História Juego Del Poder - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Angelique Boyer, Michael Jackson
Visualizações 27
Palavras 1.942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee
Capítulo
Com
Surpresinhas ^^

♥ Boa leitura!! ♥

Capítulo 19 - Voy a Intentar Entenderte


Fanfic / Fanfiction Juego Del Poder - Capítulo 19 - Voy a Intentar Entenderte

Fomos conversando como pessoas civilizadas dentro do carro, embora Michael sempre jogasse suas cantadas meia boa para cima de mim. Era engraçado ver o quão ridículo é saber que possivelmente estou apaixonada por um cara feito ele. 

- Víctor está? – dei passagem para Michael entrar em meu apartamento. 

- Não. Ele só volta de noite. – fechei a porta com chave. – pode ficar tranquilo. – subi até meu quarto para levar a bolsa. 

- Fala isso uma serenidade. – parei no meio da escada o encarando. – como ela é linda. – saquei o dedo médio. – que amor. Deusa? 

- Hm? – fui para a cozinha. 

- Dá um copo d’gua? 

- Vem pegar, não nasci para ser escrava de ninguém! – Michael arqueou as mãos em sinal de paz. – vai querer almoçar? 

- O que tem aí? 

- Lamén. 

- Que merda, deusa. Por isso está magrela desse jeito. 

- Michael, o Lamén que meu pai faz é dos deuses! 

- Aaaaah sim, seu pai é Rá agora? – assenti. Michael me encarou com os braços cruzados e uma cara de indignação – vai se ferrar. 

Tinha duas opções, a primeira poderia jogá-lo da janela, do último andar; a segunda, poderia esfaqueá-lo. Jackson está acabando com o que resta de minha paciência e não vai demorar muito para que quebre a cara dele. Mas meu braço não está lá grandes coisas. 

- Ok! – arqueei as mãos. – eu peço o almoço. 

- Não, não. Podemos fazer juntos. – o relógio marcava 01:22PM, caso demorássemos mais iríamos comer as três da tarde. 

- Eu sou péssima em cozinhar. 

- Sou seu professor. 

- Tudo bem! – bufei. 

Preparamos todas as coisas para começar a cozinhar, Michael parecia saber bastante sobre cozinhar – mesmo que ele nunca tenha me dito uma coisa dessas. Sua agilidade era surpreendente, eu ali só estava atrapalhando, mas mesmo assim Jackson quis me ensinar a fazer um maravilhoso Strogonoff de Frango. O cheiro já denotava que aquilo estava ótimo, por todos os deuses. Vou engordar muito! 

- O que achou? – ainda estava mastigando a comida. Tive que bater palmas para aquela divindade chamada comida. 

- Excelente. – Jackson sorriu. – nunca me falou que cozinhava. 

- Gosto de impressionar minha futura noiva. 

- Aaaaah sim, sonha Jackson, sonha. Conta pra mim dos seus relacionamentos. – Michael começou a tossir. – tá ok... 

- Meus relacionamentos? 

-Yea. – sorri. 

- Na verdade eu sou um fracasso com isso

Entender Jackson era fundamental para mim, saber o porquê dele ser esse tipo de pessoa, um machista como o pai. Se houver uma amizade com ele será justamente para saber o que acontece e aconteceu em sua vida. 

- Prazer. – sorri. – fala pra mim, não ficarei chateada, será até melhor. 

- Ok... Am... Na verdade só tive um relacionamento ao qual me fez muito mal. Há uns... Três anos atrás namorei uma garota chamada Heloisa... foi a primeira menina que me apaixonei. 

- Que meigo. – Michael me olhou com total desaprovação, apenas sorri com as mãos segurando meu rosto. 

- Mas depois de um tempo namorando com a princesa, descobri que ela era uma puta na verdade. – arregalei os olhos. – Heloisa vivia me traindo com outros moleques da escola. Eram todos nóias. 

- E por que ela te trocaria? 

- Oras, porque ela usava drogas junto com eles. Foi daí que também comecei a usar... Tento sair disso mas sem chance. E depois vieram as consequências, chegar bêbado em casa como de costume, mas antes a frequência era bem maior. 

- Espera, você soube da traição mas continuou com ela? – encarei Jackson esperando uma resposta. Ele parecia não querer tocar no assunto, mas é bom mexer nas feridas, ou elas sangram ou melhoram. 

- Sim. Queria ver até onde ia o cinismo dela. Era meu primeiro relacionamento ao qual tinha me apaixonado por uma vadia. Continuamos frequentando baladas e bares, depois vinham as drogas, bebidas e sexo. 

- Tá explicado o porque você é um tarado. 

- Hey! – mostrei-lhe um sorriso debochado. – também não é pra tanto. São só uns beijos... e uma mão boba de vez em quando. 

- De vez em quando nada! Não deixo você me tocar. 

- Uhum, veremos. – riu maliciosamente. 

Lavamos a louca e fiz minha higiene. Dei uma escova para ele e em seguida voltamos a conversar no terraço. Nos sentamos no chão, encostando na parede. 

- Mais algum relacionamento? 

- Nenhum. Eu sou um merda filho da mãe, um completo fracassado no amor. Por isso eu pego todas as meninas e descarto como de fossem lixos. 

- Ma-chis-ta! – silabei o encarando. – sério que você acha isso? Sério que você tem a coragem de falar isso pra mim? Michael, olha bem pra vida que você tem e olha pra minha. 

- Nada de diferente. 

- Tudo diferente. Vivemos dentro do mesmo mundo, você sabe o que é não ter o amor de pai e mãe graças a política, ter uma infância cercada de corruptos e outras merdas. Você sabe perfeitamente disso. Mas nada disso me fez mudar e ser um machista como você. 

- Ísis, o que você entende sobre o amor? 

- Entendo que com amor não se brinca... – Michael gargalhou ironicamente. – tanto que brincaram com os seus sentimentos e agora você desconta em todas que come apenas por um simples desejo de “vingança”. Isso é ridículo! 

- Já vi que não dá pra falar com você. 

- Não. Não dá pra falar com você! – dei um soco em seu braço. Jackson ao menos tentou se afastar. – muito infantil, Michael... Muito infantil. 

- Ísis, quer trocar de lugar comigo por um dia? Vai ver o inferno que é. A pressão dentro da própria casa, na faculdade, e em qualquer outro lugar. 

- Eu sei! – exclamei. – passo por todos esses problemas durante os dias, e nem por isso afundo o que resta de minha dignidade na bebida! 

- Eu já disse, não consigo parar. – respirei fundo, contando mentalmente até dez. – é algo sem volta pra mim, Storni. 

- Faz o seguinte, eu te ajudo a sair do vício das drogas e do álcool, e deixo de ser grosseira com você. 

- Mais uma aposta? – assenti. – hm... ok, eu aceito. Maaaas com uma condição. 

- Qual? 

- Durma em casa hoje. – arregalei os olhos. 

- Não. Never. Zettai! 

- Sim! Amanhã vamos para a faculdade juntos. 

- Puta que pariu, a onde fui me meter? – afaguei os cabelos, prendendo em um coque. – tá bom, eu vou. 

- Sabia que logo iria ceder. – Michael se aproximou mais de mim, suas mãos começaram a segurar minha cintura, ok, meu plano está começando. 

- Michael, para. – tentei me afastar. 

- Não evite, você sabe que nós queremos isso. – seus lábios roçaram nos meus, me fazer de vítima era o primeiro passo. 

Michael começou a dar pequenos beijos em minha boca, com algumas mordiscadas. Seu sorriso de vitória já havia se formado nos lábios enquanto forçava algo comigo. Fechei os olhos ao senti o gosto de sua boca junto a minha. 

- Michael Jackson, por favor. 

Este mal deu ouvidos ao que falei, aceleramos nosso beijo até deitarmos ao chão. Os lábios de Michael foram para meu pescoço, alguns chupões e mordidas foram deixados por ele. O mesmo me levantou e prensou contra a parede, pulei em seu colo e adentramos o apartamento indo para meu quarto. 

Presada contra a porta do mesmo, Michael arrancou minha blusa em pouco tempo. Suas mãos tentavam um contato com minha intimidade mas o barrei logo de início. 

Conforme retornamos nosso beijo, o trazia para mais perto de mim. Esta boca era completamente excitante, me deixava louca em minutos. Porra! 

Meus pés tocaram o chão sem ao menos perceber, fomos caminhando até minha cama e Jackson me jogou na mesma. Conforme nosso beijo tornava-se apressado e necessitado podia sentir minha intimidade latejar. Velozmente tirei sua camisa, a jogando no chão. 

- Não acha que está com muita pressa? – neguei. 

- Temos todo o tempo. – rente a seu ouvido falei, deixando uma mordida no mesmo. 

Já era possível sentir seu falo enrijecido por baixo da calça, por Deus, estava surtando. Trocamos de posição logo, Michael me permitiu ficar sob seu corpo enquanto suas mãos se davam ao trabalho de abrir meu sutiã. 

Distribuía beijos por toda a extensão de seu pescoço, com diversas mordidas neste. Michael estava adorando tudo isso, eu também... Confesso. 

Suas boca apanhou meu seio esquerdo com beliscões, chupões que estavam me fazendo delirar. Inclinei meu corpo para trás o deixando tomar conta da situação, suas grandes mãos apertavam minhas coxas ainda sob a calça jeans, a pressão que fazia estava acabando com meu ser. 

Michael me jogou a força contra a cabeceira acolchoada de minha cama, abrindo o zíper de minha calça e atirando em seguida. Seu sorriso malicioso logo surgiu, mas Jackson não me estimularia agora. Este tomou nossos lábios deslizando sua mão esquerda até minha intimidade. Dois dedos passaram suavemente contra vagina, me deixando a ver navios. Fechei os olhos mordendo meu lábio inferior. 

- Estaria pecando se quisesse fazer você implorar para mim? – mostrei-lhe um sorriso irônico. 

- Pode tentar. – arqueei uma sobrancelha. 

Michael começou com mordidas em minha coxa, alguns beijos, até retirar minha calcinha. Ao sentir dois dedos penetrarem minha intimidade, um gemido arrastado havia saído de minha boca. Prazer e agonia me definiam naquele momento, Jackson me calou com um beijo, a cada momento sentia que iria ejacular em sua mão. O maldito estava adorando tudo aquilo, sua cara de satisfação já mostrava. 

- Parece que alguém está aprendendo perfeitamente como agradar o gostosão aqui. – este estava lambendo os dedos depois de me masturbar. 

- Ha ha ha. Talvez sim, ou talvez não. – trocamos de posição. – agora é minha vez, Jackson. 

- O que irá fazer? – perguntou “inocentemente” 

- Shi! – coloquei um dedo sob sua boca. – sem perguntas! – com meu tom autoritário Michael apenas se calou. 

Abri o zíper de sua calça tirando-a em sequência. Deu membro estava totalmente ereto por debaixo de sua cueca box, estava me dando água na boca. Ao tirá-la não podia desviar o olhar de seu pênis, totalmente enrijecido. Passei minha língua por sua glande, e em seguida o adentrando em minha boca, Michael soltava alguns urros de olhos fechados. Suas mãos pousaram sob minha cabeça acelerando os movimentos, logo Michael acabou ejaculando em minha boca, por opção não engoli o sêmen. Este segurou meu rosto fazendo-o encarar, no mesmo momento senti uma queimação em meu rosto... Droga! 

- Sabia que você fica muito sexy assim? 

- Não diga lorotas! 

Este me puxou, colocando meu corpo de bruços. Pude ver Michael pegar uma camisinha e colocar rapidamente em seu membro. Ele estava esperando por isso. – pensei. 

Seu membro adentrou-me vagarosamente, por início senti uma dor que logo foi cessando pela sensação de prazer que estava sendo proporcionada. Nossos gemidos eram a sintonia do quarto, junto com os tapas que estava recebendo. Michael puxou meu cabelo fazendo encostar minha testa em seu queixo. 

- Já está implorando? 

- N..nunca! – Jackson apenas riu. 

- Resistente você, não vai durar muito tempo. 

Michael tirou seu membro de mim e logo se deitou, me ajudando a sentar neste novamente, conforme suas estocadas eram mais fundas meus gemidos aumentavam bem mais. O suor escorria por meu rosto, saí de dentro do mesmo e deitei a cabeça no travesseiro. 

- Você venceu! 

- Sabia que faria você implorar, sou um gostoso mesmo. 

Talvez fosse mesmo, mas não anularia nada em nossa guerra. Se estivesse mesmo apaixonada por Michael? E seu jeito idiota... mas antes de tudo precisava ter uma transa com o infeliz. O que mais odeio é saber que ele é bom de cama.. Merda! 

Quem sabe vá existir algo por trás disso... 


Notas Finais


É isso unnies!

❤ Amo vocês!! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...