecei a ceder deixando meus braços entrelaçarem seu pescoço. Quando as coisas estavam ficando mais quentes, Jeon se afastou com a expressão mais sexy que eu já havia visto ele fazer.

O olhei com os olhos arregalados, provavelmente eu estava vermelho. —Entendeu o tipo de jokenpo agora, certo? —Falou e eu continuei o encarando.

Jeon Jungkook estava me propondo um jokenpo sexual, é isso mesmo? 
Ok. Ele não é nada inocente.

—Você é um pervertido. —Falei ainda escorado na parede atrás de mim.

O acastanhado riu, voltou a se aproximar de mim então sussurrou em minha orelha. —Você me deixa assim, Hyung. —Falou dando uma mordida na minha orelha logo em seguida. Logo após isso ele saiu do banheiro como se nada de diferente tivesse acontecido deixando o Jimin confuso aqui para trás. Após uns dois segundos pensando naquilo eu deixei o banheiro também. Pensei seriamente sobre contar aquilo para Taehyung, mas achei melhor não dizer nada por enquanto.

Na hora da saída eu estava lá parado em frente a escola esperando Jungkook, cujo este havia pedido para que eu esperasse, mas ele nunca aparecia. Já estava pensando sobre ele ter ido embora sem mim então comecei a andar, havia cansado de ficar parado ali. Foi então que eu senti o garoto me abraçar por trás completamente forte. —Ia embora sem mim? Eu havia pedido para me esperar. —Falou em meu ouvido e eu me arrepiei por inteiro.

—Você demorou, o que eu posso fazer? —Resmunguei e ele só soube rir.

Fomos para casa dele a pedido do mesmo. Ele disse que os pais estavam viajando a negócios e por isso ele estaria sozinho, e assim seria mais fácil para jogar “jokenpo”. Eu sabia que aquilo era mais um convite para acabar jogando isso até acabar em algo +18, mas sinceramente eu não iria cogitar. Apenas aceitei e fui. 
Estou na puberdade e com os hormônios a flor da pele, fora isso quem está me chamando para ficar sozinho em sua casa é ninguém mais ninguém menos que Jeon Jungkook e como eu já disse… ele é lindo. Portanto, se ele quer me foder, ele definitivamente pode.

Bom, não necessariamente assim, mas enfim.

Assim que chegamos ele pediu para eu ir até o quarto dele que logo em seguida ele iria. Subi para o cômodo e me sentei na cama, fiquei esperando Jeon chegar que só veio após uns 3 minutos com dois copos em mãos. Era chá gelado, certamente. Conversamos um pouco enquanto tomávamos o chá e foi só acabarmos que ele já estava me encarando como se fosse me engolir.

—Jungkook, antes de qualquer coisa… me deixe lhe fazer uma pergunta, sim? —Falei e ele assentiu com a cabeça. —Você já namorou alguma vez? —Perguntei e ele pareceu desconfortável com a pergunta.

—Nunca, por que, Hyung? —Perguntou e eu apenas dei de ombros.

—Nada, só curiosidade. Já havia beijado alguém antes de mim? —Perguntei e ele voltou a assentir com a cabeça.

Ele já tinha trocado beijos com alguém e nunca me contou?!

—Sabe, achei que fosse hétero. —Indaguei e ele caiu na risada como se eu tivesse contado uma piada das boas.

—Não existe hétero perto de Park Jimin. —Falou sorrindo de lado e eu senti um arrepio na espinha.

Aquilo me soou tão estranho que eu não sabia se ria ou se ficava assustado. Logo já estávamos prontos para jogar o Jokenpo sexual, como eu havia apelidado o joguinho gentilmente. Joguei papel e ele pedra, logo eu ganhei e me senti realmente vitorioso por um tempo até notar que o sorriso malicioso de Jungkook sequer havia sumido de seu rosto.

—O quer que eu faça, Hyung? —Perguntou enquanto se ajeitava na cama, sem tirar o olhar de cima de mim.

Pensei por um instante e cheguei a conclusão de que eu não deixaria as coisas fáceis para Jeon. Me aproximei rapidamente dele e dei um selinho simples no mesmo, logo me afastando. Pude ver a expressão de desgosto do mais novo e soltei um riso nasal. —Você é sem graça, Jiminie. —Falou e então voltamos as posições para jogar.

Dessa vez o acastanhado ganhou e acho que ele nunca esteve tão feliz. Voltou a se ajeitar na cama e deu dois tapinhas em suas coxas enquanto mordia o lábio inferior. —Quer que eu sente em seu colo? Sério? —Perguntei com a sobrancelha arqueada e o mesmo concordou com a cabeça. O encarei por um tempo e logo suspirei, não era como se eu tivesse muitas opções, certo? 
Me sentei em seu colo, de frente para o mesmo. Uma perna de cada lado do corpo dele e nossos rostos quase juntos, esses éramos nós agora. —Bom garoto. —Disse rouco e eu apenas ignorei. 
Senti Jeon colocar as mãos em minha cintura um tanto forte, não que machucasse, mas seriamente aquilo era um tanto que excitante, admito.

A partir do momento em que Jungkook segurou em minha cintura ele ao mesmo tempo me “prensou” um pouco para baixo fazendo minha bunda realmente ficar colada no pênis de Jeon. Fala sério, ele é mais do que pervertido. —Jungkook, me responda mais uma coisa. —Falei cerrando os dentes e ele apenas ficou esperando eu falar. —Você é virgem? —Perguntei enquanto o encarava sério e via o mesmo corar levemente.

Demorou alguns segundos pra me responder, parecia constrangido com algo. O garoto pervertido de alguns momentos atrás parecia ter sido tomado por aquele Jungkook inocente de sempre. —Não. —Falou meio baixo e eu arregalei os olhos.

—Que? —Perguntei quase gritando enquanto me afastava um pouco. —Não pode ser! Você… tipo, você não é virgem?! Oi?! —Voltei a gritar e eu não sabia se ele queria rir da minha reação ou se ele queria morrer de vergonha.

—Hyung, não vamos falar disso agora. Vamos voltar para nosso jogo, deixa isso pra lá. —Falou enquanto retornava a me puxar para mais perto dele, sem me tirar de seu colo.

Se havia algum volume ali, agora estava completamente morto.

—Jungkook, você transou com uma menina ou um menino? —Perguntei ainda com a sobrancelha arqueada e vi Jeon corar violentamente.

—Jimin deixa esse assunto pra lá, por favor! —Praticamente implorou e agora eu queria rir. —Tsc. Continue com o que eu mandei você fazer. —Falou meio bravo e eu realmente queria rir da cara dele.

—Mas já estou sentado no seu colo, biscoito pervertido. —Zombei enquanto ria e vi o garoto revirar os olhos.

Suas mãos, que antes se encontravam em minha cintura, agora haviam descido até meu quadril. —Rebole, Hyung. —Ele falou autoritário enquanto me olhava nos olhos.

Meu sorriso debochado de antes agora havia sumido. Eu não sei quantas vezes Jungkook teve relações sexuais, mas notei que eu sabia pouco sobre o garoto que vivia grudado em mim todos os dias. Tudo dava a entender de que ele era um tanto que experiente naquilo, e se não fosse ele seria apenas um pervertido de primeira. 
Eu até ia protestar sobre a ordem de rebolar, mas a partir do momento em que Jeon deu um tapa em minha bunda e voltou a ordenar que eu rebolasse em seu colo, eu fiz sem mais nem menos.

A expressão do acastanhado começou a mudar para algo que eu sequer sabia identificar. Ele mordia o lábio inferior e as vezes revirava os olhos como se estivesse adorando aquilo mais do que qualquer outra coisa, até que eu comecei a gostar da situação quando senti o garoto ficar excitado e foi logo ai que o mesmo me fez parar de rebolar. —Vamos jogar de novo, Hyung. —Falou e eu fiquei o olhando com cara de poucos amigos.

Por que ele simplesmente não continuou as coisas?! —Para que jogar se já estávamos no clima? —Indaguei e ele riu baixo.

—Assim é mais divertido. —Explicou e então revirei os olhos, bravo.

Jogamos mais uma vez e para variar ele ganhou. Dessa vez ele pediu para que eu tirasse a blusa do meu uniforme e assim fiz, sem sair de seu colo. Ele parecia secar meu corpo, voltou a segurar em minha cintura por alguns segundos e depois voltamos a jogar, desta vez eu ganhei para minha felicidade. Mandei ele tirar a blusa, não queria ser o único a ficar sem uma peça de roupa por ali. Mais umas rodadas daquele jogo e eu já me encontrava sem roupa alguma assim como Jungkook. Estava deitado na cama dele enquanto o mesmo distribuía beijos e mordidas por todo meu corpo.

Aquilo parecia o sonho que tive, só que melhor.

Ele era bom naquilo, eu estava gostando e meus pensamentos estavam em outro mundo. Eu implorei internamente para que Jungkook não ousasse perguntar se eu era virgem, pois eu não era. No entanto ele parou de distribuir beijos e mordidas pelo meu corpo para jogar mais uma vez o tal Jokenpo sexual. Da última vez quem havia ganhado tinha sido ele, mas agora havia sido eu e aquilo me aliviou por completo pois sabe-se lá o que ele iria pedir só para prolongar isso aqui e sinceramente eu já não aguentava mais preliminar nenhuma.

—O que vai querer que eu faço, Jimin? —Perguntou e eu o olhei sério.

Puxei-o para mais perto de mim e sussurrei em seu ouvido. —Quero que me foda, Jungkook. Agora. —Foi minha vez de ser autoritário e pude ver o sorriso do acastanhado crescer de orelha a orelha.

—Seu desejo é uma ordem, mestre. —Falou e eu mais uma vez me arrepiei por completo.

Logo senti Jeon penetrar sem mais nem menos, foi rápido e instantâneo. Tenho quase certeza de que soltei um gritinho que pode ser ouvido pelos vizinhos enquanto agarrei os lençóis. Lancei um olhar bravo para o garoto que apenas sorriu malicioso. Fala sério, nem um preparativo antes, Jungkook?! Era realmente difícil acreditar que ele não era virgem. 
E antes mesmo que eu pudesse dizer algo sobre ele já poder se mover ele o fez, lentamente. Era torturante. Ele saía e entrava tão lentamente que parecia uma lesma. Queria bater nele e dizer “anda logo com isso, caralho!”, mas eu apenas levei minhas mãos até suas costas e cravei minhas unhas nas mesmas, logo então arranhando-as.

—Parece ter pressa, Jimin. —Falou rouco em meu ouvido. Parecia se divertir com minha tortura e eu realmente queria estourar a cara dele. Como ele era irritante! Senti uma estocada forte e soltei um gemido falho. —Prefere assim, Hyung? —Perguntou para me provocar e eu mordi o lábio inferior. Ok. Ele é irritante e gostoso, admito. —Me responda. —Ordenou e eu tentei falar algo, mas tudo que saiu foi um “aham”.

Após isso Jungkook começou a investir mais nas estocadas e agora sim eu podia dizer que estava gostando cem por cento. Ele ia cada vez mais rápido, podia ver as gotas de suor escorrendo por sua testa e se alojando todas juntas na ponta do queixo do mesmo. Seus cabelos já estavam parcialmente molhados de suor também, acho que o fato de estarmos no verão não ajudava muito, mas isso era o de menos. Além de que ele também tinha um certo rubor nas bochechas por conta da temperatura e sinceramente aquela visão de Jeon Jungkook sem roupa alguma, todo suado e por cima de mim era realmente fascinante. E se tornava ainda mais fascinante quando eu me lembrava de que ele estava dentro de mim.

Quando ambos chegamos ao ápice, Jeon simplesmente se deitou ao meu lado com a respiração ofegante. Eu podia ouvi-la e era até que meio engraçado. Fiquei parado encarando o teto enquanto recuperava o fôlego e só então caiu minha ficha de que eu havia transado com Jeon Jungkook e aquilo era um tantinho anormal para mim. Porém foi realmente muito bom.

—Hyung, posso te contar uma coisa? —Perguntou e eu apenas assenti com a cabeça. —Eu era virgem até alguns minutos atrás. —Completou e eu arregalei os olhos, virando meu rosto para ele.

—O que?! Mentiu por que, retardado?! —Interroguei bravo e ele riu.

—Não queria que fugisse por me achar inexperiente. Apesar disso eu sei de muita coisa… —Eu o interrompi.

—Você é com toda a certeza retardado. Não é possível. —Falei irritado e ele voltou a rir.

—Eu te amo, Hyung. —Falou sorrindo e eu fiquei o encarando com cara de bobo.

Depois disso a minha amizade —supostamente colorida— com Jungkook até melhorou, admito. Taehyung vive dizendo “shippar” nos dois e a maioria das vezes eu sinto vontade de mandá-lo calar a boca, mas até que apoio eu e Jeon namorarmos. E lá estava eu, na minha casa junto ao acastanhado enquanto fazíamos um trabalho de geografia, uma semana após o ocorrido na casa de Jeon, quando o garoto me encara.

—Hyung, vamos jogar Jokenpo? —Perguntou com um sorriso malicioso.

Eu definitivamente passei a amar geografia.


Notas Finais


Talvez futuramente eu faça mais "Ones", tudo depende da minha criatividade e de saber se vocês gostaram ou não //apanha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...