História Just a Boy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 141
Palavras 2.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DESCULPAAAAAAAAAAAAAAAAAA
já estão me cobrando o cap 3 há um tempão e eu juro que ele tava todo pronto! Mas eu tive que formatar meu celular ai o iCloud como é um cuzão não salvou as notas,e os capítulos todos estavam lá, tbm troquei de computador e tive que baixar o PS dnv pra fazer as capas do capítulo... ENFIM! to de volta!!!
Gente eu sinceramente to bem revoltada com respeito as HQs de TWD, manooooo comassim a Lydia falou pro Carl que não ama ele?????? Tem caroço nesse angu! ANYWAY, sem mais enrolação. (e eu acho que tem gente que nem tá lendo isso e já pulou pro capítulo.)
P.S.: CARLYDIA ISN'T OVER!

P.P.S.: LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 3 - Capítulo. III - Fake Kiss


Fanfic / Fanfiction Just a Boy - Capítulo 3 - Capítulo. III - Fake Kiss

  O dia havia sido longo, conseguimos gravar todas as cenas entre Carl e Lydia até o momento em que ele a tira da cela, em exatamente 2 dias vamos continuar gravando as cenas dos dois. E isso me preocupava um pouco, teríamos um cena de beijo, nunca dei um beijo técnico, nem sei como é isso! E se eu a beijar "de verdade" na hora?

  Cheguei em casa e fui direto para meu quarto, liguei meu computador e pesquisei: "Como dar beijo técnico", passei boa parte da noite pesquisando e me aprofundando no assunto, e sabe o que eu descobri? Não existe porra de beijo técnico nenhum! Era um beijo comum mas os atores não deveriam demonstrar interesse pessoal, apenas o dos personagens, ou seja... FUDEU.

  Sinceramente como eu não sentirei interesse pessoal beijando uma garota como a River. Estava muito preocupado quanto a isso, eu tenho namorada e... CARALHO EU TENHO NAMORADA.

 

  Pulei da cadeira e acabei tropeçando em Aether no meio do caminho me fazendo cair. Me levantei rapidamente e corri até meu celular, rapidamente digitei o número de Brianna. 

 

   —Oi meu amor! –eu disse nervoso mas tentando não demonstrar isso na voz.

 

  —Lembrou que tem namorada? –pude sentir que sua voz soava com raiva, muita raiva.

 

  —Desculpa por não ligar Bri, eu estou muito ocupado com a série e a escola. Foi mal mesmo. –eu disse na esperança de que ela não me desse uma bronca.

 

  —A escola eu até entendo, mas poxa Chandler, o seu trabalhinho é mais importante que eu? Sinceramente, eu sou sua namorada! Preciso de uma atenção especial não acha!? –fiquei incrédulo com o que ela disse, apertei o celular em minhas mãos e fechei os olhos podendo sentir meu sangue ferver. Não explode Chandler, se acalme.

 

  —Brianna, o meu trabalho é muito importante, você tem noção de quantas pessoas assistem essa série? 

 

  —Claro, mas você se preocupa muito com isso e não me dá atenção até parece que essa série e seus fãs são mais importantes que sua namorada! 

 

  Chega, essa foi a gota d'água.

 

 —Sim! Eles são mais importantes que você Brianna, se não fosse por eles eu não estaria onde estou agora, eu amo o que faço, eu amo os meus fãs e eles são mais importantes que qualquer namorada! Claro que alguns deles exageram, mas eles me amam, e eu os amo. E se você não pode conviver com isso, eu sinto muito, mas você não pode namorar comigo. Aceite logo o meu trabalho, meus fãs e a mim mesmo!

 

  Pude ouvir um belíssimo silêncio do outro lado da linha, não quis ouvir mais nada, só desliguei o celular e o taquei na cama, ele pulou e acabou caindo com tudo no chão, me fazendo ficar com mais raiva ainda. 

 

  Levei minhas mãos até os cabelos e apertei com força, tentando fazer a raiva passar sem sucesso. Peguei meu celular no chão sem me importar com o rachado na película de vidro. Abri o Twitter e logo escrevi: 

 

  “Impressionante como algumas pessoas podem ser tão cínicas e só se importarem com elas mesmas. Queria lembrar a todos que agradeço por todo o amor que me dão, se não fosse por vocês não estaria onde estou hoje, vocês são tudo pra mim, obrigado.”

 

  Fui checar o ask.fm e responder algumas perguntas, aquilo me tranquilizava.

 

  “Qual o seu maior sonho?”

 

  Li a pergunta e me pus a pensar, eu não tinha um sonho, nunca parei pra pensar no que gostaria.

 

  “Conhecer todos os meus fãs.” 

 

  Ri com a minha resposta melosa e continuei a responder perguntas, quando dei por mim já se passavam das 2 da manhã. Decidi responder mais uma.

 

  “Como anda o namoro com Brianna?”

 

  Por um momento pensei em não responder para não gerar muita polêmica, mas porque não? 

 

  “Complicado”

 

  Respondi a pergunta pensando várias e várias vezes no que aquilo poderia gerar. 

  Coloquei meu celular no criado-mudo e me dirigi ao banheiro, tomei um banho rápido e fui dormir, tinha aula no dia seguinte, nem deveria estar acordado a essa hora.

 

  —EAI CARA! –pude sentir um corpo pulando em cima de mim, levei um susto e me virei, pude ver Colin rindo e me largando.

 

  —Oi. –disse seco tentando parecer animado. Ele fez uma careta e olhou para Eric que não estava entendendo nada.

 

  —Acordou com o pé direito hoje? –Colin disse. —A expressão é com o pé esquerdo ou direito? -Ele se virou pra Eric que apenas estava rindo.

 

  —Eu e Brianna brigamos. –disse sem olhá-los apenas adentrando na escola.

 

 —Bem, vamos levar em consideração que o namoro de vocês não vai bem já tem um tempo né? –Eric disse dando dois tapinhas em meu ombro.

 

  —Sim, mas... Ah eu sei lá, eu só não aguento mais sabe? Sinto que estou me forçando a isso, não é como antes. Não tem... paixão. –disse em um tom triste e eles não disseram nada.

 

   Entrei na escola e fui ao meu armário, peguei os livros de química e física e me dirigi até a sala, teria terminado o meu feito com sucesso se uma menina não tivesse esbarrado em mim no corredor me fazendo derrubar tudo. Merda.

 

  —Oh meu Deus, sinto muito deixa eu te ajudar. –pude reconhecer aquela voz com muita clareza.

 

  —River? –levantei meu olhar que estava concentrado em pegar os livros no chão e pude ver a loira que me encarava surpresa.

 

  —Chandler! Não sabia que estudava nessa escola! –ela falou logo dando um largo sorriso. 

 

  —Eu é quem não sabia que você estudava aqui, afinal estudo aqui há anos. –ela riu com isso, que risada maravilhosa, como pode isso Jesus?

 

  —Tem razão, é meu primeiro dia, tive que me mudar pra um lugar perto de Atlanta pra fazer a série, e meus pais escolheram Woodstock.

 

  —Isso é bom não é? Podemos nos conhecer melhor e sermos amigos além do set.

 

  —Claro! –disse sorrindo sem mostrar os dentes. —Tenho aula de Matemática agora, a gente se vê amanhã no set!

 

 —Até! 

 

  Sorri e comecei a vê-la se afastar no corredor, até que tive uma ideia interessante. 

 

  —River!!! 

 

  A gritei e comecei a correr em sua direção. 

 

  —River! 

 

  Ela se virou pra mim com os olhos meio arregalados devido ao fato de eu ter chamado um pouco de atenção de quem estava em volta. 

 

  —Sabe, vamos ter uma cena de beijo amanhã... 

 

  Pude ver ela corar ao mencionar a cena que teríamos que fazer. 

 

  —E você bem que poderia passar lá em casa mais tarde, é melhor treinar o beij... AS FALAS! As falas. Juntos. –Senti uma gota de suor descendo pela minha nuca e deslizando lentamente pelas minhas costas, me fazendo arrepiar.

 

  —É, eu acho que tem razão. Pode ser! Depois me passa seu endereço. -Ela disse parecendo tão desconfortável quanto eu.

 

  —Eu posso te levar, vim de carro. -Ela me olhou surpresa e assentiu com a cabeça logo seguindo seu caminho. Não pude deixar de sorrir por algum motivo, ajeitei a mochila em meus ombros e corri até minha primeira aula.

 

 

10 segundos... 5... 4... 3... 2... 1!

  Pude ouvir o sinal tocar e todos se retirarem às pressas da aula de Matemática que estava extremamente entediante.

 

  Fui até a frente da escola e olhei para todos os lados até encontrar River sentada em um banco mexendo em seu celular. Cheguei por trás e tapei seus olhos.

 

  —Sei que é você Chandler, é o único que me conhece nessa escola. –ela disse rindo, tirou minhas mãos de seus olhos e se virou para mim ainda com um doce sorriso nos lábios. 

 

  —Já deveria ter feito amigos! –eu disse.

 

  —Não é tão simples quanto parece.

 

  —Claro que é! Depois eu te apresento aos meus amigos, quero que se sinta bem aqui. Vamos! –ela se levantou do banco e caminhou em passos lentos comigo até chegar ao carro.

 

  Entramos e eu comecei a dirigir até minha casa, senti um clima bastante tenso e frio durante o percurso, e parece que ela também. Pude vê-la abrir o porta luvas a procura de alguns CD's, sem achar nada além de papéis de bala e alguns fios.

 

  —Você não tem nenhum CD clássico?

 

  —Não, mas eu tenho músicas eletrônicas no meu celular, é só ligar o bluetooth. –eu disse e ela fez uma careta que me fez rir.

 

  —Você não gosta de música clássica?

 

  —Você não gosta de música eletrônica? –disse e ela fez uma cara frustrada por eu ter respondido sua pergunta com outra pergunta.

 

  —Não é que eu não goste, só prefiro outros tipos de música como rock clássico.

 

  —Não sou muito chegado em rock clássico.

 

  —Já ouviu? –perguntou.

 

  —Óbvio! –Eu respondi como se fosse a pergunta mais idiota do mundo.

 

  —Tá, mas você ouviu músicas boas? Nem todo rock clássico é bom, depende da música e da banda.

 

   —Eu nem sei quais já ouvi. –dei de ombros.

 

  —Então um dia vou te levar na minha casa, tenho vários discos de vinil com musicas muito boas.

 

  —Tá, mas você também vai ter que ouvir musicas eletrônicas. -Acrescentei.

 

  —Feito! -Ela disse desafiadora.

 

 

Cheguei em casa e coloquei o carro na garagem, por um momento pensei em abrir a porta do carro para River, mas no tempo em que estava pensando se o faria ou não ela já me esperava do lado de fora do carro. Sai já retirando as chaves da minha mochila e abrindo a porta.

 

  —Onde estão seus pais? –perguntou entrando logo atrás de mim.

 

  —Trabalhando. –Eu disse fechando a porta e jogando a mochila no sofá. River colocou a sua em um canto e se sentou.

 

  —Tá com fome? –Eu disse vasculhando a geladeira. 

 

 —Não. –disse dando uma pequena risada devido ao fato de eu estar praticamente dentro da geladeira.

 

 —Eu estou mas aqui só tem tofu! Por que minha mãe compra isso? –eu disse, estava saindo de "dentro" da geladeira até que levantei a cabeça antes da hora e acabei batendo. —PORRA! –gritei levando minhas mãos imediatamente a cabeça e massageando ali, me virei para River que tentava segurar o riso, sem sucesso, começou a gargalhar. —É muito feio rir dos amigos! –eu disse fechando a geladeira e indo até o sofá.

 

  —Foi mal, mas foi tão engraçado. Você tinha que ter visto!

 

  —Eu não vi, mas eu senti, serve? –disse me sentando ao seu lado.

 

  —Acho que sim. –ela falou parando de rir e olhando pra mim. Ficamos alguns segundos nos encarando até que ela sai do transe em que parecia estar se virando para sua mochila, abriu o zíper e lá de dentro tirou o roteiro de The Walking Dead, folheou algumas paginas até parar na nossa próxima cena. —Vamos começar? –perguntou.

 

  —Claro. respondi engolindo o seco. –peguei o roteiro e comecei a ler minhas falas. —Você não vai voltar, eu não vou permitir isso.

 

  —Carl, eu preciso, é uma troca justa, não quero causar problemas. –River disse sua fala sem olhar para mim com os olhos fixos no papel em suas mãos.

 

  —Mas eles te machucaram, eu... –dei uma pequena pausa na fala, respirei fundo e continuei. —...eu posso te proteger. –River finalmente desgrudou os olhos do roteiro e olhou para mim, se aproximou e selou nossos lábios. 

 

  Aquele beijo deve ter durado uns 7 segundos, mas nesses pequenos 7 segundos pude sentir um nó se formar na minha barriga subindo até o peito, mas não era como enjoo ou coisa do tipo. Ela separou nossos lábios delicadamente e deu um leve suspiro quando ainda estavam próximos, aquilo fez meu corpo inteiro se arrepiar.

 

  —Então... –disse após alguns segundos de silêncio. —acha que dá pra fazer isso amanhã nas gravações? Na frente de várias pessoas?

 

  —Por mim, sim. Mas e por você? –perguntei e ela deu um pequeno sorriso sem mostrar os dentes e afirmou com a cabeça.

 

  —Olha Chandler, eu sei que você tem namorada, e a última coisa que quero é causar problemas. –disse parecendo preocupada.

 

  —Já conversei com ela sobre isso. E afinal, meu namoro não está lá essas coisas. –forcei um sorriso.

 

  —Sinto muito. –lamentou começando a catar suas coisas e colocar na mochila. —Espero que se acertem. Bem, eu preciso ir, me encheram de dever de casa logo no meu primeiro dia! 

 

  —Eu te levo até a porta. –disse me levantando rapidamente e a acompanhando. —Eu posso te levar de carro se quiser.

 

 —Não precisa, quero ir andando, minha casa não é longe. Até amanhã no set. –sorriu e me deu um beijo na bochecha. 

 

  Entrei em casa e me joguei no sofá, pensando e repensando todo o meu dia. Por que a minha vida tem que ser tão complicada?

 

  Fui interrompido de meus pensamentos pelo som irritante do meu celular tocando. Bufei e fui até a mesa da cozinha pega-lo.

 

  O que diabos ela quer?

 

   —O que foi Brianna?   –disse um tanto quanto grosso.

 

  —Me desculpa por ontem à noite, eu não deveria ter dito aquelas coisas.

 

  —É, não deveria.  –disse seco.

 

  —Olha, sei que está puto comigo, mas eu não quero terminar por uma briguinha idiota.

 

  —Idiota? Como assim idiota? Todas as nossas brigas são pelos mesmos motivos, fãs, a série e seu ciúmes!

 

  —Desculpa tá? Eu to tentando salvar o nosso namoro e você não está nem aí!

 

  —Não tem mais nada pra você salvar Brianna.

    

  —Como assim? –choramingou.

 

  Dei um longo suspiro tentando encontrar as palavras certas, minha cabeça doía e minhas mãos estavam molhadas de suor devido ao celular que já estava quente.

 

  —Brianna, antes o nosso namoro era bom, mas agora, não sei, tá diferente. Não tem mais aquela química, não tem paixão! Eu cansei tá? Nem todo romance tem um final feliz... Acabou.


Notas Finais


COMENTEEEEEEEEM, pra eu não desistir ou esquecer dessa fic, os comentários animam bastante.
E não, eu não sei quando vou postar o próximo capítulo, mas prometo não demorar taaanto, pq como eu disse perdi tudo e tenho que escrever dnv.
Ah e não se esqueçam de deixar a opinião de vocês, se gostaram ou não, se a ortografia está boa, críticas construtivas etc etc.
mamãe ama vcs <3

P.S.: desculpeeeeeem não tem a Katelyn nesse capítulo mas no próximo ela terá bastante destaque até pq ela é meu bebezinho precioso, amo demais.

P.P.S.: Eu uso mt "P.S", pq esqueço de escrever uma coisa e tenho preguiça de voltar pra adicionar, se acostumem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...