História Juntos pelo perigo - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Visualizações 104
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora, mas espero que valha a pena e vocês gostem deste capitulo. Eu gostei, na verdade eu quaaase chorei o escrevendo. Espero que vcs se emocionem também kkkkkk
Bom cap:

Capítulo 10 - God, this hurts.


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo perigo - Capítulo 10 - God, this hurts.

Um mês depois…

-Pov Jennifer-



Nem mesmo a festa que dei para atrapalhar a da Adriana serviu para parar a garota. As minhas amigas largaram-na, finalmente. Mas ela e o Axl continuam namorando, mais afastados, mas namorando. No entanto, eu e ele temos passado muito mais tempo juntos. Posso até dizer que estamos mais tempo do que ele e a Adriana. Os meus pensamentos flutuavam enquanto eu tomava banho, literalmente.

-Jennifer, estamos atrasadas. É hoje que vamos reunir-nos com o resto do grupo. –Savannah falou e eu despertei do meu sono acordado.

-O Axl também vai? –perguntei

-Ele faz parte do grupo, exatamente como você. –Eu nada respondi, apenas bufei. Eu não queria vê-lo hoje. –Vocês já discutiram o plano? –Nesse momento arregalei meus olhos.

-Claro que já. –Disse com a voz falhando. A verdade é que não, não tínhamos discutido nada sobre isso.

-Tem certeza?

Eu simplesmente ignorei o que ela disse. Eu tinha de falar com o Axl, não só sobre o plano, mas também sobre aquilo que eu sinto. Isso está a sufocar-me por dentro faz tempo demais. Eu estava completamente decidida.

As horas passaram-se e eu reuni-me com todos para discutir sobre o que íamos fazer a para a entrada das drogas. O plano não mudou muito, só o sitio do galpão foi mudado.

Voltámos para casa e a Savannah passou o tempo todo a chatear-me.

-Porque não falou com o Axl? –Ela perguntava

-Não estava bem disposta. –Eu respondia

-Você deveria ter falado com ele. Ele e aquela piranha estão juntos faz tempo demais! –Ela reclamava.

-Mas eu não disse nada, então cale a boca. –Pedi

-Mas você não acha que…

-QUE O QUÊ? NÃO IMPORTA O QUE EU VÁ FALAR, ELE ESTÁ COM ELA, LEMBRA? –Eu gritava e os olhos dela arregalavam-se.

-Você pode mudar isso.

-Não tem jeito! Ele quer estar com ela.

-PORQUE PUTA DE RAZÃO VOCÊ ESTÁ UMA CORDEIRA? TÁ ME ZUANDO?! VOCÊ SEMPRE TEVE TODA A MERDA QUE QUIS E ESTE ANO VOCÊ PARECE UMA INUTIL!! –Ela gritou, fazendo-me calar e refletir sobre isso. Eu realmente havia mudado. Eu não era essa garota. Mas isso iria mudar…

-1 semana depois-

Eu estava completamente decidida a falar com o Axl sobre o que eu sinto. Seria hoje ou nunca. Muita coisa tinha mudado nesta semana, eu não falava mais com a Barbie, nem com a Angela e muito menos com a Michelle. Agora a minha única amiga é a Savannah.

-Querida, é hoje que vamos colocar a carga para dentro! –Savannah dizia, enquanto tomava duche. Ela tem ficado na minha casa por dias.

Peguei meu telefone e digitei o numero do Slash.

-Oi –Ele falou

-Onde o Axl está?

-No galpão, ele tinha dito que iria lá arrumar umas coisas e… -Desliguei e  nem deixei ele terminar de falar. Terminei de me vestir, peguei minha mala e desci. Iria ser agora que eu ia falar tudo o que tinha aqui entalado. Dirigi depressa para o galpão e nem me importei em deixar a Savannah sozinha em minha casa. Quando cheguei, estava um carro estacionado, o do Axl e também uma mota.

-Ele estará acompanhado? –Pensei; Mas decidi entrar.

Foi aí que eu me deparo com a pior cena de toda a minha vida e sem que pudesse recuar sem fazer barulho, um soluço meu invadiu o galpão, deixando assim que os gemidos fossem abafados pelo meu barulho.

-Jennifer?! –Axl falou, olhando para a porta.

-Eu não queria interromper. –Os meus olhos demonstravam raiva. Diferente do que se poderia pensar, ou diferentemente do que outra garota faria, eu não estava a chorar. Estava com raiva por ser idiota a essa ponto, ao ponto de vir falar para ele algo que me atormenta nas noites. Raiva por achar que o relacionamento deles era tudo uma farsa. Raiva por ela estar no galpão e raiva por ela estar ali, com ele. Tudo o que eu pensava era em formas de fazer ela se arrepender, formas de como a matar e torturar. Mas eu nem sequer poderia fazer isso. Ethan matar-me-ia depois. E enquanto eu era invadida por pensamentos, Adriana estava ali no chão, sorrindo vitoriosa por saber que os ver juntos me deixou perturbada. Por saber que a coisa que me faria pior, seria ver os dois em pleno sexo. Porque isso realmente me perturbava. Olhei para os dois e saí do galpão, os deixando sozinhos de novo, pegando no meu carro e dirigindo sem nexo. Eu não conseguia pensar em nada que me deixasse alegre e me fizesse voltar para Manhattan, porque Manhattan é a casa do Axl também. Eu estava com raiva porque realmente queria aquele homem. Porque não me lembro de uma única vez que eu não o tenha querido. Porque desde pequena, é ele que eu quero. Pode parecer besteira, até porque nós nunca conseguimos realmente nos entender. Mas no fundo, eu só não sabia como fazer ele se entender comigo. Axl não é o tipo de garoto que irá dar-lhe flores numa noite chuvosa, ele não irá abraça-la e dizer o quanto você é linda e o quanto ele está agradecido aos céus por ter você do lado dele. Pelo contrário, ele irá lembrar-lhe todos os dias que ele pode ter qualquer uma, um estalar de dedos e a cidade inteira está beijando os pés dele. Frio e calculista, ele não é o tipo de garoto que a vai reconfortar quando algo lhe acontecer. E eu não sei como lidar com isso. Não sei como dizer para um garoto desse tipo que eu estou interessada nele. Eu passei toda a minha adolescência a pensar em como eu poderia falar-lhe o que eu quero. Eu sofri humilhações e muitas vezes maltratada por ele. Não que eu fosse uma santa, aos 14 anos eu já não era inocente. Eu sufoco por dentro, cada vez que lembro que eu perdi a minha virgindade porque apostei com ele que eu seria capaz de fazer isso. Porque eu fazia ele pensar que eu estava avançada, enquanto a verdade era que não. Apostámos e eu venci. A minha primeira vez, por causa dele, para um menino qualquer, que eu nem lembro mais o nome. Porque nós sempre fomos assim, competitivos. Malvados um com o outro e não só…

Mas no fundo, eu o amo. Porque é só o sorriso dele que me faz sorrir também e isso é amor.

 


Notas Finais


Vou falar um pouco aqui:
1- A partir de agora vai estar mais coisas acontecendo, na verdade, será mais assim depois do cap 13.
2- Irei TENTAR publicar 3 capítulos nesta semana.
3- comentem e favoritem. sei que é chato pedir, mas só assim é que eu tenho animo para escrever e acreditem, que esta semana ele andou mt em baixo. ENTÃO: COMENTE E FAVORITE, SE GOSTOU!!
meu twitter: @suckaxl
Até ao próximo <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...