História Juntos pelo perigo - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Visualizações 82
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEIIIII, 2 dias depois. É mesmo, eu estou a tornar-me bastante certinha ahahah
Eu acho que o capitulo ficou um pouco chato, mas é bastante necessário para vcs perceberem o pq deles serem criminosos sendo que as famílias são ricas. Eu gostei do cap, achei interessante saber tudo isso e a ação virá nos próximos ahahah
Vamos falar mais lá em baixo, então aproveitem o cap:

Capítulo 16 - A explicação


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo perigo - Capítulo 16 - A explicação

-Duas semanas depois-
Pelo Texas tudo estava a correr às mil maravilhas, mas a minha louca ansiedade para voltar à correria de Manhattan já estava bem visível. Não quero ficar mais em férias, quero voltar à cidade e fazer o que não faço há muito tempo: Mostrar quem manda!
Durante todo esse ano a minha vida ficou monótona demais e não é isso que ela costumava ser. Acho que o meu maior erro foi ter explodido a casa do Axl, apesar de não me arrepender, pois se não o tivesse feito, provavelmente eu não iria descobrir os meus sentimentos por ele. Contudo, confesso que foi realmente exagerado. Mas estamos juntos agora e o que eu mais quero é voltar à minha antiga vida. Aquela vida que eu tinha antes de ter cuspido no Axl, naquela noite na minha boate. Mas eu e ele sempre fomos exagerados e a nossa bipolaridade faz com que nos amemos e nos odiemos.
Eu o amo e o odeio, é loucura dizer isso, nem sequer faz sentido mas é a verdade.

Deitada na grama do imenso jardim, eu pensava na minha vida, em como tudo começou e em como tudo um dia poderá acabar. O céu estava muito azul, sem nuvens com um sol radiante, o ar quente fazia com que eu me sentisse incomoda no meu pequeno biquíni avermelhado. Parei de olhar o céu, fechando os olhos, recordando as nossas vidas. Nós poderíamos ter a vida perfeita, sem problemas com a justiça e sem inimigos de morte, mas a verdade não é essa. Relembro agora os meus quinze anos, nessa idade eu e Savannah já queríamos seguir alguma via ilegal, no início pensávamos em abrir uma casa de prostituição, mas isso não aconteceu. Ri ao lembrar-me, eramos jovens, com o sangue à flor da pele e tudo o que queríamos, nós poderíamos ter.

Confesso que o estatuto de menina rica fez-me um tanto ou quanto mimada.
Porque entrámos nessa rede do tráfico? Tudo começou por causa da pressão que sentíamos em casa. Na escola eu não poderia ser uma das melhores, eu tinha de ser a melhor. Eu era a filha do presidente e todos queriam que eu fosse o tipo de garota perfeita e adivinhem… Eu não era. Isso gerou-me muitos problemas em casa, eu não conseguia mais conciliar a minha vida. Tudo tinha horas marcadas e eu não parecia ser uma garota normal. Eu acordava sempre à mesma hora, tomava o meu banho, descia e comia qualquer coisa. Depois eu iria direta para as aulas no colégio, almoçava e tinha aula de piano, seguida por aula de violino e flauta. Terminadas essas aulas, eu tinha yoga e Taekwondo, que mais tarde eu viria a substituir pelo Boxe. Chegava a casa, tomava um novo banho, estudava um pouco antes de jantar e depois da hora da reunião familiar, iria dormir. Eu não tinha muito tempo livre, mas sempre conseguia ter a Savannah por perto. Nossas mães são muito amigas, desde bem crianças e nós duas crescemos juntas.

Mas enfim, quando as minhas notas começaram a descer e eu deixei de ser a melhor da escola, o meu pai pensou seriamente em me deixar num colégio interno, o que gerou ainda mais confusão na minha cabeça. O único motivo por eu não ter continuado os meus estudos internada em qualquer colégio, foi a mãe do Axl. Ela era muito amiga da família e após algumas conversas com os meus pais, eu recebi a notícia que tudo ficaria como estava. O meu pai não é e nunca foi um homem de paciência e o carinho nunca foi algo que eu recebi dele. A mãe é uma boa pessoa, mas cede a todas as exigências dele.

Conheci Michelle num Natal em que passei junto com os pais da Savannah. O meu pai decidiu trabalhar na noite e no dia de Natal e levou minha mãe junto, porém eu fui deixada para trás. Os pais de Savannah e Michelle conhecem-se à longos anos, pois ambos são advogados na Europa. Assim sendo, eles estavam passando aquele Natal juntos e isso resultou-me uma boa amizade com a Michelle. Ela também sofria do mesmo problema, pressão familiar. Tudo isso resultou na nossa revolta com as nossas famílias e acabámos sendo despejadas por elas. Ainda mante-mos contacto com as nossas mães, mas não nos damos realmente bem.

Posso dizer que a nossa infância e adolescência foi bem diferente da que os rapazes levaram. Axl e Slash tinham uma vida muito liberal e faziam tudo o que queriam. Isso sempre lhes deu bastante encrencas. Principalmente para Axl, o pai dele nunca o quis assumir, ele é um daqueles resultados dos casos de amor no Verão e o pai é realmente um grande idiota. Isso resultou em alguns problemas na cabeça do Axl, incluindo bipolaridade e pensamentos suicidas. Slash cresceu com a casa cheia de homens, a mãe dele era uma grande estilista e quando uma mulher é assim tão reconhecida e ainda por cima divorciada, os homens sempre estão na mira. Ele conheceu muitas estrelas de cinema, modelos e até cantores de Rock. Mas o que vem com a fama? É, as drogas e se a casa dele era frequentada por esse tipo de homens, droga não era algo que ficasse longe. O que lhe rendeu problemas e mais tarde uma enorme revolta. Fazendo assim com que ele saísse de casa aos 15 anos.

Aos 17 anos, Savannah, Michelle e eu estávamos prontas para entrar na universidade e nada poderia ter-nos deixado mais felizes. Enquanto os nossos pais se mudavam para outra cidade, nós ficámos em Manhattan a escolher o nosso próprio caminho. Quando eu fiz os meus 17 anos, o meu pai já não estava mais a liderar os Estados Unidos e assim sendo, ele queria retirar-se de Manhattan. A minha família mudou-se para o sul de França, deixando-me em casa para fazer a faculdade. Os pais da Michelle mudaram-se definitivamente para Milão, onde eles mantinham uma casa já fazia alguns anos. Os pais da Savannah retiraram-se para Los Angeles, alternando assim as suas vidas entre a Europa e LA. Enquanto tudo isso acontecia, eu e as meninas estávamos a estabelecer-nos em Manhattan. Tínhamos presença garantida em tudo o que era festa e pegávamos quantos homens nós quiséssemos. Nessa altura, eu e Savannah, Michelle, Slash e Axl eramos inseparáveis. Fazíamos qualquer coisa juntos, incluindo o nosso primeiro assalto.

Lembro-me que era verão, uns dias antes da Savannah fazer 18 anos e os rapazes levaram-nos para a frente da escola de Manhattan, pedindo para entrarmos com eles.

-Flashback on-
-Vai ficar tudo bem, só precisamos entrar, abrir esses sacos e colocar aí dentro tudo o que conseguirmos de maior valor. –Axl repetia
-Mas e a vigilância? –Michelle
-Coloquem essas mascaras. –Slash
-Olha, eu não sei se… -Eu falei, sendo interrompida por um Axl bastante irritado.
-Ou estão connosco, ou estão contra nós. Se entrarmos e vocês não vierem, acabou a nossa amizade. –Axl
Dito e feito, ninguém queria perder uns aos outros. Nós eramos uma irmandade, apesar dos nossos problemas, principalmente entre mim e Axl. Sendo assim, entrámos e fizemos o que nos foi mandado. Colocámos as mascaras, abrimos os sacos e colocámos tudo o que poderia ter um pouco de valor e quando eu digo valor, digo coisas que se poderiam vender no mercado. O roubo não foi lá aquelas coisas, mas deixámos a escola bastante vandalizada.
-Viram como não foi difícil? –Axl
-Eu acho que devemos repetir. Foi muito bom! –Savannah dava pulos de entusiasmo, fazendo-nos a todos rir e deixar o nervosismo de lado.
-Flashback off-

A partir daquele dia, começamos a fazer assaltos com bastante regularidade. Desde mercados, a pequenos bares. Tudo muito bem organizado para não sermos apanhados. É claro que as pessoas começaram a perceber quem era, até porque os meninos não eram muito cuidadosos. Fomos algumas vezes presos, mas eles não tinham como provar nada.

Conhecemos Duff e Steven numa viagem até Seattle, na viragem do ano, quando ainda tínhamos uns 18 anos. Já naquela época, Duff se metia em confusões, ele roubava muitos carros e era bastante conhecido por toda a Seattle por causa disso. Duff é filho de um grande magnata de Seattle, magnata esse que batia nos filhos e os maltratava. Duff tem vários irmãos e todos eles se revoltaram com o pai, em certo ponto. Steven estava com ele desde criança, eles cresceram juntos.

Descobri sobre a vida de Steven quando os dois vieram viver connosco um ano depois de os conhecermos. Steven ainda é herdeiro da família real do Reino Unido, mas ilegítimo. Digamos que a duquesa teve um affair com um criado quando era muito nova e desse affair nasceu Steven. A família real não poderia suportar algo assim, seria um grande escândalo. Desse modo, Steven foi mandado para os Estados Unidos, para uma família que o iria acolher. A família real nunca deixou de sustentar Steven, mas este nunca cresceu com a mãe e tão pouco a conhece. O caso sobre Steven veio a ser descoberto quando este atingiu os 10 anos e na realidade só nessa época é que ele descobriu o que se passou e porque ele era tão diferente dos outros “irmãos”. Foi também nessa época que fomos despejadas das nossas casas e tivemos de viver por conta própria, mas nada que fosse difícil.

Aos vinte anos, eu e as meninas tínhamos terminado a universidade e estávamos bastante estabelecidas no crime. O tráfico era o nosso maior amigo e as pessoas tinham-nos bastante respeito. Se alguma de nós entrasse no banheiro, as outras pessoas sairiam dele. Assim que entrei no tráfico conheci imediatamente a Emily e tornámo-nos bastante amigas, apesar de Emily e Michelle se odiarem. Emily teve um caso com o Duff, por algum tempo. Quando chegámos aos nossos 21 anos, Duff ainda estava terminando a faculdade, mas isso não era nada que o impedisse de fazer assaltos. Foi nessa altura que nos separámos, comigo e com as meninas tendo 21 anos, eu poderia abrir finalmente uma boate e estabelecermo-nos com ela. Isso aconteceu e também aconteceu que não havia mais tempo para fazer assaltos, gerir uma boate e ainda ser traficante. Então fomos obrigadas a escolher e preferimos o tráfico.

Depois disso, eram poucas as vezes que nos reuníamos e sempre que isso acontecia, eles estavam com garotas e não queriam mais saber de nós. O estatuto de bad boys tinha chegado para eles. Não lembro e não sei, em que época eles conheceram o Izzy. Mas eu e as meninas conhecemo-lo numa racha, exatamente na mesma noite em que conhecemos Angela e Barbie. Elas eram amigas de longa data e Barbie decidiu correr contra a Savannah. Barbie ganhou à Savannah, o que fez com que o nosso grupo de garotas fosse pedir “explicações” para elas. Aconteceu que gostámos umas das outras o suficiente para o nosso grupo aumentar e elas as duas entrarem no tráfico connosco, uns meses depois. Nessa noite encontrámos os garotos e como sempre, fomos falar com eles. Conhecemos Izzy e depois seguimos para as nossas casas. Savannah e Slash, eu e Axl, Barbie e Izzy, Angela e Steven e Michelle e Duff.

 

Algum tempo depois, ocorreram algumas brigas e aquilo que ainda mantínhamos, foi totalmente quebrado.
Quando conheci Angela e soube da história dela, eu fiquei realmente sensibilizada. A mãe era uma grande modelo que tinha morrido quando ela tinha 13 anos, por conta das drogas e Barbie é o tipo de criança que cresceu sem a atenção da mãe.

De repente, no meio dos meus pensamentos alguém chega por trás de mim, me assustando.
-Precisamos ir para Manhattan. –Axl falou, ele estava visivelmente desesperado e até perturbado. -Savannah ligou, ele voltou…


Notas Finais


Vou falar um pouco aqui, então:
Bom, espero que tenham gostado. Se gostaram por favor, COMENTEM e FAVORITEM!

Antes de mais, quero agradecer a quem sempre comenta, são vcs que me fazem escrever!
1-É mt importante que o façam pq dá-me animo pra escrever, ou seja: mais e melhores capítulos.
2- Não quero perder nenhum leitor agora, até pq será agora que a porra toda vai ferver e vcs vão ver como eles são influentes e têm inimigos pra caralh*.
3- O numero de capítulos aumentaram, não tenho bem certeza para quantos... Mas serão mais de 30 (talvez até aos 40)

Mais uma vez, se gostaram COMENTEM! pfvr <333 lv u !!
Meu twitter: @hitmeaxl

Espaço divulgação: leiam a "I could be your Rocket Queen"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...