História Juntos pelo perigo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Visualizações 90
Palavras 1.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdi um favorito ontem, os comentários estão baixando, então digam-me o que eu preciso melhorar...
Se vocês não me dizem, eu não posso adivinhar.
Bom capitulo:

Capítulo 12 - Fight!


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo perigo - Capítulo 12 - Fight!

“(…) Só estamos adiando por minutos o que irá acontecer. –Izzy
Olhámos para ele e assentimos. Ele tinha razão, seremos presos e nossas vidas terminariam.”


Assim que Izzy terminou o que estava a dizer, todos nós suspirámos. Nunca passou pela nossa cabeça, que iriamos ser presos desta forma. Levantámos do chão da viatura, pegámos nas armas e atirámos para fora da carrinha, uma por uma, para bem longe.
-ISSO MESMO, AGORA SAIAM COM AS MÃOS NO AR! –Um policial mandou.
E assim foi feito, começámos a sair da carrinha. Izzy voluntariou-se para ser o primeiro a sair, assim que ele o fez, foram lhe dadas ordens para manter as mãos para o alto e avançar até à viatura do policial. Logo depois, eu e Savannah saímos, abraçadas e um pouco cabisbaixas. Recebemos ordens imediatas para entrar na viatura que nos esperava e quando perguntei sobre o braço, tive uma arma apontada para mim. Sinal de que deveria estar calada. Entrei no carro e olhei pelo vidro, Michelle saiu na carrinha e logo depois Axl a seguiu também. Quando todos estávamos nos carros, foi possível se ver alguns outros policiais entrar dentro da nossa carrinha, para provavelmente apreender a droga.
Quantos anos presos, o tráfico de droga dará mesmo? Pois é…
Algum tempo depois chegámos à prisão de Manhattan, eu e Savannah nos entreolhamos.
-Eu te amo! –Eu disse, sem nem imitir nenhum som.
-Eu também. –Ela respondeu, silenciosamente.
Fomos levadas para dentro de uma cela. Algum tempo depois, vários policiais vieram nos buscar e com eles, vinha o Axl, o Izzy e a Michelle. Todos nós fomos empurrados para dentro de uma cela já habitada. Estava escuro e não foi possível ver os rostos quando entrámos.
-Izzy, é você? –Aparentemente, a Barbie sussurrou.
-Sim… -Ele sussurrou de volta.
-Estão todos aqui? –Michelle
-Quase… -Slash
Sem nem que ele pudesse se explicar, um policial entrou para levar com ele a Savannah, ela iria ser operada. Dei-lhe um pequeno beijo na testa e a larguei, deixando ela ir com o policial.
-Como assim, “quase”?! –Perguntei
-Angela foi atingida. –Steven respondeu, um pouco choroso.
-Onde? –Axl perguntou
-Não sabemos, assim que ela foi atingida, os policiais começaram a cercar-nos a carrinha e não tivemos tempo de ver mais nada. –Michelle
-Quando vimos, nós já estávamos aqui. –Slash
-Vocês demoraram… -Steven
De repente, a cela escura ficou num enorme silencio e assim, todos nós pegámos no sono…
Acordámos com as luzes da manhã a entrar pela janela e logo de seguida, uma policial mal humorada a bater com uma colher nas grades.
-São horas de acordar. Vocês têm vinte minutos para tomar duche, se vestirem e fazerem fila para comer.
-Não temos roupas lavadas. –Barbie informou e a policial riu de escarnio.
-Aqui todos os presos têm uma linda roupa lavada. Agora levantem-se e juntem-se à fila.
Assim fizemos, homens para um lado e mulheres para o outro, rapidamente estávamos na fila. Quando chegámos ao balneário, foi possível ver a Savannah tomando duche. Corri até ela, esbarrando em qualquer cavalona que estava no caminho.
-Como você está? –perguntei
-Melhor, não foi muito grave…
-Que bom, eu fiquei com tanto medo. –Ela riu e ambas continuamos o nosso banho, com um shampoo de pobre, que não cheirava a nada.
A dada altura, Savannah cutuca o meu braço.
-Quê? –perguntei
-Você tem uma amiga aí atrás…
Virei-me e de novo, uma cavalona estava no meu caminho.
-Não vê por onde anda? –Ela perguntou
-Vejo sim. –Revirei os olhos
-Você esbarrou em mim e eu sou a autoridade. Ninguém me toca aqui. –Ela falou, aumentando o tom de voz.
-Mas você sabe quem eu som? Eu posso mandar alguém te matar, seja lá onde for. –retruquei, quase gritando. A essa altura, já todo o balneário estava a olhar para nós as duas.
Sem nem me deixar olhar para ela de novo, a cavalona agarrou o meu cabelo, fazendo-me bater com a cabeça na parede. Imediatamente Savannah deu-lhe dois murros nos peitos, fazendo assim com que a cavalona me largasse. Eu e Savannah começamos a bater na mulher e logo depois, algumas outras apareceram também. A briga aqueceu e quando demos por nós, estávamos dentro da cela mais uma vez.
-QUERO IMEDIATAMENTE O MEU ADVOGADO AQUI! –Gritei para a policial, que não fez caso e foi embora. Mas o meu pedido foi aceite, algum tempo depois o meu advogado chega à porta da cela a dizer que eu e a Savannah iriamos para uma outra cela.
-Por quê? –Perguntei
-Vocês meteram-se em confusões e eles vão colocar mais pessoas naquela em que vocês estavam. –Ele respondeu.
-Será só para nós? –perguntei
-Não realmente, vocês não foram as únicas a colocarem-se em confusões…
Nós duas olhámos para eles em busca de uma resposta, sem sucesso ele continuou:
-Não se coloquem em mais encrencas. Eu vou tirar-vos daqui!
Dito isso, ambas fomos literalmente chutadas para dentro de uma cela, esta não tinha grades, era realmente uma porta e apenas tinha uma pequena janela, de onde entrava um pouco de luz.
-Acha que ele realmente consegue tirar-nos daqui? –Savannah
-Não sei…
-Talvez ele compre os policiais.
-Espero que sim, caso não, iremos ficar aqui por alguns anos… -concluí.
Algum tempo depois, Axl e Slash entram pela porta.
-O que vocês fizeram? –Slash perguntou, se sentando numa das pequena camas de ferro ali dispostas.
-Arrumamos briga no banheiro e vocês? –Savannah
-Roubaram-nos o comer e aí eu arrumei briga. –Axl
-E eu defendi-o. –Slash
-Estamos bonitos, estamos… -Savannah zoou.
-Você bateu com a cabeça? –Axl perguntou-me.
-aham…
Algum tempo depois, o silêncio tornou-se constrangedor e sem nem nos apercebermos, Savannah e Slash estavam abraçados no chão. Eu e Axl nos entreolhamos e rimos, era uma cena engraçada de se ver. De repente, Savannah soltou uma risada e todos, incluindo Slash, a olhámos especulativos.
-Vocês lembram-se, quando fizemos a mãe do Slash nos comprar pistolas de água? –Ela perguntou e todos assentimos. –Foi a partir desse dia que começamos a pensar em ser criminosos…


Notas Finais


Olhem, quanto mais eu digo pra vcs comentarem, menos vcs comentam, então eu já cansei de pedir isso.
Entretanto, eu já fiz a capa + sinopse, da parte 2 da fic. provavelmente vou mostrar-vos quando chegarmos lá pelo cap 20...
Vê-mo-nos lá em baixo ;) <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...