História Juntos pelo acaso - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!jimin, Bts, Jeon Jungkook, Jikook, Kookmin, Namjin, Park Jimin, Romance, Taeyoonseok, Top!jungkook
Visualizações 367
Palavras 2.723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY MEUS BOLINHOS \0/

Postei a bomba e saí correndo. (Dasi run run run)

Boa leitura à todos ♡

Capítulo 11 - Chapter X


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo acaso - Capítulo 11 - Chapter X

Aguente firme Jimin, estou voltando para casa. Voltando para jisung, voltando para você. Porque vocês são meu tudo.


                  °•○●°•○●°•○●°


              ● Park Jimin On

Distância nunca foi uma palavra boa em meu ver. Odeio tanto essa palavra. Mas até algum tempo atrás nunca havia sentido os efeitos verdadeiros dela. Não tinha alguém longe de mim para sentir falta e sofrer com a distância. Mas minha vida mudou completamente. Agora eu tenho à quem sentir falta, só não esperava que fosse tão forte a saudade em apenas uma semana.

Foi totalmente inesperada por mim aquela notícia, à exatamente uma semana atrás. Eu podia sentir que jungkook queria me falar outra coisa, mas seu celular tocou e depois da ligação ele estava com um semblante diferente do que tinha quando me chamou pra conversar. Seu olhar era demasiado triste enquanto me contava sobre a proposta da agência. Claro que pode ser tudo ilusão da minha cabeça, pois kook sempre teve o sonho de ser um fotógrafo renomado. Eu não queria que ele fosse, não mesmo, e isso soa muito egoísta. Quem sou eu para impedir ele de seguir seus sonhos?

O certo foi deixa-lo ir, tentei sorrir o máximo que podia, porque eu sabia que ele não estava empolgado como eu achei que ficaria. No fundo meu coração apaixonado me dizia que eu deveria apoia-lo em tudo. E talvez minha cabeça me fizesse pensar que ele estava triste por ter que ficar tão longe de mim e jisung por um período de tempo. Mas logo descartei esse pensamento, a única pessoa que ele sentiria falta com toda certeza seria apenas e somente jisung. Afinal, eu não passo de um... amigo? Eu não sei.

Sem ele aqui a rotina foi de boa à péssima em instantes. Cozinhar não teve graça, levar o sung para passear não teve graça, assistir desenhos com o bebê não teve graça, ter aquele quarto enorme só pra mim não teve graça. Tudo se tornou irritantemente tedioso sem ele aqui. Até jisung que é um bebê mudou o humor. Ele simplesmente não queria comer, fazia birra para dormir, para tomar banho, para tomar os remédios. Tive que dormir três ou quatro noites com ele, pois ele acordava chorando e com febre. Isso tudo por sentir falta de jungkook.

Todos esses dias sem ele aqui percebi o quanto somos dependentes de jungkook. Quando me refiro ao “somos” digo por mim e jisung. Também percebi o quanto jeon sentiu saudades de casa, em todas as mensagens e ligações ele fazia questão de deixar bem claro que queria estar conosco. Isso me deixa confuso, porque jungkook sentiria falta de mim também? Admito que meu coração dispara só de relembrar quando ele me chamou de bebê, e de todas as vezes que ele disse estar com saudade até das brigas bobas do dia-a-dia. E claro que com saudade do -segundo ele- seu filhote. Ele é um pai muito babão e protetor, mas isso o torna mais adorável, se é que é possível. Oh céus... Esse homem ainda vai me fazer ter um ataque cardíaco.

Eu pareço uma garotinha apaixonada. Eu sou um idiota.

E agora estou aqui nesse amontoado de pessoas, com um bolinho fofinho no colo, olhando para todos os lados à procura dele. Eu realmente odeio ser baixinho por existirem ocasiões como essas, e esse monte de pessoas altas ao meu redor não me ajuda em nada. Eu sinto meu coração falhar as batidas só de saber que a qualquer momento ele estará aqui na minha frente. E eu vou finalmente poder abraça-lo e não soltar mais. Ao menos é isso que meu coração me manda fazer.

Jungkookie chegue logo por favor, eu não estou aguentando mais ficar longe de você.

               ● Park Jimin Off


                   °•○●°•○●°•○●°


Horas, minutos, segundos, milésimos. Todos contados ansiosamente, enquanto tudo que conseguia ver era a imensidão escura da noite. Diferente de muitas pessoas que tem medo de estar nas alturas, jungkook adora. Mas nesse momento nunca pediu tanto para estar em solo firme logo. O tempo parecia não passar, já não havia como se acalmar, seus pensamentos não saiam de como seria reencontrar as duas pessoas que tanto ama faltando menos de uma hora. Junto com a sensação inexplicavelmente boa de estar perto, vinha o agitar doloroso no coração. Jungkook tinha consciência de que não poderia agir como realmente queria quando visse Jimin tão perto de si novamente. Tal fato estava o frustrando em níveis que achava não conseguir sentir.

Pensava em como Jimin estaria se sentindo nesse momento, se estava tão ansioso quanto ele, se estava tão desesperado de saudade quanto ele. Era justamente isso que o impedia de agir como queria. Não saber o que Jimin sente bloqueia qualquer iniciativa que ele consiga pensar. Não poderia simplesmente chegar puxando Jimin para um beijo como gostaria de fazer, não poderia segurar suas mãos e dizer o quanto se sentiu vazio todos esses dias. Jimin poderia se assustar e se afastar, e jungkook definitivamente não queria isso.


                °•○●°•○●°•○●°


Coração acelerado, o ar quase não se fazia presente. Jungkook sentia que poderia ter um colapso à qualquer momento. Tinha muita gente ali, não conseguia enxergar Jimin e jisung. Por um momento se sentiu extremamente triste com a ideia de jimin ter se esquecido de ir encontra-lo no aeroporto. Levantou a cabeça novamente à procura dos donos de fios negros que tanto ama.

Nada, nada e nada.

Jungkook estava quase desistindo quando viu um grupo de pessoas que estavam ali se afastarem, e de lá surgir dois seres pequenos à sua procura. Sorriu instantaneamente, jimin estava lindo com aquela roupa simples segurando jisung no colo. O bebê mais adorável ainda, mordia sua chupeta azul como se fosse um doce. Nas mãos pequenas do park havia uma plaquinha simples com um caligrafia de dar inveja.

Appa Jungkookie” estava escrito. Ao lado do seu nome havia um desenho improvisado de um coelhinho. Jungkook sorriu bobo assim que seus olhares se cruzaram. Aquele sorriso. O sorriso mais radiante de todos que já viu, não se aguentou mais sequer um segundo e saiu correndo com sua mala na direção dos seus pequenos.

Jisung ao ver o appa correndo em sua direção ficou eufórico pulando no colo de jimin como se quisesse voar até seu papai. A chupeta azul caiu no chão, e da boca do bebê saiam gritinhos contentes. Jungkook quase derreteu de amores ali mesmo, quando estava de frente para os dois seres mais adoráveis que já viu na vida, largou a mala ao seu lado.

- MEUS BEBÊS – jeon abraçou os dois, formando um abraço de urso. Jimin quase chorava de felicidade. Jisung ainda estava eufórico demais com a presença de seu papai ali.

Quando já não havia mais distância entre os três, jungkook e jimin puderam suspirar aliviados. Estavam enfim no aconchegante abraço novamente. Depois de alguns minutos jungkook à contra gosto os soltou. Beijou carinhosamente as duas bochechas coradas de jimin. Para logo depois beijar a testa de jisung.

- Vem cá Sung! – o bebê se jogou nos braços do pai. Jungkook apertou o bebê em seu corpo. Sorriu ao notar que mais um dentinho novo estava amostra na boquinha do seu filhote. – E aí filhão? Você cuidou bem do omma sim? – jisung apenas gargalhava enquanto o acastanhado o balançava no ar. Jungkook virou-se para Jimin e riu ao ver o menor todo envergonhado, extremamente fofo.

Ele não negou de novo!”. – pensou jungkook com um sorriso ainda maior.

- Eu senti tanta saudades de vocês. - Jungkook admitiu soltando um suspiro triste. 

- Nós também sentimos saudades de você kookie! - Jimin deixou um sorriso lindo de eye-smile perfeito. 

- Eu vou babar se você continuar sorrindo assim! - Jungkook ria balançando jisung. Jimin escondeu o sorriso com as mãos, e logo os dois adultos  riam. Não era um motivo para rir, mas simplesmente não conseguiam se segurar. 

- Aish! Vamos logo embora jungkookie, você deve estar cansado da viagem e já está muito tarde. – Jimin disse pegando jisung do colo do acastanhado, esse que formou um bico infantil. O pequeno riu deixando um beijinho na bochecha do maior.

Seguiram para fora do aeroporto um do lado do outro, as mãos se esbarrando, formigavam. Quase implorando para serem entrelaçadas. E foi o que jungkook fez. Não queria pensar se estava invadindo o espaço do moreno, não queria saber se as pessoas estavam ou não olhando estranho, não queria saber se suas bochechas queimavam de vergonha. Não naquele momento. A mão quentinha, pequena e fofinha não o deixava pensar em mais nada.

Jimin sentia seu coração querer sair do peito. Jungkook nunca havia andando de mãos dadas com ele, muito menos em um lugar tão cheio de pessoas. Mas não disse nada, mesmo morrendo por dentro pra querer saber o que se passava na mente do jeon. A vergonha estava nítida pela forma envergonhada em que ele tentava disfarçar. O sorriso que tanto lutava para segurar queria sair à qualquer custo. Suas mãos entrelaçadas naquele momento era a prova de que nem tudo que o pequeno park pensava era de fato correto.

Na mente de Jimin se passava as seguintes coisas:

Jeon gosta pelo menos um pouco de mim.

Pra ele estar agindo assim ele não pode ser completamente hétero, certo?

Com esses pensamentos chegou a conclusão que tem que descobrir o que jungkook sente por ele. E se realmente existe algum sentimento, porque não tentar dar certo? Ele só precisa de respostas mais concretas. E já sabe como testar jeon para saber.

No caminho para casa Jimin bolava mil ideias diferentes de como tentar descobrir os sentimentos de jungkook. Só havia um problema:

Jeon Jungkook é a pessoa mais difícil de desvendar.

Mas se existe pessoa determinada, essa pessoa é Park Jimin.

“E se o jungkookie não for apaixonado por mim, eu farei ele se apaixonar agora.”


                    °•○●°•○●°•○●°


- Finalmente em casa! – Jungkook suspirou entrando na sala. Não há sensação melhor do que estar em casa, estar finalmente onde deve estar.

- É bom ter você de volta em casa jungkookie. – Jimin sorriu envergonhado. – Essa casa não é a mesma coisa sem você aqui.

Jungkook admirava o baixinho de bochechas coradas. Queria explodir de felicidade. Andou o aeroporto todo de mãos dadas com o pequeno e jimin não disse nada, ou sequer tentou se afastar. Para outros pode não ser muita coisa, mas para jungkook já era um grande passo.

Jimin lhe disse que jisung acabou dormindo, pois já havia passado muito da hora dele dormir. Jungkook não perdeu tempo em seguir Jimin para pôr seu bolinho no berço. Uma semana sem colocar jisung para dormir já foi o suficiente para fazê-lo sentir uma falta enorme daquele momento especial de todos os dias. Após cada um deixar um beijinho no bebê, seguiram ao quarto do “casal”.

- Ah que saudade eu estava do nosso quarto! – Jungkook acabou soltando sem querer, pensou que Jimin ficaria envergonhado, mas para sua surpresa o pequeno Park apenas riu sapeca. Ok, isso foi inusitado.

- Agora vai tomar um bom banho para relaxar, eu vou te esperar na cozinha. – Jimin sorriu e antes de sair deu outro beijinho em jungkook.

O acastanhado ficou estático no lugar. Ainda meio sem raciocinar pegou a primeira roupa confortável que encontrou no closet.


          ● Jeon Jungkook On

A água quente relaxando meu corpo e mente. Não sei explicar o que estou sentindo porque é muita coisa de uma vez só.

Felicidade

Ansiedade

Desespero

Confusão

Receio

Entre outros que não sei definir ainda. E quase todos esses sentimentos são por conta de uma só pessoa:

Park Jimin.

Ele vai me enlouquecer desse jeito. Em um momento é fofo e tímido. Em outro momento se torna audacioso e seguro de si. E mesmo assim tem aquela carinha de bebê. Eu não sei o que está havendo comigo, se ele sempre foi assim, ou somente agora que consegui perceber por ser um bobo apaixonado. Ultimamente fico tanto tempo observando as manias, gostos e tudo que Jimin faz que isso está me fazendo conhecer ele da forma como é e gosta de ser, sem nem precisar perguntar. Mas Jimin é misterioso, e por vezes desconfiado. Não é fácil decifrar tudo que se passa por aquela cabecinha. E digamos que eu não sou a melhor pessoa no quesito “stalkear”.

Quase meia hora depois saio do banho já vestido, relaxado e pronto para descansar. O cantarolar fofo vindo da cozinha denuncia onde meu pequeno está. E claro que eu não posso perder a oportunidade de colocar meus planos em prática. Se quero ter Jimin para mim tenho que ter iniciativas.

Nunca fui bom em conquistar alguém, mas que os deuses me ajudem para que dê certo com Jimin. Apesar do pouco que tenho a lhe oferecer. Tudo na minha cabeça me faz pensar negativamente. Vejam bem... Eu sou totalmente desinteressante. Apenas tiro fotos, canto algumas músicas muito raramente e só. Jimin tem tantas qualidades, sequer posso enumerar todas elas. O que ele poderia ver de bom em um cara como Jeon Jungkook? Que já foi o maior babaca da face da terra, anti-social, sem um talento que possa ser considerado incrível, e o mais covarde. Um cara vazio de personalidade, esse sou eu.

Seja positivo Jungkook. Seja positivo Jungkook, seja positivo jungkook!

Balanço a cabeça tentando afastar esse turbilhão de pensamentos. Me aproximo de jimin e lhe dou um susto, logo rindo dos tapas que eram pra me machucar.

- Jiminie, você parece estar me fazendo massagem e não me batendo. – gargalho ainda mais com o bico que se formou em seus lábios bonitos. – Vem cá mochi. – Abro meus braços em um claro pedido para que se aproximasse mais. E assim ele fez. Algo que novamente me surpreendeu. Jimin não apenas me abraçou, ele se jogou sobre meu colo. Segura-lo não é tarefa difícil. O que é difícil, é acreditar que esse é o mesmo Park Jimin tímido que eu conheço. Não estou reclamando, longe disso.

- Jungkookie não fique tanto tempo longe, não sabe o quanto foi torturante todos esses dias sem você aqui. – Jimin sussurrou com a cabeça entre o vão do meu pescoço. Sua boca encostada em meu ouvido me fazendo arrepiar até a alma.

Não sei o que me arrepiou mais. Se foi o fato de sua voz doce soando tão arrastada em meu ouvido, ou o rostinho delicado em meu pescoço, ou o fato de ter todo seu corpo colado ao meu. Ter que sustentar seu peso segurando-o pelas coxas está quase me levando à loucura.

Se controla Jungkook, se controla jungkook, se controla jungkook!

- Não vou mochi, eu prometo. – apertei mais seu corpo delicado ao meu. – Também foi torturante para mim. Pior semana da minha vida. – sorri lhe deixando um beijo na testa.

- E agora você deve estar cansado e com fome, e eu aqui pendurado em você como um coala. – Ele riu envergonhado, escondendo as bochechas rosadas. E o Jimin tímido voltou novamente. Por que tão bipolar Deus?

- Não é como se eu fosse pedir para você sair de onde está. Até porque eu estou adorando. E sabe... Eu se quer estou com fome. – sorri novamente, tudo bem ser ousado as vezes, certo? Certo.

Jimin me encarou, seus olhos contendo um brilho diferente do que sou acostumado a ver. Ainda mais intenso, profundo. Não quero pensar em nada, não quero pensar que não sou bom para ele. Se for para ser, será. E não me importa se ele é homem, não me importa se estou me jogando de ponta em sensações que nunca senti antes. Nada disso me importa. Eu quero ele, quero mais que tudo e não vai ser meus pensamentos negativos que irão me impedir. Custe o que custar. Eu não vou abandonar-lo hoje, nem amanhã e nem nunca. Se ele não me quiser agora, eu vou esperar o tempo que for.

Mas deixe me te contar um segredo meu pequeno:

Seu olhar me diz que não vou precisar esperar. Seu olhar me diz que você não vai fugir de mim. Seu coração está batendo tão forte que eu consigo sentir ele junto ao meu, no mesmo ritmo.

Deixe me te contar outro segredo meu mochi:

Você já é meu desde que te vi pela primeira vez.

E eu não vou desistir de você. Não vou desistir de nós.

...


Notas Finais


E É ISSO AÍ PESSOAL!

Meus amores, demorei? Demorei. Mas quero que saibam que é apenas por culpa de provas e trabalhos infinitos.
Graças ao querido Santo yoongi, cá estou eu às caladas da madrugada atualizando a fic.

GENTE EU TO MUITO FELIZ!! Obrigada por todos os favoritos, comentários e os bolinhos que adicionaram a fic em suas listas de leitura. Eu me sinto honrada hihihi To me achando aqui, mas no fundo to chorando com tanto amor vindo de vocês.

Espero de verdade que vocês gostem do capítulo, quase morri de diabetes escrevendo ele, mas ok. Eu amo uma melação ksksksk Me perdoem pela demora e por estar atualizando nesse horário, mas eu não conseguia mais esperar até amanhecer. Foi feito com muito amor pra vocês! ♡

Sintam se à vontade para comentar suas opiniões sobre o capítulo/fic. Eu amo ler o que vocês estão achando 😍

BEM VINDOS BOLINHOS QUE ESTÃO CHEGANDO!
E claro que amo todos vocês xuxus!

Meu Twitter - @KookieManiaca

KISSES DA TIA BIBIS (e até o próximo capítulo hihihi) ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...