História Just a Dream - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Automutilação, Depressão, Drama, Originais, Revelaçoes, Romance, Suícidio
Exibições 9
Palavras 625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Mamãe.

Capítulo 1 - Mom...


Fanfic / Fanfiction Just a Dream - Capítulo 1 - Mom...

Oi...
Poxa, eu não sei mesmo como começar isso.
Claro... Começando pelo início.

Humf... Suspiros. Meus cortes já cicatrizaram... Isso é bom. Promessas... Prometi nunca mais fazer isso. O problema é que sou impulsivo... Eu nunca viverei sem esses cortes. Odeio quebrar promessas, mas uma hora ou outra isso vai acontecer.

Essa dor insuportável... Dor de viver. É tudo tão desastroso. Eu nunca pedi para nascer, mamãe também não; na entrevista da escolinha ela disse isso. "A pior coisa que já fiz foi transar com aquele capeta e trazer essa peste de criança ao mundo..." Dizia ela aos diretores. Todos ficam tensos ouvindo esse tipo de coisa, mas para mim, é o normal. Se eu ouvisse um "Parabéns" no meu aniversário, até estranharia.

Me mandaram para um lugar estranho... Estou num beco?... Parece um beco... É escuro como um. Úmido pelo lixo, mal cheiroso também; tudo estranho e novo. As estrelas no céu escuro salvam a paisagem. Uma coisa perfeita. Céu e suas amantes... Junto de seu amor, Lua; brilhando e mostrando seu charme encantador no alto da madrugada. Perfeito... Uma noite de sono aqui seria perfeito.

Mas é frio... É amedrontador. É escuro e estranho... Pior lugar para uma criança como eu. Mamãe... Me tira daqui. Por favor, preciso de você. Mesmo você me chamando de inútil... De imprestável, peste, capeta, retardado, doente, seja o que for, eu sei que você ainda me ama. Você me ama, mamãe? Você consegue me ouvir...? Você ainda está comigo, mamãe?

Passos... Passos pesados em minha direção. Meus olhos estão muito doloridos... Não consigo os abrir. Quem está aqui? Mamãe... Veio me salvar? Meu corpo dói... Sinto tudo girando e girando... É uma montanha russa?... Acho que sim. Adoro montanhas russas... Mamãe me levou em uma um dia, num parque local... Papai nos encontrou na fila. Eles gritaram algumas coisas e acabaram afastando algumas pessoas, mas eu nem ouvi direito... Na montanha russa, lembro de mamãe ter passado a mão sobre meu pênis, como se estivesse fazendo aquilo que ela me ensinou quando estamos sozinhos... Ela diz que é normal entre famílias. Mas eu sinto que é errado... Tão errado.

Os passas só pioram, vindo até meu corpo cansado no chão, indefeso e frágil corpo... Não é minha mamãe. Eu sinto uma energia negativa... Isso não é normal. Tudo o que podia sentir em diante eram mãos, mãos geladas e insensíveis tocando meu corpo, especificamente, minha cintura. Minha calça se deslisava por minhas pernas, até chegar no asfalto áspero. 

Comecei a suar frio... Quem está aqui? Começa a acariciar meu pênis, como mamãe... A leveza de seu toque me trazia sentimentos bons. Sinto meu membro ser totalmente envolvido por algo áspero; isso me deixava excitado. Por que alguém faria isso? Logo essa sensação passa... Tudo o que sinto é dor e arrependimento. Calafrios e sentimentos florescendo... Enquanto mãos agora quentes envolviam minha cintura, algo fazia pressão em meu ânus... Sentia algo me penetrando, parecia me rasgar ao meio. Esse entra-sai me deixa enjoado... Fortes tonturas, dores de cabeça... Meu corpo doía ainda mais. Lágrimas não paravam de rolar em minhas bochechas já vermelhas de raiva...

Será que finalmente vou me encontrar com a mamãe? Ela disse que um dia iria ter que partir e deixar seus remédio para mim... Eu andei experimentando, parecem balas. Finalmente vou te reencontrar mamãe? Você é tão graciosa... Seu coração bate na mesma sincronia que o meu. Estamos destinado à isso.

Ouço um gatilho sendo acionado e logo depois um som estrondoso surge. Uma ardência envolve meu peito, junto com um líquido quente escorrendo sobre todo meu corpo... Esse é o fim?... Então foi assim que a mamãe quis que eu morresse? Isso que ela quis dizer com "Você é útil para mim"?...


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...