História Just a friend....or no...!? - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Iris, Kentin, Lynn, Lysandre, Nathaniel, Nina, Rosalya, Violette
Exibições 373
Palavras 1.937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite, ou bom dia se você estiver lendo isso de dia, boa tarde se você chegou mais atrasado (a).
Esse capitulo eu dedico a todos os meus leitores fantasmas, vamos gente apareçam. Não precisa ter vergonha, eu também tinha mas minha amiga disse que era para eu postar então eu comecei a história.
Então vamos lá, não me deixem no vaco leitores fantasmas.

Capítulo 34 - " Dake, está sozinho? "


Fanfic / Fanfiction Just a friend....or no...!? - Capítulo 34 - " Dake, está sozinho? "

 - Cassy... - Gemi sôfrega enquanto o ruivo passava a esponja ensaboada em minhas partes mais sensíveis.
   Castiel fez questão de me dar banho e me torturar sempre que possível. 
 - Isso... é m-maldade. - Sussurrei entre gemidos apoiando minha cabeça em seu ombro.
 - Não pequena, o que você fez foi maldade. - Respondeu em meu ouvido.
   Passou a esponja levemente pela minha entrada me fazendo suspirar. Sua outra mão beliscava de leve o bico de meu seio esquerdo. 
 - Pelo que... e-eu me... lembre... e-era a n-noite... para eu t-te... torturar. - Suspirei com dificuldade.
   Castiel parou o que estava fazendo e depositou um beijo em meu ombro. O ruivo me virou de frente para ele, estava com o típico sorriso malicioso.
 - Faça o que quiser comigo bebê. - Sussurrou em meu ouvido.
   Ele me estendeu a esponja e me olhou de maneira desafiadora. Peguei a mesma e depositei mais sabão em sua superfície, comecei a passá-la em seu peitoral e fui descendo bem devagar em direção a sua cintura. Voltei meu olhar para seu rosto e seus olhos estavam fechados, sua boca entreaberta enquanto leves gemidos saiam da mesma.
   Desci a esponja por sua virilha, pela coxa e massageei seus joelhos. Um som grave escapou por sua garganta, abri meu sorriso triunfante e caminhei minha mão em direção de seu membro. 
   Comecei a masturba-lo e depositei vários beijos por todo seu pescoço subindo pelo queixo e lhe dando um beijo no canto de sua boca. Castiel soltou outro gemido sôfrego, suas mãos foram de encontro com meus braços.
 - Vou te f*der de um jeito que não vai conseguir levantar amanhã. - Falou ao pé do meu ouvido.
   Sua fala me excitou de um jeito muito assustador.
 - Então f*de. - Sussurrei fechando os olhos ao sentir ele introduzir um dedo em mim.
 - Com prazer! 
   Castiel me prensou de um jeito bruto contra a parede e introduziu mais dois dedos em meu interior dando estocadas brutas.
   Revirei os olhos, tamanho era o prazer que sentia apenas com seus dedos.
 - Vai Cassy, me f*de logo. - Pedi olhando em seus olhos.
  Vi um sorriso sacana e malicioso se formar em seus lábios.
 - Claro amor.
   Castiel tirou seus dedos do meu interior e introduziu sem membro de uma vez só começando um ritmo rápido de estocadas brutas.
 - Cassy... mais rápido... - Pedi entre gemidos, o ruivo atendeu meu pedido e foi cada vez mais fundo.
   Senti que estava quase chegando ao meu ápice, Castiel aumentou o ritmo. Fechei os olhos.
 - Olhe para mim. - Exigiu entre dentes.
   Abri meus olhos e o encarei. Ele aumentou ainda mais o ritmo e fui obrigada a prender meus olhos em suas belas pupilas cinzas, nubladas pelo desejo.
 - Goza para mim amor. - Pediu entre gemidos.
   E assim eu cheguei ao meu ápice mais uma vez naquela noite. E nós repetimos o ato várias vezes durante aquela longa noite.
[...]

    ********

[...]
Acordei com vários beijos sendo distribuídos por toda a extensão das minhas costas. Flashes da noite passada vieram a minha mente e não foi possível conter meu sorriso de satisfação.
 - Bom dia pequena. - Sussurrou em meu ouvido e depositou um beijo atras da minha orelha.
 - Bom dia ruivo. 
   Me virei para ele e o encarei, acariciei seu cabelo e desci minha mão até sua bochecha. Me aproximei mais do mesmo e depositei um beijo em seus lábios.
 - Gostou do presente? - Perguntei ao me separar do ruivo.
 - Não... - Respondeu sério e logo abriu seu sorriso sacana. Aproximou o lábio do meu ouvido e sussurrou de modo sensual: - Eu amei, nunca vou esquecer o seu presente.
 - Que bom. - Abri um sorriso satisfeito. - Fui a primeira não fui? 
 Ele me olhou confuso.
 - Primeira a que?
 - Te dominar. - Falei, o olhei apreensiva, esperando a resposta. 
 - Sim. 
 - Que honra. - Ironizei.
 - Ah vem cá. - Castiel me puxou para cima dele com um sorriso no rosto.
   Dei um beijo bem demorado nele, sua língua adentrou a minha boca e e suas mãos apertavam minha bunda. Puxei de leve seus cabelos.
 - Cassy vai fazer o café. - Pedi manhosa descolando meus lábios dos dele. - Daqui a pouco eu tenho que ir embora.
 - Porque? - Seu sorriso havia sumido.
 - Ah meu amor, não fica assim. - Falei passando a mão em seu rosto. - Eu vou mais amanhã a gente tem aula e você vai me ver.
 - Tá bom, mas você vai ficar aqui por mais um tempo não é? - Pediu manhoso.
 - Vou sim. - Lhe dei um selinho e sai de seu colo.
 - Porque saiu? Está tão confortável.
   Peguei um travesseiro a arremedei nele, pela primeira vez eu consegui acertar em seu rosto. Comecei a rir loucamente.
 - Ah você não fez isso. - Logo eu senti uma almofadada em meu rosto.
 - Eii!! - Reclamei.
 - Você que começou. - Se defendeu.
 - Ah Castiel vai cagar! - Reclamei fingindo estar brava.
 - O que houve com o " Cassy " ?? - Perguntou sacana. Ele caminhou até mim e eu fiz beiço, infantil? Sim, mais essa era a intenção. - Não faz beicinho. - Ele levou sua não ao meu queixo e levantou meu rosto me dando um selinho. - Te amo sua bravinha.
 - Também te amo. - Peguei uma roupa qualquer e caminhei em direção ao banheiro. - E eu não sou brava.
[...]
  
     ********

[...]
 - Tchau Cassy! - Me despedi dando um selinho nele e lhe entregando o capacete. - Até amanhã.
 - Até amanhã meu amor. - Respondeu me observando entrar.
   Peguei as escadas e subi até meu apartamento. Quando entrei me deparei com Ally assistindo Tv, ou melhor se pegando com o Dake.
   Subitamente me senti com raiva. Eu não aguentava mais ver os dois juntos, que raiva, não sei o que dava em mim mais vê-los juntos partia meu coração. Fechei a porta com mais força e limpei a minha garganta chamando a atenção dos dois.
 - Oi. - Falei meio sem graça.
 - Oi bebê. - Dake disse, ele me chamou do que? Eu estou certa? Foi isso mesmo que eu ouvi? E porque eu estou tão feliz por isso? Eu estou muito confusa, não sei como eu me sinto em relação ao Dake, eu amo o Castiel mais os meus sentimentos pelo Dakota estão me confundindo.
   Ally o olhou vermelha de raiva, lancei um sorriso para Dake e não me dirigi a loira. Não sabia se ela se lembrava do que aconteceu mais não estava em condições para casa n versar com ela no momento.
   Subi as escadas e entrei em meu quarto tirando os sapatos e me sentando na ponta da cama. Eu precisava pensar, precisava colocar meus sentimentos no lugar. Eu estava confusa mais não podia fazer nada até ter certeza do que sentia, Castiel não merece que eu o traia, não merece isso, Cassy merece muito mais.
   Fui tirada de meus devaneios quando alguém arrombou a porta do meu quarto. Ao olhar para frente dei de cara com Ally, o que ela estava fazendo ali? E porque entrou daquele jeito? Tinha sensação de que iria ter a respostas para as minhas perguntas logo logo. 
 - Quer saber? Eu quero você longe do Dakota. - Gritou brava.
 - E porque eu faria isso? Nos somos amigos e eu não vou parar de falar com ele por mero capricho seu. - Retruquei, não estava com paciência e ela não estava bêbada.
 - Eu sei que você sente algo por ele. - Acusou.
 - Quem é você para dizer o que eu sinto ou deixo de sentir?! - Perguntei irônica.
 - Olha aqui. - Falou apontando o dedo para a minha cara.
 - Não olha você. - Empurrei sua mão para baixo. - Se tem tanto ciúmes e porque você sabe que Dake não gosta de você. Se liga garota, você é só mais um dos esquemas dele, depois de transarem, se ainda não tiverem feito, ele vai te largar. Ele não gosta de você, ele só quer sexo. - Esbravejei, resolvi fazer um pouco mais de ciúmes. - E sabe para quem ele volta depois de tirado tudo o que ele quer de garotas como você? Isso mesmo amor, ele volta para mim. - Rosnei sarcástica.
 - Eu não vou pedir desculpas pelo que houve na festa. Você sabe muito bem que eu estou falando a verdade. - Brandiu. - Não adianta esconder, você sente algo pelo loiro.
   Ally tinha razão, mais não era hora e nem pessoa adequada para comentar sobre isso.
 - Alyssa vai transar com ele que rende mais. - Reclamei colocando as mãos no rosto.
 - Se você deixasse. - Retrucou.
   Me levantei, minha paciência estava zero hoje, ainda mais para esse assunto.
 - Se está tão incomodada de muda, ninguém está te prendendo aqui. 
 - Ah eu vou mesmo, vou morar com o Dake. - Falou vitoriosa e isso me acertou em cheio.
 - Duvido que ele vai deixar. - Respondi tentando esconder o quanto aquela frase havia me afetado.
 - Pois então duvide.
   E com isso ela saiu do meu quarto batendo pé. Dakota não a deixaria mortar lá não é? Não sei mais isso machuca demais meus sentimentos.
   Passado-se dez minutos eu resolvi ir até a casa a frente, que era onde Dake morava para ver se ele havia deixado ela morar lá, e também porque hoje era meu dia com ele.
   Bati na porta e logo ele veio atender só de calça de moletom folgada.
 - Tive um dejavu. - Comentei fazendo ele rir.
 - " Isso é jeito de abrir a porta. " - Falou imitando voz de menina. 
   Cai na gargalhada e ele me acompanhou.
 - Dake, está sozinho? - Perguntei.
 - Estou sim, porque? 
 - Tive uma briga com a Alyssa. - Reclamei comigo mesma.
 - Vocês já vão voltar a ser amigas.
 - Espero. - Murmurei. - Trocando de assunto o que vamos fazer hoje?
 - Ah então... - Já sabia que ia vir coisa ruim. - Combinei com Ally da gente sair, tem como a gente cancelar o dia do amigo esse mês? - Me pediu fazendo carrinha de cachorrinho que caiu da mudança.
 - Okay. - Respondi mais não consegui esconder meu desapontamento.
 - Ei... - Dake colocou o dedo em meu queixo e levantou minha face. 
   Isso me causou um arrepio. O que estava acontecendo comigo?
 - Não fica assim. Vamos remarcar okay? - Disse tentando me animar.
 - Tá bom. 
   Ele me deu um abraço bem apertado.
 - Você e a melhor amiga que eu já tive. 
   Lancei um sorriso forçado para ele e voltei para minha casa, porque me machucou tanto ouvir ele me chamar de amiga? Porque eu me arrepiei com um simples toque dele? O que está acontecendo comigo? Tantas perguntas rodeavam minha mente naquele momento e eu não tinha a resposta para nenhuma delas.
   Resolvi que um banho gelado ajudaria a esclarecer meus pensamentos.
   Deixei que a água levasse todas as minhas preocupações pelo ralo, queria simplesmente esquecer do Castiel, do Dakota e dia sentimentos confusos que eu tenho pelos dois. Queria fingir que eu e Ally não estávamos brigadas por uma coisa besta e que a minha vida estava perfeita, que Rosa e Alexy não tinham se afastado tanto quanto agora.
   Tudo o que eu queria e que a minha vida voltasse aos eixos, com meus amigos e com Castiel como meu namorado e sem nutrir sentimentos pelo Dakota.


Notas Finais


Quero ver comentários em gente, sem vergonha, não me deixem no vaco.
<3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...