História Jurassic World - Rapter - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jurassic Park
Personagens Claire Dearing, Owen Grady, Personagens Originais, Simon Masrani
Visualizações 12
Palavras 627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - Todo mundo dormindo


Fanfic / Fanfiction Jurassic World - Rapter - Capítulo 23 - Todo mundo dormindo

Zach

Assim que colocamos aqueles guardas para dormir sairmos de fininho e fomos para o farol que ficava perto do campo onde Rapter estaria com os dinossauros, assim que chegamos lá Luck chegou correndo logo atrás, sem nenhum receio soquei a cara dele.

-Ficou louco? – ele gritou colocando a mão no queixo.

Owen olhou para mim sem entender nada, até que sua expressão começou a mudar e então ele começou a rir do nada.

-Está rindo do que? – vociferei.

-Isso tudo é ciúmes?

-O que? – tentei disfarçar, mas realmente eu era uma ante por ter batido nele na frente de todo mundo.

-Babaca, Lissa é areia demais para seu caminhão – Luck cutucou-me no ombro e devolveu o soco, vi pontos pretos dançando em minha frente enquanto o gosto de sangue veio-me à boca.

-Os dois príncipes encantados, parem de brigar e vamos logo fazer o que temos que fazer! – tia Clair ficou irritada – Owen qual o plano agora?

-Não sei – ele parou para pensar – espera, deixa-me ver...

Luck bateu a mão na testa como se Owen fosse retardado, teria socado ele novamente, mas percebi que ele era mais forte que eu então como eu não queria apanhar mais resolvi ficar quieto.

-Esse farol está cheio de pessoas que trabalham para o meu pai – ele arrumou a arma – mas podemos fazer o seguinte, eu entro, faço o dono da sala de controle de refém e assim podemos ligar o farol enquanto mandamos todos para fora e trancamos as portas, depois soltamos todos os dinossauros e deixamos eles comerem as pessoas...

-Todas as pessoas? – Gray estava um pouco espantado com isso.

-Todos que vieram para cá sabem o que realmente vieram fazer aqui, então acho que serem comidos por dinossauros seja um pouco justo demais – Luck sorriu – vamos ter que fazer o possível e depois abrir apenas para que Lissa entre e se salve.

-Tudo bem, faça como quiser – Owen deu de ombros.

-Todos entenderam então? – Luck falou com voz militar – alguma pergunta?

-Sim senhor! – Gray ergueu a mão.

-Fala nanico.

-Por que chama a Rapter de Lissa?

Luck parou um pouco para pensar.

-Apesar de tudo, para mim ela é bem humana – deu um sorriso afetado – empunham suas armas, vamos invadir...

-Devemos atirar em tudo? – perguntei arrumando a arma que estava na minha mão, era grande e desengonçada.

-Só se atirarem em você.

Owen

Luck era um bom estrategista e por causa dele e de sua digital conseguimos chegar a sala de controle sem maiores problemas e ainda por cima pelo elevador central o que eu achei o máximo. Devo admitir que queria atirar em alguma coisa, mas não estava a fim de matar ninguém.

-Vai ser assim quando chegarmos lá, haverão seguranças – Luck não olhava para nós – eles são inofensivos a menos que atirem, por isso temos que atirar primeiro.

-Você é normal Luck? – Gray perguntou encarando-o – parece ser muito sanguinário para sua idade.

-Como adivinhou nanico? – Luck riu.

-Então você também é um dinossauro?

-Não exatamente.

-O que você é?

O elevador abriu as portas.

-Depois conversamos sobre isso, hora de atirar.

Apontei a arma para frente, mas antes que pudesse reagir Luck havia atirado nos dois guardas que dormiam tranquilamente agora. Como ele havia sido tão rápido?

-Morfina é uma beleza – ele riu – vamos tomar conta disso tudo!

-Achei que íamos atirar – Gray pareceu decepcionado.

-Eu atirei, valeu a pena.

-Por que sua arma é de dardos não balas?

Luck encarou Zach demoradamente como se ele fosse um idiota, o que foi engraçado, queria eu voltar no meu tempo de adolescente para poder disputar a garota bonita. Só estava achando estranho que eu não incomodava-me sobra a garota bonita ser minha sobrinha.

-Se precisasse atirar na Lissa, teria que atirar para conte-la, não mata-la. Imbecil!

 


Notas Finais


Pessoal olhem, por favor, o jornal que eu publiquei está bem? É importante!
https://spiritfanfics.com/jornais/vamos-dizer-apenas-um-breve-adeus-10352022

Data de termino: 30/09


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...