História Jump In The Fire - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Metallica
Personagens James Hetfield, Jason Newsted, Kirk Hammett, Lars Ulrich, Personagens Originais
Tags James Hetfield, Jason Newsted, Kirk Hammett, Lars Ulrich, Metallica
Exibições 24
Palavras 1.863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


mais um, espero que gostem! se alguém estiver acompanhando, por favor comentem ou favoritem, qualquer coisa!

Capítulo 3 - High, but not in the good way.


Fanfic / Fanfiction Jump In The Fire - Capítulo 3 - High, but not in the good way.

Fechei a porta do meu quarto ignorando a gritaria que havia lá fora. Estava exausta, e eu não havia feito nada a noite inteira além de ficar sentada. Apesar da barulheira que os caras fizeram no show, parecia que eu estava em um transe e não ouvia nada. Aquele vazio interior me sugava cada vez mais, mas claro que não tive a privacidade que queria, e logo Alan surgia gritando no meu ouvido que era hora de ir embora. Fui com a maior vontade possível, sem nem me comunicar com qualquer pessoa presente no ambiente. E aqui estou, jogada na cama, depois de uma discussão fútil com Alan e Lisa - sua esposa, que bem, me odeia. 

- Atende, inferno - discava o número pela quinta vez. Sem resposta. - Porra, Amy! 

Amy é minha melhor amiga que conheci em uma das minhas saídas as escondidas, ela é a única que entende o que eu vivo e prometeu que me faria passar por essa etapa miserável da minha vida. Pois bem, estou no aguardo. 

Ignorada pela melhor amiga e pela vida. Virei de lado e esperei o sono chegar. 

7h45 AM 

- Anda Louise, já te chamei seis vezes. - ouvia a voz de Alan enquanto o mesmo me cutucava sem parar. - O voo sai às 9h, o aeroporto é longe. Vamos!

- Que voo? O que você tá falando? - respondi meio sonolenta ainda, creio que só dormi por três horas. 

- Show em Montana essa noite. Rápido. - disse indo em direção à porta, parando em seguida. - Suas malas estão ali. Desça em 15 minutos. - e saiu. 

Malas, mas que porra? Não é só um showzinho? Mereço. Levantei da cama com dificuldade e olhei o relógio, de fato, era muito cedo. Me arrumei parecendo uma desengonçada, e peguei as tais malas. Pesadas até demais. Abri as mesmas e notei que quase todo meu armário estava lá dentro. Que porra é essa?

- Louise! - pude ouvir a voz de Alan gritando lá de baixo. Não hesitei e desci carregando aquele peso. 

- Se cuide, querido. - Lisa dizia abraçando o homem de sua vida, segundo ela mesma. - Me ligue quando chegar. 

Passei por perto deles, sem nem olhar na cara de ambos, e os mesmos não retribuíram nenhum olhar, já que estavam se amando como nunca. Romance, me poupe.

- Certo, vamos Louise. - disse Alan virando a atenção para mim, que aguardava na porta. Saímos, nem me despedi daquela mulher insignificante, não tenho tempo para dramas. 

- Pode ao menos me dizer aonde estamos indo? - perguntei sem humor. - E qual a necessidade de tanta coisa? - apontei para as malas, que estava carregando sem ajuda nenhuma, obrigada!

- Já disse, Montana. - esperou que eu colocasse as malas no porta-mala e em seguida fechou o mesmo. - Oras, é uma turnê. De lá iremos viajar de novo, até o fim. Pode deixar as malas em casa então se prefere usar a mesma roupa todo dia. 

Então eu vou ter que ficar indo e voltando de lá pra cá na companhia desse cara e do resto do pessoal? Maravilha, ein?

Não respondi, apenas entrei no carro e permaneci calada o resto da viagem até o aeroporto. Não pude deixar de reparar o quão bonito é esse lado da cidade. Percebi que não estávamos parando em nenhum estacionamento local, e sim adentrando uma área mais reservada. Na mesma havia dois jatinhos, é claro, se trata de gente rica, Lizzie! Reconheci algumas pessoas da produção, dessa vez em menor quantidade, colocando o equipamento na área inferior de um dos jatinhos. O carro parou e Alan saiu, logo indo atrás do mesmo e abrindo o porta-mala. Fiz o mesmo movimento na intenção de pegar minhas malas e dar o fora, antes que alguém venha puxar papo comigo por ser a filhota do papai. 

- Pegue as malas e coloque lá - Alan apontou na direção do pessoal que estava responsável pela bagagem. - Entre e não faça bagunça. - disse por fim e saiu em encontro com outras pessoas. Bagunça? Eu não tenho mais 11 anos. 

Antes que eu pudesse xingar em voz alta, fiz logo meu dever e peguei as malas. Ou pelo menos tentei, fala sério, eu nem tenho tudo isso de roupa. Puxei o cacete da mala já estressada, mas falhei. Em outra tentativa falha, já mudei meu humor - indo de mal à pior - e dei uma bicuda no carro, que claro, doeu. Ignorando a dor insuportável no meu pé, puxei a mala do porta-malas com mais força e a mesma já estava em minhas mãos, mas pelo cansaço, estava fraca e quase a derrubei em meu pé já dolorido. O quase foi graças a um ser vivo que tomou posse do objeto em minhas mãos antes que eu desistisse de segurar aquela porcaria. 

- Quer ajuda? - perguntou rindo. Olhei pro lado e aquele garoto de ontem tava aqui, mas que diabos? Burra, ele faz parte da banda. 

- Não. - respondi curta e grossa, como sempre. E na tentativa de puxar a mala de volta, consegui derrubar dessa vez. Boa. 

- Bem que seu pai falou que você é teimosa. - disse baixo ainda rindo - Para de frescura, anda, me dá essa droga. 

- Ele não me conhece. Você também não. - já estava irritada com a recepção que empurrei a mala com os pés pro rapaz, desistindo de bancar a durona. - Leva então, saco. - ele pegou a mala e saiu com um sorriso vitorioso. Fiquei parada lá, não sabia o que fazer, ninguém me auxiliou em nada, mais uma vez eu tava perdida no meio de um monte de gente desconhecida. 

- Hey! - ouvi um grito de me chamou a atenção - Você é morta ou o quê? - mais uma vez o loiro ria como se eu fosse uma atração de circo - Se a gente atrasar a culpa é sua, Louise. 

Lizzie, merda.


Entrei em um dos jatinhos, não sabia qual o certo então foi de chute. Só havia um rapaz junto com uma mulher loira se agarrando no meio das poltronas. Péssima hora para ter entrado, pelo visto os dois me ouviram e logo pararam de se agarrar naquele ambiente e me olharam. 

- Hum.. eu… é.. acho que entrei no lugar errado - tentei disfarçar o constrangimento mas era óbvio. 

- Não, você tá no lugar certo, eles que não estão. - um moreno surge do meu lado e fazendo quase pular de susto. - Lars, não acredito que você trouxe uma garota pra cá. Não poderia ter esperado a gente chegar na cidade? - completou tirando a atenção de mim e reprovando a atitude do amigo, deduzo. 

- Não enche, Kirk. - respondeu o garanhão de loiras. - E você é quem? - olhou para mim, antes que eu pudesse responder, mais uma voz. 

- Minha filha, Louise. - Alan aparece de repente - Que deveria estar comigo no outro jatinho e não aqui. - disse em tom de bronca. Como eu iria saber? 

- Porra, essa é a tua filha? Se eu soubesse não teria trazido outra. - o tal Lars se intrometeu indignado e apontou para a mulher que estava ao seu lado, que ignorou o comentário estúpido dele. Eu não faria isso. - Ela fica com a gente, Richard. - ordenou o rapaz. Seu tom não me confortava muito, e se esse cara for tarado? 

- Não acho que seja uma boa ideia Ulrich. - Alan retrucou, fico impressionada como seu jeito autoritário muda com os outros, aqui ele é só um empregado, e eles, os chefes. 

- Já que o Lars prestigiou a moça com uma imagem errada de nós, acho que o mínimo que devemos fazer é tirar essa ideia da cabeça dela. - o moreno de cabelos cacheados interferiu na discussão. 

- Certo, certo, certo. - Alan repetiu, parecendo querer dizer para si mesmo. - Não quero zona e nem baixaria. Kirk você é o responsável, já sabe… Anthony está vindo em 5 minutos. - e saiu. Minha vontade era de rir, ele era um capacho na frente dos outros caras e eu me sentia vitoriosa em ver a cena. 

- Então… - Lars começou a dizer - Louise, né?

- Lizzie, só Lizzie. - respondi. Será que irão aprender?

- Lizzie - ele repetiu fazendo graça com a voz. - Senta aí. - fiz, sentando em uma das poltronas daquele mini-jatinho. - Você namora? 

- Ulrich! - Kirk reprendeu - Não liga, ele não cansa de passar vergonha. - o moreno sentou do meu lado, me acalmando um pouco, pelo menos ele é sensato. - Bem, sou Kirk, esse é o Lars, e essa… - olhou para a acompanhante do colega - não sei quem é, pra ser sincero. 

- Ela sabe quem é a gente, mané. - Lars interrompeu a apresentação. 

- Hum, eu deveria? - perguntei envergonhada. Pelo visto Kirk entendeu minha situação e tentou se explicar.

- Certo. Kirk Hammett, guitarrista. Lars Ulrich, baterista. - me informou após apontar pro amigo que estava em choque. Legal, vou dividir o voo com a banda que eu nem conheço. - Os outros dois estão atrasados.

- Tudo bem, eu me acostumo com a ideia. É, quem é Anthony? - a curiosidade foi grande, um nome citado, imaginei que fosse mais algum integrante. 

- Nosso segurança de longa data. Aliás, são três, mas sempre uma dupla muda então não sabemos quem virá conosco dessa vez. Ele é legal, mas pega muito no pé. 

Não deu nem um minuto e logo surge 3 pessoas na entrada, uma bem brava que empurrou os dois outros seres, bem, um eu já conhecia, infelizmente. 

- Onde vocês estavam? - Hammett levantou da poltrona também bravo. 

- Azarando as moças da bagagem. - o homem alto respondeu, claramente incomodado com a atitude dos dois rapazes. Um deles apenas se dirigiu quieto até o fundo do recinto, sentou e colocou fones de ouvido. Um bom dia pra você também! 

O outro não deixou de reparar na minha presença e logo soltou aquela risada. 

- É sério? Não sabia que teríamos companhia. - o loiro de olhos azuis logo veio caçoando de mim e sentou perto de nós - Que ótimo, agora a gente tem mais tempo pra conversar, Louise. 

- Vocês se conhecem? - Ulrich comentou. 

- Não - respondi.
- Sim - James respondeu ao mesmo tempo. Parou e me olhou estranho. - A filhinha do Richard, já nos encontramos por ai. 

- O QUÊ? Você já pegou o James antes de mim? Sabe que isso é traição né? - mais um comentário daquele ser, que era muito baixinho por sinal. 

- Mas o quê? NÃO! - respondi indignada, esses garotos são burros? - Não, não, não. Só conversamos. Vai demorar pra esse troço decolar? - perguntei querendo fugir do assunto, e bem, daquele ambiente. 

- Todos aqui? - Anthony perguntou após mais dois homens chegarem e os garotos encherem eles de perguntas. - Ótimo, podemos ir. Avisarei o piloto. Comportem-se! 

E minutos depois o jatinho estava nas alturas. 


Notas Finais


Nos vemos na próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...