História Juntos pelo perigo - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Visualizações 51
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEIIIIIIIIIIII, estou muito contente, pois consegui os 4 comentários no capítulo passado, muito obrigada <3 vamos continuar com esse numero? sim?? ;) ahahah
bom, vamos ao capitulo, boa leitura!!

Capítulo 25 - Troubles


“A festa estava ótima até que no meu bolso, o meu telemóvel termia, eu tinha recebido uma ligação, bufei e olhei o visor, era Ethan. Retirei-me da sala, passando para o andar de cima, do hotel.
-O que você quer? –perguntei
-Tenho más noticias.
-O que foi?
-Olha, apareceram aqui uns homens e reviraram isso tudo…
-E o que ela aconteceu?
-Bom… Ela fugiu.”

Depois da notícia de que a Adriana tinha fugido e pior, de que ela tinha sido ajudada a festa nunca mais foi a mesma. Claro que voltei para junto do Axl, mas o meu coração disparou a uma velocidade alucinante. No fim da noite voltámos para os quartos, onde todos adormecemos que nem anjos. Axl continuava a dormir mas eu já havia acordado e tomado um duche frio, para o meu cérebro conseguir funcionar corretamente. Com ela por aí tudo se tornava um risco, principalmente o meu relacionamento com o Axl. Isso realmente me preocupava. Esses meses em que ela tem estado presa fizeram muito bem para nós dois. Mas com ela por perto eu não teria tanto a certeza. Eu olhava a correria de Manhattan, debruçada na janela do quarto. Eu amava aquilo e aquela era a minha casa, era onde eu me sentia melhor, onde eu tinha os meus amigos e o meu amor, Axl. Não iria deixar ninguém destruir isso ou levar isso de mim, muito menos uma mulher. Tudo estava em silêncio, apenas lá fora os carros faziam barulho com o motor e ranger dos pneus. Mas dentro do hotel, tudo parecia estar em paz.

Até que alguém bate incessantemente na porta, fazendo Axl acordar assutado e eu tapar meus ouvidos. Ele bufou e eu também, fazendo um gesto para ele voltar a se deitar, que eu cuidaria do assunto. Fui até à sala, pegando minhas roupas e vestindo, pois eu ainda me encontrava de calcinha e sutiã. Até que cheguei à porta as batidas nunca pararam. Abri a porta devagar e com cuidado, até que uma loira entra pela sala a dentro, fechei a porta e vi que era Savannah.

-Que merda você está aqui a fazer? –resmunguei
-Já são 3 horas, todo o povo está acordado E tem lá em baixo a policia.
-Como assim?!
-Receberam uma denuncia anonima de que aqui estava a rolar uma festa com muita droga. –Ela explicou e eu automaticamente bufei.
-Eu vou lá abaixo e pedir que se retirem.
-Não é assim tão simples, já estão levando pessoas presas. Algumas estavam a usar droga no momento em que a polícia entrou. Além de que estão a fazer testes ao sangue, lá em baixo.
-Fizeram a vocês?
-Ainda não…
-Vou descer e falar com o chefe.
Assim fiz, desci e dirigi-me ao chefe policial, que eu já conhecia bastante bem.
-O que pensa que está a fazer? –perguntei
-A fazer testes ao sangue dessa menina aqui… -Ele falou sorrindo para a menina e ainda sem olhar para mim.
-Quero que se retire! –ordenei
-E quem você pensa que… -Ele iria retorquir, até que finalmente viu quem eu era. Nesse momento ele abaixou a cabeça e parou o que estava a fazer. –Olhe, eu não posso parar isso, porque irão desconfiar de mim, mas posso não fazer os testes a vocês. –Ele sussurrou. –Só preciso que saiam daqui o quanto antes.
-Irão ver que alugámos o hotel.
-Eu tratarei disso, não me preocupe.
-Um passo em falso e eu posso terminar com a sua vida…

Dessa forma, eu me retirei indo até Savannah que se encontrava perto do elevador.
-Chame os outros e vamos embora daqui. –Ela assentiu e desapareceu na multidão.
Voltei ao quarto e chamei Axl, que resmungou mas se levantou. Enquanto ele tomava um duche rápido eu expliquei o que havia acontecido. Assim que ele estava despachado, descemos e encontramo-nos com os outros no salão em baixo, decidimos sair pelas traseiras. Liguei para o Arthur e ele veio nos buscar, nos levando para a minha casa. Pelo caminho recebi uma nova ligação e quando olhei o visor dizia Jake. Decidi atender:
-Vejo que conseguiram escapar… -ele falou
-É mesmo e não há nada que você venha a fazer de que eu não consiga sair ilesa.
-Isso é o que vamos ver. Não acha que as pessoas vão começar a perceber que você é um poço de problemas? Até elas se revoltarem será um pequeno passo.
-E daí?! Eu posso parar todas elas.
-Veremos, mas você sabe como me parar a mim… Dê-me o controlo do tráfico e tudo ficará bem. –Dito isso, ele desligou, mas eu continuei com o celular no ouvido.

Eu poderia simplesmente dar-lhe o tráfico, mas depois eu seria obrigada a sair de Manhattan, ou até da América, afinal traficantes têm aliados e seria um pequeno passo, até ele conseguir colocar-me para fora daqui. Eu também poderia o matar, mas assim que este Jake fosse enterrado, iriam aparecer mais 2 milhões de Jakes. Traficantes têm amigos, mesmo que seja difícil de aceitar e ainda conseguem ter mais admiradores. Eu enterraria um problema e iriam surgir muitos mais.

Além disso tudo, eu ainda tenho que lidar com a Adriana e com esses homens que a ajudaram a fugir. Ainda mais que Jake, eu estava a temer a Adriana. Não porque tinha medo dela, mas sim porque eu não sabia se ela conseguiria algo com o Axl. Ele a quis uma vez, então porque não uma segunda?! Estava tão perdida em pensamentos que nem me havia apercebido de que estava em casa.
-Menina?! –Arthur chamava-me.
-Vamos, seus amigos já entraram…
Agradeci-lhe e entrei também, Barbie e Izzy tinham ido embora, enquanto Axl e Slash falavam alguma coisa perto do sofá.
Fui até à cozinha, bebi um pouco de água e Axl aparece assustando-me.
-Desculpe, eu só queria avisar que eu e Slash vamos até ao Texas. –Franzi a minha sobrancelha.
-E porque vocês vão ao Texas?
-A minha mãe teve um novo ataque cardíaco.
-Nossa, quer que vá com você?
-Não, você tem o Jake aqui para a assombrar, não quero que tudo fique pior. –Assenti e dei-lhe um pequeno beijo.
-Tudo bem, pode ir…
Ele sorriu e se retirou, ficando só eu e Savannah em casa. Em que parte ela estaria? Percorri toda a casa à procura dela e a encontrei sentada perto da piscina.
-O Slash disse-me que a mãe do Axl teve um novo ataque cardíaco, coitada… -Ela falou assim que me aproximei dela.
-É verdade, com este é o segundo.
-O que você tem? Parece-me tensa…
-A Adriana fugiu.
-Como?! –Ela me olhou imediatamente com os olhos arregalados.
-Uns homens chegaram lá revirando tudo…
-E os seus seguranças?
-Eu tirei-os, lembra? Ela estava presa, então eu não precisaria deles lá.
-E o que está à espera para colocar detetives atrás dessa vaca?!

 

E assim fizemos, corremos para o meu escritório e começamos a ligar para os detetives com que já havíamos trabalhado. Apesar de eu não ter muita esperança, apesar de tudo ela era esperta e duvido que até os melhores detetives da América a conseguissem encontrar, pelo menos agora…

LEIA AS NOTAS FINAIS


Notas Finais


Amores, no cap passado tivemos 4 comentários, então vamos mante-los ou aumentá-los para 5? sim?? quantos mais comentários, mais depressa eu venho e não esquecendo que 4 é a marca minima para eu voltar.
Não vou identificar os vossos nomes aqui, se você leu o capitulo diga-me o que achou, ou apenas um "continua" já é bom.
Espero os vossos comentários/favoritos para voltar aqui.
Um beijo de coração, bbys <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...