História Jungkook, The Serial Killer - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bangtansonyondan, Bts, Chimchim, Hobi, Horror, Hoseok, Jeon, Jhope, Jimin, Jin, Junghoseok, Jungkook, Killerjungkook, Kim, Kook, Monnie, Nam, Namjoon, Parkjimin, Psicopata, Rapmonster, Seokjin, Serialkiller, Sobrenatural, Suga, Tae, Taehyung, Terror, Yoongi
Visualizações 76
Palavras 1.603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooooi
Voltei gente tentei não demorar tanto, mas Espero que gostem do novo capítulo e eu quero agradecer a cada pessoinha que lê e gosta do que eu escrevo♥
Vocês me deixa sempre tão feliz com seus comentários fofos, amo vocês demais :3

Tenham uma boa leitura amores

Capítulo 14 - K I M


Fanfic / Fanfiction Jungkook, The Serial Killer - Capítulo 14 - K I M

A moment few ago...


*Jungkook on*

— Fala logo Hyung! — fico eufórico esperando ele falar o que havia descoberto.

— Então, antes de você chegar do mercado eu já tinha descoberto a identidade dele, e agora através daquele idiota lá eu soube de um possível lugar que ele possa estar — Taehyung sorri — O nome dele é Kim Seokjin, ele era um menino prodígio, filho daquele CEO e chefe de quadrilha que a gente matou. Mas depois que ele viu o pai morrer ele se corrompeu ao crime e virou o novo chefão daquela merda lá, abandonou a escola, faculdade e o futuro todo que ele tinha por vingança... — ele da uma pausa mas logo continua — Não é certo que o que aquele capanga dele falou é verdade... mas, você quer tentar?

— Claro que sim, se eles tentarem pegar a gente em uma armadilha nós pegamos eles na própria armadilha provavelmente vão tentar levar um de nós até ele e chantegear — sorriu com uma expressão divertida no rosto. Taehyung concorda e parece fica um pouco pensativo — o que você tá pensando?

— Que tal a gente chamar nossos velhos amigos para nos ajudar — ele fala e um sorriso travesso cresce aos poucos em seus lábios.

— Não acha que eles iriam tentar nos matar depois do que fizemos? — riu irônico e vou até a geladeira pegando suco de tomate é colocado no copo

— Não sabia que você bebia sangue Jungkook — ele gargalha

— Vai se fuder — riu tomando um pouco

— Mas relaxa, depois que a gente se separou eles voltaram a falar comigo e eu pedi desculpa por tudo que aconteceu no passado, e disse que agimos por impulso. Aí prometemos começar tudo de novo... Iai? topa?

Penso um pouco mas antes que eu possa responder um batido na porta me assusta e eu vou andando e falo para o Taehyung ficar atento, ele tira uma arma da calça e se esconde atrás da divisa da sala para a cozinha.

E eu ando lentamente até a porta e quando abro era a Hana, ela estava horrível e quando olho de relance, vejo que sua casa estava em chamas.

— Hana? O QUE ACONTECEU? — falo surpreso

— Eu matei minha família — ela sorri e desmaia em meus braços.

A levo para dentro pensando que o que eu pensei dela desde o começo não passou de uma mera ilusão, nunca iria imaginar que ela pudesse fazer alguma coisa do tipo. Será que foi ela que pôs fogo na casa? Mas não faz sentido ela tá com roupa de dormir deve ter acontecido enquanto ela dormia

E por que esse olhar frio e esse sorriso de satisfação que ela deu antes de desmaiar? Certamente essa garota é capaz de fazer muito mais coisas do que aparentou na primeira vez que a vi. Confesso que ela conseguiu me deixar surpreso e confuso.

Escuto sirenes de ambulância, policiais ou bombeiros vindo e coloco ela para dentro. 

— Que merda Jung... Jungho, que merda tá acontecendo?

— Eu não sei Hyung, mas acho que vamos ter que encobrir ela de algum crime.

Ele suspira, mas não fala nada. Nem concorda e nem descordar apenas fica calado e eu coloco ela no sofá enquanto a ele vai chamar os paramédicos da ambulância

[•••]

Agora eu e o Taehyung estávamos no hospital, pois, éramos os únicos que estavam presente e segundo os bombeiros a família dela foi totalmente carbonizada por conta do fogo que se alastrou muito rápido, só conseguiram identificar elas por causa da arcada dentária por que o resto...

Estávamos sentados na sala de espera e o Tae não havia dito nenhuma palavra desde que saímos de casa, ele apenas me olhava com uma expressão brava, mas eu nem ligava.

Não demorou muito para que policiais viessem nos interrogar, sorte que já havíamos tido uma breve conversa em casa antes dos paramédicos chegarem e já estava tudo combinado.

— Olá eu sou o Oficial In e estou aqui para fazer algumas perguntas — nós nos levantamos e o cumprimentamos educadamente

— Claro, em que podemos ajudar? — Taehyung diz.

— Então, vocês eram as únicas testemunhas no momento do ocorrido e a vítima aparentemente foi correndo direto para sua casa. Tem algum motivo?

— Eu acho que ela só veio para a primeira casa que viu na frente, pode ter sido por as luzes estarem acessa ou algo do tipo. Faz pouco tempo que cheguei na vizinhança — falo sorrindo mas o policial continua sério, babaca.

— E o que faziam acordados a essa hora da madrugada? — ele diz anotando tudo no bloco de notas.

— Sabe oficial, o meu irmão mais novo —Taehyung toca no meu ombro — ele sofre de insônia desde que... — ele da uma breve pausa fazendo uma expressão triste — desde o dia que os nossos pais morreram, então eu acordei a noite para beber água e o vi na cozinha, só de toalha...

— Ok, ok. Sem mais detalhes, obrigada pela ajuda — ele apenas acena e vai embora.

Eu riu olhando para o Taehyung e me sento novamente. Se tem uma coisa que policiais não gostam é saber de coisas íntimas das pessoas, e se houver algum trauma ou tragédia relacionada ao depoimento eles não vão questionar, sendo assim acabando logo a conversa. Sorriu vitorioso.

— Nem vem com essa cara que foi tudo graças a mim — Ele ri

— Ata, foi mesmo? Foi por que você me usou... "O vi na cozinha só de toalha" — repito imitando sua voz — pelo amor, sorte que ele caiu nessa baboseira toda

— Ah qual é, você falou que tinha que contar algo constrangedor. Foi a única coisa que pensei — ele se aconchega na cadeira e dá um sorrisinho de lado.

Apenas reviro os olhos e fico esperando alguma notícias sobre a Hana. Eu deveria estar preocupado?! Sinceramente só queria sair logo daquele lugar e ir pesquisar mais sobre o tal Kim Seokjin.

O médico chega subtamente na sala de espera e eu e o Taehyung nos levantamos juntos.

— Acompanhantes da senhorita Yang Hana? — ele fala olhando para a ficha e quando nos vê parados bem na sua frente ele dá um sorrisinho — ela está estável agora, só precisa passaram a noite no hospital conectada aos respiradouros pela quantidade de fumaça que ela inalou.

— Isso é ótimo! — o Taehyung finge estar animado — será que a gente pode ir pra casa?

— Sim, mas... aí menos uma pessoa tem que ficar com ela e como vocês sãoao os únicos responsáveis, um de vocês tem que ficar, ela vai precisar de apoio por perder a família... — o médico fala olhando a prancheta em suas mãos — Ela está no 3° andar, ala 3 e quarto 145

Ele vai antes que alguém possa falar.

— Você fica, tchau — Taehyung diz saindo de fininho mas eu seguro sua gola — qual é cara, você que quis se meter nisso, a gente já tem as nossas próprias merdas para resolver e o "senhor bonzinho" — ele diz com ironia — quer dar uma de caridoso logo agora? Se você quer ficar com ela foda-se, mas me deixa ir para casa tentar achar algum jeito de poupar nossa pele, coisa que nós dois deveríamos fazer. Mas você quer dar uma de babá dessa garota, que se dane! só me deixa ir — ele tira meu braço com brutalidade.

Eu não falo nada apenas passo as mãos bruscamente pelo meus cabelos ainda húmidos quando ele sai, e vou andando em passos largos e apressados até o elevador para acompanhar essa garota.

Quem merda, uma parte de mim falava para eu ir embora e a outra me falava para ficar, eu queria dar razão para aquela que me andava ir embora. Mas enquanto eu pensava nisso percebo que a parte de mim que queria ficar já tinha controlado meu corpo e deixado-me na porta do quarto da Hana.

— Que se dane — sussurro e entro no quarto sem bater e fecho a porta atrás de mim

Ela ainda estava desacordada, então eu apenas me sento no sofá de espera e acabo cochilando. 

*Taehyung on*

Estava tranquilo no meu quarto quando escuto um barulho vir lá de baixo, automaticamente fico em alerta pensando que não seria o Jungkook por que a essa hora ele ainda está no hospital com a namoradinha.

Pego minha arma e coloco na frente do corpo abrindo a porta lentamente em modo de defesa olhando os lados para que não fosse surpreendido 

Assim de desco as escadas vejo uma silhueta masculina escondida em uma parte mais escura na casa. 

— QUEM É VOCÊ? — falo alto e aponto a arma para sua cabeça

— Alguém que você não gostaria de conhecer... — ele se aproxima — Você matou um dos meus homens, tsc. Foi mesmo uma distração...

Ele falou com tanta convicção andando para o lado que eu exitei por um segundo mas voltei a minha posição segurando a arma firme.

— Melhor você calar a porra da boca antes que eu atire no meio da sua testa seu desgraçado — falo com a voz grossa e ríspida.

— Tem certeza? — ele ri alto

Quando menos espero sinto uma coronhada forte na minha cabeça me fazendo cambalear e cair no chão zonzo. Ele apenas ria e eu via com a vista embaçada um outro homem se aproximar de mim, o idiota que estava falando comigo a pouco deu algum tipo de sinal para o outro e eu sinto ele chutar minha cabeça fazendo-me apagar completamente.

Jungkook espero que você não seja tão burro e consiga me restrear. Se eu te conheço bem você deve ter colocado algum rastreador em mim quando segurou minha gola

Minha vida depende de você agora seu psicopata...



Notas Finais


Aaah então foi isso espero que tenham gostado♥♥

Até a próxima

Correção de erros ✖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...