História Just a Liar - Tomione - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Rabastan Lestrange, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley, Tom Riddle Jr.
Tags Dark!harry, Hansy, Harry Potter, Hermione Granger, Romance, Sangue-puro, Tom Riddle, Tomione, Volmione
Visualizações 137
Palavras 1.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heey paçocas <3

Eu queria ter postado antes, mas ultimamente não estou conseguindo escrever qualquer coisa mesmo que tenha ideias :/

Sobre a enquete teve apenas um voto pro Harry continuar ao lado de Dumbledore enquanto que todos os outros comentários foi para ir para o lado do Lord. Antes que eu esqueça: O Harry mudar seus conceitos não irá atrapalhar o shipper Tomione, aliás, eu até pensei em alguém que acho que ficaria legal com ele :3

Capítulo 5 - O Retorno de Lord Voldemort


[- Como foram as aulas querida? – Perguntou Jane.

- Ótimas – Forçou um sorriso para a mulher – Pai, preciso de roupas novas – Falou em tom autoritário.

- Tudo o que minha garotinha pedir – Falou o homem e Adhara sorriu com isso, ela simplesmente adorava tirar vantagem daquele casal trouxa].

[...]

A semana que Adhara ficou n'A Toca não foi promissora, ela não conseguiu descobrir nada que fosse importante e agora estava a comprar seu material junto aos Wesley e ao Potter. Durante as férias com sua família soube como seu tio Lucius traria Lord Voldemort e esse ano ela se esforçaria para que tudo saísse como o planejado dessa vez.

[..]

Harry mais uma vez se encontrava de frente com seu inimigo, não soube definir o que sentiu, mas não era medo da sensação de imponência que Tom Riddle transmitia, era algo mais como admiração. Havia acabado de entrar na câmara e somente de estar ali ele se sentia bem naquele lugar, como uma paz interior ou algo do tipo. Mas o que realmente o surpreendeu foi que não sentiu nada ao ver Gina morrendo aos poucos.

- Sabe Potter, você está se tornando exatamente o que o velho quer - Falou a lembrança de Tom.

- O que você quer dizer com isso? - A confusão era visível em sua expressão.

- Por que Dumbledore te deixou com seus tios trouxas sendo que ele sabia que odeiam tudo relacionado a magia? Se você sofresse durante a infância e ficasse longe do mundo mágico seria mais maleável, e é isso que ele fez e está fazendo, manipulando você para se tornar sua arma e me matar - Harry sentia que ele falava a verdade, por mais que fosse difícil de acreditar que o diretor faria algo do tipo.

- Eu não entendo, por que eu? Por que você tentou me matar quando eu ainda era um bebê e eu ter sobrevivido? Por que Dumbledore quer me usar como arma?

- Por causa da profecia.

- Que profecia?

- É claro que ele não te falou - Revirou os olhos - Foi feita uma profecia sobre a gente, eu não sei ela completa apenas a parte "Aquele com o poder de vencer o Lorde das Trevas se aproxima … nascido dos que o desafiaram três vezes, nascido ao terminar o sétimo mês…". Mas podemos esquecer a profecia se você se juntar a mim, a escolha é sua.

Harry olhou mais uma vez para o corpo de Gina antes de encarar Tom novamente.

- Você sabe mais do que isso sobre Dumbledora, certo? - Tom sorriu pela percepção do mais novo.

- Sim, posso contar-lhe uma outra hora, se quiser.

- Eu aceito - Disse com convicção.

Gina deu um último suspiro antes de deixar de viver. Harry não sentiu tristeza nem nada do tipo, ele era apenas um garoto de doze anos, não tinha que arriscar sua vida para salvar a todos como muitos pensavam e jogavam esse peso em seus ombros, ele não era obrigado a carregar esse fardo. Tom deixou de ser apenas uma lembrança e finalmente havia retornado, se aproximou de onde o diário estava no chão e o pegou, foi até Harry e para a surpresa do garoto ele afagou-lhe seu cabelo.

Tom pegou uma pedra que estava no chão da câmara e a transfigurou deixando igual ao seu diário, este, porém, estava um tanto destruído e sujo de sangue.

- Pegue - Entregou para Harry - Precisam acreditar que você me destruiu - Explicou ao ver que Harry não estava entendo  - Nos vemos em breve, mas por enquanto ninguém pode saber que voltei. Apenas lembre-se de não confiar em Dumbledore - Falando isso ele desaparatou dali.

Harry ainda estava meio atordoado com todo esse acontecimento na câmara, começou então a culpar o diretor por ter que viver com os Dursley, ser tratado pior do que elfo doméstico e ainda servir de saco de pancadas. Voldemort, ou Tom Riddle, tinha tentado o matar por causa da profecia apenas para garantir sua vida e seus pais o morreram apenas para protegê-lo. Nesse momento ele se perguntou se teria coragem de matar um bebê se isso significaria ficar vivo e concluiu que talvez tivesse feito o mesmo.

Colocou o diário falso dentro do casaco e pegou o corpo da ruiva e foi até onde Rony estava com o professor Lockhart, na entrada da câmara. Rony não podia saber que ele passou para o outro lado, teria que continuar fingindo acreditar em Dumbledore, não gostava disso, mas seria importante o diretor acreditar que ainda pode manipulá-lo. 

- E-Eu não consegui salvá-la, cheguei tarde demais - Falou lamentoso, mas por dentro apenas sentia raiva do velho.

- Gina... - Disse com a voz arrastada enquanto lágrimas escorriam por seu rosto, estas que o ruivo não se importou em enxugá-las - Como vamos sair daqui?

Foi então que algo veio a mente de Harry e ele acabou batendo em sua própria testa por não ter pensado nisso anteriormente.

- Mostre as escadas - Disse em ofidioglossia - Deveria ter pensado nisso antes - Falou antes que Rony começasse uma discussão por ter pulado daquela altura sendo que poderiam ter descido normalmente.

Subiram e acabaram por encontrar os professores e o diretor no banheiro os encarando. Assim que viram o corpo sem vida de Gina Wesley ficaram assustados e um tanto desolados. 

- Eu consegui derrotá-lo, mas já era tarde demais para ela - Falou num tom melancólico.

- Sinto muito - Disse Minerva com a voz embargada.

Snape pegou a garota no colo e saiu do banheiro, afinal a escola tinha que comunicar a família. Harry se aproximou do diretor e pegou o diário falso e entregou-o.

- Ele não conseguiu voltar, eu destruí o diário antes - Disse o garoto.

Dumbledore lhe lançou um sorriso reconfortante acreditando que o garoto estava se sentindo mal por não ter conseguido salvar a Wesley caçula, mas o que ele não sabia era que Harry estava mentindo e que ele fazia isso muito bem porque ao olhar nos olhos verdes o que ele podia ver era apenas melancolia.

Harry não se arrependera em se aliar a Voldemort, pelo contrário, estava ansioso para poder reencontrá-lo. Lembrou-se do que ele lhe disse no ano anterior "Não existe bem nem mal, só existe o poder, e aqueles que são demasiado fracos para consegui-lo" e ele queria experimentar a sensação de poder e essa frase nunca lhe pareceu tão certa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Alguém tem alguma ideia de apelido para o velho?

Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...