História Jornada das letras - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Castiel, Crowley, Dean Winchester, Garth Fitzgerald IV, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Aventura, Dean Winchester, Supernatural
Visualizações 4
Palavras 827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Haha! Olá meu povo leituresco que não tem conta no bradesco que rima com negresco , mas eu prefiro Oreo...
Voltamos a programação para animar esse sábado.
Boa leitura!
Não deixes de comentar, favoritas e compartilhar!

Capítulo 8 - Uma bibliotecária incomum


Era uma noite chuvosa, fria e de ventania quando Leonor saiu do trabalho. A algumas semanas ela havia sido contratada pela biblioteca local; Leonor não gostava de ficar muito tempo em casa e a proximidade com os livros a agradava, portanto se agarrou ao emprego para distrair.

     Lou se arrependeu de não ter ido de carro, sua sorte é que sua casa ficava perto, mesmo assim não escapou de chegar encharcada em casa. Ao entrar no corredor do primeiro andar notou que as luzes estavam apagadas e as acendeu, no momento em que virava para subir no seu andar as luzes atrás de si piscaram, Lou percebeu isso e tirou sua faca especial, que sempre carregava consigo na bolsa. De repente as luzes piscaram, o ar ficou e um grito rompeu o silêncio sepulcral do corredor; vinha apartamento dos McAble. Dona Flor abriu a porta de seu apartamento depressa com um pacote de sal grosso – ela era casada com um caçador.

— Entre e vede a casa, Dona Flor!—falou pegando o sal da senhorinha mexicana e entrando como um furação na casa dos McAble.

    Ao entrar visualizou a vizinha encolhida no chão e o fantasma a sua frente, Lou tratou de jogar o sal na criatura que se dissipou.

—Vamos! — Gritou e puxou a vizinha pelo braço. — Rápido! Rápido!— Empurrando-a em direção da porta. Os fantasmas de um velho e de uma mulher apareceram na frente das mulheres, Miriam, a vizinha de Lou caiu sentada no chão, de susto e Leonor tornou a jogar sal nas criaturas que sumiram.

— Levante Miriam! Para casa da dona Flor, já! —ordenou a bibliotecária correndo com ela porta a fora.

     Entrarão ofegantes na casa da senhora, fecharam a porta. Lou reforçou a sala porta ao entrar.

— O que eram aquilo?— perguntou Miriam enquanto soluçava e chorava.

— Fantasmas. —Miriam olhou incrédula para Lou.

— Sim Miriam, eles são reais. —disse a senhora dando um copo com água a nervosa mulher.

— Mas como...— Lou a interrompe.

— Olha Miriam, eles são reais. Algum parente seu ou do seu marido – um parente morto- pode querer vingança de algo. Você sabe de algo?

— Não, não temos parentes próximos mortos.

     Andando de um lado para o outro Leonor buscava respostas em sua mente, algum livro que tenha lido, até um a luz acendeu em sua psique.

— Miriam, você comprou algo usado, tipo um colar, ou anel ou algo antigo, algum artigo como quadros, vasos ou móveis? — indagou para a loira.

— Hum .... Sim, acho que sim. Comprei um quadro com Jonas, o que isso tem haver com os fantasmas?

— Tudo, por falar nisso onde está seu marido?

— Está viajando, volta hoje. — disse meio confusa.

— Okay, é o seguinte— disse ela pegando um garfo de lareira e entregando a Miriam. — Eu e você vamos até sua casa queimar esse quadro, assim os fantasmas sumirão, ferro e sal os fazem sumirem temporariamente e eu preciso da sua ajuda, se eles aparecerem é só bater neles com o ferro.

     Leonor havia deixado sua faca cair no chão do apartamento de Miriam com toda a confusão e a queria de volta. As duas saíram do apartamento, Lou com uma chave de cano na mão direita e o sal na esquerda.

— Pronta? — perguntou Lou a Miriam que abanou a cabeça dizendo não.— Miriam você precisa me ajudar a te ajudar, certo? Eu ficarem te dando cobertura, nada vai te machucar, só preciso que queime o quadro, sacou?

 — Saquei. — disse um pouco apreensiva.

    As duas entraram no apartamento, Miriam se aproximou do grande quadro de uma fazenda e a mulher fantasma apareceu as suas costas, entre ela e Leonor.

— Miriam abaixa! — ordenou Lou que o fez quando Lou golpe a fantasma com a chave de cano.— Vá logo! Queime!— falou enquanto golpeava os dois fantasmas atrás dela.

    Miriam tirou o quadro da parede e jogou no chão, mas antes de jogar o isqueiro foi empurrada pelo fantasma do homem que a fez cair no chão e deixar o isqueiro cair em cima do tapete começando uma fogueira na sala de entrada do apartamento. Lou viu os fantasmas segurarem Miriam contra a parede, um com a mão em seu pescoço e outro com a mão em seu peito. Lou num movimento rápido pegou o quadro e o jogou no tapete em chamas; assim como o quadro os monstros queimaram deixando senhora McAble cair no chão ofegante e um lancinante dor no peito. Salmon a ajudou a se levantar, o alarme de incêndio começou a apitar segundos depois entrou senhor McAble com um extintor na mão apagando as chamas após a entrada de sua casa.

—O que aconteceu?— disse olhando para a vizinha que amparava a sua mulher muito ofegante— Miriam você está bem?

— Sim— disse sorrindo para Jonas— Leonor me salvou.

  Após explicar a história ao marido de Miriam, recuperar sua faca e receber os agradecimentos do casal, Lou foi finalmente para casa descansar, foi um dia de emoções e uma noite cheia de adrenalina.


Notas Finais


Que tal deixar um capitulo sempre no domingo e quando der na quinta, depois desse final de semana? Eu aprovo! quando a semana começar as postagens só serão feitas a noite por volta das oito horas da noite.
Mas parar de enrolação Magna! Vamos pro próximo que esse final de semana vai ser capítulos a "doidado".


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...